Abrir menu principal

Desciclopédia β

Jardim Anália Franco

Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Eaew, jhow! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!


Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!

Se você não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.

E se se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!


Cquote1.png Você quis dizer: Pseudo-ricos Cquote2.png
Google sobre Jardim Anália Franco
Cquote1.png Experimente também: Tatuapé Cquote2.png
Sugestão do Google para Jardim Anália Franco

Cquote1.png Não fica no Tatuapé, fica na Vila Formosa Cquote2.png
Geógrafo sobre Jardim Anália Franco
Cquote1.png Têm dinheiro, mas não têm classe Cquote2.png
Morador do Morumbi sobre moradores do Jardim Anália Franco

O Jardim Anália Franco é o bairro onde moram os novos-ricos de São Paulo. Fica na Zona Lost, faz parte da Vila Formosa (mas seus moradores juram que fica no Tatuapé) e, estatisticamente, possui a maior quantidade de gente pobre metida a rica do universo. Moram em apartamentos de luxo, mas estão super-endividados, decoram seus apartamentos com objetos bregas, ouvem música sertaneja e torcem para o Corinthians. A maioria não sabe ler nem escrever. E ainda se acham a últimia bolacha do pacote...

Típico morador do Anália Franco


Histórico do bairroEditar

Originalmente era o lixão do Tatuapé e o único prédio existente era um asilo. Só que muita gente que estava lá percebeu que conseguia ganhar dinheiro reciclando materiais que eram atirados no lixão, e começaram a ganhar dinheiro com isso. Percebendo isso, as construtoras começaram a desapropriar o lixão e construir apartamentos para os moradores novos-ricos de lá. Ou seja, os moradores enriqueceram vivendo inicialmente como... lixeiros!


EstruturaEditar

Limitado a norte pela rua Emília Marengo e a sul pela avenida Dr. Eduardo Cotching, metade do bairro é tomada pelo Parque dos Trabalhadores e pelo Shopping Anália Franco. A outra metade, como sabemos, é o aterro sanitário que deu origem a prédios de luxo. A estação de metrô mais próxima é a do Carrão, mas... como quase todo mundo tem carrões - mesmo que for para passar a madrugada com o som ligado escutando pagode no último volume - raramente é usada pelos moradores.

Moradores famososEditar