Abrir menu principal

Desciclopédia β

Exclusão digital

(Redirecionado de Exclusão Digital)
NovoWikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Exclusão digital.
Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!

Se você não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.

E se se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!


Exclusão digital é mais uma desgraça social brasileira provocada por uma série de elementos, dentre esses elementos estão os representantes dessa maquina publica ineficiente em parceria de empresários que conhecem muito bem a dinâmica dessa incompetência. Na lista de incompetentes ou exploradores dela estão: Lula, Ricardo Knoepfelmacher, Luis Cosio, Chico Leite e os promotores do Ministério Público, que destruíram a internet no Brasil de tal modo que só serve para usar o Orkut, MSN e as besteiras do gênero, excluindo assim as pessoas inteligentes do uso da internet sem dores de cabeça.

HistóriaEditar

As pessoas inteligentes aqui no Brasil já não podem fazer suas coisas produtivas e criativas sem a interferência do Traffic Shaping ou da incerteza da velocidade real contratada naquele .


Abertura de reclamação no atendimento 133 da Anatel

Cliente diz: Quero reclamar da diferença entre a velocidade contratada e a recebida.

Como o atendente idiota entendeu e registra: O cliente reclama que o sinal está oscilando.

Como a reclamação chega na operadora: O cliente reclama que não tem internet.

Como o protocolo é encerrado (Pela fadinha do protocolo): O cliente foi informado do procedimento.

Como ficará o relatório da Ouvidoria da Anatel? visto que a mesma não recebe reclamações diretamente, mas faz isso através dos registros do 133.


Conversa com o técnico da Telemont

Cliente: Então porque da diferença entre a velocidade contratada e a recebida?

Técnico da Telemont: Então você não sabia que nós so garantimos (10)dez porcento.

Cliente: Não eu não sabia, esta no contrato?

Técnico da Telemont: Contrato pra que. Ta vendo aqui o seu Rate(Kbps) = 4092, então estou conseguindo fazer download no serpro a 400KBytes por segundo, esta dentro dos 10(dez) porcento.

Cliente: Quando foi que você fez a conversão bits para bytes? Que calculo é esse você esta drogado?

Técnico da Telemont: Bits e bytes, o que é isso?



Conversa com o Ministério Público

Pessoas Inteligentes: Na minha conexão de 2Mbits/s em qualquer dia ou horário do ano eu consigo um pico de 50% dos 2Mbits/s e uma média bem inferior.

Idiota do Ministério Público 1: Isso é perfeitamente aceitável. A sua operadora entrega na sua porta do DSLAM 2Mbits/s, mas com a distância até sua residência e o cabeamento velho acontecem erros na comunicação, contabilizando os erros você acaba perdendo 50% ou mais.

Pessoas Inteligentes: Mas porque a operadora não entrega na porta o DSLAM mais 50% para compensar a distancia e a taxa de erros? Ou porque ela não faz à cobrança proporcional a velocidade final? Ou porque ela simplesmente não cita que depende da porcaria da distância? Ou porque além de não bastar a queda de velocidade por causa da qualidade da linha, ela ainda realiza práticas que concedem privilégios ao trafego de um ou outro serviço? E outra, porque posso contratar 4Mbits/s aqui, o que me daria uma taxa real de mais que 2Mbits/s e não posso usufruir de 2Mbits/s quando pago por ele?

Idiota do Ministério Público 1: Ah..., é..., bom..., esqueci de perguntar.

Pessoas Inteligentes: Em outros países do mundo ocorre que na própria propaganda inclusa no site é mencionado que a velocidade também dependerá da distância. No meio técnico isso também é conhecido com relação ao ADSL. Mas a operadora nunca citou em qualquer meio esse detalhe para nós.

Idiota do Ministério Público 1: É eu concordo que deveria haver menor transparência por parte da operadora.

Pessoas Inteligentes: O Ministério não fará nada a respeito?

Idiota do Ministério Público 1: Não, afinal de contas o meu salário de promotor já esta garantido e se você for ofensivo comigo, vai preso por desacato.


Conversa no Procon (La no Na Hora):

Contribuinte: É correto a BrasilTelecom cobrar por internet e telefone um valor x, mas quando eu opto por ter somente internet ela passar a me cobrar um valor 3x?

Atendente idiota: Más você tem que ter telefone pra ter internet.

Contribuinte: Não, não tem, a Anatel entende que se um serviço pode ser oferecido separadamente ele não pode ser vinculado a outro.

Atendente idiota: Mas...

Contribuinte: Não, não precisa você esta sendo condescendente.

Atendente idiota: “Me respeita rapaz, você pensa que ta falando com quem? eu sou advogado.” (o imbecil não tinha nem feito a prova da OAB ainda, estava por terminar o último semestre e cantava de galo).


