Abrir menu principal

Desciclopédia β

Deslistas:Piadas

Deslistas.gif

Este artigo é parte do Deslistas, o sumário livre de conteúdo.

O Deslivro Piadas é como toda a Desciclopédia: qualquer um edita, escreve a merda que vem na sua cabeça e quando vandaliza é banido por 24 anos. Claro que você pode escrever o que acha de mais engraçado, o que certamente não vai fazer ninguém rir, mas antes não deixe de ler Como ser engraçado e não apenas idiota, se você já sabe tudo sobre esse tutorial, pode nos ajudar, mas não faça MERDA, pelo medo de Chuck Norris!

Entrada (opa!)Editar

O deslivro Piadas conta piadas. Se você gosta de ouvir piadas e rir de tudo, sinta-se a vontade. Se você não achar nada engraçado, reclame no procon e foda-se!

Garantimos: sua total perda de tempo.

Não devolvemos sua sanidade e nem senso do ridículo.

NÃO ACEITAMOS CHEQUES E NEM RÚPIAS INDIANAS

Agora desça o mouse e delicie-se com o humor cearense...ou não...

Volume 1Editar

ComaEditar

Uma moça sofreu um gravíssimo acidente de trânsito, vai parar na UTI e passa dois anos desacordada. Certo dia para espanto de todos a moça fica grávida. Os médicos, a polícia, os funcionários do hospital e principalmente os parentes empenham-se em descobrir o que poderia ter ocorrido.

Após exaustivas investigações chegaram a conclusão que o culpado era um caipira que havia chegado do interior para trabalhar como auxiliar de enfermagem. Ele é levado para a delegacia e severamente interrogado pelos policiais. E se defende dizendo que cumpriu suas obrigações seguindo as instruções da plaqueta que estava pendurada na cama.

Perplexos, os policiais foram até o local do crime, viram a mulher deitada e sobre ela a plaqueta: "coma"

MentirinhaEditar

Um sujeito se dirigiu à atendente da casa lotérica:
- Olha, não tenho a menor idéia sobre quais números escolher para comprar um bilhete da Loteria Federal. Você poderia me ajudar?
- Claro, respondeu ela, vamos lá. Durante quantos anos você freqüentou a escola?
- 8
- Perfeito, temos um 8.
- Quantos filhos você tem?
- 3
- Ótimo, já temos um 8 e um 3. Quantos livros você já leu até hoje?
- 9
- Certo, temos um 8, um 3 e um 9. Quantas vezes por mês você faz amor com sua mulher?
- Caramba, isso é uma coisa muito pessoal - diz ele.
- Mas você não quer ganhar na loteria?
- Está bem, 2 vezes.
- Só??? Bom, deixa pra lá. Agora que já temos confiança um com o outro, me diga quantas vezes você já deu a bunda?
- Qual é a sua? - diz o homem - Sou espada!
- Não fique chateado. Vamos considerar então zero vezes. Com isso já temos todos os números: 83920.

O sujeito comprou o bilhete que correspondia ao número Escolhido. No dia seguinte foi conferir o resultado. O bilhete premiado foi o de Nº 83921. Cheio de raiva, comentou:
- Puta que pariu!!! Por causa de uma MENTIRINHA BESTA eu não fiquei milionário!!!

Incentivo à natalidadeEditar

Em determinado país (Finlândia ou Japão, mas quem liga?) foi criado um programa de incentivo à natalidade, pois o número de habitantes estava caindo e a proporção de idosos crescia assustadoramente. Necessitando de mão-de-obra, o governo decretou uma lei que obrigava os casais a terem um certo número de filhos, previa também uma tolerância, de até cinco anos a partir do Casamento, para que o casal "encomendasse" pelo menos um pimpolho.

Aos casais que ao fim do prazo não conseguissem ter um filho, o governo destacaria um agente auxiliar para que a criança fosse gerada. Neste cenário se deu o seguinte diálogo de Casal:

MULHER: Querido, completamos hoje 5 anos de casamento!
MARIDO: É... e infelizmente não tivemos nenhum filho.
MULHER: Será que eles vão mandar o tal agente?
MARIDO: Não sei... talvez mandem.
MULHER: E se ele vier?
MARIDO: Bem, eu não posso fazer nada.
MULHER: E eu, menos ainda...
MARIDO: Vou sair, já estou atrasado para o trabalho.

Logo após a saída do MARIDO, bateram à porta: TOC, TOC, TOC!!!!

