Abrir menu principal

Desciclopédia β

Järvamaa

Järvamaa é um condado caipira da Estônia, que como todos os outros, que ninguém está nem aí.

HistóriaEditar

 
Traje casual das Jar... Estonianas do condado.

A história de Järvamaa começa na era contemporânea já que durante a Idade da pedra qualquer um podia ver que só tinha cascalho e pinheiros para comer, que na Idade média aquilo não passava de um lugar onde não tinha nada a não ser gelo e pinheiros e que não poderia ser cultivado e na Idade moderna era só um fim de mundo como qualquer outro perto da casa do papai noel.

Por algum motivo não muito conhecido, a população de até então 30 estonianos e meio contando com um Malamute do Alaska que sabia latir o alfabeto Estoniano, quadriplicou e virou 1 milhão e meio de estonianos durante a independência da Estônia. Aí houve a segunda guerra mundial e a Estônia feliz por estar longe dessa confusão toda.

Achava que pela União Soviética ter feito aquele tratado com Hitler ele não iria atacar a união soviética por trás, mas ele o fez e a Estônia foi dominado em 1,20 segundos.

No dia seguinte, a União Soviética dominava a Estônia e transformava os estonianos em russos. Durante a época soviética foi construída uma fábrica de Vodka e uma fábrica de tanques de guerra em Järvamaa e a utilidade da Estônia virou mais para "centro de reeducação ideológica" ou "lavagem cerebral".

Após a independência (novamente) da Estônia, Järvamaa vira um distrito de escolas soviéticas abandonadas com vilarejos caipiras.

CulturaEditar

Järvamaa não tem cultura, afinal a cultura da Estônia é russa ou só "reeducação ideológica", além de que metade da população na Estônia é de russos.

Mas, por outro lado, o que pode ser cultura é o fato de que Järvamaa tem várias "gostosas de vilarejo", ou seja, se um dia você se perder na Estônia e for procurar em um vilarejo você achará a típica família estoniana: uma coroa gostosa, o corno do vilarejo e três filhas gostosas.

No maior clichê de american pie provavelmente uma delas ao menos vai querer dar para um otário que fala inglês ou seja de fora, tanto faz é o que aqueles perfis fakes do Orkut de estonianas gostosas dizem.

EconomiaEditar

Cortar lenha é a principal prática por lá. Outras são a fábrica de Vodka e a fábrica de tanques de guerra abandonada, que é usada para o turismo. A fábrica recebe 3 turistas anualmente: o guia da excursão, o guia reserva e o zelador.