Abrir menu principal

Desciclopédia β

Infinite Waifus
インフィニット・ストラトス IS
Infinite Stratos girls.jpg
Galeria de waifus
Gênero anime de harem com mechas e um pouquinho de ecchi
Mangá
Autor Sururu Yumizuru
Divulgação Minha Fábrica
Onde sai Muito te Como Vivo
Primeira publicação 27 de maio de 2010
N° de volumes 8
Anime
Dirigido por Yasuhito Kumurcho
Estúdio 8-Bitch
Onde passa TBS
Primeira exibição 7 de janeiro de 2011
N° de episódios 24
Filmes -
OVAs 3 (só putaria)

Infinite Stratos é um popular anime de harém, que como tal é como uma prolongada e frustrante masturbação na qual você termina sem gozar, já que o protagonista é um frouxo indeciso. Como já haviam inventado animes de harém nos estudos para vestibular, harém de garotas mágicas, harém de porradeiras, harém de súcubos, harém de irmãs e até harém invertido, faltava um harém com Gundam, então Infinite Stratos vem para suprir essa carência no mercado, tornando-se bem popular por unir dois gêneros que originalmente seriam improváveis de conviver. Não espere ver homens nesse anime, eles simplesmente não existem nesse mundo e as mulheres aparentemente se perpetuam por reprodução assexuada, o que explica porque ficam todas molhadinhas ao ver o primeiro homem imbecil, frouxo e retardado que veem pela frente. No final é tudo só um grande material para hentai cm garotas de todos estilos para saciarem todos os gostos de shippadores de plantão.

O anime destacou-se particularmente por descaradamente reforçar estereótipos negativos contra europeus. Trazendo uma britânica pedante, chata e metida, um francês bicha que se veste de mulher, uma alemã nazista que é totalmente burra sobre sentimentos e uma russa alcoólica que é uma pervertida assumida.

Índice

EnredoEditar

Primeira temporadaEditar

 
Anime de enredo bem complexo, você precisa prestar muita atenção.

O anime se passa num futuro não muito distante no qual o Japão tornou-se a maior potência mundial por tornar-se o maior exportador mundial de Gundam, robôs tripulados que foram inventados por uma cientista maluca e peituda chamada Tabane que mais parece uma personagem perdida de hentai, ela quem criou os IS (Infinite Stratos), o nome desses mechas os quais convenientemente só mulheres são capazes de pilotar. O motivo disso? Porque sim, e mais conveniente ainda depois determinar que apenas um único homem em todo planeta consiga pilotar um desses.

A história gira então em torno do último rapaz homem ainda vivo no mundo e seus dramas em ter que conviver os dias inteiros de sua vida rodeado de mulheres loucas, surtadas e na maior seca por sexo. O que piora mais ainda é o fato dele ser meio gay, totalmente frouxo e jamais demonstrar vontade em pegar nenhuma delas. Este rapaz é o protagonista chamado Ichika Orimura, que ainda por cima é o irmão mais novo da Chifuyu Orimura, a diretora da Academia Infinite Stratos, uma escola que forma e treina pilotas para IS, mas que atualmente está visivelmente com problemas financeiros e tem apenas duas professores como funcionárias para cuidar de uma escola inteira (o que inclui, além de dar aulas, também dar os treinos, cuidar dos quartos, fazer a limpeza, manter a ordem, e nos momentos de crise, se trancar em salas escuras e ficar olhando um telão cheio de números sem tomar nenhuma atitude útil).

 
Rin, tentando apagar o fogo no rabo da Cecilia passando um pouco de óleo de peroba no ânus da amiga.

Como Ichika é o único homem numa escola habitada só por mulheres na puberdade, ele rapidamente vira alvo de um bando de guria que parece que não tem piriquita no meio das pernas, mas umas aves fenix do tanto de fogo no rabo que essas meninas tem. O anime já seria ruim e clichê por aqui, mas piora ainda mais quando vemos batalhas de mechas extremamente genéricas que estão ali só por estar, até porque até o surgimento da Phanton Task só na segunda temporada, essaas garotas estão lutando é só entre si (quem foi o retardado que teve a ideia de oferecer mechas para crianças na puberdade?).

