Abrir menu principal

Desciclopédia β

Gianluigi Buffon


Gianluigi Buffon (Agostinho Carrara, 28 de Janeiro de 1978 a.C) é aquele goleiro que o teu pai não aguenta mais ver em Copas, pois está em todas desde antes de você resistir ao aborto e conseguir nascer.

GianLuigi Buffon
Buffonboquete.jpg
A mina do Buffon agarra as bolas melhor do que ele
Apelidos Gigi Rivera
Nascimento 28 de Janeiro de 1978
Agostinho Carrara
Nacionalidade Bandeira da Itália Itália
Altura 1,92
Peso Sei lá
Posição Goleiro
Torto
Clubes Velha Senhora, Paris Saint-Germain
Estilo de Jogo Assistir o jogo de lugar privilegiado
Gols Tomou um monte
Prêmios "Jovem Promessa Italiana" do ano de 2019
Influências Paulo Baier

Passou 798 anos defendendo malmente a meta da Juventus, estando praticamente casado com a "Velha Senhora", por ser um Velho Senhor. Mas com a modernidade dos relacionamentos, Buffon largou a véia e foi pro colo de uma prostituta francesa, a Paris Saint-Germain. Também estava defendendo a Itália, mas desistiu por desgosto, ao ver que os atacantes da seleção eram Immobile e Insigne, as versões italianas do Kazim e Deyverson.

Apesar da estabilidade nas equipes que defendeu, só ficou famoso mesmo por dar uma de X9, e dedurar o cabeceio preciso de Zidane em Materazzi, na final da Copa de 2006. Sem o único francês que não pipocava, ficou fácil pra Buffon e seus parceiros da Azzurra faturarem o caneco.

CarreiraEditar

Parma

Iniciou sua carreira no Parma, uma equipe italiana que faleceu ainda nos anos 90.

A princípio, logo que subiu das categorias de base, ele assumiu o posto de terceiro goleiro, e achava que nunca iria atuar, haja visto que terceiros goleiros servem apenas pra encher linguiça no elenco mesmo. Porém, após o goleiro titular do Parma ser expulso injustamente depois que o atacante adversário se jogou após levar um mísero chute no peito que nem rancou pedaço, e do goleiro reserva ser expulso também após cumprir com sua obrigação de entrar na briga de voadora, Buffon foi acionado pelo treinador, que não queria botar o zagueiro no gol, por ele não possuir a mesma habilidade que o César Martins.

Na falta de alguém melhor, foi Buffon mesmo que assumiu a titularidade, e assim ele conseguiu manter-se na meta do Parma por alguns bons anos, fazendo o café-com-leite e pão na chapa, até que foi vendido por cerca de quarenta e cinco milhões de euros para um louco que estava disposto a pagar, no caso a Crefisa Juventus.

Juventus

 
  Cazzo, come possono essere così cattivi, Totti e Del Piero, ritornate (Tradução Google Tradutor: Caralho, como podem ser tão ruins, volta Totti e Del Piero)  
Buffon vendo o quadrado mágico italiano jogar, mágico mesmo, que desaparece quando você precisa, composto por Pellè, Immobile, Florenzi e Thiago Motta

Por pressão da torcida, que não entendia como é que alguém paga quarenta e cinco fodendo milhões de euros por um goleiro que nem ajuda na briga, o técnico da Velha Senhora na época botou Buffon como titular logo após a sua chegada. Levou vários gols, de tudo que é jeito, mas era só botar a culpa nos zagueiros que deixavam os caras chutarem que ficava tudo de boa. Por não levar nenhum frango, foi considerado um dos melhores goleiros da temporada, por falta de concorrentes mesmo.

Em 2005, foi rebaixado com a equipe após os hómi descobrirem o esquema da compra do campeonato orquestrado por Alberto Dualib. Poderia sair, mas como tava ganhando bem pra caralho, ficou por lá mesmo, pra ele foi até bom, mais uma chance para se estabelecer como titular, já que os times da Série B italiana tem atacantes piores que pinga de quentão.

Após mais ou menos oitenta e sete temporadas defendendo a Juventus, é considerado um dos maiores ídolos da equipe, e não é pra menos, não é pra qualquer um aguentar jogar em um time horrível num campeonato horrível que virou a Série A depois de 2006, não a toa que por lá o camisa 10 da seleção nem italiano é, apesar de ser tão ruim quanto, no caso o Thiago Motta.

Não querendo jogar ao lado de Cristiano Ronaldo, e perder o posto de cabelinho mais bonito do time, Buffon acertou sua transferência pro PSG, pra terminar a carreira numa boa jogando contra times do nível do Boa Esporte Clube e ganhando os dois caminhões de dinheiro que o Carille queria.

Seleção Italiana

Tá lá desde 1997, sua tarefa não é das mais difíceis, já que italiano só sabe marcar mesmo, uma retranca da porra que os adversários nem conseguem chegar perto do gol. Por levar poucos gols, por conta da consistência defensiva já citada, criou raízes na meta italiana, participando de uma caralhada de jogos e participando do título de 2006, como titular.

Apesar do desgosto dos anos seguintes, tendo que aguentar bizarrices como Gilardino e Cassano eterna promessa num ataque que outrora fora composto por Del Piero e Totti, Buffon finalmente se aposenta de sua seleção em 2017, após ele e seus companheiros conseguirem o feito de serem eliminados por uma seleção que só tem um jogador que presta, e que nem chegou a entrar em campo ainda. Em sua última entrevista como goleiro da seleção, ele chora e diz que apenas queria dar alegria pro seu povo.