Abrir menu principal

Desciclopédia β

Itaberaí

Itaberaí é o maior rancho dos domínios de Anápolis. Apesar do seu status de "município autônomo", o vilarejo é considerado administrativamente informalmente como "Fazenda distante de Anápolis". É um pequeno rancho nos domínios de Goiânia e atualmente, possui o status de "feudo autônomo". Diversos nobres caipiras tomam parte no comando da região feudal, podendo ser identificados por portarem o símbolo aristocrático do poder rural, a Hilux.

Município de Itaberaí
"Capital dos Frangos"
Aniversário 09 de novembro (Só pra ter 3 feriados no mês)
Fundação 09 de novembro de 1868
Gentílico Itaberanus
Prefeito(a) Encontra-se desaparecido
Estado link={{{3}}} Goiás
Mesorregião Diz ser no centro Goiano
Microrregião Não disponível
Municípios limítrofes Itauçu , Heitoraí, Goiás, Caieira, Ordália, Santa Rita, Itaguari
Distância até a capital 99km km
Características geográficas
Área 710,328 (grande sem muito uso) km²
População 40.000 (parece que nunca passa dessa quantia) hab. ??
Idioma Goianês-caipirês
Densidade Densa hab./km²
Clima Calor demais
Fuso horário UTC UTC−3
Indicadores
IDH 0,1699 (ruim pra pessimo)
Serjão entrevista.jpg Enxada-2.pngEsti artigu é caipira, sô!!Enxada-1.png

Este tar di artigu pareci caipira, foi escritu purum caipira, ô ele é de fato
CAIPIIIIRRA!!!

Num istraga eli naum, si não nóis crava a inxada pra riba docê!

Índice

HistóriaEditar

 
Habitantes felizes de Itaberaí.

A cidade foi fundada no século XVIII e parece que algum tipo de druida, macumbeiro ou xamã paralisou o tempo por aquelas bandas, porque Itaberaí continua hoje a mesma coisa de sua época de fundação. O marco zero de Itaberaí foi um curral que os portugueses construíram em 3 dias e meio. O curral era frequentado por diversos tipos de cavalos, jumentos, bois, jeques e vacas.

Esse intenso movimento alavancou o crescimento do curral que digievoluiu para fazenda em 1755 com a chegada do primeiro habitante humano. Aos poucos aquele terra sem lei foi virando moda, chegavam as pessoas do nada e a fazenda cresceu até se transformar numa aldeia indígena.

Em 1869 é elevado a um dos distritos do Inferno, e recebe o nome ridículo de Curralinho por naturalistas (aka hippies) que foram desfrutar da ausência de leis naquela região para plantarem suas ervas ilícitas.

Curralinho cresceu, e finalmente chegaram em 1924 as primeiras prostitutas da cidade, e que ainda vivem lá até hoje, antes desfrutavam de homens a cavalo ou a carroça, hoje apenas a carros lotados de som, e assim Curralinho é elevada à status de município, agora com o novo nome Itaberaí, que na língua guarany significa "Rio das Merdas Brilhantes".

Atualmente é só mais um município qualquer que tem como objetivo fazer número nos arquivos do IBGE.

A cidade depois de muitos anos recebeu sua primeira Delegacia e Batalhão de Policia, porém a unica viatura disponível até hoje é uma carroça puxada pelo cavalo do Sr. Mazaropi do setor São Dimas. A delegacia é toda em madeira e em suas celas se encontram os piores bandidos e crápulas da região como ladrões de galinha, estupradores de cabrita e caloteiros.

Possui também um açougue que funciona como Hospital, mais conhecido como Hospital Municipal. Aqui se você adoecer e for pro açougue, digo, hospital, corre risco de morrer.

Suas ruas ainda são em terra batida. Na chuva vira um atoleiro, no calor, um sofrimento com a poeira. Possui escolas mas que ainda não disponibilizam do ensino fundamental, médio e superior.

EconomiaEditar

Sem contar com os milhares desempregados, a economia de Itaberaí é baseada na cultura do gado, sendo um importante polo goiano de exportação de sêmen de boi e chifres (cornos, para formarem duplas sertanejas).

Há também a criação de frangos, que além de empregar toda a população ainda confere à cidade um agradável aroma de galinheiro. Isso atraí cabeças chatas, vulgo maranhenses, para trabalhar nas linhas de corte no sistema de abate de frangos. Esses seres habitam as zonas periféricas do município, morando em média, 18 cabeças em um barracão. Uma pesquisa cientifica apontou que o apego emocional com o álcool etílico está intimamente ligado ao giro de capital em distribuidoras de bebida e postos de combustíveis. Hoje, tais seres, são os principais fomentadores do comercio local, principalmente no setor de vestuários ( lojas de R$ 9,99 ), lojas de eletro-domésticos, mercearias, concessionárias e principalmente bocas de fumo.

