Abrir menu principal

Desciclopédia β

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

Limite.jpg Este artigo é engenheiro!

Ele é mais importante que você, ganha muito mais grana que você e faz você feliz, então não vandalize!


NovoWikisplode.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Cquote1.png Você quis dizer: Abrigo de cuzão? Cquote2.png
Google sobre Escola Politécnica da Universidade de São Paulo
Cquote1.png Você quis dizer: Inferno na Terra Cquote2.png
Google sobre Escola Politécnica da Universidade de São Paulo
Cquote1.png Poli? Não é aquela boneca que parece a Barbie? Cquote2.png
Carla Perez
Cquote1.png Deus deixou as coisas fáceis com os Físicos Cquote2.png
Papai Noel
Cquote1.png Não passei no ITA! Cquote2.png
Frustrados da Poli
Cquote1.png Fui eu que fiz! Cquote2.png
Paulo Maluf sobre POLI
Cquote1.png Na p2 eu recupero Cquote2.png
Politécnico ao fim da primeira semana de prova
Cquote1.png Nossa, só tem Maria HP aqui! Cquote2.png
Politécnico sobre Mulheres nas festas da Poli
Cquote1.png Eles trairam o movimento grevista, véio Cquote2.png
Dado Dolabella sobre os alunos da Poli
Cquote1.png Curso integral é coisa de filhinho de papai Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre os alunos da Poli
Cquote1.png Todo Politécnico é engenheiro. Menos os de produção!! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre os alunos da Poli
Cquote1.png Isto non ecziste! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre EP de Cálculo Numérico

Pikachu, o mascote da POLi

Cquote1.png Eu me formei em 5 anos Cquote2.png
Chuck Norris sobre POLI
Cquote1.png É trivial !!! Cquote2.png
Professor de Cálculo sobre a Poli
Cquote1.png Propagar incerteza?Mete 0,5! Cquote2.png
Politécnico sobre Relatório de Lab de Física
Cquote1.png Onde tem prova antiga dessa matéria? Cquote2.png
Politécnico sobre matérias da Poli
Cquote1.png A nota sai, o nabo entra Cquote2.png
verdade absoluta para qualquer politreco
Cquote1.png Devia ter feito FEA Cquote2.png
Politecnico ao chegar perto da semana de provas
Cquote1.png Eu REALMENTE devia ter feito FEA Cquote2.png
Politecnico no último dia da semana de provas
Cquote1.png Nunca peguei DP! Cquote2.png
Pinóquio quando se formou
Cquote1.png A nota da prova sai na semana que vem! Cquote2.png
Pinóquio quando professor na Poli
Cquote1.png Essa escola é do lado negro da Força Cquote2.png
Darth Vader sobre POLI
Cquote1.png Mulheres? É um tipo de equação diferencial? Cquote2.png
Politécnico quando perguntado sobre vida amorosa
Cquote1.png Fudeu!!! Cquote2.png
Politécnico em véspera de semana de provas
Cquote1.png RA Cquote2.png
JupiterWeb sobre Politreco
Cquote1.png Vagabundo! Vagabundo! Cquote2.png
Kassab sobre um Politécnico
Cquote1.png O melhor da USP é que os professores literalmente pagam para os alunos estudarem! Cquote2.png
Uspiano sobre USP
Cquote1.png E melhor ainda é que os mackorelhas e pucanos pagam também! Cquote2.png
Uspiano sobre USP
Cquote1.png O que eles gastam de mensalidade é o que gastamos para transar Cquote2.png
Mackenzista sobre Politécnico
Cquote1.png Não sabemos o que é sexo mas passamos na Fuvest Cquote2.png
Politécnico em conversa com Mackenzista
Cquote1.png Escória da sociedade Cquote2.png
Politécnico sobre resto do mundo
Cquote1.png Acabou o Paternalismo Cquote2.png
Trolledo sobre a realidade politécnica
Cquote1.png O cálculo de vocês nem é calculo de verdade!!!! Cquote2.png
Qualquer outro aluno de exatas da USP(menos os da FEA) sobre politrecos

Politécnico

A Escola Politécnica é um subsegmento intermediário de variação contínua da USP, chamada de Poli por aqueles iniciados em seus ritos. Isolada no canto da cidade universitária, foi fundada em 1239 por Chico Ramos Azedos (um arquiteto que sabia que a FAU só formaria músicos), com o nobre intuito de torturar alunos nerds jogadores de Magic,Yu-Gi-Oh e Tazo, virgens e inocentes que ainda não possuem a palavra independência em seu dicionário, usando para isso técnicas medievais como as transformadas de Fourier, as equações diferenciais parciais e relacionamentos sociais.Em 1690 foi incorporada à USP, na tentativa de facilitar a seus alunos o encontro de mulheres. Dizem que na época da ditadura militar passou a ser um campo de concentração onde alunos capturados passavam horas jogando Sudoku. Sabe-se que não houve sobreviventes para contar histórias desta época tão obscura.

