Abrir menu principal

Desciclopédia β

Epsilon


"Destruam mais escolas! A criançada gosta de matar aulas!"

Epsilon é o time que foi comandado por Desalmado e que foi um grande inimigo da Raimon. Foi o pior time do Instituto Alien de todos porquê eles eram muito fodásticos e jogavam pra caralho até conseguir perder para a Raimon. Depois de um singelo empate com a Raimon, e enquanto a Genesis goleava a Raimon, a Epsilon decidiu ficar em repouso com o poder do Meteorito para poder aumentar seu poder em 1000 vezes mais forte do que a Raimon. Mesmo estando 1000 vezes mais forte e goleando por 1.000.000 a 0, Goenji voltou para a Raimon e conseguiu virar o jogo com a Tempestade Explosiva.

JogadoresEditar

 
Time da Epsilon depois de ficar horas cheirando gatinhos
  • Kenichi Hiruma (Quem viu?)
  • Rumi Morino (Mol)
  • Keisuke Murata (Keirrison)
  • Torahiko Hatou (Fábula)
  • Hachirou Mureta (Swarm)

TécnicasEditar

  • Chuva de Meteoros: Técnica de Metron e Maquia, que fazem cair uma chuva de meteoros que Dercy Gonçalves e Cid Moreira fizeram para matar todos os dinossauros.
  • Buraco Negro: Técnica de goleiro utilizada por Desalmado e depois por Cell. Consiste em sugar a bola como um buraco negro e depois joga com força de afunda o chão.
  • Broxa Destruidora: Técnica onde Desalmado faz uma broca dura que quando falha amolece mas defende o gol, pelo menos.
  • Ataque Gay Gaia: Técnica onde Maquia, Metron e Cell juntam seus poderes e formam pedras gigantescas que cobrem a bola e depois dão um chute fodástico na pedra que quebra e a bola segue até o gol.
  • Protons Ganimedes: Técnica que Cell usa para fazer um Hadouken+Rasengan na bola e consegue marcar gol com as mãos sem que o juiz marque falta por mão na bola.
  • Gungnir: Técnica que Desalmado usa como atacante. Ele usa um teleporte que sai do chão e vai parar no espaço, onde ele chuta a bola, que retorna à Terra destruindo todos os ônibus espaciais, os satélites, os foguetes e as naves espaciais.

Nova EpsilonEditar

O Instituto Alien decidiu fazer a Epsilon treinar pra caralho (treinar? Essa palavra não existe no Instituto) e enfrentar a Raimon depois de uma sessão de cheiramento de gatinhos. Quando foram jogar, apareceram com os olhos vermelhos de tantos gatos pretos (ou Crack) que foram cheirados. Conseguiram fazer uma goleada, mas depois chegou o mega-fodão Shuya Goenji que marcou os gols, virou o jogo e a Epsilon foi mandada pra puta que pariu.