Abrir menu principal

Desciclopédia β

Mudanças

Itápolis

1 580 bytes removidos, 22h35min de 16 de setembro de 2012
sem sumário de edição
Em nova analogia com Nova Iorque, em termos locais seria o equivalente ao HARLEM. Point de pobre, é frequentado por: Manos, que na falta de carro tentam impressionar as minas fazendo Street Dance, com direito a rodopios no chão e tudo mais; Minas, ou barangas pançudas vestindo mini-blusas cheias de brilho, o que as faz lembrar uma Porca no Rolete embrulhada em papel alumínio; e finalmente por velhos tarados que aproveitam o baixo nível de concorrência no local para faturar umas pervas. Tem uma incrível semelhança com um leprosário. Poderia ser ainda chamado de “Fura-Bucho” devido as brigas, facadas e tiroteios que ali eventualmente ocorrem.
 
=== Pizzaria Spazzio ===
Point do resto que não frequenta o Cristo, possui a segunda maior concentração de paus-no-cu por metro quadrado do planeta, perdendo apenas para as festas da Revista “Caras”. Seus freqüentadores dividem-se em:
 
# – High Society – São aqueles que realmente mantém o lugar aberto até hoje, pois são os únicos que consomem algo (nessa categoria obviamente não estão insertos os laranjeiros sovinas filhos da puta e nem seus rebentos).
# – Pseudo-Ricos – São os boys de vila, geralmente de classe média-baixa, via de regra proprietários de GOLFs ou ASTRAs usados e financiados, os quais embora não possam se dar ao luxo de pagar R$ 35,00 por uma pizza todo final de semana não abrem mão de frequentar o local, ficando contudo circunscritos à calçada externa. São facilmente identificáveis pelo hábito de permanecerem encostados nos muros externos, munidos de uma mesma garrafa de long neck, a qual permanecem segurando até o final da noite, quando esta chega a estar tão quente que beira o ponto de ebulição.
# – Pivetes – Abrangidos nesta categoria encontram-se os fedelhos, crianças, pré-adolescentes, miguxos, emos, posers, putinhas impúberes e afins.
# – Manos “Social-climbers” – Facção de dissidentes dos Manos do Cristo. Os manos da Spazzio aspiram à inclusão social e sonham em ser aceitos como iguais pelos grupos anteriores. Fracassam miseravelmente e ficam geralmente confinados na esquina diametralmente oposta, fitando com olhos de rancor aqueles que por ali passam.
 
{{São Paulo}}
rollback
6 669
edições