A primeira a ficar molhadinha pelo Ichika foi a transferida estudante britânica, Cecilia Alcott. Momento em que descobrimos que a Academia Infinite Stratos realmente não é uma escola qualquer, porque além de ensinar gurias retardadas a pilotar mechas com apenas duas professoras, eles ainda acolhem estereótipos femininos de todas partes do mundo, sendo Cecilia o primeiro exemplo, uma loira esnobe, que gosta de vestir calcinhas de puta, não sabe cozinhar e após tomar um cacete do Ichika num duelo de mechas descobre seu lado mais masoquista e se torna perdidamente apaixonada pelo rapaz.

Depois é a vez da Lin aparecer, o estereótipo chinês, então ela é obviamente filha de pais donos de alguma famosa pastelaria, embora ela tenha o sonho de abrir um restaurante que venda porco agridoce. É outra que no começo odeia o Ichika sem o menor motivo, mas toma porrada e descobre ser masoquista também, passando a desejar ser escrava sexual do rapaz.

 
Momento em que Ichika (pra variar, entrando onde não é chamado) descobre que Charles na verdade é um travesti.

A terceira a aparecer é na verdade um rapaz que gosta de se travestir, o simpático Charles, ou seja, só podia ser de nacionalidade francesa mesmo. No começo tenta de todas as formas parecer homem, mas é viado demais e acaba se apaixonando por Ichika, passando então a começar a usar roupas de menina com as saias mais curtas possíveis, tudo para tentar convencer o protagonista a comer um trap, o que até parecia que poderia mesmo acontecer, mas aí se descobre que ele na verdade é ela, e não é trap, aí Ichika perde o interesse sexual.

 
Laura praticando kama sutra com seu noivo.

A quarta a aparecer é a nazista Laura Bodewig, mais uma tsundere, dessa vez uma baixinha que inicialmente é feminista e tem ódio dos homens. Mas que seguindo a lógica dos animes, que diz que nada deve ter lógica, enquanto num episódio ela aparece se gabando sobre Auschwitz e que vai matar Ichika, no episódio seguinte (depois de apanhar e descobrir que é masoquista - outra) já está beijando a boca do protagonista e o pedindo em casamento e largando a bandeira feminista para virar escrava sexual de um homem desconhecido.

E tudo isso enquanto Houki Shinonono, a waifu e shipping oficial do anime, fica só assistindo o amor da sua vida dar mole para praticamente todas as meninas da escola, mesmo ele sendo um estúpido conseguindo aumentar seu harém a cada episódio, enquanto deixa Houki numa eterna e frustrante friendzone. Houki passa muito tempo como personagem secundária porque ela inicialmente não tem seu IS pessoal, que são os mechas pessoais guardados em pulseiras e que se materializam em torno do corpo de seu portador desafiando qualquer senso de lógica ou leis da física.

Espere... esse anime ocorre numa escola? Porque estudar e treinar que é bom, isso não vemos é nunca, os personagens estão sempre é perdendo tempo com futilidades e obscenidades casuais e acidentais (quase-ecchi).

 
É verdade. Esse anime tem mechas também, já íamos esquecendo.

No final o diretor desse anime recordou que estava criando um anime sobre mechas, e não sobre putaria soft, então precisou inventar que um robô voador maluco fabricado no Polo Industrial de Manaus foi possuído pelo espírito do Exu-capeta e surtou indo voar descontrolado no oceano Pacífico. É nesse momento que Houki ganha sua unidade pessoal, um robozão vermelho com velocidade supersônica. Não bastasse o anime inteiro com os clichês de harém com um protagonista inconveniente entrando no banho das meninas e tomando socos, invadindo os quartos das meninas e tomando socos ao vê-las só de pijama, e outras besteiras típicas, agora nesse final um clichê de seinen no qual na briga de robôs voadores eles primeiro apanham feio no penúltimo episódio, pra se redimirem no episódio final com um belo trabalho em equipe. Quem não sabia que isso iria acontecer desde o primeiro episódio é porque é burro. O final é a decepção já esperada desde o começo, o protagonista fica com ninguém, permanece virgem, e ainda se faz de besta.

Segunda temporadaEditar

Como se trata da droga de um anime de harém, todos os assuntos já se esgotaram na primeira temporada, que inclusive já tinha tido episódios demais, mas como os punheteiros amaram o anime, o estúdio se viu forçado a fazer uma segunda temporada. Já no primeiro episódio dessa segunda temporada percebemos que uma continuação disso não deveria existir, tudo parece ser só uma grande enrolação com quantidades massivas de fanservice forçado (tipo a Laura lambendo a bochecha da Charlotte), nem parece que o anime tem o mesmo roteirista, parece que foi assumido pelos escritores de fanfic já que não bastou terem transformado Laura e Char em casalzinho yuri, começam a fazer o mesmo entre Cecilia e Lin e até começaram a dar dicas de alguma possível relação incestuosa entre Ichika e sua irmã.

 
Tipo de enrolação fanservice que tiveram que colocar na segunda temporada para ir enchendo linguiça.

Apesar de uns malfeitores badernistas aparecerem, um grupo que também tem problemas financeiros e não possui mais do que três integrantes, a Phanton Task, não espere muita seriedade no decorrer dos episódios, todo mundo está cagando para essa ameaça e vão fazer pique-nique no parque, literalmente, enquanto há psicopatas atrás do protagonista. Só fanservice, episódios com vestidos, episódios com roupas de empregada e uns até com roupas de coelhinha da Playboy.

A Academia Infinite Stratos continua com o seu baixíssimo orçamento, ainda só com duas professoras, mas duas irmãs foram introduzidas como novos personagens shippáveis. Como são nativas da Rússia, possuem claros problemas psicológicos e extrema dificuldade em socializar. Tatenashi Sarashiki, a mais velha, é uma pervertida maluca que é forte só porque sim, enquanto sua irmã caçula, a Kanzashi Sarashiki é só uma otaku que tem inveja da irmã mais velha que não é mais virgem.

Num anime onde porra nenhuma acontece, com direito a episódios inteiros só com as garotas vestindo-se feito putas para tentar dar um feliz aniversário ao Ichika e tentarem desesperadamente perder o cabaço, o único mistério desse enredo já capenga, ou seja, quem diabos é aquela Madoka e porque ela se comporta feito uma emo, essa foi a única coisa que não ficou respondida.

PersonagensEditar

Academia ISEditar

 
Ichika mais uma vez fingindo que pegou em alguns peitos por acidente.
Ichika Orimura
O bananão que é o protagonista dessa desgraça toda, aquele típico manezão que não fode mas também não sai de cima, empacando com uma dúzia de personagens femininas. Embora tente ficar posando de homem de bom coração, solidário, bondoso e altruísta e fique por aí se gabando que quer proteger seus amigos, esse rapaz na verdade não passa de só um tapado mal educado e enxerido, não sendo raras as vezes em que sai entrando nos quartos e nos banheiros de meninas sem ser convidado, para "acidentalmente" flagrá-las nuas ou seminuas, bem como constantemente espiar por sob as saias das garotas do modo mais indiscreto possível sempre fazendo escândalo. Apesar da sua incrível falta de vergonha na cara de sair entrando nos lugares sem ser convidado, ele claramente tem tendências homossexuais e por isso sente-se desconfortável numa escola só com mulheres, isso fica evidente quando acha que Charles é um homem e não para de dar em cima dele (que na verdade é ela, desistindo quando descobre que é uma mulher). O motivo das meninas desse anime terem tantas frustrações com esse tapado é que no fundo Ichika é um cretino incestuoso e tem atração é pela própria irmã, que machona do jeito que é provavelmente usaria um strap-on nele, o que Ichika iria amar... esse amor proibido fica evidente em sua festa de aniversário, único momento do anime inteiro em que ele é forçado a finalmente escolher qualquer mulher, e escolheu a própria irmã, que imbecil. Por um motivo absolutamente conveniente, ele é o único homem do mundo capaz de pilotar um IS, sendo a sua unidade pessoal o Byakushiki, um mecha que aparentemente é bem inútil por só possuir um enorme vibrador grossão como arma, o que não é muito efetivo em combates cheios de tiroteio, mas como ele é também magicamente dotado do "poder da conveniência" é sempre capaz de derrotar e cortar o inimigo que quiser no final das contas só com a força de vontade.
 
Houki imaginando o dia que finalmente vai perder o cabaço para o Ichika.
Houki Shinonono
Uma tsundere que é a waifu e shipping oficial para o protagonista, não sendo necessariamente a predileta dos fãs. É uma dessas garotas metidas a macho que acha que ainda está no Japão feudal e perde tempo praticando kendo com pedaços de bambu. Durante sua infância obviamente sofria muito bullying por ter esse hábito ultrapassado, e por muito tempo realmente acreditou que era lésbica por gostar de só brincar com bambus, mas aí ela conheceu Ichika, seu primeiro amigo de infância, que a convenceu que brincar de bambu não é necessariamente coisa de lésbica. Só por causa desse passado retardado, Houki precisa trocar de calcinha toda aula do tanto que fica molhada só de olhar para Ichika, mesmo que ela nunca seja correspondida. No final da primeira temporada ganha o seu IS particular, o Akatsubaki, um mecha vermelho de quarta geração que consegue viajar na velocidade do som e que apesar de ser um robô que voa como um jato, ao invés de possuir algum canhão, é dotada com um par de de bambus de aço pra enfiar no cu e uma conveniente habilidade de fazer uma purpurina dourada aparecer e restaurar o HP de aliados.
Cecilia Alcott
Garota arrogante, dona de uma voz incrivelmente irritante e que não sabe cozinhar, ela é como os japoneses acham que são as garotas britânicas, um bando de putas loiras, peitudas, metidas e péssimas cozinheiras. É definitivamente a waifu menos querida pelos fãs, porém a mais requisitada nos hentais, e notadamente a que Ichika menos dá atenção, comumente deixando-a falar sozinho, porque essa daí nem precisa ser gay para ter vontade de ignorar tamanha chatice. Ela, todavia, tem essa "síndrome de mulher de malandro", e quanto mais é rejeitada mais se apaixona pelo protagonista, indo empatar a foda dele com todas as demais garotas do anime. Na hora do combate o seu mecha é o Blue Tears, teoricamente especializado em tiros de longa distância, como sniper, não parece muito eficiente, pior ainda quando desacopla quatro vibradores que são capazes de dar uns tiros que quase não causam dano.
Huang Lingyin
Pequena chinesa, que por não ter nenhuma característica muito marcante acaba não recebendo muito destaque no anime, é mais uma tsundere desse anime repleto de garotas desequilibradas, sendo ela talvez a pior de todas, porque se o Ichika é um tapado, a Lin não sabe o que quer, porque em determinado momento está toda molhada pensando em como seria bom tomar uns pegas do protagonista, mas basta ele vê-la de shortinho jeans que já desce um soco na cara dele, vai entender... Reforçando mais ainda os estereótipos ofensivos, ela como chinesa é filha de dois vendedores de pastel, e um pastel falido já que esses pais fecharam o restaurante, mas isso não impede Lin de ter o sonho de ser dona de um restaurante que faz porco agridoce. O seu IS é o Shenlong, um mecha roxo que tem o poder de atirar dois shoop da whoop pelos ombros. Na sua primeira aparição ela até parece que tem um robô foda, mas depois disso é um inútil e Lin apanha em todas as batalhas daí em diante.
Charlotte Dunois
Um meigo, carinhoso e delicado francês muito bicha que cortou o próprio pinto e inicialmente sente vergonha disso, comportando-se inicialmente como menino mesmo. Porém, ao conhecer Ichika, o seu lado feminino aflora, especialmente após seu companheiro de quatro flagrá-lo no banho e perceber que ele não tinha pinto. Como possui um incrível poder de ocultar completamente o volume dos seus seios, que diga-se de passagem não é nada pouco, Charles decide assumir seu nome de travesti de Charlotte. Ele (ou ela) é a menos oferecida desse harém, mas basta ficar sozinha com Ichila que já está de quatro no chão fingindo que não está mostrando a bunda com aquela saia incrivelmente curta que insiste em vestir, até parece tímida, mas se surgir a chance de sentar, de biquíni, no colo do Ichika pra descer um escorrega, ela não pensa nem duas vezes para isso. Como após o final da primeira temporada os fãs doentes, que não se cansam de viadagem, shipparam tanto a Charlotte com a Laura, os autores decidiram oficializar esse romance yuri no anime. O seu robô é o Rafale Revive Custom II, um mecha laranja equipado com um par de metralhadoras uzi gigantes que diga-se de passagem são incrivelmente inúteis, quase não vemos Charlotte causando qualquer dano com esses tiros.
Laura Bodewig
Uma pequena nazista que possui transtornos de personalidade, e agravante a isso, dentre as personagens do anime é ainda a única que está apenas entrando na puberdade, ainda passando pela primeira vez por certas sensações novas. Como um bom estereótipo de alemã, não possui qualquer vocação para bom humor ou sentimentos, que na verdade são sempre reprimidos. Trabalha para uma organização chamada Schwarzer Hase (Cuelho Preto) que visa difundir a cultura otaku na Alemanha, e para tal Laura foi enviada como agente secreta para o Japão para coletar o máximo de dados possíveis, mas o problema é que no meio de sua missão Laura passa a ter uma vontade incontrolável de perder sua virgindade, esquecendo tudo e passando a focar-se em ir tentar dar o seu cabaço para o Ichika. O seu olho esquerdo tem cor de mijo porque os alemães introduziram ureia nanomáquinas na corrente sanguínea de Laura para torná-la compatível em conseguir pilotar um IS, por isso ela está sempre de tapa-olho. Além da função de ser a personagem moe-kawaii, ela também foi a responsável por pelo menos tirar o bv do Ichika. O seu IS particular é o Schwarzer Regen, um mecha preto inspirado nos antigos Panzers, cuja única utilidade é saber dar um tirambaço de tanque, além de erguer um escudo invisível, enfim, os desafios corriqueiros às leis da física.
 
