Abrir menu principal

Desciclopédia β

Experimento Filadélfia

Retardado.jpg GEISAAAAAAAA, algum usuário bateu a cabeça!

Agora tá na Desciclopédia escrevendo merda sem sentido!
Chama o manicômio caralho!

Mongol.jpg

Cquote1.png Isso vai dar merda... Cquote2.png
Albert Einstein sobre Experimento Filadélfia
Cquote1.png Isso vai dar merda...² Cquote2.png
Nikola Tesla sobre Experimento Filadélfia
Cquote1.png Vai dar porra nenhuma. Vocês não sabem de nada. Cquote2.png
Von Neumann sobre Experimento Filadélfia
Cquote1.png Eu sou de lá. Cquote2.png
Fresh Prince sobre Experimento Filadélfia


Nos início dos anos 40 a Marinha Americana deu início a um projeto militar visando tornar sua frota de navios invisível física e eletrônicamente. Eram líderes deste projeto Nikola Tesla, Albert Einstein e John (ou Janus) Von Neumann, este último um mendigo que passou pelo programa de cotas na Uninove. Foram estudadas técnicas relativas ao eletromagnetismo, Teoria Unificada de Campos e suas possíveis aplicações. A mesma tecnologia foi aplicada para fazer o avião invisível da Mulher Maravilha.


O inícioEditar

Em 12 de agosto de 1943, a Marinha teria realizado uma experiência envolvendo campos eletromagnéticos e o porta-aviões USS Eldridge no porto de Filadélfia, EUA. O navio sumiu – não ficou só invisível, mas desapareceu ­ e, quando ressurgiu coisas muito estranhas tinham acontecido. Alguns tripulantes estavam fundidos ao metal da embarcação. Outros estavam transparentes e acabaram se dissolvendo no ar. Alguns voltaram com asas e não conseguiram se controlar, acabaram voando para o fundo do oceano. Outros permaneceram estáticos e “congelados” para sempre. Outros ficaram loucos passando a admirar filmes do Ben Affleck. Todo mundo se fodeu nessa experiência.

 
USS Eldridge

Mas o que teria acontecido ao USS Eldridge?Editar

Segundo vários websites dedicados ao tema, o porta-aviões foi transportado 40 anos no futuro, materializando-se em 1983 na base da aeronáutica no pico Montauk, Estado de Nova York, sede do secretissimo Projeto Montauk. Ou simplesmente foi transportado para o Acre.

Como ninguém conseguia explicar por que isso acontecera, o governo criou, em 1943, um comitê de pesquisa chamado Projeto Fênix comandado pelo físico húngaro-americano Janus Eric Von Neumann.

O físico chegou à conclusão de que as ondas eletromagnéticas alteravam a percepção humana da realidade e que podiam ser usadas para exercer controle mental à distância, ou para construir playstation 2 de uma forma mais veloz. Mas isso, embora fosse útil para os planos dos seus empregadores, não resolvia o problema, é claro. As pesquisas continuaram e, para mantê-las afastadas do público, em 1971 o Projeto Fênix foi transferido para uma base da Aeronáutica em Montauk, Nova York, e rebatizado como Projeto Montauk.

 
O resultado da experiência.



Em 1983, as investigações do Montauk acabaram por abrir um túnel temporal para o experimento de 1943, trazendo o USS Eldridge para o futuro. Isso se chama looping temporal e é um tema clássico da ficção científica. Os conspirólogos, no entanto, afirmam que a história do USS Eldridge é verdadeira. A Marinha americana, por sua vez, nega que tenha realizado o Experimento Filadélfia e diz que o Projeto foi usado apenas para auxiliar a Mulher Maravilha a poder voar.

Mas a história fica muito mais intrigante. Preston B. Nichols, um dos autores do livro citado lá no começo, sustenta que a experiência realizada em 1943 teria sido inspirada nos ensinamentos do satanista Aleister Crowley. E não é só. Um enigmático personagem chamado Al Bielek, que afirma ter estado à bordo do USS Eldridge, diz que o experimento foi supervisionado por um consórcio de seres alienígenas que incluíam os populares Greys e os misteriosos Reptilianos.