Abrir menu principal

Desciclopédia β

GuardasInglaterra.jpg GOD SAVE THE DESCIC£OPEDIA!!

The Merlim's Order First Class garante que este artigo é 100% inglês. Ele é industrializado, casto, vitoriano e tem a aprovação de Câmara dos £ordes.

Se o artigo for sem graça, é apenas humor britânico.
Rainhavitoriapre.jpg
Arband.jpg Este artigo é sobre um(a) artista, grupo musical ou uma banda.

Certamente, seus fãs idiotas alienados o odiarão!

Fumocaranguejo.gif Jamiroquai dá um tapa na pantera!

Por isso ninguém entende o que ele(a) diz!

Clique aqui se você quiser dar um tapa também.

Jamiroquai
Jamiroquai1.jpg
Isso! Coube todo mundo na foto!
Origem {{{origem}}}
País Bandeira da Inglaterra Inglaterra
Período 1992 - Atualmente
Gênero(s) Jazz e Funk.
Gravadora(s) Pony Music
Integrante(s) Jay Kay;
Lorraine McIntosh;
Hazel Fernandez;
Derrick McKenzie;
Rob Harris;
Paul Turner;
Matt Johnson;
Sola Akingbola.
Ex-integrante(s) Muita gente...
Site oficial {{{site}}}
NovoWikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Jamiroquai.

Cquote1.png Você quis dizer: Resposta britânica ao Planet Hemp Cquote2.png
Google sobre Jamiroquai
Cquote1.png Você quis dizer: Resposta britânica ao Cypress Hill Cquote2.png
Google sobre Jamiroquai
Cquote1.png Legalize já! Cquote2.png
do Jamiroquai
Cquote1.png É emo! Cquote2.png
Guri retardado sobre Jamiroquai
Cquote1.png Vamos fumar um cachimbinho da paz... Cquote2.png
Gabriel, o Pensador sobre Jamiroquai
Cquote1.png Esses maconheiros vão aprontar altas confusões pra defender seus ideais! Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre Jamiroquai
Cquote1.png Que nome complicado da porra! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre Jamiroquai
Cquote1.png Que porra de chapéus toscos do caralho são esses! Cquote2.png
Dercy Gonçalves, mostrando que gostou da banda
Cquote1.png É a 1ª vez que vejo um cantor que cante como eu! Cquote2.png
Stevie Wonder sobre Jay Kay
Cquote1.png Isso não é funk! É uma merda! Cquote2.png
Funkeiro que só ouve Funk carioca sobre Jamiroquai

O Brasil tem o Planet Hemp (tinha, pelo menos). Os EUA têm o Cypress Hill. A Jamaica é o berço do Reggae. A Grã-Bretanha, que já passava mais de 30 anos se gabando de ter o melhor rock do mundo, não podia ficar atrás nessa tendência de fazer música pra “curtir o barato” e defender a liberação das drogas, por acreditarem que elas não fazem mal, ou seja, músicas que se resumem a desperdício de tempo na Holanda, e, assim, em 1992, surge na Inglaterra, numa aldeia indígena, o JAMIRO E UMA NOITES JAMIROQUAI, banda que representaria o orgulho da música em defesa das drogas na Ilha da Rainha. Uma banda de jazz e funk (funk sim, você achava que só no Rio que existe funk?) muito conhecida pelos chapéus bizarros que o vocalista usa nos shows, e provando que, os únicos funks audíveis no mundo são de fora do Brasil.

Índice

O Começo:Editar

Numa aldeia indígena da Inglaterra, em Manchester, Jason Kay começou a se interessar por música indígena, batucando nos rituais de Dança da Chuva, e resolveu levar isso mais a sério. Se mudou pra Manchester, terra de um monte de bandas de rock, pra aprender a cantar com eles, ali conheceu alguns caras e começou a cantar junto a eles um jazz acompanhado de uma boa erva (terão provas disso a diante). Nisso, percebe-se que a Grã-Bretanha começava a gerar músicas de protesto defendendo o uso de drogas, já que países como Brasil e EUA já tinham seus grupos, e a Jamaica inventou um estilo que abordasse isso, então, eles cumprem esse nicho. Por se identificar com as tribos yankees e, por ter gostado da música do Gabriel, o Pensador chamada “Maresia”, baitza a banda de JAMIROQUAI, o Jam dos Iroquoi. A ideia era batizar de Jamiroquoi, mas, ficou bizarro demais, e assim, a adaptação.

A Fama:Editar

 
  Esses caras são muito engraçados!(ou não)  
Jay Kay
 
Um índio? Não! É o Jay Kay

Começando na independência, acreditando na distância entre eles, a banda lança um hit que faz sucesso e, consegue realizar o sonho de todos que têm contrato com gravadoras: ver várias iniciando uma guerra pra ter os seus préstimos. Após tamanha putaria briga, eles resolvem assinar com a Sony, pois foi a que mais se machucou na briga, com 500 empregados mortos e várias guitarras quebradas na briga. A banda aceitou ajudar na reconstrução da gravadora. O plano era lançar 3 álbuns pra arrecadar fundos pra reconstrução do estúdio, ,as, em 1994, a banda lança The Return os The Space Cowboy, sendo que, jamais um cowboy havia ido ao espaço, exceto por aquele filme que seria lançado muitos anos depois, e, como ali, já implantaram a ideia de fazer músicas “verdinhas”, e fazendo sucesso no mundo inteiro com isso, que era modinha na época, pois cada país tinha o seu defensor das drogas, os super heróis entorpecentes. E a Sony consegue reconstruir os seus estúdios só com a sua parte do bolo do foi arrecadado com o álbum. Depois da monstruosa experiência com a Dolly, ele ficou muito puto, achava que isso era uma afronta aos bons costumes e uma puta falta de sacanagem o que fizeram com a inocente ovelinha, que só queria servir seu propósito, que era fornecer lã pra fazer os casacos pros humanos vestirem, e assim faz “Virtual Insanity”, dizendo que a tecnologia vai destruir o mundo, e tornando a banda famosa entre teóricos da conspiração por isso. Também lançaram “Cosmic Girl”, que contam várias histórias em torno dela: acredita-se que Jay Kay foi abduzido e se apaixonou pela ET que seria a “Musa Inspiradora da música, e outros falam que ele tava alto e contratou uma prostituta achando que era uma ET. Já rico, Jay Kay resolve viver como um rockstar, e compra uma mansão no meio do nada e uma garagem cheio de carrões que nós nunca teremos (ou sim) e um armário cheio de chapéus estranhos, bizarros e ridículos, e, pra reaver o dinheiro perdido nessa extravagância, lança Synkronized, que foi o semeador da discórdia da banda: Stuart Zender foi acusado de plágio nas músicas compostas por ele, e, querendo fugir de processos, ele é demitido pra se foder sozinho na sarjeta. Em 2001, só se falava em “2001: Uma Odisseia no Espaço”, porque nada do que aquele filme previu aconteceu, e a banda lança A Funk Odissey, prevendo um futuro que ainda não aconteceu, mostrando que é furada mostrar como será o futuro na música ou no cinema. Sob efeito de cannabis, não conseguiram fazer nada por 4 anos, o baguio era do bom. Após o efeito acabar, voltaram ao estúdio pra lançar o álbum, com Dynamite, uma homenagem ao que mais foi usado na briga entre estúdios pra ver onde eles tocariam.

Todo Mundo:Editar

Maconheiros:Editar

 
Como motorista, Jay Kay é um excelente cantor

Ex-maconheiros:Editar

Jay Kay expulsou tantas pessoas da banda, que há mais ex-membros do que membros. Alguns deles:

Sedas:Editar

  • Emergência no Planeta Terra: Com esse nome, a crítica achou que eles seriam a versão britânica do Daft Punk, mas estavam enganados. Ainda nos dias de independência, acreditando na distância entre eles (1993)
  • A Volta Do Cowboy do Espaço: Mesmo sem histórico de cowboys terem saído da Terra, lançaram esse álbum pra ajudar a Sony a se reerguer após o sangrento processo de licitação da banda. É aí que eles começam a defender o consumo de drogas (1994);
  • Viajando Sem Se Mover: Seguiram aquela tendência do Cidade Negra de viajar sem sair do lugar. Um nome mais Hippie impossível, e, isso também sugere drogas (1996);
  • Descincronizado: Álbum semeador da discórdia da banda, pois cabeças rolaram por incompetência na produção (1999);
  • 2001: Uma Odisseia no Funk: Aproveitaram o ano e o filme sessentista pra fazer dinheiro (2001)
  • Dinamite: Após 4 anos sob efeito de drogas, eles conseguiram ficar sóbrios e resultou nisso (2005)
  • O Pó Da Pedra e a Luz Da Estrala: A banda mostra que gosta de nomes Hippies pros seus álbuns. (2010).
  • AutôMATO: A banda juntou tecnologia com um mato depois de 7 anos sem fazer porra nenhuma, e ainda copiam o Daft Punk nas músicas. (2017)

Folhas:Editar

 
O símbolo da banda: Um corno psicodélico
  • Quando Você Vai Aprender: Depende do quão burra é a pessoa em qestão;
  • Emergência no Planeta Terra: Esse mundo ta perdido! Violência, preconceitos... Nós tá fudidu!;
  • Cowboy do Espaço: A música poser e o hino dos maconheiros britânicos. Transmite a mensagem de que os maconheiros são os fodões que dominarão o Universo. Analisando o refrão: “This is the return of the space cowboy, Inter-planetary good vibe zone, Say at the speed of Cheeba, oh you and I go deeper, Maybe I'll have to get high to get by, hey, I got that Cheeba-Cheeba vibe” (“Este é o retorno do cowboy do espaço, vibrações positivas da zona inter-planetária, Na velocidade da "erva", oh, você e eu vamos mais fundo, Talvez eu tenha que ficar "alto" pra ficar "numa boa", hey, Eu tenho essa vibração da "erva"” pra quem mata aulas de inglês), conclui-se que ele não estava puro na composição, o que torna inválida a tese do Noel Gallagher de que é impossível fazer música chapado;
  • Puta Falta de Sacanagem Virtual: Fala do absurdo que é clonar uma pobre e inocente ovelha, estreou nas rádios no mesmo dia que a merda estava acontecendo;
  • Anos-Luz: Mais de 8 bilhões de quilômetros;
  • Guria Cósmica: Era uma ET mesmo ou JK tava chapado?
  • L: Uma letra e uma versão miniatura de um personagem de anime;
  • Seven Days Num Junho Ensolarado: JK recebeu ligação da Samara, mas, como ela era fã da banda, esqueceu de tudo;
  • Fugitivo: Fala da vez que tentou comprar os baguio num beco, mas deram flagrante e ele consegue fugir, e, compõe a música pra se lembrar dessa situação constrangedora.