Abrir menu principal

Desciclopédia β

Denise Stoklos

Este artigo é relacionado à história.

Lembre-se que o cangaço não predominou em todo o Nordeste.

40967074 nikita.jpg
Doriapinga.jpg Este artigo é sobre uma subcelebridade

e mandou um "oi" pra câmera da reportagem.

Cuidado: Denise Stoklos pode cobrar cachê por ler este artigo.


Cquote1.png "Gracinha!" Cquote2.png
Hebe Camargo
Cquote1.png Ela é fantástica!!! Cquote2.png
Cid Moreira
Cquote1.png Eu tenho medo Cquote2.png
Regina Duarte

Denise Machorrones Lambecuzes Stoklos (???? - ????) é uma artista moderna, que faz merdas que ninguém entende e os intelectualóides acham bonito e batem palmas.

HistóriaEditar

Nascida no pampa paranaense, mais precisamente perto da fronteira com o Acre, Denise Stoklos é fruto do amor bastardo entre irmãos siameses, por isto mesmo, teve complicado trabalho de parto. Nasceu com síndrome de down, surda-muda e totalmente paralisada da cabeça para baixo.

Inteligente, ainda criança, um primo distante leu para a menina o Kama Sutra, livro que despertou na pequena criança grande desejo de entrar e sair. Daí em diante prometeu a si mesma, que um dia participaria dos Jogos Olímpicos. Já adolescente, a menina Stoklos, recebeu a visita de Inri Cristo, que a curou apenas parcialmente. Em troca, Stoklos lhe deu uma garrafa de Caninha da Roça, uma das preferidas de Jeremias.

 
Denise e sua arte que ninguém entende.

A arteEditar

Daí em diante ela não mais parou, conheceu, aprendeu e desenvolveu a mímica, através da música do menestrel Oswaldo Montenegro. Ganhou o Prêmio Nobel de metafísica aplicada, por seu trabalho com as crianças cantoras da Febem de Curitiba. Teve seu momento mais terrível ao se separar de seu primeiro marido, Nego Boca, com quem teve união estável por 1 ano e dois meses. Denise Stoklos ficou milionária ensinando sua técnica mímica, para centenas de grupos de pagode e para os lendarios ninjas plantadores de caqui.

Este artigo é de um custo não muito elevado,
e vai ficar melhor assim que você assumir como King Size.
v d e h
Teatro