Abrir menu principal

Desciclopédia β

Itapoã

Cquote1.png Você quis dizer: Eita ! Cquote2.png
Google sobre Itapoã
Cquote1.png Você quis dizer: itabarrão Cquote2.png
Google sobre Itapoã
Cquote1.png Experimente também: procurar por cidade de gente Cquote2.png
Sugestão do Google para Itapoã

Itapoã é um favelão surgido da noite pro dia, nos fundos da favela-mãe que é o Paranoá. A origem da invasão ainda é muito desconhecida. Algumas teorias dizem que aliens depois de raptar cearenses para realizar testes científicos, despejaram o que restou daquele povo ali depois de concluídas as pesquisas. A versão oficial do GDF diz que o Itapoã surgiu após uma invasão do MST que assentou em barracas diferentes tipos de nordestinos, desempregados e analfabetos, que continuam lá até os dias de hoje. Aquele núcleo de pobreza foi "regularizado" por Roriz em 2005, para que assim o bolsa-esmola pudesse chegar na região e assim ele poderia ganhar mais um reduto de votos.

Índice

HistóriaEditar

 
Placa na avenida principal do itapoã.

Como o governo finge que Itapoã não existe, muito pouco se sabe sobre essa favela popular. Mas o Itapoã, mesmo sendo fundada por aglutinação de pobres recentemente, atingiu um grande e espantoso desenvolvimento social e cultural, alcançando na atualidade o mesmo estágio de evolução do Velho-oeste americano. A cidade é repleta de manos paulistanos, malandros cariocas e cabeças-chatas, todos alguma espécie de bandido ou criminoso.

Como se sabe, bandido tem vida curta em cada buraco por onde passa, sendo preso, morto, foragido ou se escondendo, mas como essa raça também sai largando filhos por aí pro governo criar, a taxa de natalidade do Itapoã continua aumentando apesar do altíssimo e absurdo grau de criminalidade na região, pois para cada marginal que morre, ele deixou 15 filhos que irão tornar-se marginais. Como costumam não saber de quem são filhos (as mães do lugar são verdadeiras trepadeiras), acabam assumindo a responsabilidade fora de casa mais cedo, ficando responsáveis por fomentar a renda da família através de assaltos a mão armada, invasões a domicílios do Lago Sul/Norte ou se prostituindo em zonas do meretrício como a W3 Norte e o Setor Hoteleiro Sul.

Enfrentar muita lama e mau cheiro no tempo chuvoso, substituída por poeira e doenças no tempo seco, são a rotina do típico morador do Itapoã.

Segundo dados do IBGE, 97% da população do Itapoã não concluiu a 1º série do ensino fundamental, 87% da população limpa a bunda com a mão esquerda e 90% da população mata alguém por dia. O Iraque é muito mais seguro que o Itapoã de noite. A única vantagem do Itapoã é ajudar bastante as manchetes do jornal popular local, o Polícia nas Ruas.

Recentemente correm boatos que Osama Bin Laden se escondeu por lá durante todo esse tempo que esteve desaparecido. A população local costuma ser bem hospitaleira com marginais de alta periculosidade e terroristas em geral. Prova disso é que Césare Battisti resolveu pedir asilo no brasil depois que conheceu o dia a dia criminoso da cidade.

GeografiaEditar

Apesar de parecer minúscula quando comparada a outras favelas da região como São Sebastião, Ceilândia e Mulher Samambaia, o Eitaã é dividida em pequenos bairros de caráter duvidoso, formando pequenos guetos divididos entre si, divisões conhecidas em outros locais com melhor infraestrutura que essa joça como Bairros.

BairrosEditar

A comunidade é dividida entre a Fazendinha, o Del Lago I e Del Lago II, também conhecida pelos rodoviários como Baixinho, onde a totalidade da população da região já teve passagem pela polícia e que estão cumprindo liberdade condicional ou são foragidos de saidinhas de ano novo e buscam refúgio na região, porque sabe que a PMDF do Paranoá nunca vai ter coragem de ir até lá.

FazendinhaEditar

Fazendinha é o nome dado a um bairro que representa o Itapuã I, uma divisão macroscópica da cidade que divide a cidade em duas partes, apesar disso parecer confuso inicialmente. O bairro tem esse nome porque está diretamente ligada a origem da cidade, onde os rorizeiros (grileiros) invadiram uma fazenda na região sob a bandeira do MST, criando da fazenda invadida uma pequena fazendinha e depois demarcando os lotes e dividindo-os entre os 50 339 cabeças de bagre.

O bairro sempre foi conhecido por abrigar os moradores que mais renegaram a cidade, uma vez que quando perguntados onde moravam antes da legalização, sempre diziam que eram do Paranoá, apesar de geograficamente pertencerem a região de Sobradinho. Mas isso acontecia até os ex-governadores do detrito Arrouba e Agnulo entregar tudo de mão beijada a região e transferir tudo o que tinha no vizinho Paranoá à nova cidade assaltélite.

Hoje a região é conhecida como um grande puteiro onde vagabundos menores de idade ocupam as esquinas da região das 00h às 23:59m do dia, para traficar, assaltar, etc.

Del Lago IEditar

Del Lago I, também conhecido como parte do Itapoã mais próxima a caixa de água da Caesb, é uma das regiões mais desertas da cidade, visto que a mesma se encontra próxima ao fim da cidade, onde aliás, já estão surgindo novas invasões. O bairro fica acima da avenida comercial da cidade e vai até a profundidade do Restaurante Comunitário da favela.

Del Lago IIEditar

Del Lago II, também conhecida por ser a região que sedia uma das ruas mais perigosas de todo o detrito federativo (e uma das mais difíceis de acessar também), a Rua do Baixinho, onde todo motorista de ônibus, pedestre, motorista ou qualquer outro que não seja "xegadu na cumunidad" tem de obrigatoriamente deixar seu troco e seus pertences de valor devidamente separados antes de ir até o local. E nem adianta deixar em casa e ir só com a chave de casa, pois ai a chance de você tem de morrer e nem ser registrado no IML é enorme!

InfraestruturaEditar

O Itapoã conta com 0,3 posto de saúde e uma escola sem professor, sem alunos e sem merenda. O esgoto ao céu aberto compõe as áreas de lazer da cidade. Não há abastecimento de água e eletricidade, apenas velas e lama, que aliás é o que mais há no Itapoã, barro, terra, lama e fezes humanas, onde só há duas pistas asfaltadas, sendo que nelas são atropelados 10 pessoas por dia (atropelar pedestres é um passatempo típico do Itapoã).

A região é caracterizada pelos altos índices de violência, a polícia que mal chega no Paranoá, nem em sonho vai caçar bandido no Itapoã, que na realidade é um covil desse tipo de gente.

CulturaEditar

Praticamente inexistente no local. A unica cultura existente na região é a do assalto a mão armada e só. Mas vamos a algumas festividades:

Miss ItapoãEditar

 
A atual Miss Itapoã.

Muitas mulheres participaram do concurso que elegeria a mulher mais bonita menos feia do Itapoã. Depois de muitos votos (total de 6), foi eleita a mulher mais bonita menos feia.

Normalmente, as mulheres da região costumam ter as feições faciais um pouco bem prejudicadas devido as doenças como Herpes, Candidíase e outras DSTs transmitidas entre a população local por meio das festas locais. O tribufú da foto, por não possuir problemas visíveis de sexualidade, acabou sendo eleita a menos feias entre as desprovidas de beleza.

v d e h
BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL