Abrir menu principal

Desciclopédia β

Fifth Harmony

Emblem-sound.svg.png Fifth Harmony
Fourth Harmony.jpg
Fifth Fourth Harmony
Nome Fifth Harmony
Origem Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
Sexo Frequente
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.png
Peitos e bundas, compensa a falta de talento
Gênero Galinhas
Influências Spice Girls, Beyonce
Nível de Habilidade Prostitutas de esquina
Aparência Barangas sexualmente ativas
Plásticas Silicone no bumbum e nos seios
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Dançar igual putas no cio em seus video clipes.
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg.png
L.A. Reid

Cquote1.png Você quis dizer: Little Mix Cquote2.png
Google sobre Fifth Harmony
Cquote1.png Você quis dizer: Fourth Harmony Cquote2.png
Google sobre Fifth Harmony
Cquote1.png Você quis dizer: Pussycat Dolls mais putas Cquote2.png
Google sobre Fifth Harmony
Cquote1.png Elas são quase VIPs em minha clínica Cquote2.png
Cirurgião plástico sobre Fifth Harmony
Cquote1.png Elas cantam tão bem Cquote2.png
Surdo sobre Fifth Harmony
Cquote1.png Sim, e ainda por cima são lindas Cquote2.png
Surdo e cego sobre citação acima
Cquote1.png Vou sair deste grupo, eu sou uma puta de nivel alto agora Cquote2.png
Camila Cabello sobre Fifth Harmony
Cquote1.png Melhor girlgroup da atualidade. Cquote2.png
Apreciador de girlband sobre Fifth Harmony.
Cquote1.png Pior girlgroup da atualidade. Cquote2.png
Críticos sobre Fifth Harmony

Índice

Rumo ao sucesso (ou não)Editar

Amigas de infância, Aline Birosca, Laura Pica de Jegue, Dinalda Terceira perna, Normania Africana e Camilizete Cubana Pentelho tinham o sonho inalcançavel de se tornarem popstars, assistiam videos de Beyonce e tentavam ridiculamente copiar seus passos de dança, usavam saias e tops curtos na escola, causando eventualmente a expulsão das vadias por serem consideradas impróprias (abusar do diretor no miktorio não ajudou muito). Desesperadas, as mães das prostitutas-mirims se reuniram e decidiram explora-las colocando as ao mundo da fama, mas como na epoca você tinha que ser bonita para vender sexo e os empresarios das gravadoras (pedófilos enrustidos) estavam a um passo de serem expostos, as 5 vadias fracassaram gloriosamente na sua entrada para o Show Business e foram recusadas em todas as gravadoras.

Após se tornarem dancarinas do palco do Faustão e fazerem pontas em videos de rappers de quinta, nossas 5 heroínas foram guiadas por um cafetão de clube noturno que decidiu se aproveitar da grande atenção que shows de talentos recebia nas redes sociais, levando as 5 prostitutas de posto de gasolina para um show de calouros: inicialmente Vanderleison (nome fictício para o cafetão) pensou em manda-las para o The Voice mas as vadias não saberiam cantar nem com uma arma apontada para suas cabeças, depois, pensou em manda-las para o American Idol mas rapidamente desistiu da idéia pois ninguém ligava mais para este reality show; após muito pensar, Vanderleisson decidiu leva-las até o X Factor, programa aonde putas sem talento como Cher Lloyd ganharam destaque pois o "Fator X" se refere aos talentos sexuais e não musicais.

A performance das vadias foi criticada pelos jurados mas notou-se um grande movimento nas redes sociais e então, Fifth Harmony ganhou o coração de viados passivos e adolescentes alcoólicas e pseudo-putas. Vanderleisson desde então viu seu publico alvo e decidiu alienalos a fim de catapultar as dancarinas de bordel barato para o estrelato global enquanto ressucitava seu status de cafetão-chefe da rua.

Vanderleisson morreu após uma overdose e então O quinteto de putas perderam as esperanças, temendo voltar para o calçadão e a vida miserável de trabalho duro e a prostituição. Na maior cara de pau, a Harmonia do Samba vai até a gravadora É pica, após chorarem, gritarem e se cortarem na frente de L.A. Reid, e por fim força-lo a ouvir um dos gritos ensurdecentes de Lauren Jeba, o produtor decide leva-las para um quartinho intimante e o resto é história...

O primeiro álbumEditar

Após tanta luta, foi lançado o primeiro album de Fifth Harmony, entitulado "Perereca flexível", o álbum de estreia da girlband vendeu 7 cópias na semana de estréia debutando em #556192 na Billboard Top 200, atingiu sua pica seu pico na décima-quinta semana vendendo 9 cópias e igurando na posição #382724. Até hoje o álbum vendeu 22 cópias mundialmente e atingiu o topo em Acre, Hiroshima, Iugoslávia, Nárnia e na playlist de viados amantes de música pop.

Tracklist:

  • Top Down (Abaixando o top)
  • Boss (Bosta)
  • Sledgehammer (Sexo selvagem)
  • Worth It (Não vale nada)
  • This Is How We Roll (Assim que chupa a rola)
  • Everlasting Love (Sexo de longa duração)
  • Like Mariah (Lambe, Mariah)
  • Them Girls Be Like (Lambemos garotas também)
  • Reflection (Perereca flexível)
  • Suga mama (Chupa as mamas)
  • We Know (Vamos dando)

Com o fracasso colossal sucesso insuficiente dos singles lançados as garotas foram forçadas a limpar banheiros e concertar equipamentos na gravadora É Pica, dando origem ao seu primeiro e único hit Work From Home.

O segundo álbumEditar

Após afundarem mais ainda sua gravadora, as meninas foram apresentadas aos produtores e escritores top-de-linha para conseguirem um hit. Após noites e noites de rala e rola as barangas conseguem seu primeiro hit Work From Home (Roda na pica) dando a ilusão de que elas teriam sucesso no futuro. Então 7 picas e 27 transas é lançado no fatídico dia de 27 de maio. O álbum estreou e atingiu seu pico em #105449 na Billboard Top 200 com incríveis 10 cópias, porém a falta de hits causou a queda rapida do album para #1788256 na semana seguinte, vendendo 0,22286 cópias (um vendedor insatisfeito pediu reembolso mas a gravadora corrupta ficou com uma parte do dinheiro). O album teve vendas insatisfatórias vendendo 13 cópias mundialmente. Sua maior posição foi Papai e Mamãe no escritório de L.A. Reid.

Tracklist:

  • That's My Girl (Essa é minha vadia)
  • Work From Home (Roda na pica)
  • The Life (O leite)
  • Write On Me (Jorra em mim)
  • I Lied (Eu lambi)
  • All In My Head (Flex) (Mete a cabeça (Fode))
  • Squeeze (Goza)
  • Gonna Get Better (Vai ser pior)
  • Scared Of Happy (Soca na reba)
  • Not That Kinda Girl (Não se arregaçe garota)

Após as vendas desapontadoras, a cabrita cubana e queridinha dos produtores pervertidos Camila Cabello anunciou sua saída do grupo, pois ao contrário das outras 4 rameiras ela percebeu que não teria muito futuro musicalmente permanecendo alí. Após a filha da puta traíra cubana abandonar suas amigas no poço de merda a gravadora foi a total falência, porém o bondoso L.A. Reid decidiu deixar os 4 encostos reformarem a gravadora e venderem biscoitos para ajudar nos custos ao invés de demiti-las burro.

O terceiro álbumEditar

Por incrível que pareça as meninas conseguiram lançar seu terceiro álbum, tudo porque Normani engravidou de L.A. Reid e agora pode chantagea-lo com ameaças de pensão. Sem a cabrita desafinada Camila, o grupo foi de bosta para mais bosta ainda. O álbum homônimo não emplacou hits e até hoje vendeu 0 cópias, os gays passivos preferem ouvir Little Mix e Ariana Grande em 2017.