Tatenashi, como é a única não-virgem do anime inteiro, é também a mais oferecida.
Tatenashi Sarashiki
A presidente do conselho estudantil, cargo dado para a aluna mais vadia do colégio, não poderia então se esperar menos dela, é a maior puta assumida do anime. Introduzida somente na segunda temporada, em poucos episódios já esfrega seus peitos no Ichika mais vezes que todas as outras rivais somadas, embora seja a personagem menos apaixonada pelo Ichika, e se deseja alguma coisa, é apenas sexo casual. Como ela é russa, possui um parafuso a menos e se comporta feito uma doida varrida, andando por aí sem sutiã, as vezes só de avental, sempre fazendo suas loucuras, cuja origem acredita-se ser de seu constante estado ébrio, pois ela tem os poderes do Pernalonga de se teletransportar para onde quer. Mas como nesse anime ser uma maluca parece estar diretamente relacionado com a sua força (vide a Tabane Shinonono e Pernalonga) ela é ainda a combatente mais forte, especialmente quando usa a sua Mysterious Lady, o único mecha do mundo cujo combustível é vodka e seu ataque especial é justamente jogar vodka em cima da máquina do inimigo, geralmente pifando-a.
Kanzashi Sarashiki
A irmã mais nova de Tatenashi. Embora a irmã mais velha seja russa, essa aqui é japonesa. O motivo? Por que sim. Após ofender diversos países reunindo seus estereótipos, finalmente mais uma personagem japonesa, ou seja, tímida, antissocial, emo e chorona. É mais uma que começa a se iludir sobre as reais intenções de Ichika, imaginando que um dia poderá mesmo namorar um tapado daquele, e só porque ele deu uma ajudinha no conserto de robô, realmente tem algo de errado no meio das pernas das meninas dessa academia. Ela construiu o seu próprio robô, o Uchigane Nishiki, que se destaca sobretudo pela sua capacidade de atirar plugs anais explosivos, além de possuir uma lança que ela carrega usando as mãos nuas.
Chifuyu Orimura
A irmã mais velha de Ichika, campeã mundial de luta de robô e outras coisas mais que fazem todo mundo ter medo dela, na prática apenas fica paradona ali se fazendo de fodona só porque veste um terno mas na verdade faz é porra nenhuma quase que o anime inteiro, sempre que a merda começa a rolar solta, a única coisa que Chifuyu faz é cruzar os braços e ir ficar olhando para um telão sem ajudar em nada de útil, dando ordens ainda mais sem sentido para suas subordinadas. No começo até achamos que ela realmente é a única figura séria nesse anime repleto de personagens surtados, mas aí tem o episódio que ela se veste de empregada, outro episódio em que ela recebe massagem na bunda do próprio irmão, então já viu onde isso acaba.
Maya Yamada
A escrava sexual da professora Chifuyu, até o momento a personagem mais peituda do anime, o que gosta de deixar bem evidenciado já que sempre está vestindo uma blusa tão absurdamente decotada que sempre está exibindo seu sutiã rosa. Está ali para dar aulas horríveis no cotidiano, e quando alguma emergência ocorre, vai digitar sabe-se lá o que no laptop da empresa. Visivelmente ela tem um lado pedófilo reprimido, incentivando que as alunas de sua classe fiquem fazendo putarias e obscenidades.

