Abrir menu principal

Desciclopédia β

Exodus (banda)

Passarinho.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!


Exodus (banda)
Exodus-band.jpg
Nós te amamos!
Origem Ceará
País Quinto dos Infernos
Período Anos 80 até o presente
Gênero(s) Axé, Blackened Thrash Metal e Blues
Gravadora(s) Taverna do Moe Records
Integrante(s) Zezinho, Manuelzinho, Juninho e Joãozinho
Ex-integrante(s) Cid Moreira e Sílvio Santos
Site oficial Whiplash.NET
Gary dando uma aquecida pro pós-show com seus companheiros de banda.

Cquote1.png Ah, sei, é sobre aquele livro que fala de Moisés, né? Cquote2.png
Crente sobre Exodus.

Cquote1.png O som deles é muito leve para os nossos padrões Cquote2.png
Slayer sobre Exodus.

Cquote1.png Eu pensei que a banda ia acabar sem mim, mas eles não me amavam, tanto assim. Cquote2.png
Quiquinho Hamlet

Cquote1.png Metal, cara! Cquote2.png
Headbanger sobre Exodus.

Cquote1.png O louco, meu! O som dos caras é da pesada! Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre Exodus.

Cquote1.png Orgulho do papai! Cquote2.png
Deus Metal sobre Exodus.

Cquote1.png Isso é música do capeta! Fiéis, deem o dízimo para combatermos essa blasfêmia! Cquote2.png
Roubar mais cedo sobre Exodus.

Cquote1.png Ensinei tudo que eles sabem hoje! Cquote2.png
Lemmy Kilmister sobre Exodus

Cquote1.png E eu criei eles com todo carinho do mundo, portanto sou melhor que você! Cquote2.png
Pai deles sobre citação acima

Cquote1.png Que barulheira infernal!!!!, desliga isso, menino!!!! Cquote2.png
Sua Mãe sobre Exodus

Cquote1.png Vamos ter que exorcizar-lo, infelizmente... Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Você escutar Exodus

Cquote1.png When you die, you go to hell, and live, forevermore... Cquote2.png
Strike of the Beast sobre Seu Glorioso destino!

Exodus é uma banda de Thrash Metal From Hell dos States

Índice

Como surgiu...Editar

Na época de escola, Paulo Balofo, Gary Holt, Kirk Hammett e outros dois caras que não interessam, estavam entediados com os estudos, até que Balofo teve a ideia: vamos criar uma banda de Metal pra xingar os professores, ganhar dinheiro e pegar mulher! Os outros membros logo de início, aceitaram a ideia, porque afinal sonhavam em ser ricos. Na hora da escolha do nome da banda, Gary sugeriu: "o livro da bíblia, Êxodo, é legal, porque assim como Moisés abriu o Mar Vermelho a gente vai abrir as pernas das groupies!" embora o mais próximo de mulher que eles tenham conseguido terem sido os membros do Slayer,que ainda sim conseguiram suprir a necessidade deles.

Então vamos fazer Metal, caralho!Editar

Depois que eles pararam de tocarem as panelas e vassouras e pegaram instrumentos de verdade, começaram a ter alguns problemas. Porque a escola não queria que um bando de adolescentes gordos, com aparência de nerds e que faziam música do Mal fizessem shows na quadra. A banda mandou todo mundo tomar no cu, e começou a fazer shows em barzinhos. Paulo Balofo aproveitava pra encher a cara, cansado das bebedeiras de Balofo, Kirk sai da banda em 83 após gravar uma única demo com o Exodus, para entrar na lendária Metallica O que foi bom para o seu cofrinho (todos os dois). Rapidamente, Balofo e Gary arrumaram outro jovem para assumir a guitarra. Depois de algum tempo tocando em bares, a banda lançou a demo Whipping Queen and Death and Domination em 1982, que falava sobre rainhas como Elizabeth e Cleópatra. Após isso, a banda engrenou e um empresário chamou o Exodus para uma gravadora, a Mortal Kombat Records.

Vivendo adoidado e sem limitesEditar

Com o primeiro álbum Bonded by Blood do qual falarei depois, o Exodus explodiu no cenário Thrash, ficando ao lado dos quatro grandes no estilo. A banda se divertia quase toda noite jogando xadrez, dominó e com jogos educativos. Foi assim o tempo todo até o Balofo sair da banda, e entrar outro gordo: Steve "Zetro" Souza, que lançou quatro álbuns com a banda, até entrar um terceiro gordo: Rob Dukes.

