Abrir menu principal

Desciclopédia β

Mudanças

Edson Fachin

5 315 bytes adicionados, 20h07min de 5 de março de 2017
alexandre vai ficar pra depois...
{{Box Politico
|imagem = Ministro_stf_edson_fachin.png
|legenda = Alguém ajude a este homem...
|origem = [[Rondinha]], {{RG}}
|partido = [[Partido dos Trabalhadores|PT]]
|cargo = Ministro do [[Supremo Tribunal Federal]]
|mandato = [[16 de junho]] de [[2015]] – ''atual.''
|nivelhonesto= {{033|Exerce até sua [[comunista|ideologia]] em plenário...}}
|profissao = [[Advogado|Dotor]]<br/>[[juiz|Semi-deus]]<br/>[[Professor]]
|sexo = {{Icon_mas}}
|almamater = [[Universidade Federal do Paraná]]
|
}}

'''Luiz Esdon Fachin''' ([[Rondinha]], [[8 de fevereiro]] de [[1958]]) é só mais um dos ministros do [[Supremo Tribunal Federal]]. Integrante da Suprema Corte desde 16 de junho de 2015, o ministro também já [[advocacia|advogou]] para membros do [[Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra|Movimento Social dos vagabundos sem Terreno]] (MST) e também já foi filiado ao PT até assumir seu cargo no STF, quando teve que desfiliar apenas para cumprir mera formalidade. Já foi boca-de-urna durante as eleições de 2002, 2006 e 2010, atuando pelo mesmo partido onde permaneceu por mais de 20 anos.

==Biografia==
O [[juramento|jurista]] em [[Rondinha]], uma cidade com um nome engraçado no interior do [[Rio Grande do Sul]].

Assim que se formou, o [[advogado|''doutor'' sem ''doutorado'']] atuou num escritório de fachada criada por ele mesmo, apenas para arrendar recursos advindos do [[Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária|INCRA]].

Depois Edson Fachinho foi trabalhar como procurador em um instituto do [[Paraná]]. Nesse meio tempo ele conheceu um membro do MST que lhe arrumou uma vaguinha no INCRA como procurador geral.

O futuro ministro depois entrou na PUC gaúcha, conhecida como a mais degenerada das universidades brasileiras. Foi quando conheceu alguns membros do PT que na época ainda era um projeto de partido cheio de adolescentes sonhadores que só pensavam em andar nus pelo centro da cidade, fumar maconha e pregar a revolução em Paris, Nova York ou em bairros nobres das capitais brasileiras. Fazendo um paradoxo, igual ao [[PSOL]] é hoje. Ao se filiar ao partido, Edson Faxina tornou-se o mais velho daquela turma de petistas gaúchos.

===Como filiado do Partido dos Trabalhadores===
Fachin passou mais de 10 anos sem se manifestar com o partido por vergonha, pois não queria que seus filhos e esposa o vissem naquela situação degradante. Essa situação de constrangimento mudou depois de 2002, quando o partido finalmente virou dono de alguma coisa e então Edson Fachin pôde sonhar com um carguinho público relevante em [[Brasília]].

Então este almôndega começou a aparecer mais, como em assinatura de manifestos pedindo o roubo de terras para serem repartidos em lotes que mais tarde seriam vendidos posteriormente pelo [[Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra|PT Rural]].

Em 2010, a [[Central Única dos Trabalhadores|ala urbana e conservadora do partido]] indicou Fachin para integrar a Comissão da mentira que contada mil vezes se torna Verdade do Paraná, onde o jurista vestiu a camisa do time e quando sabatinado pelos [[deputado estadual|deputados do estado]] chamando-os somente de ''Golpistas, não passarão!'' durante as 8h de sessão.

Ainda em 2010, durante as [[Eleição presidencial brasileira de 2010|eleições daquele ano]] Fachin faz campanha<ref>[http://oglobo.globo.com/brasil/jurista-indicado-por-dilma-para-stf-ja-pediu-voto-para-presidente-15875179 O cara é literalmente petista. Abraçou a ideia naquela época, como ninguém]</ref> pra então candidata [[Dilma Rousseff]] com tanta efusão como alguém que que seria nomeado caso ela fosse eleita, o que acabou ''coincidentemente'' acontecendo.

===Supremo Tribunal Federal===
Cumprindo o combinado de campanha, Dilma Rousseff agradece todo o apoio dado por Fachin, indicando-o para a casa mais cobiçada pelos adevogados, juízes e qualquer um que queira ser um deus no país da carteirada.

A conversa entre amigos realizada no Senado Federal, como de praxe e em toda santa indicação ao STF, foi tão boa a ponto de durar incríveis 12 horas. Entre os assuntos mais polêmicos da conversa foi justamente quando Fachin, um [[MST]]ista roxo, e [[Renan Calheiros]], coronel, cangaceiro (segundo [[Tasso Jereissati]]) e dono daquele [[Senado Federal do Brasil|puteiro federal]], confrontaram entre si. Nada muito grave, já que se tratam de [[político|colegas de trabalho]].

====Como relator da Operação Lava Jato====
Pouco mais de ano depois de integrar o grupo de palhaços do STF, Fachin foi escolhido [[Descionário:conluio|''aleatoriamente'']]<sup>(uhh! até demais!)</sup> como o novo [[bode expiatório]] da [[operação Lava Jato]]. A justificativa para a escolha de um cara tão fraco e costa fria como ele, é a de que ele poderá trazer a paz novamente instituindo o ''Grande Pacto Nacional'', já que Fachin, segundo os senadores, julga como uma ''menininha''.

{{referências|Referências}}


{{Caixa de sucessão
|título=Ministro do [[Supremo Tribunal Federal]]
|anos =2015 ''até agora''
|antes =[[Joaquim Barbosa]]
|depois=—
}}


{{ministros do Supremo Tribunal Federal}}

[[Categoria:Juristas do Brasil]]
[[Categoria:Magistrados do Brasil]]
[[Categoria:Ministros do Supremo Tribunal Federal]]
8 994
edições