Joker (Persona 5)

Ladraompce.jpg Joker (Persona 5) é um(a) ladrão(a).

Este artigo é sobre alguém em que votamos de 4 em 4 anos.
Se ele(a) ainda não lhe roubou, vai roubar.

Guarde bem sua carteira antes de ler este artigo.

Maluf tn.jpg


Joker
Jokerpersona5.jpg
Joker colocando a luva para esfolar o cu de geral
Também conhecido como MC, Trickster, Inmate (Ou Shujin)
Idade 16 anos
Altura 1,75
Arma secreta Satanael
Ocupação Estudante (ladrão de corações nas horas vagas)
Escola Shujin Academy

Cquote1.svg Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Whooooaaa looking cool joker Cquote2.svg
Morgana sobre Joker
Cquote1.svg Já peguei! Cquote2.svg
Todas as garotas de Persona 5 sobre Joker
Cquote1.svg Eu teria pego também, mas a Atlus não me deixou Cquote2.svg
Yusuke e Ryuji sobre Joker
Cquote1.svg Eu continuo sendo o melhor protagonista da série Cquote2.svg
Narukami mentindo sobre Joker

Joker, o coringa, também conhecido como Ren Amamiya e Akira Kurusu é o protagonista de Persona 5. É aquele típico adolescente do mundo dos shounens e dos JRPGs que apesar de mal ter começado o ensino médio já tem a força e a inteligência necessárias para lutar de igual para igual com monstros do além (nesse caso o além tem um nome bonitinho, "Metaverso"), robôs gigantes, quimeras e (por que não?) deuses. É considerado o melhor protagonista da série "Persona" por muitos fãs, a maioria nunca jogou outro jogo da série ou nem mesmo o próprio Persona 5.

HistóriaEditar

 
Joker fez questão de conseguir bons "aliados" para sua gangue

Joker (vamos chamá-lo assim para não ter que usar nenhum dos nomes idiota que você escolheu enquanto jogava. Está me ouvindo Jalim Rabei?) era só mais um garoto japonês normal que levava uma vida não muito interessante só assistindo animes e tentando lidar com o fato de ter um pau pequeno. Até que um dia resolveu desobedecer a ordem dos pais de não ficar fora de casa até tarde e acabou se envolvendo numa confusão envolvendo um carequinha mal-encarado[1] que estava gentilmente obrigando uma moça na rua a dar pra ele. Como o cabeça de ovo era bem apessoado dentro da polícia, a coisa não ficou preta pro seu lado mas sim pro pobre do Joker, que foi taxado de delinquente juvenil e foi obrigado a passar o resto de sua adolescência apodrecendo na FEBEM, até que foi salvo por um tiozinho com cara de tarado que o levou para morar no sotão do seu bar em Shibuya, Tóquio.

Com uma chance de limpar seu histórico em mãos, Joker tentou ficar o mais longe o possível de encrencas, mas logo no primeiro dia na escola nova deu de cara com outro delinquente juvenil e sem muita explicação, os dois acabaram embarcando numa brisa muito louca e foram parar dentro do castelo de um rei taradão. Esse rei era ninguém menos do que o professor da escola nova (vai fazer muito menos sentido depois, acredite) e ameaçou dar uma surra nos dois pentelhos, mas aí Joker acabou acordando um "demônio" que estava preso dentro dele esse tempo todo e com a ajuda de um gato falante os dois conseguiram fugir.

Depois de alguns dias e diálogos que provavelmente você deve ter dado "forward", Joker descobre que tem a habilidade especial de invocar vários daqueles capirotos chamados "personas" dentro do "Metaverso", uma realidade alternativa que mostra quem as pessoas são de verdade. Graças a ajuda desse tal gato falante, de Ryuji (que por acaso também é capaz de invocar seu próprio capiroto) e uma típica gostosinha de anime, Joker descobre que esse professor que todo mundo baba o ovo é na verdade um grande pedófilo que vive "treinando" o time de voleibol da escola usando o método Massaranduba. As coisas quase vão por água abaixo quando o professor ameaça caguetar Joker e Ryuji naquela tão temida reunião de pais e mestres, mas Joker e sua turma (agora com um nome bonitinho, "Phantom Thieves") conseguem mudar o coração do professor antes do fim do prazo e ele acaba confessando seus crimes e se entregando para a polícia.