 
Exodus em começo de carreira com os miguxos do Metallica.

ÁlbunsEditar

Bonded by BloodEditar

 
  Aprovado!  
Deus Metal

Lançado em 1985, é sem dúvida um dos melhores álbuns de Thrash da história, nele se fala o quão forte pode ser a relação entre irmãos.

  1. Bonded by Blood - Hino dos Thrashers, que equivale a Whiplash do Metallica. A letra fala de apesar de todas as brigas, todos os tipos de metaleiros são unidos pelo sangue.
  2. Exodus - a banda fala dela mesma.
  3. And Then There Were None - Fala da experiência da banda em um deserto.
  4. A Lesson in Violence - Fala dos tempos que Osama Bin Laden era professor da banda e os ensinou valorosas lições.
  5. Metal Command - Diz para as bandas de Glam Metal que quem manda nessa porra são eles!
  6. Piranha - como estava faltando assunto decidiram falar sobre alguém muito conhecida e experiente em certos assuntos.
  7. No Love - Fala sobre o que a banda sente por você.
  8. Deliver Us to Evil - A banda espera um dia se encontrar com seu verdadeiro pai.
  9. Strike of the Beast - É uma versão mais pesada que aquela outra música. Só que nesse caso a besta é uma velha bem mal-comida.

Pleasures of the FleshEditar

 
  Esses rapazes e essas caveiras, estão muito fora de moda, que horror!  
Clodovil Hernandes

Lançado vem 1987, o álbum marca a saída de Paulo Balofo da banda, porque ele bebia pra caralho. Antes de sair, Balofo participou de um churrasco com o Exodus, e falou: "Eu amo os prazeres da carne!". Holt gostou e pôs isso como nome do álbum, após isso, o Exodus deu um pé na bunda em Balofo, e Steve "Zetro" Souza entra na banda.

  1. Deranged - Não escutei a música, então não sei do que se trata.
  2. Till Death Do Us Part - Fala do desejo da banda para você.
  3. Parasite - Fala que se houvesse uma infestação mundial de parasitas, você iria para um lugar bem melhor!
  4. Brain Dead - Olha só! O Exodus fez uma música pra você!.
  5. Faster Than You'll Ever Live to Be - Fala da sensação de se andar em um trem bala.
  6. Pleasures of the Flesh - Fala sobre os deliciosos prazeres da carne!.
  7. Thirty Seconds - Não é sobre aquela bandinha que você gosta não, seu fresco! Na verdade, a música fala do tempo que você demora pra chegar lá.
  8. Seeds of Hate - Fala o quanto a banda odeia um estilo rival: o Forró Metal!
  9. Chemi-Kill - Diz que os integrantes da banda preferem uma morte química, porque não estraga o velório.
  10. Choose Your Weapon - Vamos lá, escolha sua arma!. Não adianta

nada você vai morrer do mesmo jeito.

Fabulous DisasterEditar

  Isso é um grande paradoxo, bando de burros!  
Nerd sobre Fabulous Disaster

  Quem é você pra falar da gente?  
Gary Holt sobre idiota acima.

  Desculpa, moço!  
Nerd quase se mijando

 
A banda rindo e se assustando ao ver sua mãe nua.
 
O feliz lugar que inspirou o Fabulous Disaster

Lançado em 1988, Fabulous Disaster fala sobre a visão do Exodus sobre o que aconteceu naquela cidadezinha em 1984. "Foi ruim, mas ao mesmo tempo fabuloso!", dizia Holt. Esse álbum não vendeu nenhuma cópia na União Soviética.

  1. The Last Act of Defiance - A música é um grande discurso sobre velhice e coisas relacionadas.
  2. Fabulous Disaster - Fala sobre o já citado desastre.
  3. Toxic Waltz- Dança tóxica, aquela que mata a quem dança. (O RLY?)
  4. Low Rider (cover do War) - piloto lento.
  5. Cajun Hell - Inferno na terra de Caju e Castanha.
  6. Like Father, Like Son - Tal Zezé di Camargo, tal Wanessa, ou não.
  7. Corruption- Fala do passeio da banda a Brasília.
  8. Verbal Razors (Navalhas Verbais) - Fala sobre as lindas palavras que saem da boca da diva desse site.
  9. Open Seasons - Música para comemorar o verão.
  10. Overdose (cover do AC/DC) - Música "boa"!

Impact is ImminentEditar

Lançado em 1990, o título do álbum foi escolhido da seguinte maneira. Gary estava dirigindo com Souza, até que Souza viu um carro indo de encontro com um poste, e disse: "Nossa! O impacto deve ser iminente!". Deu no que deu.

  1. Impact is Imminent - Fala da história, em questão.
  2. A.W.O.L - Acrônimo de: "Aí, Wallace, Onde Liga?" Wallace seria o roadie da banda, ajudando a enfiar o cabo em... deixa pra lá.
  3. The Lunatic Parade - Essa parada deve acontecer em algum manicômio.
  4. Within the Walls of Chaos - Fala do desejo de Holt de poder ter entrado no Muro de Berlim.
  5. Objection Overruled - Alguém, entendeu o título?
  6. Only Death Decides - Só a morte decide pra onde você vai.
  7. Heads They Win - WTF?
  8. Changing of the Guard - Mudança de guarda.
  9. Thrash Under Pressure - Fala o que aconteceu com algumas bandas de Glam que fingiram ser Thrash por causa de modismos.

Force of HabitEditar

 
Se for um pássaro pode ser ele.

Lançado em 1992, o álbum fala da sua irmã, que deu uma vez e agora dá mais ainda, por força do hábito.

  1. Thorn in My Side - "Espinho ao meu lado". Fala sobre uma visita da banda a um deserto qualquer.
  2. Me, Myself and I - (Mas não é tudo a mesma coisa?) Gary Holt quando perguntado sobre quem seria o líder da banda .
  3. Force of Habit - Fala que quando o Exodus vai a um shopping, eles ficam igual mulheres consumistas.
  4. Bitch (cover) - Sua mãe de novo aqui!
  5. Fuel for the Fire - Música sobre gasolina.
  6. One Foot in the Grave - Um pé na cova. No caso de uma centopeia, ainda tá meio longe do fim.
  7. Count Your Blessings - Conte suas bênçãos. Se tiver alguma, claro.
  8. Climb Before the Fall - Antes de cair, certifique-se de ter escalado um lugar alto (?).
  9. Architect of Pain - Sem dúvida, não se sabe o que é isso.
  10. When Its Rain Its Pours
  11. Good Day to Die - Normalmente, é quando se está velhinho.
  12. Pump It Up - Um cover.
  13. Feeding Time At the Zoo - Zoo na verdade é outro lugar.

Tempo of the DamnedEditar

 
A banda chamou Stevie Wonder para tocar no álbum.

Lançado em 2004, é o penúltimo álbum em que Steve Souza participa, ele teria deixado a banda para participar do "Medida Certa". Mas antes disso, ele visitou com seus namorados a boate chamada "Tempo Of the Damned".

  1. Scar Splanged Banner - É um nome de uma dança sensual feita para o baixista da banda, por uma dançarina da boate. Relatos dizem que ele não aguentou e ejaculou na perna da menina.
  2. War Is My Shepherd - Algumas dançarinas estavam fantasiadas de pastoras, e Souza declarou "guerra" a elas.
  3. Blacklist - Era a lista de dançarinas mulatas.
  4. Shroud of Urine - Depois de sair da boate, o baterista mijou em um mendigo só de sacanagem.
  5. Forward March - Foi a marcha dos caras para os quartos das meninas que ficam no alto da bote.
  6. Culling the Herd - Como as meninas estavam como pastoras, elas iam "separar o rebanho" (os caras do Exodus) de acordo com a "lã".
  7. Sealed With a Fist - Souza teria levado um soco de Holt por ter roubado o bofe amigo dele. E em protesto, Souza escreveu essa música.
  8. Throwing Down - Essa música fala que eles jogaram fora o que usaram.
  9. Impaler - Um apelido dado a Gary Holt por seu amigo Jeff Hanneman do Slayer .
  10. Tempo of the Damned - Depois de se divertirem muito na boate, o mínimo que eles podiam fazer era escrever uma música sobre ela, certo?

Shovel Headed Kill MachineEditar

 
Morte a tudo e a todos!

Lançado em 2005, esse álbum marca a saída do vocalista, baterista e segundo guitarrista do Exodus. No lugar deles, ficaram Rob Dukes, Paul Bostaph e Lee Altus. A sonoridade ficou ainda mais "brutal", e o novo vocalista era muito mais insano que o Zetro. O título vem de um sonho de Gary, que imaginou que um monstro de cabeça de pá destruía Nova York.