A MULHER abriu e encontrou um HOMEM de boa aparência a espera. Tratava-se de um fotógrafo, que saiu para atender um chamado de uma família que queria fotografar sua criança recém-nascida, mas que por um engano, errara de endereço. E o diálogo se seguiu:

HOMEM: Bom dia! Eu sou...
MULHER: Ah, já sei! Pode entrar.
HOMEM: Obrigado. Seu esposo está em casa?
MULHER: Não. Ele foi trabalhar.
HOMEM: Presumo que esteja a par.
MULHER: Sim, ele já está sabendo de tudo. Eu também concordo.
HOMEM: Ótimo. Então vamos começar.
MULHER: Mas já? Tão rápido...
HOMEM: Preciso ser breve, pois ainda tenho 16 casas para visitar.
MULHER: Minha nossa! O senhor agüenta?
HOMEM: O segredo é que gosto do meu trabalho, me dá muito prazer!
MULHER: Então vamos começar. Como faremos?
HOMEM: Permita-me sugerir: uma no quarto, duas no tapete, duas no sofá.
MULHER: Serão necessárias tantas?
HOMEM: Bem, talvez possamos acertar na mosca já na primeira tentativa.
MULHER: O senhor já visitou alguma casa neste bairro?
HOMEM: Não, mas tenho comigo algumas amostras do meu trabalho (mostrando algumas fotos de crianças). Não são lindas??
MULHER: Como são belos estes bebês! Foi o senhor mesmo quem fez?
HOMEM: Sim. Veja esta aqui, por exemplo, foi conseguida na porta do supermercado.
MULHER: Que horror! O senhor não acha muito público?
HOMEM: Sim, mas a mãe queria bastante publicidade.
MULHER: Eu não teria coragem!!!
HOMEM: Esta aqui foi em cima do ônibus.
MULHER: Cacilda!!!
HOMEM: Foi um dos serviços mais difíceis que já fiz.
MULHER: Claro, eu imagino!
HOMEM: Esta foi feita no inverno, em um parque de Diversões.
MULHER: Credo! Como o senhor conseguiu? Não sentiu frio?
HOMEM: Não foi fácil! Como se não bastasse a neve caindo, tinha uma multidão em volta. Quase não consegui acabar.
MULHER: Ainda bem que sou discreta, não quero ninguém olhando.
HOMEM: Ótimo, eu também prefiro assim. Agora, se me der licença, preciso armar o tripé.
MULHER: Tripé?!!!
HOMEM: Sim madame, pois o negócio, além de pesado, depois de armado mede quase um metro.
MULHER: desmaiou...

MinistériosEditar

O Presidente do Brasil, numa reunião com o Presidente da Suíça, o Presidente do Brasil apresenta os seus Ministros:
- Este é o Ministro da Saúde, este é o Ministro da Educação, este é o Ministro da Cultura, este é o Ministro da Justiça...
E assim foi.
Chegou a vez do Presidente da Suíça:
- Este é o Ministro da Saúde, este é o Ministro da Fazenda, este é o Ministro da Educação, este é o Ministro da Marinha...
Nessa altura p Presidente do Brasil começa a rir:
- Desculpe, Sr. Presidente, mas para que o Sr. tem um Ministro da Marinha, se o seu país não tem mar?
O Presidente da Suíça então responde:
- Quando você apresentou os Ministros da Justiça, da Educação e da Saúde, eu não ri.

Cor da roupaEditar

Há 200 anos atrás...
Durante suas batalhas, Napoleão Bonaparte sempre usava uma camisa de cor vermelha. Para ele era importante, porque se fosse ferido, com sua camisa vermelha não se notaria seu sangue, e seus soldados não se preocupariam e também não deixariam de lutar. Toda uma prova de honra e valor.

Duzentos anos mais tarde, Lula usa sempre calças marrom…

O risquinho do 7Editar

Até os nossos dias, muita gente, quando escreve o número 7, ainda o faz, colocando uma pequena barra horizontal (traço) suplementar, na metade da perna do algarismo.

Oficialmente, este pequeno traço não existe como dá para constatar, digitando a tecla 7 do teclado do seu computador, calculadora ou qualquer outro aparelho que possua teclado. Agora eu coloco esta questão: Vocês sabem a origem deste costume??

Para responder, temos que voltar muitos séculos atrás, aos tempos bíblicos, quando Moisés estava no Monte Sinai e lhe foi ditado os 10 mandamentos. Em voz alta, ele foi anunciando um a um à multidão.

Quando chegou ao sete, Moisés disse:
- Não desejarás a mulher do próximo!
Um breve silêncio... E a multidão rompeu, gritando em coro:
- Risca o sete, risca o sete!!!!

TesteEditar

Tenta ler sem errar...

O gato assim fez
O gato é fez
O gato como fez
O gato se fez
O gato mantém fez
O gato um fez
O gato folgado fez
O gato ocupado fez
O gato por fez
O gato quarenta fez
O gato segundos fez

Segue...

Agora leia somente a terceira palavra de cada uma das frases...

Teoria e práticaEditar

O garoto de dez anos se aproxima do pai, com o caderno da escola na mão.

  • Pai... Qual a diferença entre prática e teoria?
  • Hmm... Filho, pra eu te responder, vá até a sua mãe e à sua irmã e pergunte se elas fariam amor com um estranho por um milhão de dólares.

