Abrir menu principal

Desciclopédia β

Dia da consciência negra


Favela-bresil2.JPG Essi artigu é faveladu!

Nem por isso tá involvida cum droga, putaria ou ladruagi!

Não leia se for gayúcho ou do BOPE!




Cquote1.png Você quis dizer: Long Dong Silver? Cquote2.png
Google sobre Dia da consciência negra
Cquote1.png Vagabundos, vagabuundos, bando de Vagabuundooos!! Cquote2.png
Kassab sobre Feriado do Dia da Consciência Negra
Cquote1.png Fui eu que fiz! Cquote2.png
Maluf sobre Quilombo dos Palmares
Cquote1.png Você tem o direito de ficar calad... Cquote2.png
Policia sobre Dia da Consciência Negra
Cquote1.png Você traiu o movimento dos branquinhos do zóio azul, véia! Cquote2.png
Dado Dolabella para Luana Piovani, na escola de Samba
Cquote1.png Os negros comemoram este dia Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Dia da consciência negra
Cquote1.png Eles leram isso no google! Cquote2.png
Ignorante sobre a sociedade do Quilombo dos Palmares


O Dia da Consciência Negra foi estabelecida projeto de lei número 666.171, no dia 1º de Abril de 2003 (como tudo no Brasil, através de decretos enfiados goela abaixo, como os patrões faziam nos tempos da... escravidão!) e como tal, ficou só no projeto a conscientização e reflexão sobre a inserção do negro na sociedade(de preferência nas gostosas), porque a maior parte das pessoas quer mesmo é aproveitar o feriadão.

A data escolhida foi o dia 20 de novembro, dia esse em que pegaram Zumbi, o líder do Quilombo dos Palmares, o mataram, arrancaram a sua cabeça e salgaram para fazer jabá e entregaram em uma bandeja ao governador da época. Resta saber se a data é para conscientizar ou intimidar os negros.

HistóriaEditar

 
Trabalho de conscientização
 
No dia da conscientização, aproveite para dar umas congadas por aí

O Quilombo dos Palmares localizado na atual região de União dos Palmares, Alagoas, era uma comunidade formada por escravos negros que haviam escapado das fazendas, prisões e senzalas brasileiras e que foi fundado por Heloísa Helena, sendo considerado o predecessor das atuais favelas do Rio de Janeiro.

O Quilombo era enorme como certas coisas dos negões que a habitavam, tendo tamanho equivalente ao território de Portugal e pouco menor que a favela de Heliópolis, sendo localizado na periferia de Salvador, hoje estado do Alagoas e sua população era estimada em cerca de trinta mil pessoas.

Em 1678, o governador da Capitania de Pernambuco pediu arrego e propôs um acordo de paz ao líder do Quilombo de Palmares Ganga Zumba, oferecendo TV à cabo, internet com banda larga e direito a visitas íntimas a todos os escravos fugidos se o quilombo se submetesse aos caprichos sexuais da Coroa Portuguesa. A proposta foi aceita, mas Zumbi não gostou da ideia (a Coroa Portuguesa era uma tremenda de uma baranga), botou Ganga Zumba para tocar zabumba e manteve a resistência contra o abuso sexual da Coroa Portuguesa, tornando-se o novo líder do Quilombo dos Palmares

Após quinze anos de liderança de Zumbi, o governador, irritado com os gatos na rede elétrica, chamou o comandante da ROTA, o bandeirante paulista Domingos Jorge Velho, popularmente conhecido como Clodovil Hernandes, para seduzir Zumbi e acabar com o Quilombo.

Domingos Jorge Velho conseguiu infectar Zumbi com o vírus da AIDS, mas este contava com um abundante estoque de AZT, até que Antônio Soares traiu Zumbi, trocando o remédio por Microvlar de farinha deixando-o fraco e acamado, facilitando as coisas para o travesti Furtado de Mendonça dois anos depois.

Após uma sessão de sexo selvagem, em 20 de novembro de 1695 (entendeu porque da data?) Zumbi é morto e tem sua cabeça cortada, assim como o seu pênis, que Domingos Jorge Velho pretendia guardar de lembrança, mas decepcionado com a propaganda enganosa, manda enfiar na boca de Zumbi, que é transformada em Jabá e entregue ao governador, que a expôs ao público em Recife, durante o carnaval. O pênis, foi guardado secretamente pela esposa do governador e serviu de molde para a primeira fábrica de dildos do Brasil.

Biografia de ZumbiEditar

Zumbi dos Palmares nasceu em Palmares, província do Tibete onde foi criado por monges budistas que lhe ensinaram kung fu, feng shui (Zumbi era o melhor decorador da época), filosofia, direito, comércio exterior, táticas paramilitares do Mossad, engenharia eletrônica e também inglês, francês, alemão, chinês, japonês, grego e latim.

Aos vinte e poucos anos, inspirado por Sun Tzu, Maquiavel e Rousseau, foge da Rússia, onde tinha aulas de balé clássico com Mikhail Baryshnikov e se junta ao Quilombo dos Palmares, onde acaba virando líder absoluto.

Zumbi acabou assassinado por Domingos Jorge Velho, uma bicha velha e feia que havia perdido um concurso de dança do créu no São Paulo Futebol Clube para Zumbi. Algumas versões dizem que Zumbi, para esnobar, tinha cumprimentado Domingos Jorge Velho em latim e ignorante como todo paulistano, bandeirante, este ficou en-lou-que-cido e matou Zumbi.

Funções do dia da consciência negraEditar

 
Zumbi do Palmeiras

Além de servir para irritar os paulistas por fazê-los deixar de ganhar dinheiro com um feriado a mais, o Dia da Consciência Negra tem uma função importante para inúmeras pessoas, com atos cívicos e conscientizadores. Vejamos alguns deles:

  • Rodinha de samba no boteco: no dia da consciência negra, nada melhor do que chapar o côco em uma roda de samba em um boteco na periferia. A conscientização fica na parte de não beber muito e não arrumar briga ou não dirigr bêbado.
  • Palestras e eventos educativos: organizado em comunidades pobres da periferia, serve para as crianças tirarem a barriga da miséria com os quitutes servidos após o evento.
  • A valorização da morenice: todo mundo vai para o litoral, toma sol usando bronzeador barato e volta mais moreninho para o trabalho.
  • Valorizar a culinária Afro-Brasileira: aproveitando o feriadão, é o dia ideal para refestelar-se em uma feijoada sem ter que se preocupar com a indigestão.
  • Lutar contra intolerância religiosa: é o dia ideal para sair dando porrada em evangélicos e outras religiões discriminatórias e intolerantes ou porque seus praticantes são simplesmente chatos.
  • Praticar a congada: Aproveite o dia da consciência negra e pratique a congada. Dê uma congada (ou kichutada) naquele branquelo folgado que você não vai com a cara.