Abrir menu principal

Desciclopédia β

Jacky Ickx

Belgasecxistem.jpg

Ceci n'est pas Desciclopédia!!!

Este artigo é belga e contém altas doses de lavagem cerebral e teorias da conspiração que farão com que você acredite que Jacky Ickx existe!

Cuidado: a qualquer momento um agente da NWO pode sequestrá-lo!

Belgiumcoatofarms.jpg


Jacky Ickx
Jacky Ickx atualmente.jpg
Ninguém conseguiu a juventude eterna ainda?
Nascimento 1 de janeiro de 1945
Bruxelas, Bandeira da Bélgica Bélgica
Nacionalidade Bandeira da Bélgica Bélgica
Ocupação Piloto

Cquote1.png Me matou! Cquote2.png
Stefan Bellof o culpando por sua morte
Cquote1.png Eu só bati, não incendiei seu carro não! Cquote2.png
Jacky Ickx se justificando
Cquote1.png Quem? Cquote2.png
Tom Kristensen sobre Jacky Ickx
Cquote1.png Ta fácil demais! Cquote2.png
Derek Bell sobre as edições de Le Mans que fez dupla com Jacky Ickx
Cquote1.png Você traiu o movimento motociclista, veio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Jacky Ickx
Cquote1.png FILHO DA PUTA! Cquote2.png
Brasileiro fã de Ayrton Senna sobre o GP de Mônaco de 1984

JACKY ICKX é um daqueles pilotos que já ganharam de tudo na vida, até corrida de carrinhos de compra em supermercados, mas, que deu a cagada de nunca ter ganho a F1, mas, como F1 não é a única competição automobilística que existe (e você achando que era...), mamou bem nas tetas disso, se dando bem em todas elas. Em Le Mans, venceu 6 corridas, e, só foi desbancado por um projeto secreto feito nas geleiras da Groenlândia após uma desavença entre Dinamarca e Bélgica chamado Tom Kristensen. Nascido em 1 de janeiro de 1945, em Bruxelas, na Bélgica, ou seja, nasceu enquanto seus pais estavam de ressaca. Como bom belga que é, tem sua carteirinha de integrante da NWO, e, quando seus planos começarem a ser postos em prática, será eleito presidente da FIA, da FOM e da ACO. Escreveu uma grande história pro automobilismo, e pilotando e, ainda dando uma filha bem gostosa pro mundo do Automobilismo: Vanina Ickx. Diferentemente de um país aí que pune seus pilotos por nunca terem sido campeões da F1, na Bélgica ele é um Deus, mesmo nunca ganhando a F1.

Índice

O Pré-Carreira:Editar

Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Jacky Ickx.
 
Vanina Ickx. Você ia... Piloto lendário e um sogro lendário...

Ickx nasceu em 1 de janeiro, ou seja, enquanto os pais estavam chapados, o que significa que ele também estava cheio de álcool na cabeça, mas, esse álcool seria convertido em combustível, nascendo ali um piloto, já que a família dele tinha dinheiro, já que o papai era jornalista, ou seja, um bom salário e uma boa vida. O pai dele se confunde e, ao invés de dar um kart ao menino, compra uma moto pra ele começar a carreira. Logicamente, foi barrado de todas as competições de kart, tendo que correr de moto mesmo. Aprendeu que correr com 2 rodas era diferente e até gostou da experiência, mas, o que ele queria era correr de carro. Nisso, um fiscal da NWO se aproxima dele e o patrocina, o ajudando a conseguir uma vaga na ETCC, pra correr com um Lotus coberto em uma Cortina.

A Carreira:Editar

ETCC:Editar

Já com o carro e com a cortina na mão, se inscreve pra correr na categoria e ver o que conseguiria profissionalmente. Os caras da NWO acreditavam nele, ele seria o cara do automobilismo em suas ambições. Como nos anos 60, pessoas com 20 anos de idade ainda eram consideradas crianças perante a lei (ou seja, Beatles eram crianças), ele sofreu algum preconceito com isso. O comentário geral que se fazia era que era inviável colocar um pirralho que acabara de aprender a se masturbar pra correr em meio de pilotos extremamente profissionais, famosos e malvados, mas, esse caipira de Bruxelas chutou as bundas deles, sendo campeão, mostrando ser um prodígio (normalmente prodígios não tem uma vida social, devido ao sangue nos olhos pra chegar rápido ao sucesso e a pressão dos pais, que os fazem se sentir uns merdas enquanto o sucesso não chega, e ele também era um).