Conversa com a Anatel no final de 2008

Contribuinte: Esta correto a Brasil Telecom cobrar por internet e telefone um valor x, mas, quando eu escolho ter somente internet a mesma me passa a cobrar o valor 3x?

Atendente burra da Anatel: Senhor, o Senhor precisa de telefone pra ter internet.

Contribuinte falando agora com a ouvidoria da Anatel: Quero reclamar do atendente que esta me passando uma informação incorreta fazendo-me acreditar que preciso de telefone para ter internet.

Ouvidoria da Anatel: Eu tenho que te passar para outro setor, pois, a ouvidoria só atende reclamações contra a atuação da Anatel no Brasil.

Contribuinte de saco cheio agora explica o fato para o outro setor...

O outro setor: É senhor desculpe pela nossa falha temos que treinar mais de duzentos funcionários e pode ser que quando alguém fizer a mesma pergunta ainda possa haver a resposta errada.


Outra conversa com o Ministério Público

Contribuinte: Imagine você indo até uma locadora de veículos, você assina a papelada toda e na hora de pegar o seu carro percebe que não tem a chave, quando vai solicitar a chave, a atendente lhe diz que você precisa ir até a outra empresa ao lado e alugar uma chave pra poder então sair dirigindo. Essa é uma analogia com os serviços de internet do Brasil, pois é exatamente isso que os consumidores aqui estão fazendo. O consumidor de internet no Brasil, contrata os serviços de uma operadora, também chamada de ISP. Essa operadora é de fato o fornecedor de internet, mas, além de tudo temos que contratar uma coisa chamada de provedor que é o equivalente a uma chave de partida dentro da operadora, sem a qual não podemos navegar na internet. Esse caso ja foi ganho no ministério público de Sâo Paulo contra a Speed.

Obs: Depois perdemos novamente, pois, no Brasil para as coisas funcionarem corretamente só depois de algumas bombas nucleares bem posicionadas. Até pra acerta o filho da puta aqui é mais complicado.

Imbecil do Ministério Público 2: Entendo..., mas o seu caso não trará notoriedade ao Ministério Público(No portugues normal: essa bosta não fedeu o quanto deveria feder). Não temos um número alto de reclamantes.

Contribuinte: Mas você esta julgando um caso pela correção ou pela moda?

Imbecil do Mínistério Público 2: Pela moda é claro, o Ministério Público é a menina dos olhos do governo e precisa aparecer nos jornais. Ou trazer notoriedade a algum deputado através de sua reclamação.

Organizações criminosasEditar

www.abusar.orgEditar

Produto: Mentiras;

Pecados e crimes: Mentiras e formação de quadrilha;

Técnica comercial: Afiliado da maior organização criminosa do Brasil, o governo federal, é uma entidade de faixada que tenta aliviar os animos do consumidor brasileiro, em contra partida, não existe efeito algum contra a desgraça que o consumidor brasileiro tem sido vítima.

ProtesteEditar

Produto: Mentiras;

Pecados e crimes: Mentiras e formação de quadrilha;

Técnia comercial: Uma variação do abusar.org, essa instituição faz-se passar por utilidade pública. Más trata-se de uma entidade inutil cuja as fantasias que tenta vender nunca se tornarão realidade na miséria desse país.


Coca-ColaEditar

Produto: Coca-Cola um subproduto retirado gratuitamente no tratamento de esgotos;

Pecados e crimes: Usura, crime contra a saúde pública;

Técnica comercial: Vender um lixo qualquer, subproduto do tratamento esgotos, para todo o universo, vender até para os mendigos, fazer comercial e usar mensagens subliminares e os fazer acreditarem que isso é demais, é da hora é chique. Combina perfeitamente com os incluídos digitais falando no MSN e bebendo subproduto de esgoto.

MCDonaldEditar

Produto: BigMac e badulaques super divertidos do MC Lanche Feliz;

Pecados e crimes: Usura, crime contra a saúde pública;

Técnica comercial: Usar carne de rato, e outros itens sem valor de mercado ou nutricional. Atendimento em ambiente emo. Marketing pesado fazendo acreditar que é da hora, é chique é demais consumir essa porcaria.

UOL, provedor de provedor de InternetEditar

Produto: Na verdade não tem produto algum;

Pecados e crimes: Usura, formação de quadrilha;

Técnica comercial: Vendedor que toma os produtos dos outros como seu, trabalha com varejo e consignação. Entrou no mercado como afiliado de uma organização criminosa maior, a Anatel.

