Abrir menu principal

Desciclopédia β

Erasmo Dias

Death99.png Erasmo Dias já morreu!

Foi dançar "Thriller" com Michael Jackson!

Clique aqui pra ver quem te espera no inferno

Arnaldojabor.jpg ESTE ARTIGO TRATA DE REPRESSÃO E DITADURA

Você deve aceitar calado(a) o que está escrito aqui sem duvidar de nada,
ou correrá o risco de sumir misteriosamente.

Desciclopédia: ame-a ou deixe-a!
Ditaduratumulo.jpg
Livrobase.jpg
A Desciclopédia possui um livro sobre esse assunto em sua biblioteca: Coronel Erasmo Dias, Paulo Maluf e General Geisel: comunistas a serviço da KGB
A imagem de Erasmo Dias foi censurada para preservar a integridade física do mesmo.

Cquote1.png Sou estigmatizado por ter defendido com unhas, dentes e metralhadoras o Brasil contra o regime comunista putrefato. Eu sou o Rambo brasileiro Quero receber reparação. Tenho mais direito a ela do que aqueles terroristas que fizeram guerrilha e agora posam de heróis, ditando as regras neste país vá se ferrar todos vocês seus ingratos hipócritas! Cquote2.png
Erasmo Dias em manifesto de desabafo. Os trechos riscados foram retirados do relato oficial pelo controle de tutela retórica do Centro de Subversão do Exército Brasileiro
Cquote1.png Pergunto: qual poderia ser nossa ação diante de 2000 pessoas vociferando como loucos e incoerentemente, querendo matar todos os soldados? Somente a dissolução com força demasiadamente bruta para colocar esses moleques na linha(...). Foram usadas as mesmas tradicionais bomba de Trinitrotolueno de efeito moral. Até nós choramos na ocasião, mas esse serviço tinha que ser feito. Cquote2.png
Erasmo Dias e sua justificativa em invadir a PUC-SP com força demasiadamente excessiva agredindo e linchando 2.000 estudantes
Cquote1.png Universitários são todos pseudo-revolucionários que se acham imortais. Não merecem ser escutados. Cquote2.png
Filosofia de Erasmo Dias
Cquote1.png Alguém precisa avisar a esse maníaco que a ditadura já acabou! Cquote2.png
Qualquer um centro-esquerdista provavelmente perseguido até hoje, mas não menos corrupto sobre Erasmo Dias nos dias atuais

Erasmo Dias é um desses caras maus que deram sorte e acabaram como coronel do exército brasileiro, e com esse poder colocou em prática diversos tipos de opressão nefasta ao já naturalmente sofrido povo brasileiro (ie, povo paulista, já que em 1977 só existia São Paulo no Brasil).

Índice

Antes do Regime MilitarEditar

 
Soldados ao receberem ordens de Erasmo Dias para cumprirem abuso de poder.

É um paulista, portanto desde que nasceu já era um estressado e paranóico, quando criança sua brincadeira predileta era o polícia-e-ladrão aonde gostava de atuar como polícia e sempre usava força excessiva para prender os colegas. Formou-se em história na USP e depois como era mauricinho, ainda teve tempo em se formar em direito em uma universidade provavelmente pacata, aonde os estudantes com certeza tinham direito em se manifestar...

Alistou-se e entrou para o exército brasileiro aonde se sentiu em casa, já que Erasmo Dias sempre gostou de brincar de abusar de poder. O exército era o local perfeito para isso, ainda mais após o começo da Ditadura Militar. Então ele começou a tomar pílulas de imortalidade para conseguir chegar ao cargo de coronel sem antes bater as botas.

Durante o Regime MilitarEditar

 
Um grande irmão.

Erasmo Dias fundou o ARENA, o partido político único da República do Brasil, que tinha como objetivo centralizar toda a corrupção do país em um só lugar, e quem discordasse, sumia misteriosamente no dia seguinte.

Depois de mostrar muito valor calando e sumindo com esquerdistas São Paulo afora Erasmo Dias foi delegado a assumir a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo e então o povo paulista disse "iiii, fudeu!". Essa gestão da SSP-SP ficou famosa por simbolizar a opressão militar no Brasil muito semelhante a situação na China hoje

A grande diversão de Erasmo Dias era ficar a frente de sua Polícia Civil linha-dura fazendo rondas em São Paulo, dando baculejos em todos jovens que vissem e assim como Schindler, seu rival, prendendo pessoas com falsas acusações para disfarçar que o exército trabalhava bem no serviço de limpeza das ruas.

