Abrir menu principal

Desciclopédia β

Culinária árabe

SheikYerbouti.jpg

"Vai tomar no cu", em árabe
Brimo, este artigo é árabe!
Se você entrar no harém dos outros, correrá sério risco de ficar sem petróleo

Rocambolelevel2.jpg Este é um artigo gastronômico.

Se você vandalizar, a moderação vai enfiar o rocambole ao lado no seu cu.

Maior fornecedor de comida árabe no Brasil.

Cquote1.png Você quis dizer: Culinária ditada segundo os preceitos do Islã? Cquote2.png
Google sobre Culinária árabe
Cquote1.png Aqui no Rio Grande do Sul todo mundo aprecia comida árabe, pois todo mundo aprecia um kibe, pelo menos pra dar ré Cquote2.png
Clodovil sobre culinária árabe
Cquote1.png Eu achava que eles só comiam kibe e esfiha. Cquote2.png
Carla Perez sobre culinária árabe
Cquote1.png Você esqueceu das tâmaras! Cquote2.png
Você sobre a citação acima

Culinária árabe é o termo usado para se referir às merdas que os árabes comem. A comida árabe é muito apreciada pelos árabes, mas também é apreciada pelos brasileiros, pelos judeus, e dizem que o próprio George W. Bush já experimentou (e gostou).

Já ficou com fome, né, safado?

Índice

HistóriaEditar

 
Dizem que Hitler morreu, mas isso é mentira, ele só fugiu para a Arábia Saudita onde está trabalhando num restaurante árabe porque eles também odeiam os judeus

A Arábia sempre foi um grande deserto, e por isso os homens da caverna inicialmente só se alimentavam de areia e bebiam a suposta água que eles viam nas miragens.

Os árabes foram desenvolvendo o cérebro e aprenderam como tirar leite de camela (e de camelo), e perceberam que as tâmaras e damascos eram de comer. Mesmo assim, a culinária árabe nunca foi muito variada, pois eles sempre comiam os mesmos pratos de sempre.

Dizem que os árabes invadiram outros povos para conquistar mais territórios e propagar a religião islâmica, mas isso é mentira. A expansão islâmica foi feita para ver se tinha comidas mais variadas (e gostosas) em outros países, e aproveitaram pra propagar o Islã.

Exemplos de comidas típicas da ArábiaEditar

Mulher cobertaEditar

 
É preciso tomar cuidado, pois este animal é muito feroz e difícil de ser domado e consumido.

Ao contrário do que todo mundo pensa, não é o kibe, nem a esfiha, a comida preferida dos árabes. É a mulher coberta que é a comida mais apreciada pelos árabes.

Trata-se de uma espécie apreciada por homens do mundo inteiro, o que por si só não a faz ser um prato tipicamente árabe. A chave que a diferencia de outras comidas similares é o uso de um ingrediente especial chamado Hijab, é esse ingrediente que garante a aparência e o gosto que fazem com que a mulher coberta seja um prato típico da culinária árabe.

Diferente de outros tipos de alimentos de origem animal, a mulher coberta é consumida sem ser abatida antes (pois abatida ela não grita e sofre, e isso não dá um gosto bom ao alimento).

Cuidados devem ser tomados na hora de se consumir esse prato. Existe uma capa protetora que deve ser usada sempre, antes de se consumir a mulher coberta, ou você correrá o risco de pegar doenças muito perigosas, e mesmo que você não pegue doença, existe o risco de acontecer uma coisa, 9 meses depois de você consumir este prato, que não é nem um pouco agradável, e que pode custar muito dinheiro pra você.

KibeEditar

 
Olhando essa imagem, você já sentiu vontade de dar uma sentadinha provadinha
 Ver artigo principal: Quibe

Agora sim, falaremos da comida mais notável da culinária árabe. O kibe é basicamente um punhado de carne mastigada e misturada alguns temperos muito picantes, modelada num formato bem sugestivo e depois usada assada.