Justiça brasileiraEditar

Produto: Incompetência;

Pecados e crimes que não cometeram: nenhum até o momento;

Contribuição para a exclusão digital: Ser conivente com a ideia de provedor de provedor, negar o direto de contratar e usar. Aceitar a pobreza de conteúdos dos provedores de provedores. Insultar o consumidor brasileiro. Quando se menospreza a inteligência das pessoas faz-se um culto a ignorância, pois, nela algo espera.

AnatelEditar

Produto: É o administrador das comunicações da maior organização criminosa do Brasil, o Governo Federal;

Pecados e crimes: Emo, formação de quadrilha;

Contribuição para a exclusão digital: na passagem da internet discada para a internet banda larga, continuou com o absurdo de manter a entidade: “provedor de internet” (Não confundir com ISP, ou melhor, é a Anatel que não deve confundir com autenticador ou provedor com ISP, ou sei lá a merda que eles fizeram). Entender que internet é um serviço de valor agregado e não um serviço essencial. Pasmem mas no Brasil a internet não é um serviço essencial. E sempre fez vista grossa na fiscalização. Esta sempre presente quando o assunto é cobrar taxas para regularizar um serviço de telecomunicações.

Absurdos que o consumidor tem que engolir:

1º Reclamar contra informações incorretas que foram passadas na central de atendimento da Anatel não é reclamar contra a atuação da Anatel no Brasil.

Governo FederalEditar

Produto: Ignorância e Pizza;

Pecados e crimes que não cometeram: nenhum até o momento;

Contribuição para a exclusão digital: Destinar somente 4% do PIB para educação e afiliar-se com outras organizações criminosas dos setores de telecomunicações. Como não é um serviço essencial então não tem redução de alíquota, esse é o pagamento das suas associadas.

Brasil Telecom OI de novoEditar

Produto: Internet;

Pecados e crimes que não cometeram: nenhum até o momento;

Técnica comercial: Usar equipamentos que o resto do mundo já deixou de usar, assim comprando eles com preço em conta. Uso descarado de propaganda enganosa. Deixar o custo do treinamento do seu setor de telemarketing por conta do Procon (Mais uma mala sem alça) e da paciência do consumidor. Usar a tabela internacional de valores cobrados pela internet acrescentar 100% e oferecer apenas 20% da velocidade. Umas das técnicas usadas entre quadrilhas para disfarçar, Governo Federal e Brasil Telecom são: realizar audiências públicas, onde, o Governo Coloca o que todo mundo já sabe e a Brasil Telecom reclama do imposto.

Absurdos que o consumidor tem que engolir:

1º Quando você contrata um plano pluri, eles pedem para cadastrar tres números de celulares você pergunta ao atendente se pode cadastra-los depois, o atendente simplesmente diz que pode. Quando você vai cadastra-los posteriormente o novo atendente diz que será cobrado cinco reais para cada número a ser cadastrado.

2º Você simplesmente pergunta qual é o número da ouvidoria e nenhum atendente sabe qual é. Detalhe, nem o Procon sabe qual é o número da ouvidoria.

Internet 3GEditar

A internet 3G no Brasil, tornou-se um mito que representa o pior que se pode fazer no universo com relação à prestação desse serviço. Por outro lado temos outro mito, o Saci criado pela maquina pública brasileira, que representa o pior que se pode fazer no universo com relação à prestação de serviços ao contribuinte, a descamorozidade (A mistura de descaso e morosidade).

DenúnciasEditar

  • Brasil Telecom OI de novo oferece 3G mas na verdade fornece GPRS para minimodems. A internet sob GPRS é uma carniça e só é aproveitado em celulares carniça, ou aplicações especificas como automação, a partir dos SmartPhones passa a haver demandas de recursos inexistentes na rede GPRS. Agora imagine esse cenário em um computador. Consumidores comums não tem instrumentos para se defender contra isso, Ministério Público e a Anatel são entidades inuteis, viva ao terrorismo - o novo estado.

Outras observaçõesEditar

2Mbits/s reais - essa velocidade é o mínimo que alguém deve ter em sua casa para poder usufruir de todos os serviços da internet sem sofrimentos (Lembre-se que na internet não existe só Orkut e Messenger). Serviços como: execução de seus vídeos online em tempo tolerável, terem a liberdade de fazer o download de arquivos no tamanho que desejarem sem prejuízos ao seu serviço VOIP, acessarem a intranet da empresa em que trabalha acessar os recursos do terminal services, fazerem a sua vídeo conferência, observarem a babá através da câmera IP dentre tantas outras coisas que podem ser feitas. Se 2Mbits/s é o mínimo, qualquer pratica por parte da operadora que subtraia qualquer valor de nós estará penalizando as pessoas inteligentes nas sua atividades produtivas e criativas. Na maneira que se encontra a internet só presta mesmo para os incluídos digitais que só sabem usar Orkut e Messenger.

Outros setores excluídosEditar

Um seguimento do mercado que acaba sendo excluído por causa da péssima qualidade dos serviços de internet do Brasil é o setor de TV Online, que é um setor muito tímido por causa dessas limitações. A TokTV, por exemplo, tem uma boa programação incluindo séries de TV. A interação com servidores de outros países também é prejudicada por causa dos pings altos entre o backbone do Brasil e o backbone de outros países. As taxas de Uploads muito baixas podem atrapalhar o monitoramento remoto da sua babá ou da sua padaria, o uso de serviços VOIP, a comunicação entre banco de dados de empresas e setores públicos, além das empresas que oferecem backup online. Também inibe o desenvolvimento de aplicações web e uso de conceitos RIA. Favorece também a pirataria, pois, a pirataria só existe por causa da possiblidade do cracker, com aplicações web não existe possibilidade de cracker e consequentemente a pirataria também não.

Propaganda EnganosaEditar

Propaganda enganosa de Internet no Brasil.

A propaganda de internet 3G no Brasil esta usando os mesmos moldes da propaganda de internet ADSL. O problema é que trata-se de produtos bem diferentes em qualidade.

Nada vai mudar enquanto o descaso das autoridades persistir.







Mensagens implícitasEditar

Uma mulher convida você pra beber;

  • Mensagem implícita: Ela quer transar com você.

Um colega convida você pra beber;

  • Mensagem implícita: Ele é gay.

Um atendente do Procon diz: "Nós somos um orgão administrativo";

  • Mensagem implícita: Se fudeu seu caso está perdido.

O Ministério Público diz que vai mandar uma carta para a empresa e tentar uma conciliação;

  • Mensagem implícita: Se fudeu seu caso está perdido.

Você faz uma reclamação em um jornal local e ele diz que suas informações precisam ser contudentes;

  • Mensagem implícita: Essa não é uma noticia pra pobre.

Você faz uma reclamação em um jornal de nível nacional e ele diz que suas informações precisam ser contudentes;

  • Mensagem implícita: Essa não é uma noticia pra gente burra.

Guia do consumidor inteligenteEditar

O provedor diz oferecer 3 e-mails de 1GB por esse plano...Editar

Como responder: Eu não quero pagar por e-mails você ta louco, os melhores e-mails são gratuitos.

O provedor diz que só ele é 100% banda larga...Editar

Como responder: Desafie o atendente a explicar o que isso significa ou se isso tem alguma Importância.

O provedor oferece a você um plano com antivirus.Editar

Como responder: Eu não sou nenhum hipócrita que usa Windows pirata e antivírus original, além do mais eu tenho muitas opões de antivírus gratuitos e não uso usuarios administrativos do Windows.

O provedor oferece a você um plano que da a você acesso ao Cartoon NetworkEditar

Como responder: Porque eu deveria pagar só pelo Cartoon Network quando eu poderia pagar pela SKY pré-pago com 80 canais?

O provedor diz que o valor adicional cobrado é por causa do suporte do provedorEditar

Como responder: Suporte ao usuário é uma função que todo o provedor tem obrigação para com o usuário de acordo com a propria Anatel que não é poder legislativo aqui no Brasil porém consegue autorizar operações casadas contrariando a legislação atual.

"Ao contratar um serviço de acesso à internet, há a necessidade de se contratar não apenas o provimento de SCI, mas também um prestador de serviços de telecomunicações que lhe dê suporte. O usuário do serviço de telecomunicações tem a opção de contratar o provedor de serviço de conexão à internet da própria prestadora ou outro que seja por ela habilitado."(retirado do site da Anatel:http://www.Anatel.gov.br/Portal/exibirPortalInternet.do)

QuizEditar

Qual objeto a seguir tem a chave mais cara?Editar

a) A chave de um micro AT.

b) A chave do guarda roupas.

c) A chave de casa.

d) A chave de uma Blazer.

e) A chave de Internet(que no Brasil não sei porque chamam de provedor ou chamam de Internet).

Resposta: Alternativa "e", é a alternativa correta.

Explicação: Os objetos dos items de a a d são adquiridos junto com a chave. Você compra uma Blazer e ganha a chave para sair dirigindo. No Brasil contrata-se Internet em uma empresa e aluga-se as chaves separadamente em outra empresa(Exemplo contrata-se a Internet da Brasil Telecom OI de novo, e a chave que é o e-mail e senha do provedor da UOL). Para os viajantes: no Brasil você contrata internet mas não pode sair usando porque não vem com a chave de partida. Deixa eu explicar de outro jeito: Nós brasileiros, uns bando de antas alugamos legalmente um produto sem o direito de usar.


Ver tambémEditar