Mudanças entre as edições de "Yes (banda)"

5 269 bytes removidos ,  00h45min de 27 de março de 2011
m (Yes (Banda) foi movido para Yes (banda) sob redirecionamento)
{{c|Eu digo 'sim' ao Yes! Ou não!|[[Caetano Veloso]] ( quando tinha o cabelão) |Yes}}
{{c|Yes, we can!|[[Barack Obama]] |Yes}}
 
= O Início =
 
Tudo começou quando o baixista doideira [[Bob Esponja|SpongeChris SquirePants]], ou simplesmente [[Chris Squire]] chamou seu amigo [[bicha|viadinho]] [[Jon Anderson|Jonas Ânderson]] pra montar uma banda de [[Rock Progressivo|Rock-Muito-Doido]]. O viadinho, muito exibido, respondeu em inglês: “[[Yes]]”.
[[Imagem:Hanyes.jpg|thumb|Integrantes do Yes no início da carreira]]
 
Como eles só pensavam em jogar [[RPG]] e não entendiam nada de bandas, esse ficou sendo o nome da banda mesmo. A princípio, eles só jogavam [[Vampiro|Vampiro: a Máscara]] – live-action. Chris era um tzimisce e Jonas um toreador. Pensaram em falar do [[Mundo das Trevas]] nas letras mas não tinham experiência em compor e ainda não existia [[New Metal|Nu Metal]] nem um forte movimento [[gótico]], e eles não tinham referencial.
 
A banda começou com os dois mais [[Bill Brufford|Buffalo Bill]] na batera e outros dois completos desconhecidos, que jogavam Vampiro com eles: Tonhão [[Emo|Gaye]] e Pedrinho [[Banco|Itaú-Bradesco]].
 
Tocavam músicas que só eles conheciam dos [[The Beatles|Beatles]], [[The Byrds|Byrds]] e [[Lionel Richie]], além de um hit de [[Michael Jackson]] (Sweetness) e música infantil ([[Eliana|Beyond and Before]]). As composições próprias nunca seriam tocadas nos shows posteriores.
 
[[Imagem:Yesgay.JPG|thumb|right|Versão [[anime]]-[[nazista]] da banda, feita por uma alemã perturbada. Saiu no Brasil pela [[Rede Globo]], mas infelizmente todas as cenas de [[viadagem|romance]] foram cortadas pela emissora, o que reduziu o desenho à música de encerramento (porque música de "abertura" incita o homossexualismo!)]]
 
[[Imagem:Jonandd.jpg|thumb|Super Xuxa contra o Baixo-astral!)]]
 
Mas o tempo passou, e o mestre SquirePants acabou se desentendendo com Gaye e Itaú-Bradesco (este, primeiro, e o outro, depois). Após muitos anos de narração no [[Mundo das Trevas|WoD]], Squire resolveu meter seus jogadoresinhos numa aventura de [[Dungeons & Dragons|AD&D]]. Os personagens destes dois se fuderam na campanha que tavam jogando, e como maus perdedores, eles saíram fora da banda.
 
[[Imagem:Yesunion.jpg|thumb|left|Turnê do Union:Pra quê, porra?]]
 
[[Imagem:Clipedoyes.JPG|thumb|left|Típica cena de um clipe do Yes. Chamem o Mion!]]
 
[[Imagem:Steve1web2271.jpg|thumb|right|Zagallo, tocando no Yes: A esclerose em pessoa]]
Pra recompor os quadros da banda, participaram de um [[Suruba|ritual macabro]] organizado por um mago-nerd, em que poderiam conclamar pro nosso mundo seus personagens de RPG favoritos. Conjuraram [[Elrond]] pra tocar guitarra, mas o ritual não deu muito certo, e ele veio surgir na [[Espanha|Catalúnia]] e aprendeu a tocar com os [[Gipsy Kings]].
 
Fizeram então outro ritual e o trouxeram pra [[Inglaterra]]. Aproveitando os rituais macabros, quando Gaye deu um [[Viadagem|piti]], resolveram chamar pra tocar o teclado [[Gandalf|Gandalf, o Cinzento]]. Tempos depois, deram um chute na bunda de [[Bill Brufford|Buffalo Bill]] e chamaram pra batera, [[Alan White|Alan, o Branco]].
 
[[Imagem:2 107 1.jpg|thumb|right|Jon Anderson, tocando caxixi e chamando Oxosse da mata.]]
[[Imagem:Alanwhite.jpg|thumb|right|Erasmo Carlos, baterista do Yes]]
 
Depois de todas essas mudanças, com mais experiência em composição e mais [[nerd]]s do que nunca, os caras entopiram seus discos com letras que falavam de suas [[Punheta|aventuras]]. As letras eram incompreensíveis, pois Jonas nunca concluiu seu curso de inglês. A banda misturava um bocado de frases sem nexo algum, como em “Release Release”: “Lost and wondering maybe how it is seems to be it’s as simple as this”, entre outras.
[[Imagem:2 319 2.jpg|thumb|left|Sherwood e Squire : <s>errando o ritmo</s> tocando pra caralho!(meinha no camarim)]]
[[Imagem:Starship Troopers - movie poster.jpg|thumb|left|Filme feito baseado na música Starship Trooper - Estrupo nas Estrelas!]]
[[Imagem:Closetheedge.png|thumb|right|A capa do álbum "Close to The Edge".<br>(Clique para ampliar)]]
 
 
Mas, com toda essa <s>esculhambação</s> excentricidade, o Yes ainda achou quem escutasse seu som e conseguiu até mesmo adeptos pra sua religião, a [[Macumba|Wicca]]. Seus maiores sucessos foram:
* “Ronda do Quarteirão” - ''Essa fez sucesso e inspirou uma [[Cid Gomes|política de segurança]] no [[Ceará]].''
* “Kama-Sutra Siberiano” - ''Próximo do fim desta música, eles, maus conhecedores do [[sexo|assunto]], fazem uma representação musical da coisa, usando um combo do [[Street Fighter]]: "Da/ Da/ Dudda/ Dudda/ Da/ Da/ Dudda/ Dudda/ Dudda/ Duidda/ Da/ Da/ Dadudidadodidado". São [[24]] hits no total - pois 2 erraram -, e os caras ainda repetem o combo, todos ao mesmo tempo - eles não têm mesmo jeito com [[vaca|mulher]]!''
* “Coladinho com o Eddie” - ''Eis de onde o [[Iron Maiden]] tirou seu mascote.''
* “Estrupo nas Estrela”
* “Traveco Astral”
* “Sgt. Peppers Owner of a Lonely Heart Club Band” (cover dos [[Beatles]])
* “Mudo por um Dia” - ''Sem vocais, como o nome indica, mas não dura um dia; talvez eles tenham levado um dia pra conseguir tocar - sendo que 64,100% é tocado pelo [[Chimbinha]], que não deve ter levado 4 segundos pra tocar essa música de 2 minutos e pouco!''
* entre outros
 
= Os Integrantes =
8

edições