Abrir menu principal

Desciclopédia β

Desejo

Alguém que deseja ter câncer de pulmão.

Cquote1.png May all your wishes come true! Cquote2.png
Robot Unicorn Attack sobre Desejo

Cquote1.png Eu desejo ter 1 milhão de desejos Cquote2.png
Alguém inteligente no primeiro desejo para o gênio lâmpada

Desejo é um sentimento, um tesão inexplicável pela procura de uma forte satisfação pessoal, uma ilusão temporária causada por uma disfunção emocional, a esperança. É geralmente aceito que você adquire direito a três desejos após esfregar uma lâmpada na Arábia.

Muitas vezes o desejo está correlacionado à sorte. Você talvez deseje ganhar hoje no jogo do bicho e sorte decidirá isso, ou talvez deseje ser mais atraente fisicamente, e a sorte estará no nível etílico da corrente sanguínea da pessoa do seu sexo oposto, ou não, para talvez lhe achar atraente, ou não.

Índice

FilosofiaEditar

O primeiro registro de pessoa que teve um desejo remonta do filósofo Aladim na Arábia. Após ele diversos filósofos passaram a desenvolver teorias sobre o desejo.

Para a filosofia do desejo diz que ele é uma manifestação sentimental e emo de carência e complexo de inferioridade, uma qualidade definitiva de seres mortais e finitos em sua angústia da morte certa desejarem o máximo de coisas possíveis antes do inevitável fim de sua carne, portanto Deus não tem desejos, Ele pouco se importa com o que diabos você faz, desde que você faça por conta própria.

MetafísicaEditar

O desejo é para a metafísica uma atitude mental subjetiva em busca de exclusivamente apenas uma coisa: O orgasmo. O desejo surge a partir do instante em que sua pança gorda torna-se demasiada preguiçosa para ir buscar o que ela quer, e logo, surge o desejo em forma de uma fantasia abstrata na sua mente onde você alcança múltiplos orgasmos num bacanal, e sem se dar conta, a realização do seu desejo acaba resumindo-se em masturbação mental.

A vontade é inimiga da esperança e vice-versa. Enquanto a vontade nega o desejo e afirma a ação material, a esperança faz do ser um desempregado que vive com os pais esperando que tudo caia dos céus em seus respectivos colos.

EpistemologiaEditar

 
Alguém que deseja que seu carro não seja furtado.

A epistemologia trata do desejo como uma forma de auto-engano e um conforto para uma vida angustiante e originalmente sem sentido. É na exteriorização dos desejos que reside uma das poucas graças de se viver.

Os infalibilistas defendem a negação de desejar, cujo sentimento é a causa da infelicidade, pois tudo que você deseja jamais ocorre pois o que você já possui não poderia ser desejado, o que na realidade não faz sentido, porque você estaria desejando não desejar o que causa um paradoxo. Sem falar que o infalibilismo é um desejo em si.

EstoicismoEditar

Para o estoicismo, a felicidade está no desejo apenas do que é possível, por exemplo, desejar ser sodomizada pelo namorado, as vezes nem precisa pedir, a não ser que ele seja um gay enrustido. O estóico procura não perder tempo com desejos impossíveis de serem realizados como um estupro por tentáculos.

Desejando o que já se tem, e menos o que não se tem gera menos infelicidade pois assim a pessoa se sente menos imprestável, menos incapaz e mais confiante do que realmente sempre foi.

Os estóicos falam ainda dos desejos de ordem superior, ou seja, desejos sobre nossos desejos (como desejar desejar algo, ou desejar não desejar algo). Essa esquizofrenia é na verdade o dualismo entre o desejo de nosso corpo físico mortal que só pensa em sexo e o desejo de nossa consciência que fica nos causando arrependimentos.

EpicurismoEditar

O epicurismo divide o desejo em quatro categorias:

  1. Desejos necessários: Todos aqueles desejos necessários para a satisfação do corpo físico como: alimentação, sono, sexo, paz, pintar as unhas e pentear a franja.
  2. Desejos naturais: Busca pelo prazer, enquanto o desejo necessário visa o sexo para a procriação, o desejo natural busca o sexo apenas pelo gozo.
  3. Desejos artificiais: Desejo de coisas de nazistas como glória, riqueza, conquistas...
  4. Desejos irrealizáveis: Quando você deseja ser inteligente, popular e atraente.

EconomiaEditar

Para os economistas, o desejo é a capacidade do ser humano de fomentar o capitalismo e consumir ininterruptamente as futilidades do mercado escasso.