O menino se aproxima da irmã, uma gatinha de 18 anos, e faz a pergunta.

  • Mas é claro que sim! Com um milhão de dólares eu arrumaria minha vida e nunca mais precisaria trabalhar!

Depois ele vai até a mãe.

  • Bem, filho. Eu amo seu pai. Mas um milhão de dólares é muito dinheiro. Dava pra quitar a casa e dar uma vida de conforto pra vocês. Eu toparia sim.

O garotinho corre pro pai e dá o resultado da pesquisa:

  • As duas disseram que fariam sim...
  • Bem filho, então... Na teoria, temos dois milhões de dólares aqui em casa. Na prática, temos duas putas...

Obra públicaEditar

Um prefeito de uma cidade do interior do Brasil queria construir uma ponte e chamou três construtores para escolher: um americano, um japonês e um brasileiro.

O americano propôs:

  • Faço por 5 milhões: 3 pela mão de obra e materiais, e 2 é o meu lucro.

O japonês propôs:

  • Faço por 3 milhões: 2 pela mão de obra e materiais, e 1 é o meu lucro.

Já o brasileiro:

  • Faço por 9 milhões.

O prefeito ficou surpreso e perguntou:

  • Nove? Por que isso tudo?
  • É simples. 3 para mim, 3 para o senhor.

E os outros 3?

  • Pagaremos ao japonês para construir a ponte.
  • Feito!

Comendo o corpoEditar

Um brasileiro, um espanhol e um chinês gordo estão perdidos numa ilha deserta e começam a passar fome. Então eles resolvem que cada dia alguém dará uma parte do corpo para os outros comerem.

No primeiro foi a vez do chinês, que corta uma coxa e diz:

  • Hoje nós teremos pernil.

E todos comem a perna dele. No dia seguinte, foi a vez do espanhol, que corta as orelhas e diz:

  • Hoje nós teremos torresmo.

E todos comem o "torresmo". No dia seguinte, foi a vez do brasileiro, que tira as calças e o espanhol diz:

  • Hoje nós teremos linguiça.

O brasileiro responde:

  • Não, vai ser só leite mesmo e pronto.

CoresEditar

Em uma sala de aula , a professora anunciou:
-Amanhã teremos um exercício sobre cores compostas. Cada um de vocês terá que dizer o nome de uma cor composta, não valendo repetir alguma que foi dita antes. Vão para casa e procurem decorar vários exemplos.

Joãozinho passou a tarde inteira pensando em uma cor que fosse bem difícil, mas só se lembrava de cores fáceis. À noite, ouviu sua mãe comentar com a vizinha que o vestido da outra vizinha era rosa choque, uma cor horrível para vestidos. Perguntou a mãe o que era rosa choque e a mãe lhe explicou que era uma cor de rosa muito berrante. Joãozinho decidiu: no exercício daria esta cor como exemplo.

Dia seguinte:
- Mariazinha!
- Azul-piscina, professora.
- André!
- Verde-musgo, professora.
- Mariozinho!
- Cinza-chumbo professora.
- Tião!
- Rosa-choque professora.
- Joãozinho!
- Preto-filho-da-puta!

ExameEditar

Um cego seguiu para um consutório de um Urologista pra fazer exame de próstata.

  • Fique aí de quatro

Ceguinho ficou de quatro, mas antes que começasse a consulta, disse:

  • Doutor, eu posso segurar o seu pinto?
  • Mas pra quê?
  • Pra ter certeza que o senhor não vai comer o meu cu!

NegócioEditar

Dois amigos, Bira e Agnaldo, resolveram fazer uma sociedade.

  • E aí, Bira, vamos fazer uma sociedade?
  • Vamos, mas de quê?
  • Cabaré. Que é o melhor negócio que existe no mundo porque você come o estoque e ainda volta pra vender na prateleira.
  • É!
  • Agora a puta que trabalhar pra nós vai ganhar 25 mil reais por mês, todo homem que ela arranjar ela vai ganhar mil reais de bonificação e ainda vai andar de limousine com choffer, ok?
  • Eu topo!
  • E você vai entrar com o quê?
  • Eu vou ser puta!

DiminuirEditar

O homem chega pra o médico e diz:

  • Doutor, eu queria diminuir meu pinto...
  • por que?
  • Porque tem 50 centímetros, é muito grande! Não dá pra cortar, não?
  • Não, não! se cortar perde a sensibilidade!
  • Mas, doutor, é muito grande...
  • Olha, aqui perto mora um pai de santo, talvez ele resolva, vá lá!

O homem foi até o pai de santo e contou o seu problema, o pai de santo pegou um sapinho e lhe entregou.

  • Olha, faça esse sapinho dizer não. Toda vez que ele disser não, vai diminuir 10 centímetros!

O homem levou a sapinho para casa e disse:

  • Sapinho, deixa eu enfiar aí!

