Abrir menu principal

Desciclopédia β

Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
NapoleonBike.jpg
Este artigo é sobre humor europeu

Desculpem, o humor deste artigo é ininteligível para brasileiros e sul-estado-unidenses.
Então, nada de Delícia, oco ou sua bunda aqui, certo?
NovoWikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Europa Central.
Europa do Centro no centro mapa.

Cquote1.png Você quis dizer: Meio do continente Cquote2.png
Google sobre Europa Central
Cquote1.png Experimente também: Europa Média Cquote2.png
Sugestão do Google para Europa Central
Cquote1.png Fica no centro da Europa. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Europa Central
Cquote1.png A Ocidental é a rica, a central a classe média, o leste europeu é o pobre e depois dos Urais eles comem criancinhas. Cquote2.png
Seu professor de Geografia sobre a Europa.
Cquote1.png Nós serrmos da Eurropa ocidental e da Eurropa Centrral, Porra decide geogrrafas! Cquote2.png
Alemão sobre a "Eurropa".
Cquote1.png JaH fOixx MiNhaxXx! Cquote2.png
Adolph Hitler sobre europa central.
Cquote1.png Oui! Minha também! Cquote2.png
Napoleão Bonaparte sobre europa central.

Europa Central é o miolo da Europa, uma parte constantemente ignorada do continente por não feder nem cheirar, afinal não é a parte endinheirada, nem aquela onde eles assam crianças nos churrascos da laje. Um fato marcante dessa região europeia é a alta concentração de montanhas esquiáveis, aquecendo a indústria do turismo sexual dos países da região.

Índice

Localizando no mapa Google EarthEditar

 
Não há cangurus na região.

A Europa central como o próprio nome insinua está localizada na parte central do continente europeu. Para encontrá-la é só ir no mapa-múndi achar a Europa e por o seu dedo gordo e sujo bem no meio do você sabe o que. Assim você terá achado a Europa central.

Falando mais sobre a localização, no ponto onde se encontra a bela europa central, como já foi dito há incríveis construções naturais ou não, que servem de pontos turísticos, tais como aquela infinidade de montanhas geladas, inóspitas e com um tom branco sem graça em que os ricos ficam se exibindo com tábuas nos pés, isso antes de se esborracharem no chão. Ainda existem os antigos campos de concentração nazistas que recebem muitas visitas, afinal todos tem seu lado sádico e querem ver o quanto os judeus e russos sofreram por lá. No meio disso ainda poder-se-ão ver os resquíscios do império soviético sobre os países da cortina de ferro, só é aconselhável prestar atenção onde se pisa, afinal ninguém quer pegar tétano se cortando num Lada de 1900 e bolinha.

 
Casinha de um morador da região.

Países da regiãoEditar

São divididos em duas partes distintamente separadas. Os países alpinos, aqueles cuja dieta dos habitantes é baseada naquele chocolatinho pequeno e redondinho da Nestlé e o outro grupo de países é o "Grupo de Viségrad", chamado, também, de V4, que mais parece ser o nome de um celular da Motorola, esse grupo surgiu num acordo entre os membros em 1300 e lá vai pedrada, mas isso é uma coisa que absolutamente ninguém se importa.

Países AlpinosEditar

 Ver artigo principal: Alemanha.
  Os próprios habitantes ficam confusos quanto a classificação do país, se é da Europa Ocidental ou central, mesmo com o Stálin gritando do túmulo aos 4 ventos que a   Alemanha ser do leste  , mas isso é um caso a ser discutido nos entediantes foruns da Wikipedia ou na seção de curiosidades da revista Capricho.

Tudo bem, afinal os alemães sem ligar para isso vão sobrevivendo fabricando carros caros e nada ecológicos, o que deixa os ecochatos do greenpeace verdes de raiva. Também convém ressaltar que a indústria alimentícia vai de vento em popa com a exportação de salsichão e repolho azedo para as colônias ultramarinas, como os Estados Unidos do Sul. O turismo é muito desenvolvido também, com milhares de sáicos cultuando os resquíscios da 2ª Guerra Mundial.

 Ver artigo principal: Áustria.
  Outro país que acha que faz parte da região ocidental da Europa, mas nesse caso específico merecia mesmo era ficar na parte mais insignificante do continente, emgeral a população se considera quase alemã, fato esse rechaçado peo pessoal rico do norte, dizendo que nunca viram mais gordos.

Toda a economia austríaca é baseada na exportação de grandes pessoas para a Alemanha, músicos, cientistas e, até, ditadores emos com um bigodinho ridículo, o turismo é muito importante na região, eles cobram um bom dinheiro dos habitantes para que eles possam fugir do país em direção a um lugar melhor.

 Ver artigo principal: Liechtenstein.
  Um reinado no meio do continente que é ignorado por todos ao seu redor, ninguém lembra sequer da existência dele, mas até possui uma seleção de futebol própria e o mais incrível possui até um governo próprio com direito a governante súditos e é tudo bem sucedido, como diria Edir Macedo:   Pequenas igrejas, grandes negócios  

A economia inteira baseia-se naquele estilo feudal dos servos sustentando a gorda nobreza que apenas come dorme e coça o saco.

 Ver artigo principal: Suíça.
  A Suíça, na verdade, é neutra quanto a essa posição no continente, eles preferem que não haja discussão quanto a isso, o mais interessante é que eles realmente estão no centro, centro do continente, centro na política, há quem diga que na verdade os suíços são radicais de centro.

Toda a economia do país está resumida a abrigar os diversos dólares enviados para lá por políticos honestos, muitas vezes, brasileiros. Com esse dinheiro os bancos de lá crescem, junto com a renda per capita do pessoal dos Alpes.

Grupo de VisegrádEditar

 Ver artigo principal: Hungria.
  A Hungria é um dos integrante do internacionalmente desconhecidos Grupo de Visegrád, é um daqueles paisinhos que faziam parte do bloco comunista que foi abaixo após a glasnost e a perestroika daquele tal de Gorbatchev, ou seja lá como se escreve, pois no final das contas ninguém mais liga para Hungria.

Toda a economia húngara sobrevive à base da venda das camisetas do Ferenc Puskas, na época em que ele ainda estava jogando no Real Madrid, isso em 1900 e bolinha. Outra coisa que estímula a economia local é o tráfico de gatinhos e de prostitutas para o lado desenvolvido do continente, afinal o futebol deixou de ser tão lucrativo.

 Ver artigo principal: Polônia.
  A Polônia é mais um integrante sem nenhuma expressão internacional do incrível V4. É um país constantemente invadido seja pelo salsichão alemão ou pelo bigodão dos russos, até mesmo belo exército das bananas acrianas, mas isso não vem ao caso, já que a população nem repara nisso, já que eles passam o dia inteiro na frente do computador jogando Tibia.

A economia polonesa não é muito variada, resume-se a venda de contas de Tibia, todo polonês evolui seu bichinho com o único propósito de vendê-lo, o que é incentivado pelo governo, que somente assim traz divisas para o país.

 Ver artigo principal: República Checa.
  A República Checa é o melhor país disparado da região, a menos que você goste de salsichões alemães te encostando no Muro de Berlim. O país tem as mais variadas paisagens, desde aquelas mais branquinhas até as floridas, a população de um modo geral é hospitaleira e se abrem da forma mais natural possível.

A economia checa é bem ativa, principalmente na produção dos mais diversos tipos de vibradores imagináveis, grandes, tortos, de animais distintos, musicais, tudo o que você mais gostaria de usar. O resto do PIB provem dos turistas que vão ao país praticar o turismo sexual.

 Ver artigo principal: Eslováquia.
  Eslováquia é o país mais pobre desse V4 e, também, o mais sanguinário, os habitantes de uma forma geral, diferentemente dos vizinhos checos, são baixinhos, feiosos e fedorentos, assim como você, sendo assim são todos complexados e com tendências psicopatas, marcas da sociedade eslovaca.

A economia é inteira baseada na venda de órgãos de pessoas e na venda da morte de forma sádica das mesmas, assim como é retratado no verídico documentário O Albergue, rodado nas precárias instalações desse país que fica na parte mais esquecida do continente europeu.

Os únicos turistas na Eslováquia são os que estão visitando a Áustria mas decidiram ir para o outro país porque as capitais ficam a 5 minutos de distância.

Ver tambémEditar