Abrir menu principal

Desciclopédia β

Dennis Bergkamp

Keane-Haaland.jpg CUIDADO! Dennis Bergkamp É UM JOGADOR AGRESSIVO

E arruma briga todo jogo!

Veja outros Cavalos jogadores desse mesmo feitio aqui.

Dennis Bergkamp, também conhecido pelos gaúchos como Dennis Bergamota devido a semelhança do nome e por vestir a laranjinha, é um ex-jogador de futebol neerlandês. Ficou conhecido pela sua brilhante técnica, jogadas magistrais e seu pavor de aviões

Dennis Bergkamp
Dennis Bergkamp.jpg
Assim como Cantona, Bergkamp também misturou elementos do kung-fu ao futebol
Apelidos The Iceman, The Non-Flying Dutchman
Nascimento 10 de maio de 1969
Amsterdã
Nacionalidade Bandeira dos Países Baixos Países Baixos
Altura 1,83m
Peso Who cares?
Posição Atacante ou segundo-atacante
É bom com os dois
Clubes Ajax, Inter e Arsenal
Estilo de Jogo Gracioso como uma foca
Gols Muitos, muitos mesmo
Prêmios Jogador Mais Técnico da Premier League de todos os tempos
Influências Glenn Hoddle, segundo o próprio
Vícios Jogadas que cair o queixo


Cquote1.png THERE IS BEAR CUM! THERE IS BEAR CUM! Cquote2.png
Narrador da Copa de 98 sobre Dennis Bergkamp
Cquote1.png Olha o Kluivert, fez boa jogada, tocou pra Bercaaaaaaaaaampi Cquote2.png
Galvão Bueno sobre Dennis Bergkamp
Cquote1.png Imitão! Cquote2.png
Edmundo sobre gol do Bergkamp contra o Newcastle
Cquote1.png Nós tamo procurando ele até hoje! Cquote2.png
Zaga do Newcastle sobre Dennis Bergkamp

Índice

CarreiraEditar

AjaxEditar

 
Bergkamp nos tempos em que era apenas um garotinho juvenil criado a leite com pêra. Reparem em seu despojado penteado

Filho de um eletricista, Bergkamp adquiriu seu talento após ter levado um choque de mais de 40 mil volts enquanto ajudava o pai num serviço. Desde cedo Dennis mostrava que sua carreira iria dar alçar altos voos, e realmente alçou, só que não foram muito altos porque aí ele teria que andar de avião, coisa que ele não gosta. Iniciou sua carreira em 1986 pelo Ajax da Holanda, fazendo parte de uma geração brilhante do clube na qual incluía: ele mesmo. A jogada tradicional do time na época era Bergkamp receber a bola no fim de meio de campo e sair driblando todo mundo até fazer o gol, ou chutar em algum adversário desavisado só para ele conseguir assistência e não ficar com a conta dos gols sozinho.

Um dos vários queridinhos de Johan Cruyff, Bergkamp ganhou muitos títulos pelo time holandês, e fez uma rivalidade com o baixinho Romário, que na época atuava pelo PSV. No jogo de clássico era normal o resultado dar um empate do tipo 5x5 ou 6x6, sendo que Bergkamp marcava todos os gols do Ajax via dribles e jogadas de habilidade enquanto que Romário marcava todos os do PSV ficando na banheira e aproveitando as cagadas dos defensores do time, cada um á sua especialidade. Não demoraria muito para que Bergkamp virasse um craque de renome internacional e que algum clube grande de fora fizesse uma oferta multimilionária pelo holandês. E foi o que aconteceu.

InternazionaleEditar

Mafiosos de Milão fizeram uma oferta irrecusável, como diria Seu Vitor, para o Ajax em torno de 30 milhões de euro e 2 mil pacotes de erva que os holandeses foram obrigados a aceitar. Uma vez já na Inter, Bergkamp fez boas partidas, mas teve problemas com a imprensa e a torcida. Isso porque os italianos, católicos fervorosos, não gostavam nadinha de certas políticas neerlandesas como legalização da maconha, eutanásia e casamento gay, e por isso começaram a descer o pau no jogador, que acabou caindo de produção e resolver dar no pé.

Bergkamp acabaria por ser substituído por outro antigo craque do futebol holandês, só que esse era um certo careca dentuço de Bento Ribeiro...

ArsenalEditar

 
Bergkamp em uma de suas habituais jogadas pelo clube londrino

Em 1995 Bergkamp foi para o Arsenal, da Inglaterra. Bergkamp não teve dificuldades em se adaptar ao país, até porque a língua inglesa e a Língua holandesa são praticamente parecidas. Pra aprender a falar holandês, bastar pegar as palavras em inglês e trocar o "v" pelo "w" (exceto no caso do nome "Van"), o "s" pelo "z" e o "o" pelo "u" e pronto. Nos primeiros anos Bergkamp não teve muito sucesso porque o resto do time estava prestes a se aposentar, mas anos depois com a chegada de craques como o jogador de voleibol Thierry Henry o Arsenal se tornou um dos melhores times da Inglaterra e ganhou vários títulos.

Infelizmente esse sucesso não se transmitiu para competições europeias pois como Bergkamp tinha aviãofobia só era capaz de viajar pra fora do país via carro, barco, balsa ou jangada, o que tornava impossível para o holandês defender a equipe em um país distante como, digamos, Chechênia. Sem um de seus melhores jogadores, o time não tinha o mesmo rendimento e acabava fracassando.

Bergkamp se aposentou em 2006, com apenas 37 anos de idade.

Seleção HolandesaEditar

 
Bergkamp imitando o The Flash na comemoração enquanto que os boludos reclamam com o juiz como sempre fazem maus perdedores

Desde sempre Bergkamp defendeu a Laranja Mecânica, e logo que estreou foi considerado um de seus principais jogadores. Ele defendeu a seleção na Euro 92, quando perderam na final nos pênaltis para a Dinamáquina. Também participou da Copa de 94 e da Euro 96.

Mas seu melhor momento foi definitivamente na Copa de 98, quando na partida das quartas-de-final contra a Argaytina ele iria marcar o melhor gol de sua carreira. Faltando um minuto pro jogo acabar e com um empate que levaria o jogo pra prorrogação, Bergkamp recebeu um lançamento da puta que pariu, dominou como se não fosse nada, deu uma caneta num boludo e tocou no lado oposto do goleiro para sacramentar a vitória batava. Não foi apenas o gol mais antológico de todas as copas, como a narração mais antológica também, já que o narrador da TV holandesa que tava transmitindo o jogo teve um orgasmo e começou a gozar enquanto narrava o gol. Infelizmente o lance não valeria de muita coisa pois na fase seguinte a Laranja Mecânica sucumbiria ante aos brasileiros e sua poderosa muralha Taffarel via penalidades.

Após mais um fracasso nos pênaltis na Euro 2000, Bergkamp se aposentou da seleção. Disse que perder no Arsenal era o suficiente.

Estilo de jogoEditar

Bergkamp ficou conhecida por sua técnica tão refinada quanto açúcar cristal. Conhecido como "The Iceman", ele tinha um estilo de jogo que aliava inteligência a habilidade, com destaque para os dribles mirabolantes, seu controle de bola que lhe permitia parar uma bola mesmo se viesse da estratosfera e aqueles chutes sem ângulo que a bola sai seco e a gente fica se perguntando como que essa porra consegue ir tão perfeitamente pro gol. Ele era tão bom no dibre, como diria Ronaldinho, que a Electronic Arts e a Konami dão graças a Deus dos jogos de videogame serem rudimentares na sua época, pois nos dias de hoje eles teriam que gravar mais umas 50 combinações de botões para cada drible diferente do holandês. É por isso também que ele é raramente incluído nos times de lendas, justamente para evitar esse imbróglio o máximo possível.

Quando chegou a Inglaterra, Bergkamp por ser estrangeiro iria enfrentar muito preconceito por parte dos sacanas elitistas, que lhe chamavam de vários nomes depreciativos como "maconheiro", "baitola", "holandês imundo" e "irlandês". Isso aliado ao forte e brutal estilo de futebol inglês fizeram com que o neerlandês se tornasse um jogador agressivo que não levava desaforo pra casa e toda vez que sofria uma agressão devolvia na mesma moeda ou em dobro, acabando por tomar um belo dum cartão vermelho por isso. Um bom exemplo foi nesse lance, quando um viadinho do West Ham tentou arrancar a gola da camisa de Bergkamp pra levar pra mãe dele costurar na sua camisa preferida e o holandês revidou com uma bela duma cotovelada na fuça. Bergkamp afirmou numa entrevista que usava essas agressões para descontar as frustrações pelos fracassos do Arsenal.

AerofobiaEditar

Bergkamp ficou muito conhecido pelo seu medo de aviões. Esse medo teve origem numa viagem com a delegação holandesa para a Copa de 94, quando no meio do voo um jornalista árabe levantou-se e disse ter uma bomba na maleta. Ele mais tarde se desculparia dizendo que tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto, mas ainda assim teve efeitos profundos no jogador, que nunca mais conseguiu andar de avião tranquilamente e costumava evitar muçulmanos nas ruas semanas após o incidente.

Sabendo das limitações de seu ídolo, os gunners o apelidaram de "The Non-Flying Dutchman" (O Holandês Não-Voador). Esperava-se que o título de holandês voador fosse clamado por Robin van Persie, mas esse não fez por merecer.

 
Bergkamp em um raro momento dentro de um avião. Na página que ele está lendo está escrito 100 vezes "EU NÃO VOU ENTRAR EM PÂNICO" como parte de sua terapia

Ver tambémEditar