Outros personagensEditar

 
Acredite, essa hentai girl é a brilhante cientista que além de inventar o IS, também sabe lutar karatê e se teletransportar. Esqueça a lógica.
Tabane Shinonono
Uma guria extremamente retardada que se comporta feito uma garotinha imatura de 11 anos de idade. Só mesmo num anime que a mente mais brilhante do mundo é uma vadia que usa orelhas de coelho e se comporta como uma puta de hentai. É ela a pessoa que inventou os IS e a única pessoa no mundo capaz de construir IS particulares. Como ela não é mais virgem, é a única personagem sensata que não tem a mínima vontade de dar para o Ichika.
Ran Gotanda
Personagem completamente desnecessária que está ali só para ser aquele shipping totalmente alternativo e ser lembrada somente pelos otakus mais hipsters. Como ela não é da escola e não tem seu robô gigante, ela aparece só umas três vezes. Para mostrar que até gurias de fora do colégio tem fogo no rabo de vontade de dar para o Ichika algum dia.

Phanton TaskEditar

Autumn
Vilã estressada que aparece na segunda temporada, é uma lésbica mal amada que gosta de descontar sua frustração sexual espancando garotinhas sempre que possível. É só uma escrava sexual da Squall Meusel, mas uma subordinada inútil que não venceu um combate sequer dentre os que entrou, estando ali só pra apanhar mesmo.
Madoka Orimura
A irmã gêmea do protagonista, só uma versão em miniatura da Chifuyu, ninguém sabe de onde ela veio, quem ela é e porque quer matar seus parentes. E num anime repleto de coisas fúteis, como episódios inteiros com Charlotte andando por aí sem calcinha e uma minissaia, não espere que eles irão se importar em responder quem é a Madoka.
Squall Meusel
A loira que é a chefona e líder da Phanton Task, dá todos os indícios de que a economia mundial está realmente precária, afinal não basta a Academia Infinite Stratos ter apenas duas empregadas, a organização Schwarzer Hase ter apenas 5 integrantes contando com a Laura, Squall tem apenas duas subordinadas para ajudá-las com os seus planos maquiavélicos. Ao contrário da sua rival, a Chifuyu, Squall pelo menos luta no último episódio da segunda temporada para se provar que não é só uma loira peituda qualquer.