E o sapinho devolveu:

  • Não!

o pinto diminiu 10 centímetros e o homem ficou feliz por que deu certo. e continuou:

  • Sapinho, deixa eu enfiar aí!
  • Não!

Diminuiu mais 10 centímeros e ficou trinta. o homem decidiu que ia perguntar mais uma vez porque aí ficava 20 e ficava bom.

  • Sapinho, deixa eu enfiar aí!
  • Não! Quando eu digo que não é não!!

BanheiroEditar

O homem foi no banheiro do aeroporto e enquanto dava uma cagadinha começou a ler as frases que tinham escrito atrás da porta, mas tinha uma frase bem pequenininha. aí o homem chegou perto, mais perto, e mais perto para ler quando conseguiu entender estava escrito:

  Volte pra privada que você tá cagando no chão!  
'

CachaçaEditar

Um bêbado guarda a garrafa de cachaça nas calças e vai andando por aí. Mas ele desequilibra e cai, ele sente o líquido escorrendo pelas calças e diz:

  • Tomara que seja sangue!

GestãoEditar

Três presidentes. O presidente da Rússia, o presidente dos Estados Unidos e o presidente do Brasil. Eles vão falar com Jesus.

O presidente da Rússia começa:

  • Jesus, tá quente que só na Rússia, as pessoas estão morrendo. Quando é que o meu país vai ficar bom, Jesus?

E Jesus responde:

  • Filho, só daqui há cem anos!
  • Mas Jesus! Daqui há cem anos não é mais a minha gestão!

O presidente dos Estados Unidos fala:

  • Bom, Jesus, o meu país sofre com a crise econômica, com o aquecimento global. Quando é que meu país vai ficar bom, Jesus?
  • Filho, só daqui a cem anos!
  • Mas Jesus! Daqui a cem anos não é a minha gestão.

O presidente do Brasil fala:

  • Jesus, no meu país só tem corrupção. Os políticos são ladrões. mas eu sei que vai melhorar! Jesus, quando é que o Brasil só vai ter político honesto?

E Jesus respondeu:

  • Não será na minha gestão!

CriançaEditar

Um homem chega na casa do irmão e vê o sobrinho de apenas 7 anos de idade fumando cigarro, aí o homem fala para o sobrinho:

  • Menino, desde quando você fuma?

E o menino respondeu:

  • Desde que eu tive a minha primeira relação sexual.
  • E desde quando foi isso?
  • Não lembro, eu tava bêbado que só a porra!

AdvogadoEditar

Um dia o pastor da Igreja São Anônimo Mãos Cheias decidiu pedir um dinheiro extra para a reforma de sua igreja. Pediu o dizimo normal aos seus seguidores e mais 10% extra (e mais 5% pela conversa mais 7% pela passagem, sabicomé né...). Ele contou o dinheiro e viu q n tinha o suficiente então decidiu pedir dinheiro ao advogado mais pão duro da cidade q era podre de rico mais n dava um puto, mas pelo "bem" da igreja deciciu pedir. Chegando la ele explicou a historia e o advogado disse:

  • Advogado: vc sabia q tenho uma filha portadora de necessidades especiais?
  • Pastor:...
  • Advogado: vc sabia q tenho um filho tetraplegico e cego?
  • Pastor:nã... não senhor
  • Advogado: vc sabia q tenho uma irmã q seu esposo morreu, a deixou com três filhos e com uma divida absurda.
  • Pastor: mil desculpas senhor eu não sabia
  • Advogado: sabendo disso tudo... se eu não dou dinheiro pra eles, vou dar pra igreja?

A vacaEditar

A professora pergunta a Mariazinha:

  • Mariazinha, o que a galinha nos oferece?

Ela responde:

  • Ovos, professora!

A professora:

  • Muito bem Mariazinha!

Ela pergunta a Marquinhos:

  • Marquinhos, o que a ovelha nos oferece?

Ele responde:

  • Lã, fessora!
  • Muito bem Marquinhos!!

Ela pergunta Joãozinho:

  • Joãozinho, o que a vaca nos oferece?

Ele responde:

  • Dever de casa!

A origem do tapa olho do pirataEditar

Um marinheiro e um pirata se encontram em um bar e começam a contar suas aventuras nos mares. O marinheiro nota que o pirata tem uma perna de pau, um gancho e um tapa-olho. Curioso, pergunta:

  • Por que você tem essa perna de pau?

O pirata explica:

  • Nós estávamos em uma tormenta no mar. Uma onda enorme veio por cima do navio e me jogou no mar. Eu caí no meio de um monte de tubarões. Lutei contra eles e consegui voltar par navio, mas um tubarão conseguiu arrancar minha perna.
  • Uau! Que história! Mas e o gancho? Foi culpa do tubarão também?
  • Não, o gancho foi outra história. Nós estávamos abordando um barco inimigo e, enquanto lutávamos, eu fui cercado por quatro marinheiros. Consegui matar três, o quarto me cortou a mão.
  • Caramba! Incrível! E o tapa-olho?
  • Caiu um cocô de pomba no meu olho.
  • E você perdeu o olho só por causa do cocô de pomba?
  • Era o meu primeiro dia com o gancho...

