Abrir menu principal

Desciclopédia β

Estação Chhatrapati Shivaji

441-IndianElephant.jpg नमस्ते!

Este artigo é indiano, tic! Anda de elefante, joga cricket, é vegano, fala um inglês horrível, trabalha em um call center e adora incenso! Se vandalizar este artigo ou for paquistanês, você será incinerado pelas chamas de Agni! E nunca toque num Dalit!

Cloudman.gif


Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Estação Chhatrapati Shivaji é o principal terminal ferroviário de Bombaim. Nessa famosa estação você encontra também terminais metroviárias, rodoviários, de elefantes, de jegues, de charretes, de monociclos, de velocípedes, um aeroporto e um heliporto. Essa estação é uma importantíssima área de integração entre o centro da metrópole com o restante de suas 50 favela.

Os trens movidos a carvão e a pimenta transportam em média 30 milhões de habitantes por dia, usando um avançado sistema tecnológico computadorizado, o MS-DOS.

HistóriaEditar

 
Essa estação parece ser boa. Olha quanta gente adora andar nesses trens.

A estação foi terminada e inaugurada em 1888, quando os ingleses decidiram construir alguma coisa decente na Índia. Esta estação é um belo exemplo da arquitectura de estilo gótico, com janelas de vitrais, pináculos e arcos em abóbada, tudo isso apesar de não existir nenhum gótico na Índia inteira.

Inicialmente, o temrinal era conhecido como Estação Victoria, em homenagem à Vitória I do Reino Unido, a rainha gorda que era a governante da vez, e morava lá na PQP (Hindi: Londres) e jamais se lixou para o que acontecia ou deixava de acontecer na Índia, desde que os estoques de tempero continuassem chegando.

A estação representa uma das maravilhas da Índia moderna, com um imenso e moderno espaço capaz de abrigar milhões de miseráveis seminus reclamando dos constantes e precários trens atrasados.

Depois que os indesejáveis ingleses foram finalmente expulsos, os indianos tinham que pensar num novo nome para a estação, e só de sacanagem eles pensaram em um nome que nenhum inglês jamais pudesse pronunciar e muito menos soletrar, e assim foi escolhido Chhatrapati Shivaji, em homenagem à Shivaji, o amante bem dotado da Rainha Victoria.

Em 2008 a Estação Chhatrapati Shivaji foi tragicamente atacada por dois terroristas paquistaneses que metralharam todo mundo com suas AK-47, dispararam 20 granadas abriram uma barraca que vendia esfihas e kibes, incluíram camelos entre as vacas, e depois se explodiram.

EstruturaEditar

A estrutura da Estação Chhatrapati Shivaji representa a fusão perfeita dos estilos artísticos ingleses e indianos, onde por um lado você encontra banheiros exclusivos para vacas e por outro lado você encontra uma elaborada e cara estrutura indiferente às necessidade do povo.

A Estação Chhatrapati Shivaji foi construída de modo a resistir qualquer tipo de terremoto, tsunami, erupção vulcânica ou invasão furiosa de indianos descalsos. Esta é a maior construção britânica na Ásia, foi o máximo que eles conseguiram fazer pela Índia após séculos de exploração.

A Estação Chhatrapati Shivaji se destaca ainda por ser a única estrutura feita de aço de toda Índia, constratando com as tradicionais construções de barro, palha e fezes do restante da Índia.

DestinosEditar

Importante estação de deslocamento, seus trilhos levam para os principais destinos da Índia.

  1. Deli
  2. Inferno
  3. Terra das Vacas
  4. Paraíba
  5. Terra do Metal
  6. Londres
  7. Sri Lanka
  8. Oceano Índico