Abrir menu principal

Desciclopédia β

Escola dos Monstros

TV CULTURA NA ERA DIGITAL.jpg Este artigo está relacionado à TV Cultura.

Ele assiste Cocoricó e Roda Viva, faz maratona de desenhos é a segunda melhor emissora do mundo, mas tem um ibope de merda. Conheça mais dessa gentalha aqui.

Escola dos Monstros
バケルノ小学校ヒュードロ組
Bakerunoxiao-xue-xiao-hiyudorozu tNone.jpg
Uma escola de monstros que aceita humanos?
Gênero Kodomo
Mangá
Autor Ninguém
Divulgação Nenhuma
Onde sai Bandeira do Japão Japão
Bandeira do Brasil Brasil
Primeira publicação Nunca
N° de volumes Nenhum
Anime
Dirigido por Gepetto
Estúdio NHK
Onde passa link={{{3}}} TV Cultura
Primeira exibição 2001
N° de episódios 54
Filmes 2
OVAs 0

Escola dos Monstros é um "anime" educacional produzido no Japão pelo canal NHK. A palavra anime foi colocada entre aspas porque a série não é um desenho animado, e sim um show de marionetes bizarro, tipo o programa dos Muppets.

Trazendo elementos do folclore tradicional japonês, o seriado tinha como protagonista o guri retardado Nobiro, abandonado por seus pais desnaturados e criado em meio a um bando de youkai como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Índice

HistóriaEditar

Os pais do jovem Nobiro estão de saco cheio do pirralho e inventam uma desculpa esfarrapada de que precisam viajar para a África a trabalho, seja lá qual for a profissão deles, este detalhe não é revelado. Para evitar que sejam anonimamente denunciados ao Conselho Tutelar, o casal vende seu filho a um tengu, suposto amigo de infância do pai de Nobiro, mas também não existe qualquer explicação sobre como e porque ambos se conhecem. A partir de então, o pivete passa a viver na Torre dos Monstros, um prédio habitado somente por youkai, sendo ele a primeira e única pessoa morando ali por tempo indeterminado até que seus pais voltem de viagem, ou seja, nunca.

A tal Escola dos Monstros do título fica no último andar da torre, onde estudam os filhotes dos youkai, com quem Nobiro precisa fazer amizade para não ser devorado por eles.

PersonagensEditar

  • Nobiro - O protagonista da porra toda, é um moleque irritante de cabelo espetado como a maioria dos personagens masculinos de anime. Estuda no segundo ano do ensino fundamental e mesmo sendo o principal, é o personagem mais sem graça da série. Precisa aprender a conviver com as diferenças entre humanos e "monstros", só que vive fazendo merda e levando bronca, principalmente de sua professora quando chega atrasado na escola. Curiosidade desnecessária: ele odeia pimenta.
  • Tucha - Um kappa que torna-se o melhor amigo de Nobiro quando ele passa a estudar na Escola dos Montros. Na chegada do novo aluno, ele organiza uma festa surpresa a fantasia e convence os demais colegas a se vestirem como seres humanos, criando assim uma espécie de halloween do Mundo do Contra.
  • Miiko - Uma bakeneko de família rica que se acha superior aos outros e tem um cabelo loiro ridículo. Assim como Nobiro, ela também vive se atrasando nas aulas, mas como pertence à zelite youkai, é sempre perdoada e nunca punida.
  • Byakko - Apesar do seu nome fazer referência a uma espécie de tigre branco chinês, ela é uma kitsune rosa. É filha de Nick Wilde, aquela raposa policial do filme Zootopia.
  • Irmãos Yukinki - Filhos do Abomineve Homem das Naves, são dois yetis gêmeos que despertaram após duzentos anos de hibernação e possuem costumes primitivos como não limpar a bunda depois que cagam. A única diferença entre ambos é a cor de suas presilhas e narizes, verde para o caçula e vermelha para o primogênito.
  • Mush - Um cogumelo alucinógeno parente do Toad. Volta e meia algum youkai desavisado tenta pegá-lo e transformá-lo em chá, mas aí ele libera esporos venenosos que provocam necrose no fígado de quem é infectado. Era o melhor amigo de Tucha até Nobiro aparecer e arruinar tudo.
  • Okiku - A professora da Escola dos Monstros, dá aula para todos os imbecis citados acima. Foi inspirada na boneca satânica homônima e na maior parte do tempo age feito uma yamato nadeshiko, mas quando se irrita seu rosto fica igual a uma máscara hannya e seu corpo irradia uma aura vermelha demoníaca. Há quem diga que ela é o próprio diabo, mas tal informação carece de fontes fiáveis para ser devidamente confirmada.
  • Bunbuku - Diretor da Escola dos Monstros, supostamente é para ser um tanuki, mas o boneco do personagem é tão mal feito que mais parece um Zé Colmeia genérico. Impõe muito respeito aos alunos, mas na verdade ele se borra todo de medo da professora Okiku, e com toda razão.
  • Noppera - Cozinheiro da Escola dos Monstros, é o responsável por fazer e servir a merenda da criançada. Mesmo sem ter rosto, já que é um noppera-bō conforme indica seu nome, é considerado um grande chef de cozinha. Também é mestre em kung fu e sempre usa roupas chinesas, o que não faz o menor sentido, mas nada faz neste programa.
  • Família Tengu - A família adotiva de Nobiro, inicialmente composta apenas pelo casal Otengu e Metengu, respectivamente um macho e uma fêmea de tengu. Depois, nasce o filhote de sexo indefinido Kotengu, que ao sair do ovo avista Nobiro antes de seus pais e passa a achar que é filho(a) dele.

No JapãoEditar

 
A simpática professora Okiku, responsável por traumatizar educar as crianças.

Em seu país de origem, Escola dos Monstros fez bastante sucesso, até porque as criancinhas nipônicas já são acostumadas desde cedo a lidar com as criaturas feiosas da mitologia japonesa, sempre muito presente em tudo quanto é porcaria feita lá na terra do sol nascente.

A primeira temporada, originalmente chamada de Bakeruno Shogakkō Monogatari, seja lá o que caralhos isto signifique, é composta por vinte episódios que duram apenas quinze minutos cada, pois se a duração fosse maior, correria o risco de causar um derrame com danos permanentes nos telespectadores mirins, tipo o que aconteceu nos anos 90 com aquele episódio de Pokémon em que aparece Porygon pela primeira vez. A estreia foi em 10 de abril de 2001 e durou até 5 de março de 2002.

Em 2003, quando ninguém mais lembrava desta joça, a NHK decidiu ressuscitar a série e produziu uma segunda temporada intitulada Bakeruno Shōgakkō Hyūdoro-gumi, que estreou no dia 20 de abril e rendeu trinta e nove episódios, sendo o último deles exibido no dia 10 de março de 2006. Visando o mercado televisivo internacional, desta vez enfiaram contos de fadas na história achando que atrairiam crianças de outros países, mas aí o programa conseguiu ficar ainda mais traumatizante e foi censurado mundialmente.

Não bastando os episódios regulares, fizeram também dois especiais com quarenta e cinco minutos de duração cada e um livro com ilustrações no estilo mangá, tão raros que nem a Deep Web possui em seu acervo.

No BrasilEditar

A TV Cultura, que sempre teve uma programação infantil esquisita com personagens meio assustadores, colocou Escola dos Monstros do nada em sua grade de programação, com uma dublagem tosca feita às pressas que não tinha sincronia labial nenhuma, até porque os personagens eram todos fantoches de pano e não tinham lábios. A estreia brasileira ocorreu em 5 de fevereiro de 2006 de acordo com informações coletadas pelo Google, e a exibição do programa era somente aos finais de semana por volta do meio dia, ajudando no combate à obesidade e compulsão alimentar infantil, já que as crianças logo perdiam o apetite ao assistir.

Devido a reclamações constantes dos pais chatos que criavam os filhos a base de leite com pera, foram exibidos somente pouco mais de dez episódios da primeira temporada, pois os adultos alegavam que a série era assustadora demais para seu público-alvo, especialmente por causa da professora Okiku. A Cultura acabou cancelando o resto e nunca mais reprisou o que já tinha passado, motivo pelo qual atualmente Escola dos Monstros é considerada uma espécie de lenda urbana da televisão brasileira. Há quem diga que o programa nunca existiu e foi um delírio coletivo, mas aqui está a Desciclopédia fazendo seu trabalho de elucidar as mentes de seus leitores e provar que tal bizarrice foi sim real.

GaleriaEditar

Ver tambémEditar