 
Joker sabia como aproveitar bem o seu tempo livre

A seguir, os quatro conhecem um moleque alto e magrelo com jeito de boiola que estava sendo explorado pelo seu mestre e conseguem achar um novo bandidão para os "Phantom Thieves" alvejarem. Depois de muita treta e da Ann quase (para a tristeza de todos os jogadores) posar nua, Joker e seus amigos conseguem convencer Yusuke de que Madarame era só um velho fracassado que usava os quadros dos próprios pupilos pra ficar famoso e arranjam mais um membro para sua gangue de delinquentes juvenis. Os cinco mudam o coração do velho fracassado e conseguem libertar Yusuke das garras daquele relacionamento paterno abusivo. E daí em diante o jogo entra em um loop contínuo por mais quatro palácios onde o tema é sempre o mesmo: a trupe encontra um gatuno famoso e consegue mudar seu coração graças a entrada de um novo membro cujo poder especial é justamente a fraqueza do respectivo mandrião. E no meio desse bolo todo Joker tenta levar uma vida de adolescente normal fazendo coisas que todo garoto de sua idade faria, como estudar para tirar nota boa nas provas, arrumar o seu quarto e deixá-lo organizado, ir ao cinema e ao fliperama, tornar-se cobaia de testes ministrados por uma doutora gótica sem CRM e correspondente secreto de uma jornalista que investiga criminosos, ajudar um ex-mafioso a resolver seu passado com a Yakuza, enfim, nada de anormal. E além disso tudo também arranja uma namoradinha (ou várias).

Depois disso tudo acontece uma reviravolta muito louca onde um suposto aliado da turma é na verdade um traidor dois caras que está trabalhando para o grande vilão que advinha quem é? Advinha quem é? Exatamente, o mesmo carequinha mal-encarado que mandou Joker pro FEBEM anos atrás. Após uma confusão que ninguém entendeu direito no sexto palácio, todo mundo achou que Joker tinha morrido a lá Martin Scorsese, com um tiro na fuça, mas eis que tudo não passou de HÁÁÁÁÁÁ, PEGADINHA DO MALANDRO!!! E Joker estava na verdade vivíssimo no mundo real enquanto seu inimigo havia matado um clone no metaverso achando que era o verdadeiro (eu disse que ia fazer menos sentido).

Supostamente morto, Joker agora agia nas sombras para não ser reconhecido (o que era melhor, assim ele não precisava ir para a escola) e depois de embarcar num transatlântico fantasma finalmente pôde confrontar o seu maior inimigo e mudar o seu coração de uma vez por todas. Porém assim como em Tropa de Elite, o inimigo era outro, não um político corrupto que usava de hipnose e surtos mentais para se eleger, mas sim um deus em forma de taça de vinho que atende ao desejo das pessoas de serem controladas (Ah, a maravilhosa lógica dos JRPGs)). Esse deus todo-poderoso estava disfarçado de Igor, o suposto guia de Joker no mundo do metaverso, e oferece a ele um trato em que se aceitar tudo volta ao normal e os Phantom Thieves serão ricos e famosos, mas se recusar será obrigado a enfrentar aquela entidade do mal sozinho. Se você for burro corajoso demais para escolher a segunda opção, seu final será enfrentar o cruzamento entre Edward Mãos de Tesoura e um Starman de Earthbound. E mesmo depois de salvar o mundo desse deus do submundo (na verdade ele não salvou de fato, até porque o próprio deus só existia por causa das pessoas que pediam pela presença dele), Joker não só não recebe nenhum crédito por isso como vai novamente parar no xilindró devido a uma fake news desgraçada plantada por aquele detetive meia-tigela Judas filho de uma puta.

Pra não passar a vida vendo o sol nascer quadrado e não se transformar em uma espécie de Fernandinho Beira-Mar de Shibuya, Joker é obrigado a fingir que tudo que aconteceu nos últimos oito meses não passou de um mero surto coletivo e é mandando de volta para casa pra recomeçar sua vida do zero com a ficha criminal limpa. Olha que merda maravilha.

Poderes e HabilidadesEditar

 
  Lá vai ele criar essas malditas lockpicks de novo  
Herói do jogo

Na verdade, o grande herói do jogo não é Joker, mas sim esse garoto que passou o ano inteiro vendo um gato sob a carteira do protagonista, lendo todas mensagens que ele trocava sobre Phantom Thieves, além das misteriosas ferramentas que construía nos intervalos, e nada fez para nos entregar.

Como todo protagonista, Joker é dotado de uma força descomunalmente bruta que ele conseguiu apenas indo uma vez ou outra na academia (ou treinando com aquele gato falante estúpido) e de um poder ultra apelão que só ele tem: o de summonar mais de um daqueles capirotos, as "personas" (mais tarde é revelado que ele não é o único com esse poder hiper roubado), graças ao treinamento dado por um velho gordo e narigudo e sua(s) assistente(s). Mas além desses poderes fora do padrão comuns a todo personagem principal, Joker também é dotado de habilidades que ele vai aos poucos aprimorando com o decorrer do jogo:

  • Proficiência: Sozinho, Joker é capaz de produzir chaves, bombas de fumaça, sprays de pimenta e outras mil e uma ferramentas que nem o mais talentoso dos chaveiros seria capaz de fazer. Além disso ele também é um ótimo pescador, é capaz de consertar um laptop com as próprias mãos, sabe bem como segurar um taco... de beisebol e tem o toque cucozinheiro de um grande mestre-cuca.
  • Conhecimento: Joker não tem só cara de nerd, ele é um: responde de cor (ou não) todas as perguntas que os professores lhe fazem, é o primeiro da classe e da escola nas provas e consegue ler em tempo recorde todos os tipos de livros possíveis, desde os mais idiotinhas sobre flores e doces até os mais complicados que contam histórias de deuses e samurais.
  • Coragem: Claro que pra ser um grande herói você precisa ser corajoso, mas não é só desse tipo de coragem que eu estou falando. Estou falando de ser bravo o suficiente para chamar sua professora em casa pra dar uns amassos (isso só mais tarde) ou ajudar a tomar conta de uma loja de armas. Tá certo que são armas de brinquedo, mas armas são armas né, e dependendo do contexto até uma colher pode ser usada para cometer um assassinato. Mas acima de tudo, Joker é corajoso o suficiente pra levar um gato pra dentro da sala de aula em que estuda e como isso já não bastasse, ainda tem a audácia de se achar o Inspetor Bugiganga e querer tirar do cu as ferramentas mais improváveis quando deveria estar prestando atenção á aula.
  • Charme: Se você acha que Joker é mais um daqueles protagonistas feios que só chegam aonde chegaram por causa da força bruta e nada mais (pra falar a verdade eu não me lembro de nenhum protagonista assim...), está muito enganado. Ele também é bonitão, e atrai as garotas ao seu redor com seu charme onipresente e sua lábia, a qual ele aprendeu com um político, o mestre na arte de falar bonito e convencer as pessoas.
  • Gentileza: E por mais que Joker seja esse cara corajoso, inteligente e habilidoso, ele também é muito gentil, pois tem a paciência e a calma necessárias para lidar com crianças mimadas e barulhentas que ninguém aguenta como a filha do seu patrão e um moleque que rouba dinheiro da mãe pra ir no fliperama.

Veja tambémEditar

Referências

  1. Já perceberam como todo careca do mundo dos jogos é geralmente um malvadão? #Diganaoaopreconceitocontraoscalvos


  Este artigo trata de um protagonista

Ou seja, o personagem principal de alguma coisa por aí.

E você está cansado de ouvir falar dele(a).

 
v d e h