Abrir menu principal

Desciclopédia β

Esperantinópolis

Esperantinópolis, Mesmo morando em uma cidade com um nome bastante sugestivo, os moradores não possuem nenhuma esperança de melhorar de vida. Bem, na verdade, os moradores de Esperantinópolis nem tem tempo para ficar tendo esperanças, pois todos eles passam o dia todo apenas cortando milharais com suas peixeiras, pois esse é o único emprego existente nesse fim do mundo - Sim, o salário é ridículo, porém, ao menos, serve para comprar alguns grãos de arroz, o que tem que ser suficiente para sustentar famílias de 24 membros (estas que são bastante comuns em Esperantinópolis).

Índice

HistóriaEditar

 
A principal avenida de Esperantinópolis, que corta o centro da cidade - Não precisa se preocupar em ser assaltado nessa estrada, pois, assim como você, os bandidos ainda não descobriram a localização de Esperantinópolis.

Antes do século XX, Esperantinópolis era apenas um grande terreno baldio, que servia apenas como depósito de corpos de pessoas que eram mortas em Barreirinhas, em Bacabal, em Barra do Corda e na Puta que pariu. Esperantinópolis era um excelente local para fazer esse "descarregamento", pois a polícia nem imaginava onde é que ficava essa desgraça - E não podemos culpá-la, pois se nem mesmo os mais modernos GPS's conseguem localizar essa desgraça, quiçá alguns policiais sem nenhum recurso tecnológico.

Já durante o século XX, as coisas começaram a melhorar, pelo menos um pouco. Como a indústria de tecelagem estava procurando por algum terreninho isolado do mundo para levantar as suas fábricas sem precisar pagar impostos, Esperantinópolis era a localidade perfeita para recebê-la. Como Esperantinópolis era uma terra-de-ninguém, em que tudo era permitido, em pouco tempo, diversas fábricas já tinham se instalado por ali - E, como toda fábrica sempre atrai peões querendo emprego, Esperantinópolis acabou se tornando uma cidadezinha super-populada, sendo que ela já estava cheia de barracos e outras merdas semelhantes.

Porém, como o tempo, após a indústria da tecelagem descobrir que é muito melhor montar as suas fábricas em cidades do Acre, até porque, como esse estado é considerado inexistente, não é necessário o pagamento de impostos, Esperantinópolis acabou se tornando novamente apenas um terreninho abandonado, que apenas uma meia dúzia de velhos se importam em desenvolver. Porém, como nem se aguentam de pé direito, é bem difícil que consigam transformar Esperantinópolis em uma cidade de verdade... Isso só vai acontecer quando alguns jovens cheios de vida forem até lá, mas... Que tipo de doido iria até esse fim do mundo, que nem balada tem? Só idiotas mesmo...

EconomiaEditar

 
A moderna (e única) escola de Esperantinópolis - Como diz o prefeito da cidade, a educação é uma prioridade.

Inexistente. Como o dinheiro passa longe de Esperantinópolis, os moradores de lá se tornaram adeptos da prática do escambo.

EducaçãoEditar

A prefeitura de Esperantinópolis construiu um barraquinho de palha e colocou uma plaquinha escrito "isquola". Acredita-se que isso seja uma escola, apesar do Professor Pasquale duvidar muito...

SaúdeEditar

Não existem postos de saúde em Esperantinópolis, tampouco hospitais. Se algum morador dessa cidade sofrer um infarto ou algo parecido, esse morador tem que ir se arrastando até a cidade vizinha para receber atendimento. Mas mesmo que esse morador morra, ele não fará nenhuma falta, pois em muito pouco tempo alguma família de lá terá sete filhos para compensar.

TransportesEditar

O único transporte existente em Esperantinópolis são as próprias pernas dos moradores. Apenas para chegar ao trabalho, os moradores de Esperantinópolis precisam ficar cerca de seis horas andando no meio das estradas barrentas da região. Isso explica o porquê de todos os habitantes de lá serem magros como palitos - Está certo que a falta de comida também ajuda, mas...