Abrir menu principal

Desciclopédia β

Gurupi

Cquote1.png Você quis dizer: Gurupinga Cquote2.png
Google sobre Gurupi
Cquote1.png Isso é um tapa na cara da sociedade!! Cquote2.png
Datena quando soube que o vereador Cancão estava entre os pré-candidatos à prefeitura de Gurupi
Cquote1.png Cuidado! Cquote2.png
Guia do Rally dos Sertões sobre os Buracos de Gurupi
Cquote1.png Sabia que a irmã da Prima do Tio da minha madrinha foi no Giraffas? Cquote2.png
Menina pobre que soube da inauguração do Giraffas comentando com sua melhor amiga

Gurupi, onde os médicos são açougueiros, as universitárias são as putas e os advogados existem em toda esquina passando fome, é uma corrutela situada no sul do Tocantins, com cerca de 106 mil habitantes, dos quais 105 mil são vagabundos cachaceiros, quer dizer, estudantes de outros buracos do imenso Brasil. Seu carnaval é o melhor do mundo segundo apenas seus próprios habitantes, contando com a maior quantidade de lança-perfume em open bar do Brasil.

Índice

HistóriaEditar

Gurupi surgiu junto com a construção da BR-153 em 1953. Quando o ministro de transportes do Brasil da época, em alguma sandice, achou que seria viável fazer a estrada cortando o estado mais inóspito do Brasil, o então norte de Goiás, futuro Tocantins.

Do agrupamento de casas de madeira, puteiros, botecos de palha e pequenas roças que se firmaram naquele ponto, surgia o povoado e Gurupi, que ao atingir a marca de 500 habitantes já era a terceira maior cidade de Tocantins, o bastante para se tornar a cidade polo do sul do estado, mesmo sendo tão pobre quanto a pior cidade de Alagoas.

GeografiaEditar

A vegetação de Gurupilândia é o cerrado, mais conhecido como mato seco, onde os roceiros habitantes da cidade insistem em queimar todo o mato seco que cobre a cidade.

ClimaEditar

O Clima predominante é o Calor. Há duas estações durante o ano: o período da seca e o período do mormaço. Calor o ano todo é o melhor que a cidade oferece. No inverno, estação que na verdade é o verão, mas como chove, as pseudas-patricinhas desfilam os seus modelitos de inverno comprados na Feira da Lua de Goiânia. Todo gurupiense não pode sentir uns 32ºC que já está se cobrindo.

E no Verão, ou melhor, no inverno de verdade as pessoas migram para as margens de rios que existem na região, que ali costumam ser chamadas de praia. Verdadeiras praias, com ondas de até 5 centímetros. Segundo boatos, cenas do filme "O Tubarão" foram gravadas na "Praia do Peixe". no verão ali em Gurupi a mulherada anda de short curto mostrado a regada da bunda, as blusas curtas mostrado sua pelanca (vulgo pneuzinho) levantando sua caneca até a borda de 51 Ypioca ouvindo um tecnobrega abraçadinha com um malinha catarrento que não larga seu canivete e crack de perto dele.

A temperatura média da cidade gira em torno de 45ºC na sombra. E que tende a subir, pois todo vereador gurupiense tem mania de derrubar pau e árvores, acabando com as sobras já escassas da cidade.

EconomiaEditar

Os habitantes de Gurupi querem e sonham com um carnaval igual a da Bahia, um comércio igual ao de Goiânia e a estrutura igual a de Brasília, mas então se recordam que fazem parte do Tocantins, o estado mais miserável do Brasil, então se contentam e se orgulham do pouco que tem.

