Abrir menu principal

Desciclopédia β

Jogos de ação-aventura

Jogos de ação-aventura gosta de aventurar-se!

Este artigo é sobre alguém que vive perambulando por todo canto, fugindo de perigos com a adrenalina a flor da pele.

Faça como Jogos de ação-aventura e saia se balançando nos cipós!
Indy2.jpg

Jogos de ação-aventura são um gênero de joguinhos bobos e repetitivos que consistem em sair passando de fases, andando reto em cenários, matando inimigos genéricos, atravessando enredos previsíveis e muitas vezes morrendo muito no caminho, sendo um grande exemplo de estilo de jogo baseado em tentativa-erro, ideal para seres com síndrome de down. São geralmente jogos curtos, com uma variedade de 8 a 13 fases, todas incrivelmente repetitivas, diferentes só pela cor dos cenários, tanto que jogos de ação-aventura são utilizados por psiquiatras para parecer diagnósticos sobre retardo mental (no mundo gamer conhecido pelo adjetivo "n00b") para alguém que não consiga zerar um jogo desse gênero em menos de 10 horas.

Características e jogabilidadeEditar

 
Ver a bunda dos protagonistas, motivo de quase todo jogo de ação-aventura ser em terceira pessoa.

Os jogos de ação-aventura são caracterizados por histórias pobres, só que não tão pobres quanto uma história praticamente inexistente de um jogo fps, mas também muito longe de chegar a ser algum RPG, havendo geralmente apens algo muito mal contado para justificar o jogador a querer passar de fases. Como sabemos que gamers são uma raça de lesados mentais (vulgo, fanboys) muitas vezes jogos desse gênero, como Shadow of the Colossus, por mais que não possua qualquer enredo ou história, milhares de fanfics sobre o tema são criados na internet para fazer de conta que há algum tipo de história rica.

Normalmente os jogos desse gênero usam uma história linear e genérica para se desenvolverem, havendo a possibilidade de side-missions que absolutamente nunca fazem qualquer sentido e envolvem normalmente coletar alguma coisa ou matar algum tipo de bicho para ganhar algum item ainda mais nada a ver.

Este gênero diferencia-se dos jogos de aventura por possuir maior senso de urgência, e a possibilidade de morrer, embora mortes sempre acarretem numa ressurreição quase imediata no mesmo lugar da morte, sendo na prática um jogo sem mortes.

Muitas vezes o protagonista pode ter uma pistolinha, ou alguma metralhadora, mas como a história do jogo não é genérica, o game não pode ser enquadrado como fps ou tps.

HistóriaEditar

Em 1976 foi criado o Colossal Cave Adventure, um jogo extremamente retardado que atualmente é considerado grandes coisas usando a desculpa de uma suposta limitada tecnologia da época. Na prática era um "jogo" (entre aspas mesmo) de clicar e escrever.

Foi no Atari 2600 que lançaram o Adventure, que foi um enorme fracasso por ser incrivelmente mal feito e sem objetivos claros, um problema do gênero, enterrando assim as chances de sucesso de novos jogos do gênero, que não vieram, no máximo a criação do cópia do Doom Castle Wolfenstein, que sempre foi mais jogo de tiro do que de ação, embora os fãs neguem isso.

Ao longo dos tempos foram surgindo jogos como o primeiro Prince of Persia e o primeiro Zelda, todos jogos incrivelmente impossíveis de se ter prazer em jogar, atraindo apenas masoquistas em geral.

Somente com a queda de popularidade dos jogos de aventura, e o avanço tecnológico que praticamente extinguiu os jogos de plataforma na década de 90, e assim forçando os produtores de jogos a colocar mais movimento em seus jogos, que finalmente os jogos de ação-aventura ganharam popularidade.

Sub-gênerosEditar

  • Ação-aventura em primeira pessoa - Gênero quase inexistente, tendo como exemplo apenas Far Cry e Half-Life que na verdade estão mais para fps e Mirror's Edge que está mais para simulador de parkour.
  • Ação-aventura em terceira pessoa - O subgênero mais comum, quando o jogador consegue ver seu boneco andando pelo cenário. Os jogos de Tomb Raider revolucionaram o gênero, visto que a maioria dos gamers são seres complexados sem vida social ou auto-estima, estes que ao se depararem com a bunda de uma mulher gostosa, mesmo que fosse uma poligonal Lara Croft, encontraram assim um novo sentido para a sua vida, e respeitando a lei d a oferta e demanda, a indústria dos videogames começou a aumentar cada vez a quantidade de jogos com protagonistas moças saudáveis, de modo que todo jogador pudesse passar horas constantemente vendo a bunda de sua personagem, é satisfatório para eles ver essas mulheres gemendo, saltando e se aventurando.
  • Mundo aberto - Gênero imortalizado pelo GTA 3, talvez o mais divertido, pois serve só para fazer putaria no cenário.
  • Plataforma-aventura - Graças ao Super Mario 64, praticamente todo jogo de Nintendo 64 foi desse gênero.
  • Stealth - Alguém muito chato em algum momento decidiu que se poderia passar de fases sem matar todo mundo, assim surgiram os jogos de stealth, o subgênero que ninguém gosta. O maior exemplo do gênero são os jogos Metal Gear, todos um saco, mas todos fingem que gostam para parecer cult na frente dos amigos.