Abrir menu principal

Desciclopédia β

Francisco Antonio Pinto

Francisco Antonio Pinto, mais conhecido na cultura chilena apenas como O Grande Pinto, foi o presidente chileno que entrou no lugar de Ramón Freire, que renunciou para evitar a fadiga de ter que passar por mais uma guerra em sua vida. Mas não se pode dizer que isso foi ruim, pois "O Grande Pinto" entrou com força no governo, e estava pronto para fazer grandes reformas (apesar de ter conseguido apenas causar um grande rombo na conta do governo).

HistóriaEditar

 
Pinto pronto para entrar na história do Chile, sendo o presidente que causou o maior rombo nos cofres públicos da história.

Francisco Antonio Pinto nasceu em Santiago do Chile, em um casebre que ficava no meio do mato. Como ele morava em um lugar bastante isolado (pra não dizer que ficava lá onde o vento faz a curva), Francisco Antonio Pinto só tinha a companhia de seus pais, que eram Joaquín Fernández Pinto, que era natural da Espanha, e de Mercedes Benz Díaz, que era natural de... Ah, sei lá!, mas isso não importa.

Como não tinha nada para fazer da vida, além de ficar olhando as vacas e os bois, Francisco Antonio Pinto decidiu que iria se mudar para a cidade grande, para estudar, ser alguém na vida e, enfim, nunca mais ter que voltar para o seu velho casebre. E assim foi, com Francisco Antonio Pinto indo para a cidade com algumas moedas que os seus pais haviam conseguido com a venda de dois porcos e uma galinha. Com isso, Francisco Antonio Pinto conseguiu ir para a cidade, e conseguiu pagar os seus estudos com toda a tranquilidade. Ninguém sabe como é que Francisco Antonio Pinto conseguiu ir para a cidade com tranquilidade e estudar em boas escolas apenas com algumas moedinhas no bolso, mas acredita-se que seja porque essas moedas eram feitas de barras de ouro que valem mais do que dinheiro, que se valorizavam 999% por dia.

Depois de muito estudar, e passar com honra ao mérito diferente de você, que sempre é reprovado, Francisco Antonio Pinto cursou direito, pois ele sabia que a profissão de adevogado renderia muito dinheiro, sendo que ele precisaria apenas ficar o dia todo coçando o saco.

Porém, quando terminou definitivamente os seus estudos, Francisco Antonio Pinto decidiu seguir a carreira de militar, pois assim ele conseguiria algum dinheiro para se manter enquanto não tinha total estabilidade como adevogado.

Porém, na época que Francisco Antonio Pinto entrou para o exército, tinha guerra no Chile todos os dias, sendo que haviam guerras até entre amigos, para decidir quem iria ser quem na relação.

Mas como Francisco Antonio Pinto era um dotor adevogado formado, os generais não queriam desperdiçá-lo no campo de batalha, afinal, apenas 1 em 1 milhão de soldados tinham no mínimo o ensino fundamental. Então, Francisco Antonio Pinto começou a ser o diplomata, com a função de erguer a bandeira da paz bicho.

Como mostrou que não era um completo inútil, Francisco Antonio Pinto passou a ser uma espécie de peça fundamental para o governo chileno, pois ele era como papel higiênico: Sempre limpava a bunda do Chile quando os altos comandantes e governantes faziam as suas cagadas perante os outros países. Então, Francisco Antonio Pinto sempre participava das batalhas, sendo que ele ficava na linha de trás, sempre tentando resolver os conflitos com acordos formais apesar de que, quando ele não conseguia, ele deixava que tudo se resolvesse na cacetada mesmo.

Depois de muitas batalhas, o povo do Chile finalmente viu que o Pinto era extremamente importante para o pais. Então, resolveram colocar o Pinto na vice-presidência da república, sendo que ele ficaria no banco de reservas de Ramón Valdéz Freire.

Depois de muito pouco tempo, quando Ramón renunciou, Francisco Antonio Pinto finalmente conseguiu o seu posto de presidente do Chile, e estava pronto para mostrar o poder do Pinto para toda a América Latina.

GovernoEditar

Assim como todos os outros presidentes do Chile, Francisco Antonio Pinto fez um governo bem café-com-leite, sendo que a única coisa que ele fazia era assinar a papelada e comer salgadinhos o dia todo, enquanto o povo se matava em meio dos milhares de conflitos.

Porém, uma dessas assinaturas foi de extrema importância para o Chile, que foi a Constituição de 1828. Na verdade, essa assinatura foi tão importante que por conta dela ele foi reeleito. Porém, Pinto já estava cansado de ficar parado, e renunciou o cargo.

Apesar de ter renunciado o posto de presidente, Francisco Antonio Pinto continuou em cargos públicos, porém, de tão pouca importância que ninguém sabe exatamente o que ele fez.

Depois de muitos anos na folga trabalhando para o governo, Francisco Antonio Pinto morreu na mesma cidade em que nasceu, em Santiago do Chile, em 1858.


Precedido por
Ramón Freire
 
Presidente do Chile

1827
Sucedido por
Francisco Ramón Vicuña Larraín