Abrir menu principal

Desciclopédia β

Human

Este artigo é sobre um HIT!

É uma música chata, repetitiva e seu vizinho adora. SOLTE O SOM!

Music madonna.jpg
Cifras.gif
No acervo de Descifras, há tradução(ões) da(s) música(s) de Human,
veja: Descifras:Ari riu uma, ou o ar de Câncer (Human, The Killers)


Cquote1.png Como eu fico gostoso vestido assim! Cquote2.png
Brandon Flowers e sua reconhecida modéstia
Cquote1.png Acho que não, hein... Cquote2.png
Qualquer um sobre citação acima

Human é uma música da banda americana The Killers, que retrata a emocionante e sempre interessante vida de um fantoche, recém-comprado por um ventríloquo amador que recebeu a notícia que seria a grande atração de um programa dominical qualquer, provavelmente o Domingo Legal. Isso significa duas coisas: a letra da música provavelmente é algo nada a ver que apenas fãs retardados gostam e que o SBT passa por uma crise de falta de criatividade para por em seus programas que chega a espantar.

Índice

A músicaEditar

 
Olhe só...só pela cara do boneco dá pra perceber toda a satisfação e admiração que o mesmo tinha pelo seu dono.

Um fantoche, daqueles controlados por cordinhas que retardados desocupados sem estudo ficam balançando dando a impressão de que eles estão dançando (realmente vale tudo para não virar gari, Bóris Casoy que o diga), passava por uma crise emocional (tentava se inspirar no Pinóquio, maior ídolo dos fantoches) e decidira exprimir isso tudo num papel. Desde o início de sua vida, até o momento em que se encontra, prestes a passar vergonha provavelmente travestido de Ivete Sangalo, Mulher Maravilha, Elba Ramalho, ou pior, de Latino.

Naquele memso instante, dividindo hotel com o ventríloquo e seu simpático e revoltado boneco, estava o The Killers, durente uma rápida passagem pelo Brasil - tão rápida que quase ninguém tem certeza sobre o fato de a vinda deles ser verdade ou não. Enfim, Brandon Flowers e seu staff estavam no quarto da frente com alguma dificuldade para escrever novas músicas, visto que provavelmente todo o gás acabou ainda no Hot Fuss.

Durante a madrugada, então, os destinos de ambos se cruzaram. O Day & Age não tinha nenhuma música que viraria sucesso - na verdade, todas até aquele instante davam a impressão de que o The Killers tinha escrito tudo em Cuba e que os produtores eram integrantes do Buena Vista Social Club, e isso podia causar um grande problema para os Killers e principalmente para o Brandon, visto que se as vendas desse CD fossem baixas, o dinheiro seria bem menor e Brandon teria que abrir mão dos faisões para seguir comendo o feijão com arroz de todo santo dia.

E o nobre fantoche começou a dar seu show emoticamente filosófico, gritando e despejanto todos os seus sentimentos, aproveitanto que o ventríloquo nada podia fazer, já que tava num sono tão profundo que a baba que saía de sua boca já fazia uma lagoa no chão. Brandon começou a ouvir tais gritos e já ia reclamar, quando bateu aquela ideia de prestar atenção pois podia virar uma música!

O desabafo do fantocheEditar

 
Olhe só...coitado do boneco, sendo submetido à situações humilhantes. Olhe como o mesmo está triste, cabisbaixo, quase que indo em direção de um aglomerado de traças para se matar...

Eis que o pobre ser feito de madeira barata terá sua história contada. A começar pelo desabafo: I did my best to notice, when the call came down the line... Up to the platform of surrender, I was brought but i was kind! Em portupiniquim eu fiz meu melhor para perceber...quando o chamado veio. Na plataforma de entrega... Fui levado mas fui gentil. Simples de entender. O boneco fantoche ainda estava na marcenaria, tentando fazer o melhor pra não ser simplesmente vendido para um mané qualquer. Mas veio o chamado Hey, você tem novo dono! Sai daqui sua praga! Na plataforma, no setor de entregas, ele percebeu que seu comprador era um maluco, mas mesmo assim ele foi gentil com o mesmo - só pra não virar serragem, pelo menos naquela hora.

Vamos para um pequeno momento flashback. Logo depois disso, ele foi jogado no porta-malas do carro do cara (nem do ano era, outro mal sinal para o pobre boneco), até o instante que a viagem termina e ambos chegam no destino. Uma lojinha, cujas portas estavam abertas e era madrugada. Isso pode explicar parte dos versos que vêm a seguir. Vamos lá, seguindo a ordem: And sometimes i get nervous, when i see an open door... Close your eyes, clear your heart. Traduzendo, fica as vezes fico nervoso quando vejo uma porta aberta, feche seus olhos, limpe teu coração.