As coisas tem que ser bem explicadasEditar

Meu filho, quais são os seus pecados?

  • Padre, eu comunguei há três anos.
  • Sim, meu filho, e quais são seus pecados?
  • Eu comunguei há três anos.
  • Tudo bem, meu filho, eu sei que você comungou há três anos. Isso não é pecado! Conte-me os seus verdadeiros pecados...
  • Padre, vou lhe contar bem explicadinho, que o senhor num tá intendendo: EU - COMO - UM - GAY - HÁ - TRÊS - ANOS !

Loja de maridos e de esposasEditar

Loja de maridos

Foi inaugurada uma nova e incrível loja, onde as damas vão escolher um marido.

Na entrada, as clientes recebem instruções de como a loja funciona:

  • Você pode visitar a loja APENAS UMA VEZ!
  • São seis andares e os atributos dos maridos à venda melhoram à medida que você sobe os andares.
  • Mas há uma restrição: pode comprar o marido de sua escolha em um andar e ir embora OU subir mais um.
  • MAS NÃO PODE DESCER, a não ser para sair da loja, diretamente para a rua.

Assim, uma dama foi até a loja para escolher um marido.

No primeiro andar, um cartaz na porta:

  • Andar 1 - Aqui todos os homens têm bons empregos.

Não se contentando, subiu mais um andar...

No segundo andar, o cartaz dizia:

  • Andar 2 - Aqui os homens têm bons empregos e gostam de crianças.

No terceiro andar, o aviso dizia:

  • Andar 3 - Aqui os homens têm ótimos empregos, gostam de crianças e são todos bonitões.
  • “Uau!”, ela disse, mas foi tentada e subiu mais um andar.

No andar seguinte, o aviso:

  • Andar 4 - Aqui os homens têm ótimos empregos, gostam de crianças, são bonitos e gostam de ajudar nos trabalhos domésticos.
  • “Ai, meu Deus”, disse a mulher, mas continuou subindo.

No andar seguinte, o aviso:

  • Andar 5 - Aqui os homens têm ótimos empregos, gostam de crianças, são bonitões, gostam de ajudar nos trabalhos domésticos, e ainda são extremamente românticos.

Ela insistiu, subiu até o 6º andar e encontrou o seguinte aviso:

Andar 6 - Você é a visitante número 91.078.263 neste andar.

  • Não existem homens à venda aqui. Este andar existe apenas para provar que as mulheres são impossíveis de agradar.

Obrigado por visitar a Loja de Maridos.

Loja de esposas

Posteriormente, abriu uma loja do outro lado da rua, a Loja de Esposas, também com seis andares e idêntico regulamento para os compradores masculinos.

  • No 1º andar, mulheres que adoram fazer sexo.
  • No 2º andar, mulheres que a doram fazer sexo e são muito bonitas.
  • Os andares 3, 4, 5 e 6 nunca foram visitados.

Carta a Deus, passando por BrasíliaEditar

Um menino de 5 anos queria ganhar 100 reais e rezou durante 2 semanas para Deus. Como nada acontecia, ele resolveu mandar uma carta para o Todo-Poderoso com seu pedido. O correio recebeu uma carta endereçada para 'Deus-BRASIL'. Resolveram mandá-la para a Dilma.

Dilma ficou muito comovida com o pedido e resolveu mandar uma nota de 10 reais para o menino, pois achou que 100 reais era muito dinheiro para uma 'criança pequena. O garotinho recebeu os 10 reais e imediatamente notou o endereço do remetente: 'Brasília-DF'.

Pegou papel e caneta e sentou-se para escrever uma carta de agradecimento:

Prezado Deus, Muito obrigado por me mandar o dinheiro que pedi, contudo, eu pediria que, na próxima vez, o Senhor mandasse direto para o meu endereço, porque quando passa por BRASÍLIA, aqueles filhos da puta ficam com 90% !!!

O brasileiro e o casal de poloneses na ilha desertaEditar

Vinha em um navio um brasileiro e um casal de poloneses. O navio naufragou e se salvaram somente os três, em uma ilha deserta. Na ilha só tinha um coqueiro, muito alto.

Passaram-se os dias e nenhum resgate chegou. E o brasileiro, sem vergonha, já estava querendo traçar a polonesa. Então ele ficou pensando em uma maneira de conseguir traçar a polonesa sem criar problemas.

Depois de muito pensar, o brasileiro teve uma idéia, e então disse para o Manoel:

  • Ô Manoel, você fica aqui embaixo que eu vou subir no coqueiro para ver se vejo alguma coisa pra salvar a gente, certo?
  • Puta que grande idéia José, então vai lá!!!

