Abrir menu principal

Desciclopédia β

Macarraopre.jpg PORCA MISÉRIA!!

Questo articolo è 100% made in Italia ed è sotto il controllo di Cosa Nostra! Perciò sta' bene attento a dove metti le tue manacce zozze o i nostri amici verranno a casa tua per spezzarti le gambine!

Vista de Emília-Romanha com suas famosas montanhas, as quais eram repletas de Romãzeiras

Cquote1.png Você quis dizer: É Milho Romano Cquote2.png
Google sobre Emília-Romanha

Cquote1.png Onde estão as romaneiras? Cquote2.png
Turista sobre o fato de Emília-Romanha não ter Romãzeiras

Cquote1.png Eu só vejo roseiras... Cquote2.png
Outro turista sobre o fato de Emília-Romanha só ter Roseiras

Cquote1.png Na verdade, esta foi uma terra inventada pela Narizinho, do Sitio do Pica Pau - ai! - amarelo, para sacanear com a Emilia, aquela boneca de trapo metida a gente!!! Cquote2.png

Emília-Romanha é o nome de uma região da Itália, a qual foi ocupada, inicialmente, por uma menina chamada Emília que adorava comer romãs. Ela é muito conhecida por fabricar as mais poderosas carroças os mais poderosos carros italianos. Sua capital é Bolonha, onde se produz e se exporta grandes quantidades de lazanhas e espaguetes à bolonhesa.

HistóriaEditar

 
Romãzeira, a árvore que deu nome ao território

Tudo começou numa tarde de primavera ensolarada, quando a pequena Emília, filha única do casal Giulliano e Mathilde, resolveu perseguir um coelhinho que pulava tranquilamente entre os bosques.

O tempo foi passando e ela não se deu conta de que foi se afastando cada vez mais da vila onde morava. O coelho pulou até o alto de uma montanha e entrou em um buraco. Foi então que a pequena Emília se deu conta de que estava perdida.

A sua sorte era a de que tinha um pé de romãzeira, fruta que ela adorava, bem no cume da montanha. Os dias foram passando e ela foi se alimentando das romãs que tinham no alto das montanhas, até que ela foi encontrada pelos seus parentes.

Os habitantes da vila se mudaram para a região que Emília tinha descoberto. Eles tinham o intuito replantar as romãzeiras de onde a criança tinha provido o seus sustento durante sua desaparição.

Eles inclusive fizeram uma canção para a região e suas romãzeiras:

 
Carros da marca Ferrari têm um cavalo de Potência

  No alto daquela montanha

Tem um lindo pé de Romãzeira

As romãs são comidas pela Emília

E os pés, que replantem quem queira  

Quando chegaram para tirar os pés do alto da montanha, porém, descobriram que além dos frutos, Emília havia comido os pés também, não restando nenhum para transplantar. Agora só haviam roseiras no alto das montanhas.

Frustrados com a estratégia econômica mal sucedida, eles formularam uma nova canção, agora com a ajuda de alguns filósofos:

 
Carros da marca Lamborghini têm um touro de Potência

  No alto daquela montanha

Tem um lindo pé de Roseira

A roseira no CUme arde

A rosa no CUme cheira  

Apesar de estarem constrangidos com o fracasso das romãzeiras, eles começaram a exportar rosa (flor)s para o Dia das Mães, e até hoje ostentam o título de maiores exportadores de rosas do mundo.

Historicamente, esta região também foi uma rota alternativa de passagem dos romanos. Porém ela foi descartada devido ao fato de os soldados sempre chegarem arranhados por causa das roseiras.

EconomiaEditar

A principal atividade econômica da região é a exportação de rosas, porém a agricultura tem se desenvolvido tremendamente na região nos últimos tempos, exportando desde milho até jacas.

Outro setor que teve um desenvolvimento expressivo no último século foi a produção de carroças carros. A marca Ferrari é especialista em produzir carros com um cavalo, enquando a marca Lamborghini prefere colocar a força de um touro nos seus carros.