Abrir menu principal

Desciclopédia β

Cu pra troco

Corcovado.jpg HUEHUEHUEHUEHUE BR BR

Oxe, venha cá, este artigo da porra vem do Brasil! Só fala de futebol, come feijoada, exporta diplomatas, puxa o saco dos EUA, paga imposto pra caralho e põe a culpa no governo pela corrupção da sociedade.

Ela tem. E muito.

Cquote1.png Eu não tenho o cu pra troco! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre o fim de um programa pago com 1.000.000.000.000,00 contos de réis

"Não tenho o Cu pra troco!!", também conhecido como "Devo até as calças!!" é uma situação aonde fodeu de vez a sua vida e provavelmente você terá de dar o cu para algum banco para se livrar.

Índice

OrigemEditar

A origem da expressão Cu pra troco surgiu no Brasil colonial de 1900 e guaraná com rolha quando a famosa prostituta Dercy Gonçalves estava terminando um programa. Na hora do pagamento, o cliente deu-lhe uma nota 1.000.000.000.000,00 contos de réis. Diante da situação, Dercy explicou gentilmente que não tinha troco para tamanha quantia de dinheiro. O cliente, indignado, disse que deixaria por isso se ela desse o cu para ele. Como um reflexo, Dercy soltou a célebre frase.

DisseminaçãoEditar

Hoje em dia, não ter o Cu pra troco virou siônimo de "Devo até as calças" e "Devo, não nego. Pago enquanto puder" dentre outros. Apesar que alguns estudiosos de Birigui tem algumas teses de doutorado sobre a qualificação semântica do termo em questão quando usado de forma leviana, como por exemplo, quando um amigo pede dinheiro emprestado.

PrevençãoEditar

Evite beber todas no bar e ficar sem Cu pra troco quando o Campeão do garçom chegar com a conta. Até porque, todos sabemos que cu de bêbado não tem dono.

SoluçõesEditar

Não ter Cu pra troco é facilmente resolvível utilizando o próprio cu em questão. Os mestres na arte de ter o cu pra troco são os emos. Tanto isso é verdade que um emo jamais fica pobre, pois só assim eles podem pagar suas maquiagens.

Estudiosos de Birigui estudam métodos menos ortodoxos para livrar-se da alcunha de não ter cu pra troco utilizando uma analogia com Instituições Bancárias. Levando em consideração que graças aos juros você acaba tomando no cu, fica claro que você jamais ficará sem cu pra troco.

EmosEditar

Emos não só têm o Cu pra troco como também tem o cu para morrerem com algo enfiado nele.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar