Ginástica artística

Ptbosta.gif Este artigo tá uma bostinha.
Ele está pequeno, chato e sem graça. Será que teria alguma alma caridosa capaz de fazer uma boa ação, tipo a de editar e colocar coisas engraçadas, de forma que ele fique mais engraçado e menos idiota? Só tome cuidado porque o Moderador Malvado está de olho em VOCÊ!


Cquote1.svg Ela está chorando... Cquote2.svg
Narrador após alguma ginasta ter ido mal
Cquote1.svg BUÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ Cquote2.svg
Jade Barbosa após ter caido na sua apresentação
Cquote1.svg Ela deu um super twist duplo carpado com uma aterrissagem cravada, mas perdeu 0,3 pontos pois pisou com a unha do dedão do pé esquerdo em uma das linhas de limite do tablado Cquote2.svg
Comentarista sobre os limites extremamente pequenos dos júris da ginástica artística

A ginástica artística (também conhecida como ginástica olímpica) é a modalidade mais comum da ginástica. Esse esporte é marcado por ginastas femininas com cara de crianças, ginastas masculinos que possuem uma queda pelo lado rosa da força, os Estados Unidos, China, Romênia e Rússia sempre nas primeiras posições, os jurados dando notas de acordo com o dinheiro que foi entregue e ginastas chorando porque caíram de bunda ou porque não tinham dinheiro para subornar os jurados e assim levar uma melhor nota.

História

  Nada, nada, nada, umas moças do leste europeu ganham um caminhão de medalhas cada porque ninguém no resto do mundo se importa com o esporte, DESCE DA BARRA SUA DOIDA PUTA MERDA O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO OLGA, PARA SUA, foda-se, não acredito que ela não se quebrou toda, Nadia acontece feijoada com um monte de nota dez, um monte de menina aleatória do leste europeu, nada, nada, nada, escândalo de falsificação de idade, nada, nada, as americanas surgem, espera, essa chinesa aí tem quinze anos mesmo? Nada, nada, Simone Biles, escândalos de assédio sexual  
A própria FIG sobre a história da ginástica artística feminina

A ginástica surgiu na Pré-História e se estabilizou na Idade Média. Nessa época, os europeus ainda estavam decidindo as suas zonas erógenas territoriais. Como eles só sabiam resolver as coisas fazendo guerra, cada país desenvolveu um jeito mais estranho do que o outro para se preparar seus soldados. A França deixava seus soldados sem tomar banho para que o cheiro deles espantasse os inimigos. A Itália empanturrava seus soldados com espaguete para deixá-los mais fortes (isso na cabeça deles) e Alemanha dava Chopp aos seus homens para eles ficarem bêbados e deixarem de ter medo. A Romênia por sua vez criou a ginástica artística para conseguirem pular as cercas mais rápidos que os outros na hora que o Drácula os estivesse perseguindo.

Apesar de desenvolver a força e a elasticidade, os generais romenos começaram a perceber que seus soldados estavam indo para o lado rosa da força devido à prática excessiva da ginástica, consequentemente o exército romeno ficou infectado por soldados que só pensavam em pintar as unhas de glitter, assistir Ana Maria Braga e dar o fiofó por aí. Isso fez com que os generais e comandantes romenos abolissem a ginástica como forma de preparação de seus soldados deixando esta prática nefasta para as gaortas dom país conseguirem alguma ocupação.

Após esse acontecimento, muitos homens voltaram a serem homens. Porém, teve um pequeno grupo que não conseguiu ficar sem praticar a ginástica, então eles começaram a marcar encontros nos fim de semana para darem o toba piruetas, fofocarem, tomar uma cachacinha e assistirem a jogos do São Paulo. Então, após um mês de encontros, eles decidiram dar um nome a esse novo esporte. Após muita discussão, eles decidiram que um nome que combinava perfeitamente com esse novo esporte era ginástica artística, pois era a arte de fazer coisas que qualquer um pode fazer exigiam uma habilidade do caramba. Anos depois, eles decidiram criar a FIG (Federação Internacional dos gays de Ginástica).

Com o passar dos anos, a ginástica foi se espalhando pelo mundo inteiro e mais alguns anos depois ela fez parte dos primeiros jogos olímpicos da história da raça humana.

Anos após a ginástica artística ter entrado nas olimpíadas, a FIG começou a perceber que esse esporte estava ficando chato pra caramba. Só tinha homem praticando aquela bagaça e nunca ninguém criava nenhum movimento novo. Foi então que Ana Kovetchkoslovinayaseilaoque sugeriu aos líderes da FIG que deixassem as mulheres competirem na ginástica. Eles não gostaram da ideia, mas como o esporte estava perdendo o prestígio (que já não era muito) eles decidiram tentar. Isso acabou dando certo. Meses depois, a audiência da ginástica artística tinha se tornado muito maior, principalmente entre homens (machos), devido à presença de mulheres com corpos torneados vestindo maiôs coladinhos socados na bunda e super sensuais.

Os anos foram passando e as mulheres foram dominando cada vez mais a ginástica, pois elas tinham mais beleza, desenvoltura e elegância, já os homens só chupavam o pau dedo. As mulheres também começaram a ocupar cargos na FIG e com o tempo, elas que passaram a mandar na ginástica.

Resumindo, a ginástica virou o que ela é atualmente, as mulheres tomam conta do negócio.

O Ginasta

 
Um viadinho praticante.

Requisitos para se tornar um ginasta

Qualquer um pode ser um ginasta. Para isso basta atender a alguns requisitos básicos:

  • Ter um braço no lado esquerdo do corpo
  • Ter outro braço no lado direito
  • Ter uma perna no lado esquerdo
  • Ter outra perna no lado direito
  • E uma flexibilidade anormal
  • Ser extraordinariamente baixo e magro se você for homem
  • E menos de um metro e meio de altura se você for mulher
  • E não ter alcançado a maioridade se você for mulher

Também é necessário que o futuro potencial ginasta iniciante tenha consciência de o que é a força da gravidade, pois é ela pode provocar uma aterrissagem invertida (aterrissar com a cabeça onde os pés deveriam estar) e como muitos devem saber, uma aterrissagem como essa pode causar perda de memória.

Como surge um(a) ginasta

A preparação de um futuro ginasta geralmente começa aos três anos. Geralmente quando a criança tem essa idade, alguns pais colocam seus filinhos em escolas de ginástica para ele poder se exercitar e não só ficar em casa assistindo Pokémon, Pica Pau e Tom e Jerry. Quando os professores dessas escolas de ginástica vêem algum potencial na criancinha, eles tendem a drogá-la falar que ela tem muito potencial e convencê-la que o lugar dela é lá. Assim ela conta tudo para os seus papais, que ficam super felizes e decidem deixar o(a) pirralho(a) praticar a ginástica.

Preparação e Treinamento

Geralmente, a preparação de um atleta passa por três fases. A primeira começa aos três anos, e é onde a criancinha conhece o seu novo treinador e aprende a dar cambalhotas (desconsidere aquela chinesa que você viu fazendo um Silivas aos dois anos de idade no YouTube). Essa é a idade preferível para alguém se iniciar na ginástica, pois aos três anos as crianças não sabem os perigos da ginástica (como cair de cabeça, quebrar o braço, ficar tetraplégica e etc.) Geralmente, essa primeira fase vai até aos dez anos. Nesta fase, os futuros ginastas treinam até cinco horas por dia.

A segunda fase é a fase em que a ginasta começa a pegar no duro, ou seja, treinar pra valer e não fazer aquilo que você pensou. Essa fase vai até os doze anos. Nesta fase, os atletas começam a entrar em competições, treinando até oito horas por dia.

Na terceira fase, geralmente a partir dos 13 anos, é a parte em que a atleta pega no duro mesmo. A não ser que a ginasta seja muito medrosa, é nessa fase que elas entram em competições ou desistem. Os atletas entram em competições internacionais, treinando no mínimo dez horas por dia, sete dias por semana, enquanto têm que ouvir o treinador falando merda ou lhe assediando sexualmente, em uma rotina que faz a Ilha da Rainha da Morte parecer uma colônia de férias:

Uma rotina de uma ginasta olímpica

  • 5:00: acordar, tomar banho, desjejum de um pão de forma com água, se vestir.
  • 6:00: começo dos treinos. O aparelho varia de dia para dia.
  • 12:00: pausa para o almoço, onde a ginasta é pesada antes e depois de comer um prato de sopa de nada, e se tiver ganho peso, terá que ouvir uma hora de sermão do técnico lhe dizendo que está gorda.
  • 13:00: retorno aos treinos. Um aparelho diferente em relação ao praticado na manhã
  • 19:00: final dos treinos físicos. Banho, outro prato de sopa de nada para o jantar, outra bronca do treinador.
  • 20:00: ir tomar banho
  • 21:00: Revisão por vídeo do treinamento e das coisas que deram errado, mais bronca do treinador.
  • 22:00: Consulta com o fisioterapeuta pervertido da equipe. Enquanto isso, o treinador vai à oficina para forjar documentos, com o objetivo de comprovar que a ginasta tem um ou dois anos a mais do que sua idade real.
  • 23:00: Hora de dormir ou cair morta, o que vir primeiro

Após alcançar a maioridade, a grande maioria das ginastas simplesmente é descartada e jogada no lixo para dar lugar a uma nova geração de garotinhas para serem torturadas e exploradas.

Os ginastas homens têm uma vida menos preocupada, sem a parte do fisioterapeuta pervertido, e podem estender suas carreiras até os vinte, trinta anos, não precisam forjar os documentos para entrar em torneios e o ginasta médio tem uma vida de aposentado (literalmente, pois um ginasta envelhece feito cachorro) com menos pressão longe dos holofotes, onde pode virar treinador, personal trainer ou fazer uma faculdade como as pessoas normais. As ginastas, pelo contrário, quando se aposentam, correm o risco de virarem celebridades, dirigentes esportivas, atrizes ou se casarem com um político aleatório em um casamento arranjado.

Os Aparelhos

Os aparelhos são divididos entre mulheres e homens. Cada aparelho possui exigências frescas, ou seja, coisas que o ginasta tem que fazer querendo ou não, ou então os jurados vão olhar com cara feia.

Solo

O solo é um dos principais aparelhos da ginástica, pois é o mais simples. Ele consiste de uma superfície quadrada almofadada pintada de azul bebê ou qualquer outra cor, com umas molas embaixo do solo para garantir impulsão extra (antigamente era um tapete como o da sala da sua casa, em um chão de concreto duro como o chão da sua casa) em que o/a atleta fica dançando balé e dando piruetas, estrelas, tsukaharas, e outros saltos de nomes de maçons. As apresentações do solo demoram entre 50 a 70 segundos para os homens e entre 70 a 90 segundos para as mulheres. O fato de as apresentações masculinas serem mais curtas é por que elas raramente têm alguma graça. A FIG então decidiu diminuir o tempo para evitar a perda de público. Uma peculiaridade das apresentações femininas no solo é o acompanhamento musical. Apesar de as músicas na maioria das vezes serem músicas instrumentais compostas por Beethoven ou Tchaikovsky e não terem nada a ver com o negócio, elas até que acabam dando alguma graça às apresentações.

Aparelhos masculinos

Salto sobre a mesa

Esse aparelho surgiu quando Klauskinski, grande filósofo grego, ao fugir de sua esposa após pratica de adultério, pulou uma mesa e acabou tropeçando e consequentemente sendo pego. Apartir de então, todos na cidade tentavam pular a mesa para treinar caso fossem pegos por suas esposas. Muitos anos depois a mesa foi parar na ginástica. A prova do salto é composta por uma pista de uns 25 metros, com um trampolim e a mesa em si. A principal exigência do salto sobre a mesa é que os homens corram igual Klauskinski correu, mas dessa vez sem tropeçar na mesa.

Cavalo com alças

Esse aparelho surgiu quando numa cidade de rodeios, rolou uma praga egípcia que matou todos os cavalos da região, os vaqueiros tiveram que recorrer para um pedaço de madeira e fazê-lo de cavalo. Depois de todo mundo se divertir ele virou aparelho de ginástica. Hoje, o cavalo com alças é um dos aparelhos mais sem sentido da ginástica, em que o ginasta só fica girando com os braços apoiados no bendito aparato simulando posições sexuais. Geralmente quando o ginasta começa a ficar tonto ele sai.

Barra Fixa

Esse aparelho é a versão masculina das barras assimétricas. Nele, como no cavalo com alças, o atleta fica girando e girando, a única diferença é que dessa vez os giros são na vertical e só há uma barra.

Barras Paralelas

Esse aparelho doido consiste de duas barras paralelas em que o atleta tem que ficar imitando um macaco com formiga no rabo. Quanto mais convincente for a apresentação, mais pontos o atleta ganhará.

Argolas

Nesse aparelho, o ginasta fica pendurado em duas argolas que ficam altas pra caramba. Esse é considerado um dos aparelhos mais chatos da ginástica por que os movimentos são sempre os mesmos, não importa o quão criativo seja o atleta. É apenas um teste de força para ver quem consegue forçar mais os músculos sem peidar ou rasgar os uniformes apertados. Técnicas obrigatórias incluem o Cristo, o Anticristo e piruetas sem sentido ou apenas para ganhar impulsão para o salto final.

Aparelhos femininos

Salto sobre o cavalo

O aparelho teve a mesma origem da mesa, mas substituindo-a pelo cavalo, mas sem as alças. As mulheres têm que pular sobre um cavalo porque Klausinski havia pego um cavalo para fugir da esposa. Por ser um aparelho extremamente perigoso, foi redesenhado para que lembrasse mais uma mesa do que um cavalo, enquanto a mesa dos homens foi redesenhada para lembrar um cavalo.

Você sabia que...
  • ...As competições de salto sobre a mesa têm uma ambulância de prontidão para atender os ginastas que caem após falharem seus saltos, e as competições de salto sobre o cavalo têm um carro funerário de prontidão para atender a doida que querer fazer um Produnova e acabar falhando

Barras Assimétricas

Provavelmente o aparelho mais fodástico da ginástica. Nele as ginastas giram, voam de uma barra para a outra, fazem largadas e retomadas (procure o significado disso no Google) e fazem giros com as pernas abertas, fechadas, giros em cima da barra, transições de uma barra para a outra e outras técnicas. É o único aparelho onde existe uma pessoa designada para ficar ao lado do aparelho para tentar evitar que a ginasta se espatife no chão quando ela não conseguir agarrar a barra em uma manobra. As barras começaram sendo praticamente as mesmas barras paralelas dos homens, mas utilizadas transversalmente em vez de longitudinalmente. Apenas na década de 60 que as barras assimétricas femininas, mais altas, estreitas e separadas, surgiram, fazendo com que as ginastas fizessem coisas cada vez mais arriscadas, como ficar em pé em cima das barras, chocarem-se intencionalmente nas barras e outras loucuras, o que fez com que, na década de 80, quase todas as técnicas da modalidade fossem banidas e o aparelho fosse transformado, com as barras mais afastadas uma da outra e com a diferença de altura aumentada. Estima-se que em 2040, a diferença de altura entre as barras seja de dois metros, enquanto a distância seja de três metros, tudo em nome da segurança.

Trave

A trave foi o último aparelho a ser introduzido na ginástica artística. Ele é de uso exclusivo das mulheres, pois todos os homens que tentaram competir nele ficaram inférteis, tendo os mesmos seus membros decepados. Na trave, as atletas dão piruetas em cima de uma barra de 10 centímetros de largura. Como as provas na trave não podem ter menos de 1 minuto e as ginastas não aguentam dar piruetas esse tempo todo, elas sempre gastam o tempo em que estão paradas fazendo movimentos que variam de desnecessários a estranhos. Os desnecessários geralmente são por a mão no cabelo, dar um tchauzinho ou mostrar o dedo do meio (nem tão desnecessário) enquanto os esquisitos são movimentos místicos feitos com as mãos que se acredita que tenham sido derivados da macumba.

Aparelhos aposentados

Salto sobre o cavalo com alças

Nesta versão do salto sobre o cavalo, válida para homens e mulheres, o ginasta tinha que saltar, fazer uma acrobacia, aterrissar no cavalo e fazer outra sequência de acrobacias. Esta modalidade foi extinta porque ninguém conseguiu fazer as duas coisas.

Tradições

Este esporte é recheado de tradições, a maioria delas surgida após a década de 70, pois ninguém se importava com o esporte antes disso.

  • As técnicas inéditas são nomeadas em homenagem à primeira pessoa que conseguiu fazê-la em um mundial ou Olimpíada e sobreviveu para contar a história. Uma pessoa pode dar nome a técnicas diferentes em aparelhos diferentes, assim como técnicas diferentes em um aparelho. Este é o modo mais relativamente fácil de se alcançar a imortalidade neste esporte.

  E Rebeca Andrade termina sua apresentação com um Khorkina  
Comentarista sobre uma apresentação de uma ginasta
  Mas um Khorkina na trave, no solo, no cavalo ou nas barras assimétricas?  
Outro comentarista chato
  Mas foi o Khorkina I ou o Khorkina II?  
Um terceiro comentarista chato

  • Outra tradição vem da Ásia, onde a idade de uma ginasta é sempre sucedida por um "+2".

Ver também

v d e h