Abrir menu principal

Desciclopédia β

Fatboy Slim

Emblem-sound.svg.png Fatboy Slim
FatboySlim.jpg
Nome Fatboy Slim
Origem Kent, Bandeira da Inglaterra Inglaterra
Sexo Faz Masculino
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Baixo e Carrapetas
Gênero Música Eletrônica
Influências Vento.gif
Nível de Habilidade Alto
Aparência Psicopata
Plásticas Vento.gif
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Vento.gif
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
Ele mesmo
NovoWikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Fatboy Slim.

Cquote1.png Você quis dizer: Carlos Slim Cquote2.png
Google sobre Fatboy Slim
Cquote1.png O cara tem “Fat” no nome e é magro? Cquote2.png
Você sobre Fatboy Slim
Cquote1.png EVERYOONNEE!! Cquote2.png
Sargento Cross dizendo quem o conheceu por FIFA 99
Cquote1.png Você traiu o movimento rock, veio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Fatboy Slim
Cquote1.png É a última música que ouço antes de entrar na pista! Cquote2.png
Mike Rockenfeller sobre ”The Rockafeller Skank”

QUENTIN LEO COOK é um cara que você deve estar pensando aí: Cquote1.png Quem deve ser esse cara? Cquote2.png. Tudo bem, você, no alto de sua noobice não conhece. Mas, se eu falar NORMAN COOK, os caras que conseguem usar pelo menos 0,01% do seu cérebro conhece, mas, como ainda tem noob que se consome por não conhecer, existe um nome mais tranquilo ainda e, que, esse sim todo mundo conhece: FATBOY SLIM. Agora, quem não conhece, se mata! Nascido na cidade mais quente da Inglaterra, Kent, enganou meio mundo de uma certa maneira: quando todos achavam que fosse um inglês a vingar na música mundial sem ser do Rock, ele começa a carreira tocando baixo numa banda (instrumento, não tocando baixo propriamente dito), e, só depois que resolveu ir pras carrapetas, querendo mostrar que não é só de rock que a Ilha vive. Atualmente é só mais um DJ. Faz parte da Associação dos Músicos Quentes de Kent, com Ritchie, a menina-veneno Joss Stone e Peter Frampton. É um daqueles caras que tocam em Raves, e passam despercebidos já que as dorgas são as grandes estrelas desse tipo de festa.

Índice

O Início:Editar

Os pais do Cook tinham um restaurante, e colocavam o garoto pra trabalhar lá, com o objetivo de cortar custos, já que não precisavam pagar salário, e pra honrar seu sobrenome desde cedo: Cook (qual Cook te fascina?). Envelheceu e resolveu cursar uma escola de cozinheiros, onde conheceu algumas outras pessoas, que, pra bancar seus estudos, tocavam numa banda de garagem por Kent, e dizia pra eles que ele tocava baixo. Após perderem seu baixista pras dorgas, ele foi convidado pra tocar na banda, sem saber que ele só estava sacaneando. Na 1ª audição, ele mostrou que tocava baixo: abaixou o volume e começou a tocar, porém, os caras gostaram do feeling dele e lhe deram uma chance pra aprender a tocar o legítimo baixo. Após melhorar, começou a tocar na banda deles, que acabara de sair da garagem. Mas, antes da estrada, não custava nada terminar os estudos gastronômicos (na verdade, custava sim, era pago). Depois de ganharem a touca de mestre cuca, puseram o pé na estrada pra cozinhar cantar

Carreira:Editar

No Rock:Editar

The Housemartins:Editar

Tocava na The Housemartins, uma banda que nunca fez sucesso. Mas, até que a grana que entrava era boa, ajudava a bancar os discos já que não deram a cagada de conseguirem aquele contrato com uma gigante. Eles se garantiam no fato de serem britânicos. Quentin ainda usava o pseudônimo Pizza Man, já que sua pizzas vendiam mais que os CDs da banda. Os outros integrantes eram Sushi Man, Brownie Man e Kebab Man, suas especialidades. Com o tempo começaram a fazer sucesso e vender maios álbuns que comida. Enquanto a banda era um fracasso, ele estudou secretamente pra ser DJ um dia. A banda entra nos anos 90 achando que fariam sucesso no Britpop, mas, ele viu que aquela banda não ia a lugar algum, então, se manda de lá e, ironicamente, é procurado por uma banda chamada Pizzaman, pra ser o baixista deles.

Pizzaman:Editar

Se juntou a outros ex-pizzaiolos entediados no Pizzaman, onde passou alguns meses: ele via a banda como uma colônia de férias, um lugar onde ele teria o que fazer sem se entediar enquanto algo maior e mais relevante não acontecia. Sobreviveu o início dos anos 90 até sua metade, mas, ficou se saco cheio o rock: detestava tocar num gênero onde seus nomes mais importantes ficavam de putaria um com o outro, e nunca suportou os lendários “TOCA RAUL” que a galera mandava em seus shows, então, já com alguma noção de o que é ser DJ, começa a tocar nas carrapetas.

Música Eletrônica:Editar

Pré-Rockafeller Skank:Editar

 
Arrumando os olhos pra tomar conta de você

Se desfaz de todos os seus apelidos gastronômicos, querendo reiniciar a sua carreira do zero, e resolve se apelidar de Fatboy Slim, apesar de nem ser gordinho, era só pra sacanear fãs noobs mesmo. No ponto zero, mamando nas tetas do sucesso do Everything But The Girl, a 1º banda que não é de rock a fazer sucesso na Ilha da Rainha, que tinha feito a Rainha Elizabeth rebolar até o chão (tempo pra processar a informação...). Como todo DJ iniciante, não tinha criatividade alguma, sempre pegando CDs e os mixando. Sua 1ª vítima Seu 1º Sample foi de uma música dos Beastie Boys, alguns racistas do rap. Após ter que dar todo o dinheiro eu rendeu com esse Sample aos rappers, viu que isso não valia a pena, e começa a, agora sim, usar meios próprios. A FIFA o procura pra fazer a música tema do FIFA 99. Aproveitou e quis falar de um sonho pessoal: tocar com o Skank lá no Roc-a-Fella, estúdio do Jay-Z, culminando em “The Rockafeller Skank”. Todos saíram ganhando, e, em algum beco de Londres, Andrew Jennings alega que a FIFA pagou propina pras rádios pra que a música tocasse nas rádios do mundo inteiro. Até hoje, ainda estuda isso. Já tendo o público-alvo no futebol, o esporte mais popular do mundo, ele consegue a fama mundial, e vai tocar em vários jogos de futebol mundo afora e fazendo a soundtrack das lendárias brigas entre Hooligans em seu país. Mas, nem o Skank nem o Jay-Z lhe contataram pra que pudesse realizar o sonho. E assim, sua vida seguiu.

No BrasilEditar

A música Rockafeller Skank se tornou um sucesso absoluto no Brasil, devido a sua letra, fazer uma homenagem a Silvio Santos e seu funcionário Roque. Eis a letra:

ROCK NOW! Funk soul brother CHECK OUT NOW! Funk soul brother

BOBOBOBOBOBOBOBOBO... O Silvio Santos, Silvio Santos! É BOBOBOBOBOBOBOBO O Silvio Santos, Silvio Santos! É BOBOBOBOBOBOBOBO O Silvio Santos, Silvio Santos! É BOBOBOBOBOBOBOBO O Silvio Santos, Silvio Santos!

E lá pro meio da música, quando ela fica lenta, mas depois retoma uma velocidade frenética, ele canta:

ROCK NOW... Funk soul brother CHECK OUT NOW! Funk soul brother ROCK NOW... Funk soul brother CHECK OUT NOW! Funk soul brother ROCK NOW... Funk soul brother CHECK OUT NOW! Funk soul brother ROCK NOW, ROCK NOW, ROCK NOW, ROCK NOW É ROCK NOW, ROCK NOW, ROCK, ROCK NOW, ROCK É ROQUE, É ROQUE, É ROQUE, É ROQUE, É ROQUE, É ROQUE, É ROQUE

Pós-Rockafeller Skank:Editar

 
Dando um péssimo exemplo as criancinhas que curtem seu som

Após seu grande sucesso, fez “The Rockafeller Jota Quest”, “The Rockafeller Titãs”, “The Rockafeller Raimundos”, “The Rockafeller Detonautas”, “The Rockafeller NX Zero continuou sua vida como DJ consagrado. Como achava que não tinha muita voz pra cantar, se garantia só nas carrapetas, e seduzindo cantores e cantoras pra depois passar a perna neles, pra fazerem trabalho escravo, em troca só de almoço e roupa lavada. Foi convidado pra participar do movimento “A América Para os Americanos”, mesmo sendo um inglês (tanto faz, é o mesmo idioma mesmo...), criando um álbum só pra eles curtirem (que, com os avanços da tecnologia, qualquer um que tenha um computador pode ouvir, deixando os yankees xenófobos com puta dor de cabeça após essas músicas cruzarem as fronteiras). Como ele sabia que DJs tinham vida fácil, já que seus CDs tinham validade de 3, 4 anos, então, foi se dedicar a culinária e ao legado de Rockafeller Skank, ou seja, ir de graça nos estádios e tocar pra hooligans se matando. Quando a validade do 1º álbum expirou, lançou outro, arrecadou e foi tocar pra um bando de burguês safado nas praias européias sob a promessa de ver vários topless, e, após o mundo ficar de saco cheio de suas músicas, volta e lança mais um álbum. O cara é produtor e nem pra gravar mais álbuns. Também, ocupado demais cozinhando e tocando pra filhinho de papai que vai pra Riviera com o carro do papai.

Ficha Corrida:Editar

Álbuns:Editar

 
Isso sim é um fatboy!
  • Melhor Viver Da Química: Mais ou menos autobiográfica: retrata acontecimentos de quando ainda estava tomando no curso pra ser cozinheiro e honrar seu sobrenome Cook, então, ele pensou em se formar em nerdice Química também enquanto tentava conciliar 2 carreiras (1996);
  • Você Veio de Longe…: Resolve fazer uma homenagem a todos aqueles que saíram de confins da Terra, como Acre ou Bunda, pra assistir seus shows comk CDs do FIFA 99 pra autografar. Esse foi o álbum do projeto “A América Para os Americanos”, mesmo com um inglês fazendo parte, já que o DJ foi forçado a isso (1998);
  • Aquilo Entre Gudes e Estrelas: Tem tanta coisa entre eles... (2000);
  • Palookaville: Ninguém viu esse álbum nas prateleiras das lojas, mas, o Palooka Ville. Esse álbum retrata seu cotidiano pré-fama na citada vila (2004).

Hits Próprios:Editar

 
Te encarando. Vê se não vandaliza o artigo...
  • Todos Precisam de Um 303: Eu não preciso...;
  • Todos Amam o Carnaval: E mais uma vez ele se equivocal achando que algo é unânime: apenas reacinhas pseudointelectuais odeiam o Carnaval;
  • Com o Skank na Roc-a-Fella: Música poser do FIFA 99 e que fez com o que ele fosse o que é hoje: a música é um pedido a banda Skank e ao repper Jay-Z, pra que o DJ pudesse gravar com a banda brasileira no estúdio do cagado que come a Beyoncé. Segundo o jornalista, escritor e pé-no-saco da FIFA Andrew Jennings, essa música jamais tocaria nas rádios, mas, João Havelange juntamente com a ISL criaram um mega esquema de propinas às rádios pra que pudessem tocar a música. Segundo ele, essa propina ficou subentendida como “jabá”. OPriginalmente se chamaria "Everybody Needs a Poser Song";
  • Viagem dos Gangsta: Numa tentativa de migrar pro Lado Mano da Força, compôs isso aí: retrata uma viagem deles (agora, há discussão se eles viajavam mesmo ou viajavam sem sair do lugar;
  • Te Considerar: Agradecimento a dona FIFA pelo sucesso;
  • Aquele Velho Par de Jeans: Nessa música, contraiu o resfriado eterno de Adam Levine, e canta muito parecido com ele: essa música é uma fode aqueles jeans acabados que ele usou muito e que ia doar pra alguma instituição lá da África;
  • Noite do Caralho!: Fala como foi seu processo de perda de virgindade e da 1ª balada como DJ;
  • Som Campeão: Querendo fazer uma autocrítica ao seu som. Convencido...