Prova de vida inteligente na Poli: Lago de carpas da Minas

A instituição é normalmente comparada aos famosos mangás japoneses, uma vez que assim como nos quadrinhos de origem oriental, está cheio de japoneses e monstros (leia-se "mulheres" com bigode), futuras mamães de bebês politrecos ou donas de casa desesperadas, deformadas, formadas ou desinformadas, tanto faz. Só não se casam com os politrecos que preferem as psicopatas, psicólogas, achando que elas poderão ajudá-los a superar o trauma politreco, mas é apenas uma ilusão. As "mulheres" (vulgo homens alternativos) da POLI fazem sucesso dentro da faculdade, uma vez que elas são as únicas "coisas" parecidas com mulheres de verdade e que gostam de RPG e HP. Já foi encontrado junto a essas "mulheres" fotos de pessoas como Justin Bieber, Restart e atores do Crepúsculo. A Poli é administrada por uma congregação de vampiros, que utilizam títulos honoríficos como 'Diretor', 'Professor Titular' e 'Professor Adjunto', usando as mesmas técnicas avançadas de sua fundação, segundo seu slogan: "Tradição e Infelicidade". Os politrecos tiveram uma contribuição decisiva em diversos eventos importantes da História:

Índice

GraduaçãoEditar

 
Típico ex-diretor da Poli

A Poli oferece vários cursos graduação em Engenharia astronáutica, astrologica, de tecidos, de alimentos, de tecidos alimentares e militares, físico-química, de perfumes, de hologramas, de sistemas acrianos, de bandeiras, de comunicação, musical, de relógios, de relógios musicais entre outras . Também oferece cursos fora da área de Engenharia, como a Engenharia de Produção. O curso dura em média entre sete e dezoito anos.

 
O nabo da POLI é mais gostoso!

Todos os cursos se baseiam em um currículo inicial comum, composto de Cálculo (I a IV), Física (I a IV), Álgebra Linear (1 e 2), Reintegração Social (I a XIII) e outras matérias do gênero. Ao final desta parte do curso, o aluno é capaz de contar de 1 até 4 e desenhar diversos "símbolos" que pessoas normais não entendem, como círculos, retângulos, quadrados, em grupos chamados "fórmulas", que teoricamente explicam todo o Universo. Em suma, o aluno de engenharia passa este período escrevendo coisas como:   (Teorema de pitágoras)

Durante o restante do curso, os engenheiros aprendem que estas fórmulas são totalmente inúteis e descobrem no último semestre que tem programas de Computador que faz todas as contas. O curso também compreende uma grande quantidade de laboratórios do século XIX, salas de tortura onde os engenheiros são forçados a fazer experimentos durante intermináveis horas (como por exemplo tentar interagir com mulheres), usando equipamentos estranhos que nunca mais verão na vida. Nestes laboratórios aprendem que a teoria (nada funciona mas sabe-se porquê) une-se à prática (tudo funciona, sem se saber porquê), tendo como resultado os experimentos (nada funciona e ninguém sabe porquê). No final de cada experimento, o aluno deve executar um ritual complexo chamado 'relatório'.

 
Politécnico ao final de uma semana de provas.

Durante todo o curso os alunos são periodicamente expostos a sistemas de deformação cerebral conhecidos como "semana de provas". Neste período os politrecos passam a babar continuamente e não dormem. Para os politrecos a semana de provas não é a semana sem sexo. A vida deles é sem sexo. No fundo, o objetivo do curso é ensinar aos alunos os três princípios básicos da engenharia:

  • acoxambrar = corrigir algo que foi feito corretamente para que seja feito errado, mas dê o resultado certo.
  • gambiarra = aplicação avançada de conhecimento engenheirístico. Consiste em fazer algo que não funcionava direito funcionar, aumentando o defeito original. Também chamada de serviço provisório de emergência (SPE) pelos politrecos.

Durante a graduação fazem também matérias optativas como Poker(Pkr2201), truco(Tro3020), Dota(London is Next) e Pebolim(PB111). Sobre o poker podemos ressaltar que os alunos dessa faculdade tem muito apego ao dinheiro, apostando 100 reais pré-flop em todas as mãos, já que os blinds na escola politreca são 100 e 50 reais. Nessa matéria são aprovados por ano cerca de 40 estudantes que largam a faculdade para se transformarem em jogadores profissionais.Alguns ainda com sede de aprendizado fazem pós-graduação, o professor responsável por essa matéria chama Fábio Fabre Castel e pode ser encontrado na mesa de poker do grêmio politreco das 7 da manhã as 8 da noite ( horário que acaba seu rodízio). Sobre o Dota no Poli podemos dizer que é o esporte de todos os politrecos, jogado diariamente 87 vezes, todos os computadores da escola politreca são equipados com Dota de fábrica. Outra curiosidade é que todos os jogadores de Dota na Poli são incrivelmente bons em dizer quem foi que errou , mas nunca em dizer isso durante o jogo.Existem algumas séries de leis a serem seguidas no dota como:bixos devem comprar e upar o courrier,quem estiver morto vai para o "cantinho do libanori",e por ultimo mas nao menos importante LONDON IS ALWAYS NEXT.

CursosEditar

  • Civil: é a fábrica de políticos corruptos da USP, como Maluf, Serra e Kassab. Tem aluno pra caralho e o CA mais ausente da poli
  • Ambiental: Recém saída da sombra da civil, a ambiental é a que menos tem alunos, mas um dos poucos redutos de mulheres na Poli. A principal função do curso é desenvolver novas técnicas pra plantar maconha ou transferir gente pra civil.
  • Elétrica: Ao contrário da amb, não existem mulheres aqui. É conhecido como o curso mais difícil da poli, só faz quem cheirou muito pó antes de se inscrever na FUVEST ou quem quer transferir pra comp.
  • Computação: Um dos mais difíceis de entrar pela fuvest, só se fode por causa do quadrimestre.
  • Mecânica: Lar dos alunos mais chatos da poli. Dica pra você, futuro bixo: nunca deixe o CAM ganhar nada. desorganizam o CAM games que é a única coisa útil que fazem.
  • Mecatrônica: Esse curso existe mesmo na poli?
  • Naval: Uma engenharia que só serve pra galera ir trabalhar em banco depois, já que no Brasil ninguém constrói navio. Tem um CA top.
  • Produção: Todo mundo diz que não é engenharia, que é FEA, mas no fundo todos querem transferir pra não ter que fazer mais nada quando acabar o biênio. Tem máquina de café mas o CA é menor que uma kitnet da praia grande.
  • Metalurgia e Materiais: Curso mais que esquecido da poli, fica no além-tejo.
  • Minas: Não sei o que falar mano.
  • Petróleo: Essa porra é em Santos, a galera só se importa com o CAPS quando tem rinha mesmo.
  • Química: Depois que acaba o Biênio, só toma no cu com o quadrimestre. É longe, mas pelo menos tá do lado do bandejão.

EC3Editar

A EC3 tem uma premissa principal: Colocar as matérias específicas mais chatas do seu curso no primeiro semestre, de modo com que o aluno decepcione-se ainda mais com sua entrada na faculdade.

A polêmica Estrutura Curricular 3 mudou 4 coisas:

  • Não tem mais Numérico no Biênio!
  • PCC agora é nunca será uma matéria de verdade.
  • Agora você termina o primeiro semestre tendo uma vaga noção de que seu curso é chato pra caramba.
  • No final do primeiro semestre são dadas 1239 opções de matérias optativas, nas quais 1238 não se encaixam no horário certo da grade e a optativa que pode ser escolhida é "Física Nuclear Avançada IV - NABO1492"

obs: Física I era para ter mudado, mas ao que tudo indica o IF acha que EC3 é apenas questão de nomenclatura, podendo ser ignorada da mesma forma que os princípios matemáticos...

Pós-GraduaçãoEditar

A Poli também oferece cursos de pós-graduação, Mestrado e Doutorado. Seu objetivo é melhorar o currículo e diminuir o salário e as possibilidades de emprego de quem os cursa. Para dificultar tudo existe um boss chamado Orientador, cuja tarefa é desorientar o aluno durante todo o curso. É requerido do aluno também fazer duas apresentações orais:

  • a qualificação, onde o aluno diz que já estudou muito e agora vai finalmente, depois de longos anos, começar a trabalhar;
  • a defesa, onde o aluno explica porque não fez nada de interessante mas mesmo assim merece ganhar um diploma.

Encontra-se nestes cursos três tipos de pessoas:

  • politrecos viciados pelo ambiente, incapazes de enfrentar o Mundo de Verdade fora da faculdade. Preferem continuar no ambiente que já conhecem e sofrer da forma que estão acostumados;
  • engenheiros de 3ª, que sempre sonharam em estudar em uma faculdade de verdade e ter um diploma da USP. Existe uma subcategoria, que inclui físicos e matemáticos, que desistiram de fazer ciência de verdade e preferiram ter uma HP e um diploma da Poli;
  • pessoas que fizeram faculdades de humanas ou biológicas, que vêm à Poli por insanidade temporária e desconhecimento de causa.

Alunos de pós-graduação geralmente se alimentam de bolsas, que podem ser de plástico ou de couro.

IdiomaEditar

Politécnicos adquirem um idioma próprio com o passar dos anos.

  • Algelin = Álgebra linear (e eu que achava poesia viagem demais)
  • FEA = concentração de secretários que acham injusto perder a vaga para um engenheiro no banco só porque cursaram Xerox IV e Cafezinho II...
  • Calculo Numérico = A arte de resolver problemas impossíveis sem ter a menor ideia de como o fez.
  • Levei nabo em mecflu = fiz uma prova de mecânica dos fluidos
  • A sub de mecflu é aberta = tenho outra chance de sofrer
  • Tô de rec de mecflu = vou bombar em mecânica dos fluidos
  • Tem reof de mecflu = vou bombar em mecânica dos fluidos de novo
  • É só integrar = não sei como resolver isso
  • Estou sabendo muito da matéria = com muita sorte, talvez eu tire 5.0
  • Sei a matéria = meio
  • Sei um pouco da matéria = zero
  • Não sei a matéria = estou trancando a matéria para evitar futuras humilhações
  • Sei toda a teoria. Só não fiz os exercícios = Sou burro e acho que vou tirar 10
  • Cai na turma do Gusev em física = Я не говорю по России( fudeu eu nao falo russo)!
  • Cai na turma do Plínio em eletromag = vou bombar Eletromagnetismo
  • Cai na Turma do Prof Mestre Doutor Divinidade Deus Alvaro Hernandez = vou ficar com Demencia Severa de tanto fazer Resumo/Exericios.
  • Faço R2 com Diogo = vou bombar em R2
  • Faço R2 com Mário Senatore = vou bombar em R2 porque o Diogo corrige as provas
  • Reof de R2 = Faço R2 com o Diogo
  • Teleco = telecomunicações. Curse isso se você realmente gosta de sofrer. Eles podem chamar o mundo de coxa...
  • Produção = engenharia de produção mecânica, vulgo Administração...o melhor de lá é é o banheiro.
  • Nota Grafite = minha nota começa com zero.
  • Paternalismo = termo que encontra seu fim dentro do âmbito politécnico.

Os alunos também esquecem português, e adquirem a capacidade de ler inglês sem entenderem nada do que estão lendo.

AlunosEditar

 
Politécnicos

Os politrecos são todos oriundos da Nerdlândia, e sofrem de um excesso de cromossomos Y, efeito colateral da exposição ao vestibular. Isso leva a um sistema econômico deformado, onde uma mulher feia passa a valer quase tanto quanto uma calculadora HP, desde que você não tenha prova na mesma semana, claro. As futuras engenheiras (que são mais feias do que se imagina) sabem usar da situação: nunca carregam peso, nunca fazem as listas de exercício e, ao contrário da maioria das mulheres normais, acreditam que um amigo nerd é mais útil que um amigo gay.

 
Calculadora HP

O habitat dos politrecos é composto de três áreas distintas: a sala de aula, o laboratório e a biblioteca. Alguns indivíduos acabam formando clãs que costumam ser encontrados no centro acadêmico jogando uma brincadeira nerd chamada RPG. Existe também uma facção de politrecos sem muito o que fazer, tanto que não fazem nada, conhecidas como Grêmio, Atlética, ATOP, Rateria, centros acadêmicos de engenharia (CEE, CEC, CEN, AEQ, CAM, CMR, CAPS) e o CAEP..... em suma, TODOS. Quanto ao esporte, politrecos praticam regularmente o Magic. Podem ser também encontrados jogadores de xadrez e RPG´s em geral. Há uma parte da Poli que baba, e pratica futebol no video-game. Há um time de rugbi, para dizer que alguém realmente pratica um esporte que precise de um espaço maior que uma sala, mas na prática o time de rugby é mais uma desculpa para beber. Metade dos politrecos é incapaz de informar onde é o cepê. A outra metade sabe porque viu naquele mapinha colorido da USP.

Vida SexualEditar

A vida da maioria dos politrecos se resume a onanismo no laboratório de informática (entre uma partida de CS e outra) ou a ficar com alguns colegas, já que pela falta de mulher o lema na Poli é "da cintura para cima tudo pode". Alguns tomam coragem e frequentam esporadicamente o PutUSP, pois querem fazer uma iniciação (não científica) com monitores(as!?) dispostos a "ajudar" 24 horas por dia. Logicamente que eles preferem ser clientes dos monitores de ombros largos, conhecidos como "Kinder Ovo", pois gostam de abrir e descobrir o brinquedo. Os politecnicos variavelmente gostam de contar vantagem sobre sua vida "sexual". Esporadicamente contam para outros nerdianos como aquela punheta em plena sexta feira de carnaval foi melhor que a morte de Obi-wan Kenobi (Star Wars) ou aquela partida emocionante de RPG no Revellion. É muito comum ver os politrecos vagando pelo Bandeijão à cata de garotas desavisadas oriundas da FFLCH.

EventosEditar

  • Integrapoli = evento criado que se basea em CAs se digladiando em disputas estúpidas e quase sem sentido que normalmente ocorrem nas primeiras semanas do ano. Elas ganham sentido quando o alvo é o Mackenzie. Serve também pros bixos perceberem que não terão mulheres e se contentarão jogando DotA
  • BIXOPP = evento criado para fazer os bixos pensarem que mandam em alguma coisa no grêmio, mas na verdade são fantoches de veteranos que por trás mandam em tudo e pensam apenas em encher a cara enquanto os bixos ralam feito camelos durante a festa (a única da Poli com presença feminina significativa).
  • SAPO = evento totalmente ignorado pelos politrecos, com exceção dos membros do GTP (concentração de malucos com tendências comunistas que fazem peças teatrais). Porém nos últimos anos tem-se visto um pequeno exército de japoneses se dirigindo ao local, para a infelicidade de todos os homens, pois só a poli consegue transformar um evento em festa da salsicha.
  • Festa Junina = nunca acontece em Junho. É uma forma de dizer para o campus como eles são legais e claro, juntar espécime feminino (objetivo nem sempre alcançado).
  • Peruada = Evento que TODA a USP paulistana vai, até os estranhóides do IME e da Fisica, os psicopatas da Psicologia e os mortos-de-fome da Pedagogia vão, menos os politrecos (estranham a presença feminina).
  • Cervejada = levantamento de copos e queda de corpos. Em geral, não atrai garotas (e que garota gosta de um politreco bebum ,aliás, e que garota gosta de um politreco, a não ser por interesse?)
  • Festa dos CA's = Maior concentração de homens por metro quadrado do mundo por aproximadamente 2 horas. Uma festa do CA da Mecânica, por exemplo, só cobrou entrada para homens (já sabendo que não viriam mulheres).
  • 'Interusp' = Evento amigável(que a Poli sempre ganha) que reune em um mesmo balaio Poli, Medicina, FEA e Sanfran pra ver quem tem o ego mais inflado. Em geral, surge algumas brigas homéricas insignificantes. O resto da USP vai no BIFE, que não vale a pena descrever...
  • CORSO = Integração entre POLI e Medicina Paulista, quando seus respectivos alunos participam de uma guerra campal munidos de todos os tipos de comida podre recolhidos de feiras livres. O local tradicional da disputa é o Praça Charles Miller, onde os frequentadores do clube FAAP ficam chocados com tamanha bestialidade!

Ex-alunos Vagabundos FamososEditar

CuriosidadesEditar

-Poucos sabem mas o símbolo da POLI é um ratinho, e por esta razão o mouse do computador, é chamado de rato, camundongo. Mas o significado real é pelo fato destes seres também frequentarem a EP.

Manoel BandeiraEditar

Manoel Bandeira em sua época de politreco ficou tão desesperado que resolveu ir embora pro Mackenzie, fez um poema chamado "Vou-me embora pro Mackenzie", recentemente descoberto em uma parede do banheiro da Civil( que ninguém usa já que todos os Politécnicos cagam na produçao ou na FEA). Aqui a transcrição original do poema:


Vou-me embora pro Mackenzie
Lá sou tratado como rei
Lá tenho a matéria que eu quero
Na sala que escolherei
Vou-me embora pro Mackenzie



Vou-me embora pro Mackenzie
Na POLI não sou feliz
Lá tem mulher decente
Tem muleque inconsequente
E o cara do seu lado
Muito rico e demente
Vem a ser parente
De um empresário muito fino

E como farei ginástica
Andarei de carro importado
Darei cenoura pra burro brabo
Jamais acordarei cedo
Final de semana não vou estudar!
E quando estiver cansado
Dou uma festa no Rio
Mando meu helicóptero
Trazer muitas meninas
Pra gente conversar!
Vou-me embora pro Mackenzie


No Mackenzie tem tudo
Só falta educação
Tem um processo seguro
De impedir reprovação
Tem boleto fim do mês
Tem mulher a vontade
Se prostituem de noite
Pra bancar a faculdade


E quando eu estiver fudido
Mas fudido de não ter jeito de passar
E quando meu pai me der
Muito dinheiro pra eu pagar
Lá sou tratado igual Rei
Terei a nota que eu quero
Na prova que escolherei

Renato RussoEditar

Para quem não sabe, Renato Russo já foi politreco. Foi nessa época que ele criou a canção Faroeste Caboclo. Nós da Desciclopédia conseguimos a letra original com exclusividade:

Cheio de medo em setembro Joãozinho viu que seus dedos tremiam pra fazer a inscrição
Deixou pra trás a namorada, a motoca, o futebol e as festinhas pra rachar na revisão
Quando criança só pensava em ser engenheiro ainda mais com o dinheiro que sonhava em ter na mão
Era o CD lá do colégio onde estudava e todo mundo admirava o boletim desse cuzão
Ia pra igreja só pra rezar pro seu santo pra pedir a sua ajuda pra prestar vestibular
Sabia mesmo que ia ser barra pesada porque tinha muito japa pra tomar o seu lugar
O ano todo se propôs a estudar, passava o dia sem ligar a televisão
Nos feriados não ia viajar, ficava em casa treinando redação
Fazia todos os exercícios da apostila e no fim de cada aula ia falar com o professor
Às quinze horas ia pro laboratório ver as mitocôndrias da aula anterior
Não entendia como o militarismo dominou nosso país por vinte anos de terror
Ficou cansado de tentar achar resposta e desceu pra lanchonete pra afogar a sua dor
E lá chegando foi tomar um cafezinho e encontrou um concorrente com quem foi falar
E o concorrente aumentou seu desespero pois manjava muita coisa que ele tinha que estudar
E João não gostou dessa proposta, ele disse "ai que bosta, eu tô passando mal"
Ele ficou bestificado com a ideia de pegar lista de espera só depois do carnaval
Meu Deus, é pior ainda, no ano novo eu posso estar lá na Mauá
É brincadeira querer ser engenheiro e só descolar emprego em Taguatinga
Na sexta-feira ele morria de vontade de correr pro banheiro se borrando de pavor
E conhecia muita gente arrogante que passava do seu lado se dizendo um terror
Ele estudava o relevo da Bolívia, função quadrática e modular
E nos domingos então ele fazia tarefa mínima e complementar
E Joãozinho até a morte se esforçava e o tempo mal sobrava pr'ele se alimentar
E via às duas horas o Vestibulando que passava todas as dicas sobre o vestibular
Mas ele não queria mais conversa e decidiu que em novembro era hora de rachar
Ele pirou que precisava estudar tanto, virou um bitolado e começou a delirar
E logo, logo os malucos da sua idade viram a calamidade, tem babaca novo aí
E o nosso Joãozinho ficou louco e bateu em todos os japoneses dali
Seus amigos preocupados com a sua sorte deram uma fita de rock pr'ele relaxar
Mas de repente sob uma má influência dos boyzinhos lá do fundo começou a zoar
Já na primeira fase ele penou e só passou porque o corte foi sessenta e três
A demência tomou a sua mente : "Vocês vão ver, eu vou pegar vocês!!!"
Agora Joãzinho era fodido e estava decidido que não ia se dar mal
Sacava toda a trigonometria e manjava de limites, derivada e integral
Foi quando conheceu uma menina e de toda aquela zona ele se arrependeu
Maria Lúcia era uma bitola linda e o coração dele pra ela o Joãzinho prometeu
Ele dizia que devia estudar, pois engenheiro ele queria ser
Maria Lúcia, pra sempre vou te amar, Engenharia com você quero fazer
O tempo passa e um dia chega a hora de fazer segunda fase coitadinho do João
E ele faz uma prova perigosa diz que espera uma resposta, pode ser um sim ou não
Não vou correndo pra banca de jornal nem pra pátio do cursinho isso eu não faço não
Pois eu prefiro ficar na minha casa esperando o resultado com o cu na mão
Maria Lúcia vai comprar o tal jornal e logo após achar seu nome ela procura o de João
Mas ela volta com tristeza no olhar, olha pra ele e diz "você pegou a quarta opção"
Você passou na sua quarta opção, você passou na sua quarta opção
Bacharelado em matemática é um tesão, eu vou sofrer as consequências como um cão
Não é que Joãozinho estava certo, seu futuro era incerto mas foi se matricular
Matriculou-se e no meio da zoeira descobriu que tinha muitos como ele no lugar
Fez inscrição pro remanejamento e talvez no fim do ano transferência ia tentar
E Joãozinho mantinha a esperança de um dia ir pra Poli química estudar
Mas acontece que o Paulo Agozzini terrorista de renome apareceu por lá
Ficou sabendo dos planos de Joãozinho e decidiu que com suas notas ele ia se ferrar
E ele teve que largar cálculo dois mesmo sabendo derivar e integrar
E decidiu deixar estat pra depois que o Moretin voltasse a lecionar
O Agozzini, professor mais sem vergonha com sua prova enfadonha fez todo mundo dançar
Desvirginava bixetes inocentes e o nabo era tão quente que nem dava sentar
E Joãozinho há muito não via sua amada, e a saudade começou a apertar
Eu vou pra Poli eu vou ver Maria Lúcia, já está em tempo de a gente se encontrar
Chegando à Poli então ele chorou quando viu Maria Lúcia namorando um japonês
Oh, Maria Lúcia, quanto que você mudou, que estrago que a Poli te fez
Joãozinho era só ódio por dentro e então o japonês para um duelo ele chamou
Amanhã às duas horas no biênio, ou na praça do relógio, seja lá onde for
E você pode escolher as suas armas: derivadas ou matrizes de qualquer versor
Que eu provo que o sub-espaço nulo é o coração dessa piranha a quem jurei o meu amor
E Joãozinho não sabia o que fazer quando escutou um papo lá no bandejão
Onde falavam dum duelo que iam ver dizendo a hora, o local e a razão
No sábado então às duas horas toda a Poli sem demora foi lá só pra assistir
Um japa que botava pelas costas, encoxou Maria Lúcia e começou a sorrir
Sentindo um ódio na garganta João olhou pros cabacinhos e pros trouxas a aplaudir
E olhou pros pipoqueiros e as bancas de cachorro-quente que passavam por ali
E se lembrou de quando era uma criança e de tudo que vivera até ali
E decidiu entrar de vez naquela dança, se a Poli é um circo, e daí
E nisso o céu abriu seus olhos e então Maria Lúcia ele reconheceu
Ela queria fazer Álgebra dois pra provar que a Poli não a emburreceu
Politécnico, eu sou homem coisa que você não é, e não me contento em por nas costas não
Some daqui filha da puta sem vergonha vai pra casa tocar bronha o seu destino é ser bundão
E Joãozinho deu as costas para os dois, foi pra pura onde encontrou o seu valor
E a todos declarava que o nosso Joãozinho era gênio que escapou de se foder
Que na alta burguesia lá da Poli todo mundo é bunda mole ninguém sabe o que fazer
E foi dar monitoria no cursinho pra avisar aos molequinhos pra não esquecer
Ela queria era avisar toda essa gente engenharia é pra demente que só quer sofrer

Veja TambémEditar