  1. Raze - Como uma boa banda de True Metal, o Exodus deixa um rastro de destruição por onde passou.
  2. Deathamphentamine - Música dedicada a todo filhinho de papai que gosta de uma baladinha ou festa rave.
  3. Karma's Messenger - Toda sogra em potencial é uma mensageira de Karma para seus genros (o pior é que as infames sabem entregar a encomenda direitinho).
  4. Shutter to Think - Fala do medo da banda de um dia passar para o Lado Rosa da Força.
  5. I Am Abomination - Fala de um dia em que Dukes se olhou no espelho e se achou feio (incrivelmente, foi só nesse dia).
  6. Altered Boy - Fala da adolescência de Holt, onde achavam que ele era um deficiente completo.
  7. Going Going Gone - Fala do quão rápido acaba a cerveja no local onde a banda mora.
  8. Now Thy Death Day Come - Morte aos emos!
  9. .44 Magnum Opus - Fala da única arma que teoricamente mata imortais (ou não).
  10. Shovel Headed Kill Machine - Fala de um novo método de dominação mundial.

The Atrocity Exhibition: Exhibit AEditar

 
  Sinistro!  
Pedro Bial

Lançado em 2007, esse álbum fala de um show do Slayer que a banda foi. Durkes falou: "O show desses caras é uma puta de uma exibição de atrocidade!". O nome soou bem sombrio, e daí nasceu um novo álbum.

  1. A Call to Arms -Uma chamada para os exércitos de Kratos e Leônidas.
  2. Riot Act - Fala da rotina do Rio de Janeiro.
  3. Funeral Hymn - Zé do Caixão pediu uma música em homenagem a ele.
  4. Children of a Worthless God - Falava dos norte-americanos na época que eram liderados por George W. Bush ("deus").
  5. As It Was, As It Soon Shall Be - Como você era, e o que brevemente você vai ser.
  6. The Atrocity Exhibition - É melhor você não saber o que é isso.
  7. Iconoclasm - Como os caras devem ser ateus, eles fizeram essa música contra a religião.

  Pai, perdoa eles, eles não sabem o que dizem!  
Inri Cristo sobre Iconoclasm

8. Garden of Bleeding - Jardim do sangramento. Não me pergunte, que eu não sei onde fica isso!

9. Bedlam - É um nome de um demônio em que Holt deu seu primeiro beijo.

Exhibit B: The Human ConditionEditar

 
  Uma cópia muito mal-feita do homem vitruviano!  
Leonardo Da Vinci

Lançado em 2010, ele fala sobre a condição humana. Nota-se uma influência do Black Metal nos nomes das canções.

  1. The Ballad of Leonard and Charles - Apesar do nome não é uma balada, a música fala sobre um antigo "lance" entre Leonardo e Príncipe Charles.
  2. Beyond the Pale - Fala que por um tempo, Holt já foi gótico e visitava cemitérios só pra ver cadáveres.
  3. Hammer and Life - Fala sobre a mitologia nórdica, em que segundo o martelo de Thor era associado à vida (ou o fim dela).
  4. Class Dismissed - A banda relembra seus tempos de escola, quando todo mundo era da turma do fundão, e quando praticavam o esporte de arremesso de bolinhas de papel.
  5. Downfall - Fala da crescente queda do dólar nos EUA.
  6. March of the Sycophants - Fala das marchas dos mamutes na época das cavernas.
  7. Nanking - Fala sobre o rei Nan. (Não o conhece? Nem eu. Então vá estudar!)
  8. Burn, Hollywood, Burn - Se Hollywood fosse destruída, as pessoas teriam mais tempo pra escutar o Exodus, e não perdendo tempo com filmes.
  9. Democide - Fala sobre uma vez que Holt fez uma visitinha lá em baixo e matou um de seus irmãos com um solo de guitarra na velocidade de 2500 palhetadas por segundo.
  10. The Sun Is My Destroyer - Fala do desejo do baixista, de poder destruir a Argentina com o Sol. (Só que ele esqueceu que a gente vai morrer junto.)
  11. A Perpetual State of Indifference - De novo a banda diz o quanto te ama.
  12. Good Riddance - O Exodus deseja a todos uma boa viagem para a Terra do Metal!

Blood In, Blood OutEditar

 
  Patrocinado pela Umbrella Corporations e Resident Evil!  

Lançado em 2014, esse é o mais novo álbum do Exodus. Rob Durkes virou emo e pediu baixa da banda, o que fez voltar o antigo vocalista: Steve Zetro Souza. Nesse álbum, Souza grita pra caralho canta tåo bem quanto nunca! O álbum canta com a presença ainda de Kirk Hammett e Chuck Billy da banda Testament.

  1. "Black 13" - Uma música feita em homenagem ao personagem Jason
  2. "Blood In, Blood Out" - Fala do problema que médicos enfrentam nas transfusões de sangue.
  3. "Collateral Damage" - Fala da vez que você deu pra um traveco e ficou com o rabo doído e sem poder sentar.
  4. "Salt the Wound" - Coloque sal na ferida e seja feliz! Com um solo de guitarra com o guitarrista do Metallica!
  5. "Body Harvest" - Conta o trabalho duro dos médicos legistas de todo o mundo.
  6. "BTK" - Significa "Bonito, Tesudo e Karalhudo" um apelido que as mulheres me dão. Com participação do índio cantor Chuck Billy.
  7. "Wrapped in the Arms of Rage" - Envolto nos braços do negão. (Ui!)
  8. "My Last Nerve" - Conta a difícil realidade das pessoas que sofrem de impaciência. Também conhecida como síndrome do "cale-se que você me enlouquece!"
  9. "Numb" - Fala que quando a banda foi na Jamaica e conheceram Bob Marley eles ficavam doidões todo o dia.
  10. "Honour Killings" - Se mate e faça um bem pra sociedade! (É inteiramente grátis!)
  11. "Food for the Worms" - E os vermes te comerão todinho! (Principalmente )

IntegrantesEditar

Como o Exodus deve ter tido mais de oito mil integrantes, citaremos só os ex-vocalistas e os integrantes atuais.

Paul Baloff ou gordo número 1Editar

Vocalista original da banda, gravou demos e o primeiro álbum com o Exodus, depois foi chutado. Tinha uma voz grave e profunda. Era muito beberão e sacana. Morreu de derrame em 2002.

 
Baloff dando um oi pra você.

Steve "Zetro" Souza ou gordo número 2Editar

Segundo e atual vocalista da banda. Antes de entrar pro Exodus, fez parte do Testament quando era underground. Tem uma voz mais técnica que Balofo. Gravou cinco álbuns com a banda, e vai lançar o sexto em 2014.

 
Zetro contando uma historinha de ninar.

Rob Dukes ou gordo número 3Editar

Terceiro vocalista da banda, não canta tão bem assim (se eh que canta alguma coisa) ele grita como um macaco trepando (WTF?), mas tem uma atitude de dar inveja a muito vocalista de metal por aí. Gravou 3 álbuns com a banda.

 
Dukes com a cara mais doce que sabe fazer.

Lee AltusEditar

Segundo guitarrista da banda. Veio do Japão para os E.U.A e logo após entrou no Exodus, para não ser preso como imigrante ilegal. (Obs: Ele não tem olhos puxados, porque pertence a uma raça mutante de japoneses.)

 
Lee solando. Não olhe muito, pra você não querer fazer o mesmo, porque nunca tocarás como ele.

Gary HoltEditar

Letrista da banda,acabou se tornando o líder depois que Kirk o trocou pelo Lars. Gary sempre gostou de aprimorar suas técnicas com outros guitarristas por isso,trouxe Rick Hunolt para o Exodus com que transou tocou por muito tempo. Atualmente Gary também toca com o Slayer depois que seu amigo de longa data Jeff Hanneman,foi ver se o inferno realmente esperava.

Baterista e BaixistaEditar

Uma loira e uma morena que nem no É o Tchan.

Sonoridade e LetrasEditar

Pra quê você quer saber da sonoridade da banda? O que interessa é que a banda é boa, como será comprovado abaixo, mas já que você quer saber o som deles é rápido e pesado, satisfeito agora? Quanto às letras, falam sobre pôneis em terras encantadas, passeios à Disneylândia (mas eles não foram expulsos de lá?) e muito mais muito amor.

Algumas opiniões extras sobre ExodusEditar

  Adoro os membros da banda  
Tom Areia Tom Araya sobre Exodus

  Filhos da puta, acabaram com meu emprego!  
Dave Mustaine sobre Exodus

  Adoro os caras! Curto muito treinar com o Hot Holt  
Barbie sobre Exodus

  A banda tinha uma pegada bem legal  
Kirk Hammett sobre Exodus

  O Kirk foi a melhor coisa apareceu com o Exodus.  
Lars Ulrich sobre Exodus

  Porra, esses caras já estão infiltrados até na minha banda!  
Kerry King sobre Exodus