E o brasileiro subiu, fingiu que estava olhando para o mar, olhou por um tempinho, de repente olhou para baixo e gritou:

  • Ô seu Manoel!
  • O que é!
  • Quer parar de foder, seu Manoel!
  • Não senhor, eu não estou a foder não senhor, estou a dizer!

Dai o brasileiro fingiu novamente que estava olhando para o mar, olhou novamente lá pra baixo, e gritou:

  • Ô seu Manoel!
  • O que é!
  • Para de foder, porra!
  • Mas eu não estou a foder, estou a dizer!

E isso se repetiu algumas vezes. Então o brasileiro desceu e falou para o polonês:

  • Seu Manoel agora o senhor sobe. Já cansei de ficar lá em cima.

Então o polonês subiu, e o brasileiro mal esperou e só abriu o zíper, levantou a saia da polonesa e empurrou o peru! O Manoel lá em cima, olhou para o mar, olhou lá pra baixo, viu a cena, e disse:

  • Olhe cá seu José, você tem razão, olhando de cá de cima, se tem a impressão de que está se a foder ai embaixo!!!

Brasil e EUAEditar

Um brasileiro está calmamente tomando o café da manhã quando um americano típico, mascando chicletes, senta-se ao lado dele. O brasileiro ignora o americano que, não se conformando, começa a puxar conversa:

  • Você come esse pão inteirinho?
  • Claro! — responde o brasileiro de mal humor.
  • Nós não. Nós comemos só o miolo, a casca nós vamos juntando num container, depois processamos, transformamos em croissant e vendemos para o Brasil.

O brasileiro ouve calado.

  • Você come esta geleia com o pão? - insiste o americano.
  • Claro!
  • Nós não. Nós comemos frutas frescas no café da manhã, jogamos todas as cascas, sementes e bagaços em containers, depois processamos, transformamos em geleia e vendemos para o Brasil.

O brasileiro já de saco cheio diz:

  • E o que vocês fazem com as camisinhas depois de usadas?
  • Jogamos fora, claro!
  • Nós não. Vamos guardando tudo em containers processamos, transformamos em chicletes e vendemos para os Estados Unidos.

Problema na orelhaEditar

Um velhote entrou na sala de espera de um consultório médico. Quando ele se aproximou da mesa da recepção, a recepcionista disse:

  • Bom dia senhor, qual é o seu problema?
  • Bem, meu problema é no pênis.

A recepcionista irritou-se:

  • O senhor não deveria dizer uma coisa dessas numa sala de espera tão cheia! Assim causa embaraço aos outros presentes! O senhor deveria ter dito, por exemplo, que estava com um problema na orelha, ou qualquer coisa assim, e depois explicar ao doutor, lá dentro do consultório.

O homem retirou-se da sala, esperou alguns instantes e depois entrou de novo. A recepcionista sorriu e perguntou:

  • Sim?
  • Estou com um problema na minha orelha!

A recepcionista fez um aceno de aprovação e sorriu triunfante.

  • E qual é o problema da sua orelha?
  • Arde muito quando eu mijo…

Sacos de lixoEditar

Uma velhinha caminhava pela calçada arrastando 2 sacos plásticos de lixo. Uma das sacolas estava rasgada e de vez em quando caía uma nota de 20 dólares pelo buraco da sacola. Um policial que passava a parou e disse:

  • Senhora, tem notas de 20 caindo desse saco plástico.
  • É mesmo? Que droga! – respondeu a velhinha. - Melhor eu voltar e ver se eu pego as que caíram. Obrigado seu guarda por me avisar.
  • Pera aí senhora, onde conseguiu todo esse dinheiro? A senhora não andou roubando, né?
  • Não, não… sabe seu guarda, o meu quintal fica do lado de um campo de futebol, e um monte de pessoas que jogam bola urinam por um buraco que tem na minha cerca, direto no meu canteiro de flores. Isso realmente me incomodava; sabe, matava minhas flores. Então eu pensei: Porque não me aproveitar dessa situação? Agora eu fico bem quieta, atrás do buraco na cerca, com a minha tesoura de jardim. Toda vez que alguém enfia o “instrumento” através da minha cerca, eu pego ele de surpresa, agarro o instrumento e digo: "OK amigão, ou me paga 20 dólares ou eu corto essa coisa."
  • Parece justo, diz o policial rindo da estória. OK, boa sorte! Mas, a propósito, o que tem no outro saco?
  • Bem, Você sabe… – diz a velhinha… Nem todos pagam!

