Iowa (álbum)

Welcome to Iowa, the home of Slipknot.

Cquote1.svg NAum GoxteiI DeSsI CedÊ, EhH baRulHo dImaixXx. Cquote2.svg
Fã dos últimos álbuns da banda sobre Iowa.
Cquote1.svg Cadê o rap? Cquote2.svg
Fã de Rap Metal sobre Iowa.
Cquote1.svg Iowa? É uma cidade? Cquote2.svg
Você sobre Iowa.
Cquote1.svg Porra, essa música não acaba... Cquote2.svg
Qualquer um sobre Iowa, a última música.

Iowa, como todos sabem, é um estado americano perdido em algum lugar que os ianques saquearam dos hermanos do México. Iowa, também, é o nome do principal álbum não-emo da banda de New Metal mais mascarada da história, o Slipknot, também conhecidos como verminhos de Des Moines.

Confecção e lançamentoEditar

 
Após o Iowa, o pessoal do Slipknot passou a fazer sucesso com as garotas em âmbito virtual, garotas de verdade, fica para o próximo álbum...

O Slipknot ainda vivia do sucesso do álbum anterior quando iniciaram a produção desse novo. Com o lançamento de Slipknot, eles puderam sair da linha da miséria e ter três refeições diárias.

Após tal conquista, os membros da banda não queriam acabar voltando para seu estado anterior de penúria, tendo de tocar em puteiros e vender produtos da Herbalife, então trataram de fazer mais um álbum.

No entanto, eles estavam cansados de tocar aquele rap metal e decidiram inovar, "Vamos fazer tudo novo!". Essa era a ideia deles, mas após longos cinco minutos, suficientes para cada um fazer seu próprio miojo, todos os integrantes concordaram que não tinham ideia alguma e pegaram uns CD's ruins do Korn e começaram a ouvir.

 
Bateria do Joey usada nas gravações de Iowa, daí o barulho.

Até que o cara do sampler teve a ideia de fazer New Metal, todos ignoraram, afinal ele é o cara do sampler, mas 13 segundos mais tarde, o vocalista deu a ideia de fazer New Metal e todos adoraram a ideia.

Começaram a gravar, mas logo o vocalista acabou se engasgando com uma espinha vinda dentro do atum em lata e acabou ficando fora do período de gravações.

Para que ninguém sentisse sua falta, o baixista comprou no mercado negro uma gralha, o Shawn Crahan foi até as Montanhas Rochosas e capturou três ursos pardos, e assim estava preparado o vocal para as gravações.

Puseram a gralha e o coral de ursos gritando sob as rédeas do palhaço mais assustador da história, atrás apenas do Ronald McDonald, e da satânica dupla Patati e Patatá, e fizeram o álbum. Para a capa, eles colocaram a namorada de um dos guitarristas, no entanto ela era feia demais e decidiram substituí-la por um bode, por ser mais bonitinho e não assustar os fãs.

Na turnê de divulgação através da cidade, o Corey pôde voltar e imitar os animais com sua voz esganiçada. O álbum foi muito bem recebido, vendeu cópias suficientes para os membros poderem rachar uma pizza na sexta-feira à noite, após todos terem levado bota de loiras californianas que estavam mais interessados em rappers, cujo cérebro vazou e formou os músculos.

Ao fim, os animais foram devolvidos á seu habitat, mas não se reacostumaram com a dura vida de caçar comida e hibernar, e acabaram voltando para a casa de Shawn que os assou na churrascada da Páscoa.

FaixasEditar

 
O bode da capa (você não achou que era um demônio, achou???), ele ficou famoso após a capa de Iowa, conseguindo fazer um clareamento e estrelar diversos pornôs zoófilos.
  1. "(515)" – 1:00
  2. "Nany People = Shit" – 3:35
  3. "Pedaço de Desastre" – 5:08
  4. "Minha Praga" – 3:40
  5. "Tudo Acaba (Menos Malhação e Sessão da Tarde)" – 4:14
  6. "O Ereto Ontem" – 4:14
  7. "Gente" – 4:54
  8. "Atrás da Esquerda" – 4:01
  9. "A Chapinha (que os membros da banda usam)" – 3:37
  10. "Eu sou Chapeuzado(???)" – 2:37
  11. "Bilhete da Sky" – 6:41
  12. "Novo Aborto" – 3:36
  13. "Metabolico" – 3:59
  14. "Ai, owa!" – 15:03

Ver tambémEditar