PolíticaEditar

Grande parte é ladrão dentre os políticos gurupienses, que vão no bairro Vila São José para falar abobrinhas para as idosas analfabetas se encantarem e votarem nos mesmos. Com uma política focada em pão e circo, os prefeitos e vereadores vão se perpetuando enquanto o carnaval da cidade cresce. Sem falar dos vereadores de Gurupi que trabalham arduamente para empresários da cooperfrigu o próprio prefeito de Gurupi em uma prova viva de trabalho árduo pela população. Diariamente tapam os buracos da cidade, fazem grandes e bem pavimentadas estradas para as fazenda deles próprios a população rural, pagam as dividas deles da prefeitura, transformam a UNIRG numa super faculdade de merda universidade de respeito, e assim deixam toda população feliz e satisfeita com tantos progressos. E não há discórdia, todos ex-prefeitos são adorados e respeitados por nunca terem feito porra nenhuma por Gurupi sempre terem trabalhado muito por Gurupi bebendo cachaça nos bares da cidade e assim movimentando a economia usando dinheiro do próprio bolso.

PopulaçãoEditar

 
Vista aérea de Gurupi totalmente deserta.

O gurupiense provém de uma espécie evolutiva que, para sobreviver a temperatura infernal de Gurupi, não transpiram. Se suassem de forma normal morreriam em tais condições. Exatamente por isso sabem o motivo de sua cidade sempre ser chamada de "Gurupinga"

Ainda tem quem ouve rádio. E por isso o gurupiense sabe da existência de todas as cidades nacionais. E nenhuma delas conhece Gurupi.

Quando vão para o Shopping Flamboyant em Goiânia, fazem sempre questão de postar nas redes sociais achando que estão abafando.

Entre seus principais costumes é o de tem alguma árvore frutífera em casa e nunca saber seu próprio CEP e nem setor da onde mora.

EducaçãoEditar

Existem duas universidades nesta cidade, a UNIRG, onde só estudam pessoas que além de pobres (por não terem condições de pagar uma universidade de que preste) e burros o suficiente para não conseguir passar em uma universidade publica, assim comprando vaga. Resumindo, só basta esquecer a identidade com R$90,00 que já esta aprovado. Com destaque para os cursos de Roubos e Furtos, Espermagem, Fodontologia, Fisiotreparia, Loira de Farmácia, Açougaria Medicina. Conseguem transformar loucos em doutores sem doutorado.

A outra universidade é a UFT, onde só estudam desembestados peões e loucos. Gurupi tem um altíssimo IDH, (Índice de Droga por Habitante) pois está cheia de maconheiros da EAFA que vai estudar lá. No campus da Universidade Federal do Tocantins (UFT) têm-se o curso de maconharia Agroboionomia Agronomia, o qual é divido em quatro castas: Galera da Cannagays, Agroboyolas, Cachaçeiras e OTA(rias), além dos cursos de Engenharia De Cheira Pau Florestal, que aliás não se bica com os Agro-Cannabys-Cachaçeiros Agronobichas, Química debiomental Ambiental (que só passam porque a cotação é de 0.000001 por vaga) e Engenharia de Bioprocessos em Boiotecnologia Biotecnologia (cujo todo semestre entra no mínimo um gay e um japonês e o resto são um bando de vagabudos que se acham, mas no fundo são gays e escolheram esse curso pela possibilidade de enfiar o C* em tubos de ensaio extra grandes).

SaúdeEditar

Gurupiense é um tipo se ser humano que não gosta de qualidade e sim de preço, quanto mais barato for, mais gostoso para ele é, mas no dia seguinte faz check-in no Hospital Regional de Gurupi com intoxicação alimentar e na mesma noite volta no mesmo lugar para comer, é um ciclo vicioso que deixa o hospital da cidade eternamente movimentado.

SegurançaEditar

Em Gurupi não se pode andar à pé na rua ou ficar sentado na porta da sua própria casa, principalmente a noite, ao menos que você queira ter seu smartphone roubado pelos peida pedra malinhas provenientes dos setores periféricos, que andam de dois nas suas bicicletas para te roubar seu iphone de 344,245,00 reais e vender por 10 contos nas bocas da cidade.

TransportesEditar

Gurupi já foi rota do Rally dos Sertões, porém, seus carros não eram preparados para tantos buracos na cidade, e por isso Gurupi ficou de fora da rota. O gurupiense acha totalmente normal ver 3 acidentes de moto por dia.

As avenidas da cidade têm os nomes dos estados brasileiros, sendo a principal a avenida Goiás, enquanto as ruas, apesar de renomeadas para homenagear personalidades históricas, ainda são chamadas de acordo com sua numeração.

Passam anos, passam prefeitos, os buracos e operações tapa-buracos continuam. Seus moradores locais os chamam de cisternas, crateras ou panelas. Neles é possível pescar, nadar, velejar, mergulhar e nas vésperas de natal inclusive são utilizados de ornamentação, onde os moradores até podem plantar árvores de natal com direito a pisca pisca e tudo para embelezar esse patrimônio cultural que são os buracos de Gurupi. Um buraco em plena Avenida Goiás tinha uma placa com a escrita: "Proibido Pescar, área protegida pelo Ibama".

A cidade é cortada pela BR-153, também conhecida como Belém-Brasília, a rodovia que possui mais buracos por metro quadrado do país, sendo este o acesso da cidade.

De ônibus. Primeiramente reze antes de comprar a passagem. Pode se escolher entre a Real Transporte, empresa que revolucionou no sistema de transporte de cargas junto ao passageiro, economizando assim espaço vago no interior do ônibus, fazendo com que você se distraia cuidando de seus pertences nas longas e entediantes horas de viagem. Ou pode ir de Transbrasiliana, desde que você tenha de ser roubado e/ou não vá com nada de valor. Pode ir também de Itapeminirm, passagem mais salgada, mas cheia de mordomia. Até o pneu estourar, o motor enguiçar, o freio desgastar, o ar-condicionado (que já é podre) parar de funcionar e o banco travar na pior posição possível.

É Praticamente impossível chegar até a cidade de avião, Gurupi conta com um aeroporto de moscas e uma péssima estrutura, o aeroporto foi feito no ano de 1920, e não é dada a devida atenção ao mesmo desde então, contando apenas com uma empresa que tem coragem de trabalhar na cidade.

CulturaEditar

Não tem. Ou melhor, como toda cidade tocantinense, existe uma mistureba de culturas de vários estados.. Como o "Uai" e "Trem" de Minas, o "Banhá" do nordeste, o "Refri" dos gaúchos, o "Galfo" dos goianos, a viadagem de Campinas, a putaria do leste europeu, e além do mais, em Gurupi, ninguém te "cutuca no fêicii", e sim "trisca". E uma mania irritante de falar "úrrmininu" e "arrminina" entre outros... Fala em todos os sotaques e dialetos do país. E ainda arranha num sotaque americano e eslovaco.

Em cultura musical, pode ser divido em duas partes: Forrozeiros que dançam agarradinhos e rebolantes nos palcos da Telegoiás, e os sertanejos que gostam de falar babaquices do tipo "AAAOOOOL GOIÁAAYS!" , "AAAAOOOOOL TREM BÃO", e atualmente "TCHAAAAU, BRIGADOOOO!' (típica influencia dos estados de Minas Gerais e... Goiás) ouvindo música de dupla sertaneja que nunca ninguém viu e pagam 70 conto pra ir no showzinho de 10 minutos no Parque de Exposições Agropecuárias de Gurupi. Música internacional inexistente, no máximo somente aquelas músicas que passam na novela das 9. Música decente nacional, somente aquelas que passam na propaganda da Som Livre.

Gastronomicamente são conhecidos os gurupienses por comerem carne de sol como se não houvesse amanhã e pela curiosa habilidade de manejar com extrema facilidade a arte de por um pequi na boca virar de uma bochecha pra outra e devolver o pequi sequinho pro prato. Acostumados apenas com cachaça pura, também não conhecem drinks com frutas ou "Caipirosca".

Outro hábito peculiar e culturalmente aceito em Gurupi, é o costume do gurupiense em todo lugar que vão tirarem fotos, inclusive dentro de bancos, mercados, correio e prefeitura na ala do bolsa família.

Quando criança, todo gurupiense já foi para a Exposição Pecuária vestido de cowboy ou cowgirl. E iam para os brinquedos enferrujados de lá se achando como se estivesse no Beto Carrero World.

ReligiãoEditar

Andando pela cidade, o gurupiense sabe de que, numa esquina, há 70% de chance de ter uma igreja evangélica. Os outros 30% são de bares. Por isso pouco se preocupam com o espírito natalino, jamais enfeitando suas casas em época de natal.

LazerEditar

Já foi a "Praia" do Peixe, e teve que correr com seus pertences porque o rio encheu.

Gurupi está pobre de shows atualmente. Pois após decreto do TSE de não ter mais "ShowMissios" Gurupi não pode ter mais shows grandes (grande tipo "Kelly Key"). Agora os megas-eventos na cidade acontecem no parque de expopição que na verdade é o curral de algum político da cidade.

Gurupi é famosa por seus barzinhos para a galerinha se esbaldar. Palco de brigas, drogas e sexo (não... nada de Rock'n'Roll, aqui o lema é Sexo, Drogas e Riscafaca!). Qual pseudo-playboy nunca comprou um abadá de R$ 700,00 e desfilou com ele o ano todo para falar que é fodão? Para os mano resta curtir o carnaval no Bloco Municipal.

Hoje em dia o melhor evento da cidade é a Feirinha que acontece todos os Domingos. Onde o pessoal vai rever todos mesmos lisos habitantes da cidade, fazendo um verdadeiro Networking pessoal, e o Giraffas, o primeiro o único fast-food da cidade, onde todo mundo aparece lá para pedir um tri-croc com refri ou um prato regado de feijão arroz e bife esturricado e de brinde um sundae de baunilha fresquinho no capricho! E ainda se achar habitante de cidade grande só por comer mal.

TurismoEditar

O Carnaval de Gurupi é bastante visitado na região, sendo considerado o melhor, mais divertido, e com mais riscos de DST de todo o estado. Cada vez mais pobre e cheio de malas, o carnaval de Gurupi é caracterizados por seus blocos com nomes gays e pirotescos como "Nadinha na Boroca", "Xupa Cheka", "Tropaloka", "Os pifados", "To nem ai", "Power Guido" e etc.. Mas com o passar dos anos se resume apenas ao Beja (aonde toda a negada paty e playboy descolada vai para pegar uma DST pois para entrar é fácil, basta ver quanto está o salário mínimo atual, juntar a grana e entrar) e também o bloco Pega-pra-capa (aonde o povo paga para dançar e pular estilo circu di solei e que sempre ganham por serem os únicos). Diga-se que antigamente davam várias voltas pela cidade, e agora são menos de duas, para que seus organizadores possam continuar contanto a grana envolvida nas megas estruturas.

Neste carnaval só vai patricinha filha de lojista e Playboyzinho filho de lojista, para desfilarem seus Looks comprados na Av. Goiás (uma blusa da feira da lua de 10 reais é vendida por 425,00). Também são repletas de manos maconheiros que andam com peixeira presa no cinto da calça estrategicamente folgada vão procurar suas minas desfilando sua calça jeans torando na sua bundinha empinada e usando sua blusinha da loja de 10 costa nua exibindo seu sutiã relaxado. Uma verdadeira festa de tiroteio, facada, estupro e consumo de drogas ilícitas. Sempre termina com a polícia levando metade do povo no camburão.

Há ainda o Parque de Vaqueirada. O que era só pra compradores de animais e peões se divertirem, virou uma festa pros urbanos também. Vão pra lá só porque todo mundo vai, porque, se você não tem fazenda, pra quê vai ver boi fedido?