Viúva VirgemEditar

A viúva, ao casar pela 11ª vez, diz carinhosamente ao marido:

  • Benzinho,sou virgem!
  • Como? Não foste casada 10 vezes?
  • Sim, mas aconteceu o seguinte:
    • O 1º era político, só prometia e não cumpria
    • O 2º era bancário, só entendia de fundos
    • O 3º era poliglota, só entendia de línguas
    • O 4º era massagista, só esfregava
    • O 5º era caçador, só gostava de viado
    • O 6º era médico, só examinava
    • O 7º era juiz do interior, não tinha vara
    • O 8º era coveiro aposentado, não enterrava mais
    • O 9º era perfumista, se contentava só com o cheiro
    • O 10º era Jornalista, só falava pra todo mundo E agora, minha esperança é você….

Então o marido diz:

  • E porque eu?
  • Porque você é advogado, tenho certeza que vai me fuder!!!

BuracosEditar

Um homem estava jogando golfe, quando de repente se sentiu perdido. Olha adiante e vê uma mulher jogando, e vai ao seu encontro:

  • Bom dia! Perdão por incomodá-la, mas me perdi.

Poderia me dizer que buraco estou?

  • O senhor está um buraco atrás de mim, eu estou no 7 e o senhor está no 6.

O homem agradeceu e continuou jogando. Algumas horas depois, se sentiu novamente perdido. Viu a mesma mulher e perguntou já envergonhado.

  • Perdão por incomodá-la, me perdi novamente. Poderia me dizer que buraco estou agora?
  • O senhor continua um buraco atráz de mim, eu estou no 14 e o senhor está no 13.

Novamente agradeceu a mulher a gentileza e continuou jogando. Quando acabou o jogo, viu a mulher no bar do clube. Foi em sua direção e perguntou se poderia convidá-la a tomar algo em agradecimento por tê-lo ajudado. Ela aceitou e começaram a conversar animadamente, quando perguntou o que ela fazia para viver.

  • Trabalho com vendas.
  • É mesmo? Eu também!
  • E o que vende? - Perguntou o homem.

Ela se sentiu envergonhada de contar a ele, e depois de tanta insistência, se dispos a dizer, se ele prometesse não rir. Ele prometeu não fazê-lo.

  • Vendo absorvente interno. – Disse ela.

Ele imediatamente soltou uma gargalhada que chamou a atenção de todos os presentes, então brava ela disse:

  • Você prometeu não rir!
  • Como não vou rir? Sou vendedor de papel higiênico. Continuo um buraco atrás de você!

Medicamentos receitadosEditar

Uma senhora idosa foi a uma consulta médica e o médico pediu a lista dos medicamentos que lhe haviam sido receitados. Quando o médico revisava a lista, engasgou e disse:

  • Para que são estas pílulas anticoncepcionais?
  • Elas me ajudam a dormir.
  • Porém, afirmo que há absolutamente nada nestas pílulas que façam uma pessoa dormir!

A velhinha deu um sorriso e disse:

  • Sim, eu sei… Mas todas as manhãs dissolvo uma pílula no suco de laranja da minha neta de 16 anos e assim, durmo bem todas as noites…

Em guerraEditar

Em um forte:

  • Comandante Joaquim! Nós avistamos uma tropa que se encaminha para o nosso forte!
  • Ora! São amigos ou inimigos, sentinela Manuel?
  • Olha, eu acho que são amigos, porque vem todos juntos!

Colheres de ouroEditar

Lula e José Dirceu foram jantar em um restaurante muito luxuoso, no qual até os talheres eram de ouro. De repente, Lula vê o Zé Dirceu pegar duas colheres de ouro e esconder no bolso. Ficou chateado da vida porque não teve a idéia primeiro e, para mostrar que ele sempre era o CHEFE de tudo, decidiu que também ia roubar duas colheres.

Ele tentou uma primeira vez, mas ficou nervoso (pois os companheiros sempre roubaram para ele e ele “nunca sabia de nada”) e as colheres acabaram batendo uma contra a outra. O garçom ouviu o barulho e perguntou ao Lula se ele queria alguma coisa. Lula ficou sem jeito, pois tinha sido pego com a boca na botija e falou que não tinha ouvido nada, não sabia de nada e não queria nada.

Em seguida, Lula tentou de novo, mas uma das colheres caiu no chão. O garçom ouviu outra vez o barulho, aproximou-se de Lula e perguntou, outra vez, se queria algo. Lula pensou um pouco e, como exímio enganador, dissimulado e oportunista, perguntou ao garçom:

  • Você quer ver eu fazer uma mágica?
  • Sim, seu Lula.
  • Bom, pega essas duas colher de ouro e põe elas no meu bolso

O garçom pegou as colheres e as colocou no bolso de Lula.

  • OK senhor, e agora?
  • Agora conta 1, 2, 3 e tire elas do bolso do Zé Dirceu!

Todos aplaudiram e, ao ir embora, Lula deixou uma “graninha” pra todos os garçons e saiu rindo!

Moral da história: O sujeito viu a oportunidade, roubou, ninguém o viu roubando e ainda saiu aplaudido e considerado “o bom”, “o bacana” e “o benfeitor”. POR ISSO ELE É O CARA!