O coronel era ainda um grande fã da famigerada Lei de Segurança Nacional que entre seus artigos prediletos estava o artigo 39, inciso 1°, que penaliza o ato de badernar, como todo paulistano é naturalmente baderneiro Erasmo Dias enquadrava muitas pessoas nesse artigo. Outro artigo que o coronel gostava de usar era o artigo 42, que pune a tentativa de criar partidos comunistas de forma bilateral, então todo mundo que fosse pego vestindo vermelho, portando martelos ou foices ou discursando sabiamente sobre economia, eram enquadrados e presos sob esse artigo.

Invasão da PUCEditar

 
Cena da invasão da PUC-SP comandada por Erasmo Dias.

Em 1977, como coronel liderou o chamado Carandiru versão universitária e ordenou que o exército usasse força máxima com canhões, helicópteros, espingardas e fuzis para prender, dispersar e matar (em caso de reação) todos os estudantes da PUC-SP que estavam armando ali uma revolução comunista no país. Os alunos dizem até hoje que aquilo não passou de um juri-simulado proposto pela faculdade de direito.

Espiões do exército brasileiro chegaram à conclusão após alguns grampos telefônicos clandestinos de que a PUC era quartel-general do movimento inimigo. Sabia-se também que 90% dos jovens detidos pelo exército sem motivo aparente e enquadrados no artigo 39 na Lei de Segurança Nacional eram estudantes da PUC.

A PUC está muito longe de ser lá essas maravilhas toda, mas talvez seja por isso que alguns espiões russos quando se infiltraram no Brasil decidiram fazer ali a sua propaganda comunista subversiva. Como Erasmo Dias era um cara extremamente paranóico, ele teve a capacidade de suspeitar da PUC, e suas suspeitas estavam certas, e foi então que rolou a confusão.

 
Estudantes da PUC e alguns mendigos solidários lutando bravamente contra as tropas de choque do exército.

A operação de tomada da universidade foi executada de forma relativamente tranquila, e consistiu em fazer toneladas de soldados bem armados e treinados invadirem de forma traiçoeira e com força excessiva a universidade aonde estavam pouco mais de 20000 alunos e mendigos (não foi possível identificar quem era aluno e quem era mendigo), fortemente armados com estilinges e bolinhas, que estavam alí, exercendo pacíficamente a sua liberdade de expressão e a sua liberdade de consumo de cigarrinhos do capeta, apesar de terem se esquecido que ali era o Brasil, não a Holanda.

Os estudantes e/ou mendigos resistiram bravamente, mas terminaram presos pois os comunistas sempre perdem no final. Os meliantes terminaram levados ao quartel da polícia na avenida Tiradentes, centro de São Paulo, no Batalhão Tobias de Aguiar e executados ali mesmo e deportados para o Timor-Leste para sempre como traidores da pátria.

AtualmenteEditar

Continuou na vida política, estando em seu antro que melhor lhe representa. Já atuou como deputado federal, depois deputado estadual, depois prefeito, depois senador e, por fim, vereador. Incrivelmente, foi eleito democraticamente em todos esses cargos, que ironia (esse povo brasileiro não aprende...).

 
No final o pepino sobrou foi só para os estudantes...

Também dá aulas de economia em universidades paulistas repudiando os pensadores esquerdistas, marxistas, lenistas, stalinistas e afins, fazendo a cabeça dos formandos paulistas.

Trabalha com uma empresa de segurança que treina vigilantes particulares a usarem táticas mesquinhas para conseguirem sucesso.

CuriosidadesEditar

  • Erasmo Dias move indenização contra corjas de esquerdistas como ele gosta de definir, e para ele, se não concordou com sua visão, é esquerdista. Processa também os Titãs por relacioná-lo a nomes como Stalin, processa Caetano Veloso por praxe, e processa ainda o Ratinho e a Desciclopédia por publicar um artigo deste nível, tudo apenas provando que Erasmo Dias tem convicção de que ainda estamos na ditadura militar.
  • A filha de Erasmo Dias passou no vestibular da PUC (já deu para notar que qualquer um pode passar nisso), mas foi linchada pelos seus colegas que ficaram com espantados com a falta de coerência dessa família.
  • O exército brasileiro oficialmente alega que jamais invadiu qualquer universidade no Brasil.