O kibe é muito apreciado no Ocidente também, mas ocidentais dão ré no kibe, maneira de consumo considerada incorreta pelos árabes, que a comem da maneira certa e isso os livra de certos riscos à sexualidade deles.

No Brasil, o kibe é muito apreciado, principalmente na cidade de Pelotas, a capital brasileira da ré no do kibe. Em outras cidades onde o kibe é realmente comido, os cozinheiros espertinhos colocam recheio para economizar o dinheiro da carne de camelo. Na China, eles estão falsificando os kibes usando carne de porco, aquela carne que na boca de árabe não entra de jeito nenhum.

EsfihaEditar

 
Pizzas Esfihas.
 Ver artigo principal: Esfirra

O segundo prato mais notável da culinária árabe, a esfiha tanto pode ser fechada (se parecendo com um joelho) quanto aberta (se parecendo com uma mini-pizza). Trata-se de um punhado de massinha massa coberta com um recheio que as pessoas se impressionam em descobrir que não necessariamente precisa ser carne.

Tem gente que prefere aportuguesar a palavra, escrevendo esfirras. Lá na Arábia é um sacrilégio escrever esfirras, e se você escrever assim, corre o risco de ter seu dedo e seu lápis (opa!) cortados.

No Brasil, se consome mais de 8000 esfihas por dia, tudo isso porque o Habibas vende a um preço bem barato, só uns 50 centavinhos em barras de ouro que valem mais do que dinheiro.

Ka'akEditar

 
Fala a verdade, você tá a fim de comer uma rosca árabe (ui!)

Ka'ak não é um prato muito famoso do mundo árabe, provavelmente porque lá eles repreendem fortemente a homossexualidade. Na verdade é só uma rosca normal como outra qualquer, mas que é coberta com gergelim e esta é a única coisa que a faz ser árabe.

É um prato muito apreciado pelos árabes, e que junto com o kibe, forma uma combinação maneira. Existe uma variação libanesa chamada Ma'amoul, que não possui um formato tão sugestivo quanto os Ka'aks normais.

HomusEditar

 
  Eu não sabia que os árabes tomavam sêmen temperado com canela e salsinha  
Você sobre homus

Homus é outro prato árabe não muito conhecido, trata-se de um creminho gostoso (ui!) feito com pasta de grão-de-boca-de-ave e gergelim. O Homus é a prova viva de que, com exceção da esfirra, todo alimento de origem árabe é sexualmente sugestivo.

Saladin foi quem inventou o primeiro Homus, e a receita é um segredo guardado com seus descendentes até hoje. O Plankton viajou pro mundo árabe para tentar roubar a receita secreta, mas falhou como sempre e teve de fugir para evitar ser morto pelos terroristas locais.

BebidasEditar

CaféEditar

O café é uma bebida muito apreciada pelos árabes, e é por isso que eles sofrem com doenças crônicas do sono. É consumido no lugar da Coca-Cola como bebida escura número 1, para evitar que o imperialismo americano domine a Arábia e porque eles tem a Mecca Cola.

CháEditar

O chá é outra bebida apreciada pelos árabes. Neste quesito eles são iguais aos ingleses e aos chineses, mas aquela bebida quentinha escurinha continua sendo a preferida dos árabes, exceto no Egito. Existe chá de tâmaras, damascos e pistaches, mas o preferido dos nossos queridos amigos árabes é o chá de mulher coberta.

Outras bebidasEditar

  • Arak: Bebida muito apreciada pelos árabes, mas paradoxalmente não muito consumida por eles por ser proibida por Alá.
  • Leite de camela: Uma variação árabe do leite de burra, é consumido pelos árabes para evitar o imperialismo americano, já que no Ocidente se consome leite de vaca (e de boi também, por certas pessoas).
  • Almaza: Se você pensava que os brasileiros e os alemães eram os únicos a ficar no bar, tomando mijo espumante cerveja o dia inteiro, está bem enganado.

Ver tambémEditar


v d e h