Abrir menu principal

Desciclopédia β

Desentrevistas:Jailson Mendes


Desentrevistas.gif

Este artigo é parte do Desentrevistas, a sua coleção de fofocas informações sobre as pessoas famosas.

Entrevista Jailson.jpg
Jailson se preparando para a entrevista

Boa tarde, caros amigos da Desciclopédia! Para comemorarmos o início do ano de 2015, que promete ser delicioso para todos nós, iremos realizar uma entrevista especial, que promete mexer com as emoções até dos maiores machos virgens que nos acompanham. O nosso convidado especial de hoje, que promete fazer revelações bombásticas sobre sua vida e obra, não é outro senão Jailson Mendes, o Rei da Delícia. Esta celebridade prometeu nos conceder uma entrevista bem grande, grande e gostosa, para nossos leitores se deliciarem. Para entrevistar esta lenda da internet contemporânea, enviamos o nosso desrepórter mais macho, que não pensou duas vezes antes de ir bater um papo e tomar suco de laranja com Jailson.

É um prazer tê-lo conosco nesta tarde quente de janeiro, sr. Jailson Mendes.Editar

O prazer é todo meu, macho. E realmente está muito quente, então vai, não precisa ficar com vergonha, tira logo essa porra desse macacão e vamos pro bem-bão.

Bem... Acho que é melhor voltarmos ao que interessa, que é a entrevista. Jailson, como foi a sua infância?Editar

Com 5 anos, ajudava meu pai na oficina, levando peças para ele. Depois do expediente, a gente deitava no capô de um dos fuscas que ele consertava e a gente relaxava tomando suco de laranja natural. Nas horas vagas, gostava de brincar de deixar o Ken pelado, coisa que só macho virgem faz. Também lembro de ter alguns amigos, e de brincar de médico com eles. Eu gostava de consertar o estetoscópio deles. Estetoscópios grandes, grandes e gostosos. Fico deliciado só de lembrar.

E a adolescência, como foi?Editar

Foi uma delícia, cara. Apesar de dizerem que eu já estava crescido, eu ainda gostava de brincar. Minha brincadeira favorita era a "caçada deliciosa", na qual eu fazia o papel de um urso grande, peludo e manso, enquanto que os meus colegas faziam o papel dos caçadores. O vencedor era quem me encontrava primeiro, pois teria o privilégio de me abater da maneira como achasse mais deliciosa. No fim, tanto as partes caçadora quanto a caçada saíam deliciadas dessa brincadeira.

Parece uma adolescência bastante máscula. Avançando mais uma fase, como foi o seu primeiro contato com a indústria pornográfica direcionada para o público macho virgem?Editar

Foi meio que sem querer, hehe. Um amigo meu, que era caçador de ursos veterano, me contou que um diretor muito delicioso chamado Sandro Lima estava reunindo os ursos mais machos de Curitiba para filmar uma mega-produção masculina, direcionada apenas para os verdadeiros machos, aqueles que são machos até debaixo de outros machos. Enfim, meio que na brincadeira, eu fui lá na Ícaro Studios apresentar o meu currículo, e por ser um currículo bastante grande e roliço, eles acabaram me contratando. E foi aí que começou a minha jornada de delícias...

Você imaginava que entraria em uma indústria como essa?Editar

 
Ápice da entrevista.

Não, não. Antes disso, eu só dava o cu por esporte mesmo. Desde a infância, meu sonho era seguir a carreira de padeiro, ganhando dinheiro queimando uma rosquinha. Mas se isso falhasse, meu plano B não envolvia nada pornográfico: seria apenas trabalhar como ajudante de mecânico. Afinal, só macho que tem uma profissão dessas, na qual conserta carro e leva rola.

Como foi o seu primeiro filme?Editar

Bem, não foi nada menos do que delicioso. Nesse filme, por não ter experiência na área cinematográfica, eu pensava que tinha que fazer drama, então gritava como se fosse um verdadeiro macho virgem de cu apertado. E me senti como se realmente fosse, pois mesmo já lacerado, acabei ficando com um oco enorme no rabo.

Conte-nos um pouco sobre a segunda produção em que participou.Editar

Antes de comentar sobre esta outra delícia que aconteceu em minha vida, preciso esclarecer uma coisa para os machos virgens que me admiram: apesar de todo mundo pensar que meu segundo filme foi com o Kauan Desu, a verdade é que a minha segunda experiência na indústria pornográfica foi com o carinhoso Demacol. Ah, e aproveitando, queria deixar claro que, apesar de todo mundo odiar o Shemacol Demacol, ele foi o ator mais delicioso com quem tive o prazer de me deliciar. Ele foi o único que beijou na boca, coisa que só macho virgem faz.

Mas voltando a pergunta, o filme foi um dos melhores de minha carreira, pois o Demacol mostrou preocupação com as condições do meu oco após os atos nada ortodoxos que realizamos. Ignoremos o fato de que o filme não possuía roteiro, e Demacol apenas chegava, beijava na minha boca e deixava um oco.

Finalmente, como foi o último oco de sua carreira?Editar

 
Jailson sorri para as câmeras.

Haha, posso ter feito meu último filme com o Kauan Desu, mas aquele com certeza não foi o último oco. Depois daquele vieram muitos outros mais, mas estes não foram registrados pelas câmeras. Sabe como é, as melhores delícias ocorrem entre quatro paredes e apenas os machos virgens que estão participando no momento devem apreciá-la. É como beber um bom vinho.

Bom, voltando ao assunto, o filme com o Kauan Desu foi o mais másculo de todos, pois só verdadeiros machos virgens consertam carro e levam rola. E para brindar esta atitude tão máscula, ainda tinha um cachorro machão observando toda aquela delícia que ocorria em cima do meu fusca.

Obrigado pelas respostas, sr. Jailson Mendes. Gostaríamos de perguntar mais coisas sobre sua carreira máscula e viril, porém nosso orçamento é curto, e se estendermos muito, não conseguiremos publicar a desentrevista na íntegra.Editar

Como assim, num intendi. Não era essa entrevista que vocês queriam? Tanto trabalho pra dar essa entrevista e agora vocês querem deixá-la curta, caralho?

Desculpe, Jailson, mas realmente não podemos mais estender essa desentrevista.Editar

Bom, tudo bem. Agora eu tô a fim de relaxar mesmo. Então deixa a continuação dessa desentrevista pra lá e me transforma numa puta, numa vagabunda, vai...


Depois deste pequeno diálogo, tanto entrevistador quanto entrevistado começaram a deliciar-se, e esqueceram-se do resto da equipe. Os membros da Desciclomídia que participavam desta desentrevista épica foram expulsos do recinto por berros de urso grande, peludo e nada manso, e restou-lhes trazer para os escritórios da Desciclopédia esta entrevista como vos estais lendo agora.