Tracklist:

  • Down (Abaixa)
  • He Like That (Ele me lambe ui)
  • Sauced Up (Siriricando)
  • Make You Mad (Mamada maluca)
  • Deliver (Dedadas)
  • Lonely Night (Transando à noite)
  • Don't Say You Love Me (Docinho me lambe)
  • Angel (Anal)
  • Messy (Dando pro Messi)
  • Bridges (Brioco)

Após afundarem a gravadora É Pica por três albums consecutivos, L.A. Reid pretende engavetar as 4 prostitutas enquanto elas limpam os banheiros da gravadora, vendem artesanatos na praia e são vendidas como prostitutas para mafiosos, até manda-las de volta para seus bordeis de origem.

IntegrantesEditar

Ally BrookeEditar

 
Ally esbanjando beleza e simpatia.

  Você quis dizer: Rita Ora  
Google sobre Ally Brooke

Ally Brooke ou seu nome de nascimento, Betina Torres Clodovil Hernandez foi encontrada num porão de um velho maluco que capturava criancinhas para trabalho escravo, com muita pena daquela criança, ela foi adotada por um casal de camponeses. Teve que se mudar para o Nordeste com 5 anos e voltou com seus pais para os Estados Unidos na adolescencia assim que descobriram que alunos de descendência latina podem passar por cotas. É a única do grupo que consegue cantar alguma coisa, e ironicamente a que mais sofre bullying por ser baixinha. No palco do XFactor assassinou apresentou a canção Somebody That I Used To Know (Só minha bunda que eu dou) e foi aprovada após fazer o ouvido dos jurados jorrar sangue.

Camila CabelloEditar

Camila Chupinto Pentello vulgarmente conhecida como Camila Cabello, nasceu com sua bunda dia 03 de março de 1997, é a queridinha do grupo pelos fãs e pelos produtores, após perder sua virgindade com um deles. Nascida em Cuba, e logo após seu primeiro mês imigrou com sua família para os Estados Unidos como parte de uma tentativa falída de tornar o Comunismo dominante no país. Seu registro vocal é uma mistura de cabrito após ingerir laxante, gatos brigando e Aracy da Top Therm após beber 25 latas de Heineken e sugar um balão de gás hélio, por isso fez sucesso com os ouvidos desgraçadamente fodidos e destroídos dos adolescentes gays e das piranhas. Por ser a mais nova do grupo, era a que menos tinha autoridade nele e cansada de ser pau-mandado, saiu do grupo falido mandando as 4 raparigas tomarem num lugar que o sol não bata. Sua vingança contra as putas pagas não poderia ir melhor, ela é a principal vadia de L.A. Reid enquanto as outras estão a um passo de irem para o olho da rua.

Lauren JaureguiEditar

 
Lauren depois de cheirar cocaína.

Armandinha Candida Aimeutoba ou Lauren Jauregui nasceu num barzinho da 25 de março, quando sua mãe bebum estava terminando de traçar uma lata de 25 litros da Brahma, os efeitos colaterais dos vícios de sua mãe afetaram Lauren desde cedo, e lhe infernizaram durante sua época na escola o que fez a infeliz tirar notas muito baixas e eventualmente ser expulsa do colégio, para piorar a situação foi expulsa também de casa e teve que dormir nas ruas; de repente, uma velha sapatona tarada por meninas jovens decide concede-la um lugar para dormir no seu clube de strip, lá as tendencias lésbicas de Lauren só aumentam até ela transar com todas as strippers. Hoje em dia Lauren-pau-de-látex já pegou a Camila Cabello e tentou pegar as outras vadias do grupo mas isso se tornou difícil assim que elas compraram spray de pimenta para evitarem um possível estupro. Eventualmente seu lesbianismo atingiu pontos extremos e Lauren-pau-de-látex passou a odiar homens, parou de depilar seu suvaco e sua xoxota, se tornando uma puta.

