Abrir menu principal

Desciclopédia β

Hans Kelsen

Juiz.jpg Certifico, a quem interessar possa e para os devidos fins, que este artigo trata de assuntos chatos jurídicos

Data venia, se você tiver alguma informação adicional a trazer aos autos, protocole uma petição solicitando a juntada de uma procuração que outorgue a você poderes para tanto, ou clique aqui.
NewBouncywikilogo.gif
Para os neo-ateus que preferem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Hans Kelsen.

Cquote1.png Você traiu o movimento histórico alemão, véi! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Hans Kelsen
Cquote1.png Acho um absurdo essa paixão dele pela dona Norma, pois ela tem marido... Cquote2.png
Moralista sobre Hans Kelsen
Cquote1.png Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Sai daqui! Seu playboyzinho de merda, quem é você pra fala de movimento alemão? Porra! Vai se fuder!!! Cquote2.png
João Gordo, defendendo Hans Kelsen
Cquote1.png Velho filho da puta! Cquote2.png
Estudante de Direito sobre Hans Kelsen
Cquote1.png Este é definitivamente o purgatório escrito (...) A leitura é uma tortura (...) Hans Kelsen é desumano, é sádico, é diabólico. Cquote2.png
Crítica ao livro Teoria Pura do Direito do Hans Kelsen
Cquote1.png Eu tenho medo... Cquote2.png
Regina Duarte sobre Teoria Pura do Direito
Cquote1.png Hã?? Cquote2.png
Guria retardada sobre Teoria Pura do Direito
Cquote1.png Hã?? Cquote2.png
Nerd estudante de Direito sobre Teoria Pura do Direito
Cquote1.png Hã?? Cquote2.png
Professor de Direito sobre Teoria Pura do Direito
Cquote1.png Se você não entendeu a piada acima, é porque não entendeu Teoria pura do Direito Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre você
Cquote1.png Eu li e entendi Teoria Pura do Direito. Cquote2.png
Chuck Norris sobre Teoria Pura do Direito, de Van Helsing, quer dizer, Hans Kelsen
Cquote1.png O autor deste artigo morreu, por insinuar que Chuck Norris se confundiu com o nome de Hans Kelsen. Cquote2.png
Desciclopédia sobre autor deste artigo
Cquote1.png Vejo vocês no inferno!. Cquote2.png
Hans Kelsen para alunos de Direito
Hans Kelsen foi um jurista austríaco que morreu virgem (ver Lico de Cair Pinto), nascido no então Império Austro-Húngaro, que assim como sua teoria, diga-se de passagem inútil, foi extinto após a Primeira Guerra Mundial.

BiografiaEditar

 
Kelsen pensando sobre sua nova teoria para fuder com os estudantes de direito
 
Kelsen rindo de quem tenta entender suas teorias

Kelsen nasceu em 1881 (acredita-se ter sido antes de Cristo) em "Praga", capital da República Checa, muito próximo à Chechênia. Filho de Joseph Maximilian Vaksenfodar (um cinéfalo e dono de um circo sadomasoquista) com a atriz pornô Gretchen. Foi batizado com o nome de Van Helsing, no entanto, logo após o seu nascimento, o cartório veio a negar seu registro de nascimento, forçando assim os pais a substituírem por Hans Kelsen.

Ainda quando era uma criança, rejeitado na escola por causa dos seus óculos redondos, o pequeno Van Hans se trancava em seu quarto e ficava horas fazendo a única coisa que tinha para fazer: lendo e relendo os dois únicos livros que existiam em sua casa: uma gramática e um curso de Direito Constitucional Internacional. Deste modo, Kelsen lavou seu próprio cérebro e se tornou especialista em escrever períodos com mais de cem orações, cheios de neologismos e advérbios complicados, defendendo a supremacia da Constituição, escrevia de tal forma que as vezes nem ele próprio se compreendia. Seu objetivo na escrita sempre foi confundir o leitor, motivo este que, hoje em dia, todo mundo apenas finge que entende alguma coisa de Kelsen.