Fórmulas 2 e 1:Editar

 
Após ler o artigo
 
Numa dessas máquinas suicidas que eram os monopostos setentistas

Enquanto corria nos Endurances, em 1967, consegue um contrato pra correr na F1, de Cooper, uma espécie de McLaren da época, com o mérito e a honra de ter um Cooper feito só para ele usar e abusar do jeito que ele quiser. Como não gostava de ficar em casa coçando o saco a toa, assina pra correr na Fórmula 2, um projeto pra acabar com a F1, também, e ainda estava correndo em Endurances mundo afora, correndo com um tal de GT40 de uma equipe desconhecida chamada Gulf Racing (daqui a pouco um pouco mais sobre isso...). Sabendo que ia estrear na ‘tranquila” Nürbürgring na F1, resolve ir morar em Nürbürg, pra tentar entender aquela insanidade chamada Nürbürgring, caminhando lá todos os dias nas manhãs de sol com a sua namorada, e, após esse convívio, escreveu nas árvores da pista as iniciais do casal, em cada uma de maneira diferente, pra poder decorar as mais de 8000 curvas do circuito, mas, pro seu azar, todas as árvores que ele marcou foram destruídas, mas, por acreditar no “poder do amor”, conseguiu decorar sem necessidade de ajuda assim. Se tornou o 1º cara a saber de cor a pista de Nürbürgring, ganhando um monte de corridas lá em 1967 (exceto a da F1, por excesso de confiança). Mas, como o pessoal que geria o autódromo não ia muito com a cara dele, resolvem igualar a situação, fazendo marcas visuais na pista pros pilotos incompetentes decorarem as curvas. Puto com isso, foi campeão da F2 e conseguiu um contrato pra correr na Ferrari, uma espécie de Ferrari daquela época, onde finalmente ganhou uma corrida na F1, mostrando que nada conseguiria só com um Cooper feito. No ano mundial da putaria, 1969, Ickx exigiu no contrato com a Ferrari algumas prostitutas locais pra diversão, sem sucesso e com os chefes rindo da cara dele. Jack Brabham estava procurando algum piloto e resolve atender a vontade de Ickx, assim, o contratando pra ser campeão do campeonato. Enquanto vencia em Le Mans, insinuaram que ele era egocêntrico na F1, ele começa a pilotar melhor e quase foi campeão da categoria, motivo de festa no seu país. Se fosse num país aí na América do Sul que é governado por um canal de TV, ele seria eternamente zoado, mas, ele tem sorte de não ser brasileiro. No ano seguinte, no dia que diz que seria campeão mundial naquele ano, se acidenta e perde quase toda a temporada. E, assim como todo o grid, ficou envergonhado e se sentindo um merda por ter perdido o campeonato pra um morto. Começou a pensar que nunca seria campeão após isso, já que perder pra morto era muita sacanagem e que deveria devolver sua Super Licença. Mas, como todo mundo estava pensando o mesmo, a FISA não estava permitindo devoluções, e, assim, tiveram que continuar correndo e com a marca de: “A Geração Incapaz de Derrotar um Morto”. Como ninguém tinha contrato, a Ferrari foi atrás dele pra assinar um 2º contrato, sob a promessa de um carro competitivo, mas o acordo não cumprido nem na F1, nem em Le Mans, quando lhe deram carroças que abandonaram em 2 anos. Foge da Ferrari e já estava de saco cheio da F1, e, em 1975, assina com a Lotus e vira papai, pra surpresa dos rivais, que nem sabiam e nem imaginavam que ele transava. Após anos sem ganhar nada na F1 e vendo que o parquinho dele se chamava Le Mans, onde já era tetra, com a sorte de não ter Galvão Bueno berrando   É TETRA!   como uma virgenzinha histérica de TPM, sai da categoria em 1979. A 1ª parte de “1979” dos Smashing Pumpkins, que dizia que em 79 os fodões não tinham vez, falava dessa saída dele da F1. Em 1984, volta pra F1 e ganha o ódio dos brasileiros, ao dar bandeira vermelha no GP de Mônaco. Os brasileiros vandalizaram o Museu da Porsche e a estátua dele Na frente do museu, um brasileiro da NWO queria ferrar com o nome dele lá, mas, aí, sem sucesso.

Endurances e vida fora da F1:Editar

 
Ele e o cara que cuspiu no seu recorde e nos carros que ele usou pra construí-lo
 
Correndo e não vencendo em Le Mans

Em 1966, começou a correr Endurances, achando que corrida de 1,5 hora era coisa de menininha. No meio do ano, parava tudo pra correr em Le Mans. Em 1969, achou Jackie Oliver com um cartaz dizendo “Corro Le Mans por comida”, se tocou com aquilo e foram campeões, depois de 2 abandonos em edições passadas. Primeiro, com a proeza de quebrar um GT40 e na 2ª por não estarem um GT40. Também, com GT40 era trapaça. O melhor que conseguiu nos anos 70 foi mesmo ser pai e ganhar Le Mans de novo e de novo. Nesse meio-tempo, ainda vai correr na Austrália na Bathurst 1000, em mais uma pista onde só os machos se garantem. A primeira coisa que ele fez já como ex-piloto da F1 foi bater na casa de Derek Bell querendo reiniciar a parceria de 1975, já que com Jackie Oliver, Gijs van Lennep, Hurley Haywood e Jürgen Barth eram muito fracos e Jacky já estava sentindo a idade. Não podia mais dar ao luxo de carregar o piano sozinho. As artrites não permitiam isso. Assim, ganharam a parada de novo. O cara ganhou uma plaquinha da Porsche após tantas vitórias que deixaram o campeonato sem graça, fazendo com que a ACO colocasse todo mundo em trios pra tentar vencer Ickx e seu perceiro. Com sucesso. De saco cheio de asfalto, resolve correr no tranquilo, pacífico e inofensivo Rali Dakar, que, ainda era terminado em Dacar. E venceu de novo! O automobilismo estava ficando chato graças a ele... Em 1985, já quarentão na crista da onda e com uma sala de troféus imensa, disputa com Stefan Bellof. Como o cara era meio doido das idéias, entra na Eau Rouge com o cara, bate nele e ele sai da corrida. Tudo bem, bateu, na próxima ele volta e ganha. Só que a vida é uma coisa muito FDP mesmo: o carro começa a pegar fogo e ele morre. Ickx foi acusado de homicídio, mas, ele se defende dizendo que só bateu. Mas, a família de Bellof acusa a pequena Vanina de ter posto fogo no carro dele acidentalmente, deixando um isqueiro cair no carro, nunca foi provado. Esse episódio foi lembrado na 1ª parte de “Something” do Lasgo, que dizia que não se desculpariam por não ter nada de errado. Atualmente, ta por aí fazendo alguma coisa e desesperado por seu recorde de Le Mans ter sido batido por Tom Kristensen. E é difícil correr atrás já com 66 anos...

v d e h
Pilotos da Fórmula 1