Normani KordeiEditar

 
Normani mostrando satisfação com o puxasaquismo do primeiro parágrafo. Ou rindo do poop dele.

Norma Tesuda de Freitas ou Normani é uma escrava de Moçambique que fujiu ilegalmente para os Estados Unidos, foi incluida de última hora no grupo para representarem os negros. Assim como todos os membros do grupo tenta ser como Beyonce, Rihanna e Shakira mas não passa de uma cover de karaoke. A "talentosa" mulher tem tanta personalidade quanto um cadaver de rato morto na beira da praia esperando ser devorado mantem sua vida pessoal em segredo o máximo que pode, portanto não se sabe muito sobre sua história.


Dinah-Jane HansenEditar

 
Dinah com paralisia muscular após boquetar um cavalo. Na boca entra, né...

Mãe Dinah, Dário Lopes Cruz-Credo, Dinah Vittar ou Dinah Jane nascida como um menino , seu maior sonho durante a infância era se tornar uma menina e participar de uma girlband, sonho (quase) realizado se não fosse por um acidente que destruiu 50% de seus genitais, sim, ela (ou ele) possue um pênis e uma vagina grudados, mas apesar de seus irmãos siameses a "bela" cantora conseguiu se tornar membro do grupo grande merda. É inspirada na Beyonce (e existe alguém dessa budega que NÃO é) e vive copiando ela e bajulando-a na esperança de conseguir uma parceria.

FandomsEditar

O fã de Fifth Harmony é chamado de Harmonizer, ao invés de harmonete, harmonylover, harmoniver ou harmonytic. Os termos guria retardada e viado são genéricos demais pra tentar alguma piada que preste. É um fandom desgraçadamente competitivo, trouxa e obcecado, fazendo todo tipo de magia negra pra arrancar um mero sorriso de qualquer uma. Pelo menos são bonitos, se você não tiver medo do mercedão da polícia federal. Evite magoar ou ofender um harmonizer (na frente dele, é claro), ou a coisa pode virar letal, pois os fãs serão os responsáveis por ferrar o grupo e separá-lo num futuro de alguma linha do tempo qualquer, além de possuírem técnicas ninja proibidas pela Unesco.

 
Ally fazendo striptease com a bandeira do Brasil.

Os brasileiros compõem a melhor subdivisão do fandom harmonizer, como esperado da nação invicta das estapafúrdias guerras memeais. Dão a bunda nas votações, esquecem as tretas na hora de votar e torcer pelas meninas, semelhante aos homens héteros na Copa do Mundo, defendem as bichas com unhas e dentes porque não dá pra tirar pra defender, fazem campanhas pra comprar os discos, singles e até os produtos terceirizados como perfumes, sapatos e barras de chocolate ao leite. É capaz de aguentar muita porrada, ainda mais com o segurança amante da Jauregui e Dinah que não pode ver membro do Pânico na Band, mas sempre continua de pé. Quando os brasileiros ficarem fartos da filhadaputice que outros harmonizers fazem ao tratá-los como memes da Inês Brasil, será o fim de Fifth Harmony.

Já em relação aos locais e mal alimentados agradecidos americanos, tem muita gente boa nesse fandom, mas a maioria não presta, obviamente, mas neste caso chega ao ponto de cagarem pras meninas e tratá-las como meros robôs da indústria, como Rihanna e Katy Perry, que precisam atender a seus desejos sexuais de stalker. Desistem de muitas votações ao verem que estão perdendo, fazem barulho do caralho online, mas fogem na hora de comprar, ir pra show e consumir produtos delas, afinal não existe hambúrguer congelado ou cerveja de Fifth Harmony. Um exemplo é a 727 tour USA, que você não conhece mas estava linda, como se isso fosse relevante pra quem gosta de boceta, porém foi um fiasco nas vendas porque os fãs não têm idade mental pra beber cerveja.

  Ah, e tratar Ally e Normani mal a pessoa já não vale bosta nenhuma automaticamente!  
Fantasma do criador deste artigo morto anteriormente se manifestando no artigo.

Outro fandom tão rico sortudo quanto o harmonizer americano é o da terra da Europa e do Brasil da Europa, as meninas babam ovo da Europa igual atriz pornô Ally.... Conheci harmonizers europeus maravilhosos enquanto estava caçando a criadora deste artigo para mandá-la pro inferno, o que não isenta este fandom de fazer merda: um esquadrão de soldados da meia noite de Londres tentou hackear os perfis em redes sociais para encontrar o vídeo da Lauren passando o rodo nas integrantes. Sim, tentou, infelizmente eles falharam. Dá vontade de quebrar todos os ossos da cara dessas paquitas quando elas falam que amam ir pro Reino Unido, não só por causa da invasão, mas também porque falam que amam ir pra lá pela comida.

 
Pucca fazendo cosplay de Lauren num show no Japão, antes e depois de colocar a fantasia.

O harmonizer asiático é composto por filipinos, chineses, a galera de Kuala Lumpur, os travecão da Indonésia e todos aqueles países comedores de criancinhas do cu da Ásia, até mesmo a terra onde chiclete é coisa de traficante. Os japas não contam por não saberem o que é Camren, e se alguém não sabe o que é, não faz parte do fandom COMO UM TODO, tampouco os coreanos, pois a música delas foi proibida nas duas Coreias, seja pra não competir com as putas sul-coreanas do k-pop, seja porque Kim Jong-un não poderia comê-las. São tão otários quanto os fãs brasileiros: valorizam muito as meninas e sonham com um show delas por lá.

Pra terminar, temos mis amigos incompreensíveis da AUSTRAYA, os bebedores de porra de macaco da Nova Zelândia e os 5 fãs espalhados pelas micro-ilhotas da Oceania. Camila ama ir pra lá por causa do sotaque, não se sabe se é pra tirar sarro ou puro masoquismo mesmo, se bem ela curte umas línguas mesmo, principalmente a da Lauren. São meio inexpressivos, já roubaram o celular da Lauren e e deu em pizza.

Os harmonizers africano e do Oriente Médio non eczistem.  

Fandoms individuaisEditar

Como se já não bastasse cada continente ter uma fanbase diferente, Fifth Harmony não está imune a fãs que idolatram apenas uma integrante, como qualquer girlband:

Sunshiners - AllyEditar

 
Templo da Igreja Sunshiner do Reino de Alá Ally.

No livro de Ally, capítulo 1, versículo 7 diz: Tudo na vida depende do quanto você quer comer alguém   Sejais o espelho de vossas favoritas  . Apesar de estranho que uma evangélica cometa a heresia de ter o próprio livro sagrado e que um ídolo teen tenha um livro ao invés de um filme ou os dois, isso faz muito sentido, pois espelhos devem ser mais altos que seus usuários. Infelizmente, mesmo com a piada sacaneando a altura da Ally, essa informação inútel não agrega valor humorístico ao artigo.

Fanto aos fãs, tem-se aqui a auto-proclamada elite dos harmonizers: pessoas lindas, inteligentes, justas, do amor e da paz, além de verdadeiros poços de humildade. A única coisa realmente interessante é que os sunshiners são um dos únicos fandoms que reúnem quantidade significante de héteros (12). São pacíficos e silenciosos, já que hétero não dá a bunda BERRO, sempre dispostos a ajudar o próximo (faz parte do adestramento religioso), tem sol em peixes e ascendente em áries, fazem uma sopa de peixe com carne de sol e um coquetel doce que já causou muitas cáries me matem.

Com um comportamento desses, essa fanbase não tem chance alguma de causar um holocausto nuclear, então, caso esteja(m) procurando uma novinha saliente fã de Fifth Harmony para assuntos "educativos" e ela incitar flamewars no twitter, fique(m) tranquilo(s) que ela não é sunshiner. Se bem que isso não é importante, não é mesmo?

Camilizers/Mambas/Fadinhas- CamilaEditar

 
A ironicamente fálica massacote da Mamba Gang. É óbvio que são as mambas...

Pensem num bando de sofredores. Agora tirem as fichas criminais e a catinga de esgoto fermentado e coloquem dentes. Os fãs de Camila sofrem e apanham pra caralho de outros fandoms há um bom tempo. Costumava ser o maior, mais lindo e cheiroso fandom, composto por lésbicas de Nárnia, mulheres pintosas, posers e alguns héteros. O que tinha de quantidade, beleza e perfume, também tinha de sapatões qualidade e sincronia, até que começou a nascer um certo joio no meio do trigo, para frustração de Vegeta, que incentivava a separação dos dois desde muito cedo na dobragem da SIC. Esse joio era ninguém mais, ninguém menos que as Cnizer. Não tinha problema amar Camila e achar que ela é a melhor integrante. Tinha problema em criar um altar com várias fotos dela, fingir um namoro com montagens de paint e agir como um filha da puta mal educado de merda, chamando as outras integrantes de sua mãe.

Jaguars/Jaguatiricas/Chickens - LaurenEditar

É um tanto quanto estranho que a mesma fanbase tenha o nome de um felino predador relativamente fofo que faliu a Atari e um alimento bodybuilder que fez do golfinho um bode expiatório pro ataque da bomba atômica em Hiroshima, provavelmente é outra merda que Lauren fez que a fãs vão relevar, e são essas fãs que serão abordadas aqui, de preferência por seguranças agressores.

 
Jaguatiricas numa Parada Gay comemorando o fato de Lauren ter assumido o óbvio.

O fandom é como o Yin-Yang, tem o lado branco bom e o lado preto ruim. No lado iluminado, existem as fãs lindas e inteligentes que tua mãe iria quer ter como nora (até vocês se casarem), que reconhecem que Lauren faz merda pra caralho e tem que pagar um boquete pro cavalo da Dinah por isso, mas a perdoam porque errar é humano, como se Lauren fosse humana. Já o outro gato lado endeusa Lauren, espalha suas palavras aos 4 cantos do universo observável a ele (a.k.a. tumblr e twitter) e passa a mão na cabecinha dela quando... você entendeu.

O motivo para tamanha alienação é a crença de que Lauren era sapatão, tanto que todas as mambas de Nárnia que arregaram da Mamba Gang foram pra puta que pariu parar neste fandom depois daquela treta patética com o Chão Mendes. Sua chocante revelação da bissexualidade gerou um efeito semi-contrário: elas voltaram para as fadinhas, mas continuaram com as jaguatiricas, provavelmente porque, durante o tempo entre as duas polêmicas, as fãs já passaram dos 13 anos e se tocaram que trocar de fandom individual era uma puta idiotice.

Mani-fans e Dinah-fansEditar

O criador deste artigo, que eu tinha assassinado pelo bem da humanidade e tratado de mulher parágrafos atrás (maldita fluidez de gênero), se encaixa perfeitamente na boceta da Giovanna Antonelli na categoria de mani-fan, como foi possível observar naquele parágrafo puxando o saco da Normani. Ela também (já tá trocando de novo...) deixou textos minúsculos dignos de nota 0 no ENEM para as duas fanbases (eu também tenho trocado fandom por fanbase, mas foda-se), que continuarão minúsculos só de sacanagem.

Os outros mani-fans são pessoas dedicadas e esforçadas, amam Mani e passam por muitos perrengues também. O criador é um puta exemplo: ele se dedicou em tentar entender como ser engraçado e não apenas idiota falhou miseravelmente, se esforçou em criar um artigo e mostrou seu amor puxando o saco dela até ele rasgar. Se alguém mexer com Normani, terá de aguentar as consequências: foi justamente ESSE fandom que desenvolveu as técnicas ninja proibidas pela Unesco. Pra piorar, existem as mani-fans corrompidas, chamadas de Nnizers, em homenagem à Troia às Cnizers e que conseguem ser piores em termos de escrotisse.

As dinah-girls são tranquilas, ao contrário das ninjas acima, e geralmente também curtem muito a Lauren. Entre 2013 e 2014, poderiam ter Camila como segunda favorita, hoje isso já era. Isso dá a dica de quando a treta do Chão começou. Num geral, as dinah-fans não dão trabalho nem gostam de passar vergonha como as C/L/N nizers, são tão sussa quanto os fãs de Ally, consequentemente, também não são capazes de gerar brigas, estando ocupados demais olhando os bilhões de nudes snaps que Dinah posta incansavelmente.

FamiliaresEditar

Apesar de ser contra as leis da Newton, o Protocolo de Kyoto e provavelmente as regras da Desciclopédia, teremos seções dedicadas a esculhambar com os responsáveis por parir, criar, dar de mamá, alimentar, esfolar e introduzir ao vício em heroína a esse grupo: seus famigliares.

Familia HernandezEditar

 
Ally parece uma criança perto de sua família (por que será?).

Família HERNANDEZ?! Qual piranha do grupo teria um sobrenome galante de um cavaleiro rusticana espanhol? Bem, Penélope Charmosa se observar bem, a ordem das garotas SEMPRE foi: atriz pornô Ally, amante do Chão Camila, Jureg Lauren, ícone viado Mani e chupadora de cavalo Dinah, logo, só poderia ser Ally a nossa latina do coração, já que em outros órgãos sobraria espaço.

Enfim, os membros que serão discutidos aqui são Tom e Jerry e dona Pat, os melhores pais de integrantes desse grupo, sem discussão: são dedicados, protetores e atenciosos, como é possível ver na foto, em que protegem Ally de um mostro comedor de Oompa Loompas usando o poder do amor. São tão discretos que vários fãs sequer sabem da existência do outro filho, Brandon, um cosplayer do galã de CSI Miami, contra sua vontade.

Família CabelloEditar

 
Avó da Camila. Eu desconfio seriamente que essa coroa é falsa. Não me pergunte o signo dela.

Primeiramente, vá a merda se você não sabe de quem se trata. Os interesseiros Sinu de Belém e Alejandro da Lady GaGa (meu caralho, agora faz sentido) se preocupam apenas com o sucesso de sua filha e o que isso pode acarretar a eles, mesmo que tenham de pisar na grama em terceiros. Camila tem peixes em 3 lugares no mapa astral, um deles em Carapicuíba, não faz mal a uma mosca e só quer violar tocão, mas tem uma mãe capricorniana e um pai escorpiano por trás do seu agenciamento, o que, em termos de Cavaleiros do Zodíaco, é gay pra caralho, e na realidade, significa porra nenhuma mesmo. Faz quantos anos que Sofia não vê a mãe?

  Eu sei lá, porra!  
Você sobre pergunta acima. Adivinha quem fez...

Família JaureguiEditar

Definitivamente o mais feio dos sobrenomes, se não foi dito antes no artigo é porque as páginas da Desciclopédia não falam não precisava, mas agora que esses alienígenas estão sendo tratados, é bom deixar claro: que sobrenome HORROROSO!!

 
Clara atuando como mãe da Lauren, um cargo muito importe pra nossa vida...

Pra começar, temos Mike, um irmão que sofre bullying da Lauren: ela pinta a cara dele com guache, faz bordado com as camisetas, pisa em cima com os pés suados... Ele tem cara de ser machista, mas como esse tipo de gente não tem cara definida, isso é claramente caô de Lnizer pra justificar merda da Lauren de novo, tanto que o sujeito é um ser legal, até se lembrando que o Brasil existe em época de votação, ao contrário de dona Clara de Ovo, mãe de Lauren e líder do Movimento Anti Camren. Taylor é uma menina gente boa, tem futuro na minha pica vida, e Chris é um carinha que mora logo ali mimado e bonitinho. Não é a toa que Lauren sempre foge da casa dos pais quando tá em Miami, principalmente quando o pai quando se esquece de escovar os dentes e sai aquela nuvem de bafo matinal capaz de correr um carro quando abre a boca.

Família HamiltonEditar

 
Mama Drea, soberana do quintal de casa, quando o cachorro não caga.

Junto à família Hernandez, são os que você não identifica a integrante porque o fantasma do criador do artigo, quando não era uma entidade de ectoplasma, "esqueceu" de falar o sobrenome. São tão queridos quanto os Baggins, digo, Hernandez, apesar de serem barraqueiros (pretos americanos, o que esperar) e trabalharem numa shade pros Cabellos. Mama Drea não nega seu sangue ariano, o que é altamente controverso, pois não é qualquer um que se orgulharia em ser uma persa negra nazista. Apoiam o fandom e sempre preocupados com o bem estar mental de Normani, merecem o posto de segundo lugar para melhores pais, perdendo para os pais da hobbit por não terem superpoderes.

Família HansenEditar

 
Alguns parentes de Dinah num churrasco de fim de semana.

Dar para as pessoas erradas é característica genética: a mãe de Dinah deu a xota para vários presidiários figurantes de filmes hollywoodianos que escaparam da cadeia por não terem a cara do Nicholas Cage e sheiks casados com adolescentes que administram grupos de grávidas aos 13 anos no facebook, o gerou metade da população atual da Polinésia Francesa! Os pais até que são simpáticos, a mãe é uma pessoa muito aberta, e não se metem em confusão, como o fandom individual, mas a tia de Dinah é um bicho amaldiçoado capaz de criar os temidos Dnizers, mas felizmente, o demônio não tem twitter, tampouco acasala com outros demônios.

CasaisEditar

Assim como Naruto e Sonic, Fifth Harmony sofreu o desprazer de ter suas integrantes envolvidas em casais imaginários sem a função de gerar hentais, um castigo pior que ter Trump como presidente sendo bissexual, fazer parte da Mamba Gang ou ser a mandíbula da Dinah naquela imagem anterior.

  • Camren: criado pelas próprias integrantes e desconhecido pelos japoneses, nasceu nas vielas do X-Factor e continua até hoje, fraco, respirando por aparelhos, sendo alimentado por um tubo como o Homer Simpson. Lauren tem pavor a Camren e Camila tá cagando e andando, tanto que Lauren despertou uma necessidade doentia de se provar hétero sempre que o assunto surgia, OUTRA merda dela. As duas criaram, sem querer querendo, um refúgio de representação para inúmeras pessoas que se encontram desmotivadas com sua própria sexualidade e enxergam no casalzinho uma forma de enxergar a si mesmos. Mesmo com Lauren assumindo ser bi, eu ainda acho que esse bando de desmotivados tem mais é que se foder.
  • Norminah: claramente um casal de amizade, não tem como rolar uma química sexual, só se Mani fosse traveco. Se bem que...
  • Laurinah: um casal baseado na habilidade sobrenatural de Dinah de deixar as pessoas mais gays.
  • Alren: Ally e Lauren. Realmente a Jureg passou o rodo geral. Nem preciso falar que esse casal é uma bosta.
  • Normila: o anterior já tinha um nome fodido, este então...
  • Caminah: outro casal de amizade, uma linda pros fãs, até Normani arrancar Dinah de Camila com um alicate, o que feriu o orgulho de Dinah, que tenta correr atrás de Camila, pra quê, não se sabe.
  • Laucy: Lucy é uma suposta namorada de Lauren, são bonitinhas juntas, principalmente peladas, e uma é tão marrenta quanto a outra. Discute-se se Lucy foi introduzida ao cheiramento de gatinhos por Lauren.
  • Vamila: Camila com Veronica. Esse casal exala sexo, não é a toa que o nome parece Vanilla, que é buceta na língua dos piratas.

Ver tambémEditar

  Fifth Harmony já acabou!

E tem idiota fã que acredita que eles voltarão...

Clique aqui pra ver os grupos que non eczisten mais.