Bom, quando vê uma porta aberta, significa quando ele se prepara para entrar na casa de seu novo dono. Se bem que ua loja que fica aberta até a madrugada, se não for uma drogaria 24h, já tem boa chance de ter putaria no meio. Aí ele fecha os olhos, talvez já prevendo que viraria talvez um brinquedo sexual, e ele limpa o coração dele (MAS DESDE QUANDO BONECOS DE MADEIRA TEM CORAÇÃO!??).

Bom, enfim, para sorte dele aquilo não era um puteiro (apesar de pelo clima parecer. Era um clube de happy hour (onde ricos se embebedam depois do trabalho e são roubados, caro descíclope miserável que não sabe o que é clube de happy hour), cuja atração era o cara e o boneco. Sim, aí o discípulo do Pinóquio descobre que viraria um fantoche. Começa então o primeiro show. Fim desse flashback.

O coitado do boneco odeia tudo aquilo. Ser fantasiado de havaiana dançando hula-hula com duas metades de côcos tapando os mamilos e ver uma corja de retardados aplaudindo e achando aquilo o máximo. Humilhação maior, só se ele ele fosse partido em vários pedaços pra virar pauzinho de comida japonesa e passar o resto da vida (?) com um único objetivo: pegar macarrão e sushi.

 
Olhe isso... Brandon Flowers tendo que recorrer à um boneco de madeira para escrever uma música decente...

Aí surge o momento de pensamento principal, o ápice da filosofia dos bonecos. Brandon Flowers, já muito interessado naquels primeiros versos, depois de ouvir esses seguintes, faria desse um refrão da nova música. Tanto que ele chamou sua esposa seu companheiro da banda, Ronnie Vannucci. O boneco exclama: Cut the cord! Are we human? Or are we dancer? My sign is vital... My hands are cold! And I'm on my knees, looking for the answer...Are we human? Or are we dancer?. Bom, fácil. Corte as cordas! Nós somos humanos ou dançarinos? Meu sinal é vital...Minhas mãos estão frias! E tô de joelhos, procurando pela resposta...somos humanos ou dançarinos?

Simples. Quase que um chamado para todos os outros bonecos que estão nessa situação (esse cara podia abrir um sindicato para a classe, hein?). Ele exclama para cortarem as cordas que os prendem à essa situação humilhante do controle de ventríloquos ou controladores de fantoches dançantes. Ele pergunta se eles são humanos ou somente dançarinos, um dilema parecido ao de Pinóquio, cujo sonho era virar humano de verdade. Ele fala que seu sinal era vital. Não se sabe qual sinal, já que o coração era de madeira que nem ele, o único sinal que madeira tem é... sinal de que apodreceu. Ele estava de joelhos... nesse caso procurando a nota fiscal da compra dele pelo ventríloquo para dar o fora sem dar chance de o mesmo pegar outra vítima. Daí ele acharia a resposta pra isso.

Assim continua o pobre boneco, até o instante em que o dono dele acorda (provavelmente se engasgou com a própria bada, feito inigualável que idiotas conseguem fazer enquanto dormem), e foi pego. Aí começa a maior parte do melodrama: Pay my respects to grace and virtue, send my condolences to good. Give my regards to soul and romance, they always did the best they could... And so long to devotion, you taught me everything i know! Wave goodbye, wish me well. Apresente meu respeito para a graça e a virtude, envie minhas condolências para o bem (todo melodrama tem que ter coisas que não fazem sentido, vide as novelas da Globo); envie meus agradecimentos para a alma e o romance, eles fizeram o melhor que podiam (bom, para a alma dele que nunca existiu mas ele tinha esperança de achar um dia e para o romance, outra ilusão que o boneco tinha, mas dessa vez com uma outra boneca de madeira, mas isso é outra história); acene adeus, me deseje sorte (bom, drama de um futuro morto).

Por ele estar se mexendo e não ter visto nenhuma formiga ao redor, o cara imediatamente pensou que esse boneco era, ahn... encapetado. Como ele não sabia da existência da IURD (se ele soubesse de primeira levaria pra lá pra desencapetar o boneco), pensou em quebrar ele todo. No caso, em fazer dele serragem. Eis que ele solta um YOU'VE GOT TO LET ME GO! (você tem que me deixar ir!) E solta o refrão novamente.

Hora de virar serragemEditar

 
Olha lá...Brandon todo orgulhoso, sendo elogiado por toda essa coisas sem sentido, com aquele sorriso cínico na cara.

O dono então pensa que está louco, mas mesmo assim prefere não arriscar e acabar com o boneco. Brandon se preparava para invadir a casa, mas o ápice criativo do boneco podia acabar, e Ronnie interfere, dizendo que até o instante do boneco virar serragem, novos versos podiam vir. Fica o silêncio. O boneco realmente duvidava que sou dono fizesse isso. Mas como a situação tava ficando preta, o pedaço de madeira apela para o sempre ineficaz sentimentalismo: Will your system be alright, when you dream of home tonight? There is no message we're receiving... Let me know is your heart still beating? (Seu sistema vai ficar certinho, quando você sonhar com o lar hoje de noite? Não há mensagem que estamos recebendo, deixe-me saber: seu coração ainda tá batendo?) Obviamente uma tentativa de amolecer o coração do cara. Nem funcionou.

Enquanto o boneco era impiedosamente destruído, ainda deu tempo de ouvir ele tentar puxar um refrão. Mas Brandon já tinha em mente o que fazer: repetir o refrão duas vezes, fazer um clipe no deserto de forma non-sense vestido com trajes faisônicos e assim viraria só mais uma música retardada em que certamente algum crítico se encarregaria de achar um significado pra ela e chamar Brandon de gênio, além de os fãs se encarregarem de fazer essa música bombar no iTunes. Tudo isso sem nem precisar pagar direitos autorais!

Acabou que virou uma das poucas músicas do The Killers no Day & Age que mais lembra um salseiro ou que pelo menos não pareça mais música de forró de terceira idade de fim de domingo. Além de ser uma das mais conhecidas dos posers e dos críticos, que se referem à ela como uma genialidade dos Killers fora do Hot Fuss. Bom, de qualquer jeito isso virou uma música. Ruim, mas é uma música e é isso o que importa (ou não)

LetrasEditar

I did my best to notice
When the call came down the line
Up to the platform of surrender
I was brought but i was kind
And sometimes i get nervous
When i see an open door
Close your eyes
Clear your heart

Cut the cord
Are we human?
Or are we dancer?
My sign is vital
My hands are cold
And I'm on my knees
Looking for the answer
Are we human?
Or are we dancer?

Pay my respects to grace and virtue
Send my condolences to good
Give my regards to soul and romance
They always did the best they could
And so long to devotion
You taught me everything i know
Wave goodbye
Wish me well

You got to let me go
Are we human?
Or are we dancer?
My sign is vital
My hands are cold
And I'm on my knees
Looking for the answer
Are we human?
Or are we dancer?

Will your system be alright
When you dream of home tonight?
There is no message we're receiving
Let me know is your heart still beating

Are we human?
Or are we dancer?
My sign is vital
My hands are cold
And I'm on my knees
Looking for the answer

You've got to let me know
Are we human?
Or are we dancer?
My sign is vital
My hands are cold
And I'm on my knees
Looking for the answer
Are we human
Or are we dancer?

Are we human?
Or are we dancer?

Are we human
Or are we dancer?

TRADUÇÃOEditar

Eu fiz o meu melhor para perceber
quando o chamado veio
Na plataforma de entrega
Fui levado mas fui gentil
E às vezes eu fico nervoso
Quando eu vejo uma porta aberta
Feche os olhos
Limpe seu coração

Corte o cordão
Somos humanos?
Ou somos dançarinos?
Meu sinal é vital
Minhas mãos estão geladas
Eu estou de joelhos
Esperando a resposta
Somos humanos?
Ou somos dançarinos?

Apresente meu respeito para graça e virtude
Envie minhas condolências para o bem
Dê meus cumprimentos a alma e romance
Eles sempre fizeram o melhor que podiam
E adeus à devoção
Me ensinou tudo que sei
Acene adeus,
Deseje-me sorte

Você tem que me deixar ir
Somos humanos?
Ou somos dançarinos?
Meu sinal é vital
Minhas mãos estão geladas
E estou de joelhos
Procurando a resposta
Somos humanos?
Ou somos dançarinos?

Seu sistema ficará bem
Quando sonhar com o lar hoje a noite
Não há mensagem que estamos recebendo
Deixe-me saber, seu coração ainda bate?

Somos humanos?
Ou somos dançarinos?
Meu sinal é vital
Minhas mãos estão geladas
E estou de joelhos
Procurando a resposta

Você tem que me deixar saber
Somos humanos?
Ou somos dançarinos?
Meu sinal é vital
Minhas mãos estão geladas
E estou de joelhos
Procurando a resposta
Somos humanos?
Ou somos dançarinos?

Somos humanos?
Ou somos dançarinos?

Somos humanos?
Ou somos dançarinos?

VideoEditar