Há também muita exploração do calcário, que nada mais é que um nome bonito para pedra.

É altíssimo o consumo de drogas pelos seus moradores, independente da classe social, porém com uma diferença, os que se acham empresários usam drogas requintadas e o resto usa resto mesmo, tanto que é arriscado, você que está lendo essa edição, ser um usuário de produtos ilícitos.

É comprovado por estudos da Faculdade Aquidolku localizada nos arredores de Sebósia que, a maioria dos moradores que se acham da alta classe, não passam de "empresários" devedores e sonegadores de imposto, que vendem seus produtos falsificados, contrabandeado do Paraguai. Esses produtos vão desde roupas a aparelhos de celular sendo o mais falsificado, o Nokia 5125, modernidade que chegou a pouco tempo na região.

É aqui o principal foco de viadagem do interior goiano.

Como Itaberaí conta com uma complexa rede de fossas, já que a cidade não possui rede de esgotos... Isso abre espaço para um rentável negócio chamado de limpa-fossa (chupa-bosta).

Toda informação que chega na cidade, passa primeiro pela Banca de Revista do Darlan na praça, localizada no que chamam de centro. Dizem que antes de ser descoberta a cidade, foi la que compraram o mapa de rios da região. De acordo com jornais e revistas, só agora foi informado em Itaberaí que Fernando Henrique Cardoso foi eleito Presidente do Brasil. Também possui uma variedade de tecnologia ligada a musica, fitas k7, radio AM e fitas VHS, onde locadoras ainda funcionam como a do Sr Lellis.

A alimentação fica por conta da tão conhecida e famosa Pastelaria do Fiinho, que conta com mais de 100 anos de funcionamento, sendo tocada até hoje pelo nosso amigo Fiinho. Possui diversos sabores de pastel, em especial carne com milho. É essencial pedir um suco pra acompanhar e o recomendado é o de tamarindo, que até hoje é colhido nos pés que se encontram pela cidade. Também pode ser citado os famosos x-salada, ou pit dog (que de dog entende mesmo já que os cachorros da rua se reúnem em volta pra comer a sobra). Temos os mais famosos da cidade que é o Pit Dog do Neném da Zirda que fica localizado no que chamam de Centro e o Pit Dog do Macarrão próximo a Banca de Revista. Lá você pode comer enquanto se informa das principais noticias, como por exemplo, saber que o Brasil perdeu a final da copa do mundo de 1998 pra França.

GeografiaEditar

Itaberaí, cidade oculta nas montanhas. Acredita-se estar localizada na Mesorregião do Limbo Goiano dentro dos domínios do Reino de Anápolis.

Para chegar a Itaberaí é só tentar chegar no final do arco-íris.

A cidade possui vários quebra-molas, para poder desviar dos cachorros que habitam na sombra dos pit-dogs e igrejas evangélicas.

É conhecida por diversos setores e seus moradores que são ícones na cidade, como a Vila Mutirão (Catarrão), São Dimas (Morro do Querosene), Beira Rio (na beira do rio das merdas) que confronta com o Quebra Coco, Redenção (Brejo ou Bosteiro), Pindura Saia, Vilinha do Pé Sujo, Recanto das Rosas e dos Bosques (que de recanto não tem nada, só o canto mesmo), Itavilly (incrível como pobre gosta de mesclar os nomes de setores com inglês), Fernanda Park 1 e 2 (inferninho), Praça da Matriz no centro, onde alguns dos seus frequentadores fazem o uso medicinal do sangue de boi, da bosta de vaca e do calcário, entre outros.

Itaberaí também é conhecida nacionalmente pelas pessoas ícones da cidade, é o caso de Mamoninha, Preguiça, Zezinho do Paraguai, Valdomiro, Bobo da lata, Zé Louco, Paulim Trovão, VÔ MATÁ OCÊ E CUMÊ SUA CARNE, entre outros.

Saneamento básicoEditar

Por ter sido fundada em um curral, a cidade conta ainda também com todos os tipos de mosquitos possíveis, inclusive as muriçocas pois quando os habitantes dormem em casa, normalmente acordam no quintal, ou seja, são carregados pelos insetos, pois saneamento básico em setores novos (nem em alguns antigos) não há.

CulturaEditar

A cidade (se é que pode ser chamada de cidade) é rica em cultura. Tem a tradição do Zé Pereira que consiste em uma reunião de azucrinadores que usam mascaras e roupas com alto teor de carniça e saem as ruas ao som de batucada dias antes do carnaval. Atualmente é comandado pelo Sr. Ildo do Zé Pereira (nome no documento) conhecido pelo apelido de Ildo Espíndola que está a frente do Zé Pereira a aproximadamente 110 anos. Documentos indicam que o mesmo tem mais de 130 anos de idade. Tem as tradicionais folias religiosas, onde um grupo se reúne pra entoar caaaaaaaanticos arrastando a letra Aaaaaa, onde se pode notar que a maioria dos frequentadores vão por causa da comida (alguns colocam pedaços de carne no bolso pra levar pra casa), tem os foguetes, já que tudo na cidade é motivo pra soltar foguete, desde acordar feliz até receber alguma noticia nova do mundo afora pela Banca de Revista. Também é cultura na cidade, o sobe e desce de carroça na praça no fim de semana. As pessoas sentam nos tocos de arvore na praça iluminada a candeeiros e ficam vendo os proprietários de veículos subindo e descendo. A desigualdade social em Itaberaí é muito grande, pois a cada 10 carroças e 10 cavalos que desce a praça, atrás desce uma Hilux. Atualmente Itaberaí possui televisão, porém não possui sinal de TV e as mesmas não funcionam.

TurismoEditar

O turismo em Itaberaí é excêntrico. Você pode conhecer a praça do sobe e desce, dar um mergulho no Rio das Merdas e sair com alguma doença grave, como também pode se aventurar nas ruas lamacentas no período de chuva. Pode experimentar as especiarias da terra como o pastel do Fiinho e os x-saladas, observar as nuvens e ver os chupa-bostas em ação.

EsporteEditar

Itaberaí possui um clube de futebol que por incrível que pareça ganhou a Divisão de Acesso do Campeonato Goiano em 2014, depois disso nunca mais ganhou nada, até porque não disputa mais nada. De touro virou elefante branco que participa apenas de campeonatos da base e que por incrível que pareça, possui menos títulos do que outros times da cidade, que serão citados logo abaixo. As cores do Itaberaí Esporte Clube são o verde e o branco, sendo o verde representando as ervas ilícitas e o branco representando o calcário. Manda seus jogos no Estadio Rio das Merdas Brilhantes, onde se considera dono, raramente deixando outros clubes jogar. A cidade ainda conta com outros times como o Vasco de Itaberaí, que diferente do carioca ainda ganha alguma coisa, Vilinha Futebol Clube, Redenção Futebol Clube, entre outros. A muitos anos atrás, Itaberaí contava com um time com nome Botafogo, porém como em Itaberaí tudo acaba em politicagem, o time foi extinto. Curiosidade: O IEC (Itaberaí Esporte Clube) foi campeão da divisão de acesso em 2014 com diversos jogadores de renome em seu plantel, entre eles o goleiro Sivaldo Ceguinho, o lateral direito Canhotinho, o volante Geninho Goiano, o meio de campo Zezinho do Paraguai e na linha de frente Paulo Baier e Allejo.

  • Itaberaí Esporte Clube ....................... Campeão da Divisão de Acesso 2014
  • Vilinha Futebol Clube ........................ Campeão da Liga do Entroncamento de Taquaral 2011 e 2013
  • Vilinha Futebol Clube ........................ Campeão da Quadrangular Norte do Setor Sul 2011 e 2012
  • Vilinha Futebol Clube ........................ Campeão do Campeonato Municipal do Divino do "Gaiz" 2013 e 2014
  • Vilinha Futebol Clube ........................ Campeão da Liga Mamoninha de Futebol de Campão 2016 e 2017
  • Vasco de Itaberaí............................. Campeão da Liga do Entroncamento de Taquaral em 2010 e 2012 e Vice em 2011 e 2013
  • Vasco de Itaberaí............................. Campeão da Quadrangular Norte do Setor Sul em 2013 e vice em 2012
  • Vasco de Itaberaí............................. Vice Campeão do Campeonato Municipal do Divino do "Gayz" em 2013, 2014 e 2015
  • Vasco de Itaberaí............................. Campeão da Liga Mamoninha de Futebol de Campão em 2018
  • Redenção Futebol Clube........................ Campeão da Liga Bosteiro de 2008 a 2018
  • Redenção Futebol Clube........................ Campeão da Liga do Entroncamento de Taquaral 2014
  • Redenção Futebol Clube........................ Campeão da Liga Mamoninha de Futebol de Campão 2015