NascimentoEditar

Uma senhora levou a filha, de 17 anos, ao médico. A menina andava com vômitos, tonturas, tinha perdido o apetite. O médico examinou a moça, fez exames e concluiu:

  • Minha senhora, a sua filha está grávida de 3 meses.
  • A minha filha, doutor? – Assustou-se a mãe.
  • Ela nunca esteve sozinha com um homem! Não é verdade, Carla Susana?
  • Sim. – disse a filha. - Eu jamais me deitei com um homem. Eu sequer beijei um homem!
  • O médico, pacientemente, tirou de sua gaveta um par de binóculos, aproximou-se da janela e ficou calado, a olhar para o infinito.
  • Passados vários minutos, a mãe de Carla, admirada, perguntou ao médico: doutor, o que o senhor está fazendo?
  • Ao que o médico respondeu:
  • Minha senhora, da última vez em que isto ocorreu, nasceu uma estrela no Oriente e chegaram três reis magos. Desta vez eu não vou perder o espetáculo!

AmanteEditar

Um casal está jantando num exclusivíssimo restaurante, quando entra uma loura estonteante e, se aproximando da mesa, dá um beijo no marido e lhe diz:

  • Depois a gente se vê, ok?

E vai embora. A esposa olha para o marido com olhos esbugalhados e diz:

  • Você pode me explicar quem diabos é essa?
  • É a minha amante. – responde o marido calmamente.
  • Ah, não! Essa é a gota que transbordou o copo! Quero o divórcio já! Vou contratar o melhor advogado e não vou parar até te destruir.
  • Eu te entendo, querida. – Diz o esposo com total tranqüilidade. - Mas leva em conta que se nos divorciarmos, não haverá mais nada para você: nem viagens a Paris, nem cruzeiros pelo Caribe, nem um BMW novo a cada ano na garagem, nem restaurantes exclusivos… E você vai ter que sair da mansão de 26 cômodos que tanto esfrega na cara das tuas amigas porque eu vou te comprar uma casa bonita, mas muito menor. Isso sem mencionar que se pensa contratar um advogado tão bom, os honorários vão te comer a metade do pouco que consiga tirar de mim… Porque você bem sabe que eu não sou bobo e advogados “feras” é o que mais tenho nas minhas várias empresas. Mas, enfim, a decisão é sua…

Nesse momento, entra no restaurante um amigo do casal, acompanhado por uma morena deslumbrante.

  • Quem é aquela atirada que está com o Sérgio? – pergunta a esposa.
  • É a amante dele. Responde o marido.
  • Ah! A nossa é bem mais bonita, né amoooor?

Não é enganoEditar

  • Alô?!
  • Alô, socorro!!! Minha sogra está tentando pular da janela!
  • Desculpe, acho que você ligou para o lugar errado, aqui é da marcenaria.
  • Mas é que a janela não quer abrir...

A Bicicleta do PadreEditar

Numa cidade do interior, dois padres costumavam cruzar-se de bicicleta na estrada todos os domingos, quando iam rezar a missa nas suas respectivas igrejas. Mas certo dia, um deles estava a pé. Surpreso, o outro padre parou e perguntou:

  • Onde está a sua bicicleta, Padre Josias?
  • Foi roubada! - responde o outro padre - creio que no pátio da igreja.
  • Mas que absurdo! - exclamou o ainda ciclista - eu tenho uma ideia para saber quem foi:

Na hora do sermão, cite os 10 mandamentos. Quando chegar no "Não roubarás" faça uma pausa e percorra os fiéis com o olhar. O culpado com certeza que se vai denunciar! No domingo seguinte, os padres cruzam-se de bicicleta. O padre que deu a ideia diz:

  • Parece que o sermão deu certo, não é, Padre Josias?
  • Mais ou menos - responde ele - na verdade, quando cheguei ao "Não desejarás a mulher do próximo" acabei por me lembrar onde é que tinha deixado a bicicleta!

A ÁguaEditar

Dois guris, um bocó infeliz, outro nerd mais ainda, estavam no bebedouro. O bocó pegou um copo e encheu d'água. Então o bocó cheirou a água e disse pro nerd

  • Huum! a água tá cheirosa.

Então o nerd respondeu

  • Ô imbecil, a água não tem cheiro
  • Tem sim.
  • De que?
  • De água.

Então o bocó bebeu a água e disse pro nerd

  • Huum! a água tá gostosa.

Então o nerd respondeu

  • Ô imbecil, a água não tem gosto
  • Tem sim.
  • De que?
  • De água.

Então o bocó voltou a encher o copo e disse pro nerd

  • Olhe como é a cor da água.

Então o nerd respondeu

  • Ô imbecil, a água não tem cor
  • Tem sim.
  • Ah, não me diga que tem cor de água?
  • Não. É transparente.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar