Abrir menu principal

Desciclopédia β

Mudanças

Alumínio (São Paulo)

763 bytes adicionados, 20h24min de 23 de maio de 2009
sem sumário de edição
A cidade também é uma com maior número de bares do mundo, com uma incrível concentração de dois habitantes/bar. Em qualquer ponto da cidade, é muito fácil achar uma birosca, sempre daquele jeito: [[sertanejo|cornonejo]], [[forró]] no último volume, mulher (muito) feia, bêbados, ambiente sujo e encardido; enfim, uma combinação para um pai de família sério nem pensar em passar em frente. Ultimamente, os bares de Alumínio vem recebendo uma nova clientela nada amigável: os [[manos]], que ouvem aquele rap dos Racionais no último volume nos jukeboxs.
 
 
== Vícios de aluminense==
 
* Soltar [[rojão]] para tudo que é motivo, mesmo quando não há motivo para soltar rojão.
* Passar pela rua Paulo Dias, mesmo tendo um <s>elefante branco</s> avenida novinha e vazia próxima, e com a rua totalmente entupida de carros.
* Ignorar faixas de sinalização e trafegar pela Raposo Tavares como se fosse uma estrada de boi.
* Pedir pizza todo santo sábado.
* Ouvir sertanejo no último volume nos sons do carro e até da charrete, obrigando as pessoas na rua a ouvir esta <s>desgraça</s> obra-prima da música brasileira.
* Jogar no jogo do bicho.
* Encher a cara nos 455.261 bares existentes na cidade.
* Por a culpa de tudo de ruim nos peões das empreiteiras.
* Comprar tudo que é coisa em Sorocaba, até pão.
 
 
==Ver também==
15 063
edições