Ao entrar na faculdade de Direito, buscando deixar para trás seu passado de fracassado perseguido na escola por causa dos seus óculos, Kelsen tentou se integrar com seus colegas de classe fumando maconha, típico de todo graduando do curso de Direito, com seus novos "amiguinhos" depois da aula. Isso foi ótimo para o jovem Hans, pois o vício, então adquirido por ele, o deu uma incrível capacidade de abstração, até hoje por ninguém superada, nem mesmo por Bob Marley.

A grande reviravolta na vida de Kelsen foi ao fazer uma viagem para o Egito. Sentado sobre o pé de uma pirâmide, fumando seu baseado, em um belo dia de sol, Hans estava abraçado ao seu bom e velho livro de Direito Constitucional quando um sinistro vento fez suas anotações voarem para a pica o pico da pirâmide, fazendo com que ele tivesse sua grande sacada: a "Norma Fudidamental Hipotética". Disse Kelsen: "Sem motivo não terias o tão tempestivo ar a arremessar tais folhetins às brisas, que por conseguinte, entrenharam-se no ápice de um triângulo sagrado. Eis que deve haver um fundamento para tal, uma norma, que nasce deste tão longínquo, e nada corriqueiro, acontecimento".

Mendigo do Direito traduzindo a frase mencionada a pouco, para quem não a compreendeu: "Se quers nom teedur o temps enso saseod coliria sdeee suabaca sertu da iso aí".

Ninguém até hoje entendeu o que é a tal Norma Fudidamental Hipotética, pois isso conseguiu ser mais complexo de entender do que o último teorema de Fermat. Por isso, ao longo do resto de sua vida, Kelsen ficou tentando explicar suas ideias, que foram colocadas no livro "Teoria Puta do Direito". Por um erro de digitação, Kelsen recebeu os exemplares do seu livro, que ele mesmo mandou rodar, ao custo do dinheiro poupado em duas semanas de abstinência de maconha, com o título "Teoria Pura do Direito". Isso o deixou muito chateado. Foi o fundo do poço para Kelsen, os piores dias de sua vida. Pensou até em se matar. Entretanto, ele superou. Processou a editora e ganhou em todas as instâncias. Os juízes, assustados com os argumentos de Kelsen, por não entenderem absolutamente nada e, obviamente, não queriam passar por burros, acreditaram que sua defesa deveria ser excelente e - como indenização - Hans recebeu dinheiro suficiente para mandar rodar milhares de exemplares de seu livro, pela mesma editora, que não faliu, pois recebeu todos dinheiro que teve que pagar como indenização de volta.

O caso ganhou a mídia e, o livro, consequentemente, virou um best-seller. Como era moda ler Kelsen, todos os juristas e advogados da época tentaram ler o "Teoria Pura" e entende-lo. Ninguém conseguiu, mas como todos acreditam que o livro tinha um significado indecifrado que poderia mudar o mundo, ele foi tornado leitura obrigatória em todas os primeiros períodos das faculdades de Direito existentes.

Apesar de toda a popularidade que ganhou com a venda de seu único livro e ser chegado a um Tapa na Pantera, Hans não era popular com as mulheres. Segundo os historiadores especializados em sua vida e obra, o mais próximo que ele chegou de uma mulher foi a estátua da deusa Justiça que decorava seu escritório. Diante de tal situação, muitos de seus admiradores mantém grupos no Whatsapp e no Facebook para homenageá-lo como "Kelsen morreu virgem". O que é de certa forma uma contradição, pois Kelsen certamente fodeu, ainda fode e vai foder muita gente (principalmente estudantes de direito), mesmo estando morto!

Como para ele ser o cara mais chato e importante do Direito Romano-Germânico não era o bastante, o já Velho Kelsen mudou-se para os Estados Unidos e ali ficou atrapalhando os estudantes de Direito até após sua descida para as profundezas...

  Este artigo é sobre uma subcelebridade

e certamente aparece como convidado nos programas da Record.

Cuidado: Hans Kelsen pode cobrar cachê por ler este artigo.


Ver tambémEditar