Abrir menu principal

Desciclopédia β

McdonaldsAmerica.jpg In Trump We Tru$t!

Este artigo é gringo! Ele usa eletrônicos da Apple, tem um Chrysler poluidor, não joga futebol e acha que é privilegiado..

Pinoquio.jpg

Joseph McCarthy é extremamente mentiroso(a)!
Clique aqui e veja outros narigudos.


MainardiInv.JPG Este artigo trata de uma personalidade mortalmente,
putaqueparivelmente e filhadaputamente odiada!
Ele(a) nunca será respeitado se continuar desse jeito.

Conheça outros filhos da puta clicando aqui.

Joseph McCarthy no programa de TV Ronda Anticomunista, que apresentou no canal CCC entre 1952 e 1957.

Cquote1.png Você quis dizer: Angus McGyver? Cquote2.png
Google sobre Joseph McCarthy
Cquote1.png Você quis dizer: Olavo de Carvalho? Cquote2.png
Google sobre Joseph McCarthy
Cquote1.png Você quis dizer: Joseph Mau-Caráter? Cquote2.png
Google sobre Joseph McCarthy

Joseph Luiz Pimentel McCarthney foi um político americano que causou pavor e pânico na população na década de 1950, quando espalhou o boato de que os EUA estavam sendo invadidos por comunistas infiltrados em todos os escalões do governo, da presidência a associações de moradores. A onda de terror só foi terminar em 1957, com sua morte devido a um ataque severo de hemorróidas -- não se sabe como o país estaria se McCarthy tivesse vivido por mais tempo, mas especula-se que 80% da população já teria cometido suicídio.

Índice

BiografiaEditar

 
Exemplo das ideias de McCarthy

Filho de um empalhador de animais e de uma fabricante de enlatados, McCarthy foi desde cedo ligado à conservação, seja de animais, de alimentos ou de políticas. Reza a lenda que os dedos da mão esquerda de McCarthy eram tortos porque ele os teria quebrado para não escrever com ela, já que ele tinha tendência a ser canhoto e se recusava a produzir qualquer coisa com a esquerda.

Aos oito anos, McCarthy matriculou-se por conta própria na colônia de férias O Pequeno Reacionário, onde recebeu medalha de ouro nas brincadeiras de Apedreje o Maldito Comunista e 100 metros com embargos. Saiu de lá possuído por um espírito cívico que foi posteriormente exorcisado, mas que deixou McCarthy com a ideia idiota de servir a seu país.

Por isso, em 1926, ao completar 18 anos, alistou-se na junta militar mais próxima de sua casa ansioso para combater os malditos comunistas em alguma guerra que viesse a acontecer, já que havia sido barrado na Primeira Guerra Mundial por ser considerado muito jovem para o combate (tinha nove anos quando os EUA entraram no conflito). No entanto, o tempo passava, nenhuma guerra acontecia e McCarthy resolveu desistir do exército para se formar em História. Desta forma, ele podia encher seu país de glórias de um jeito muito mais fácil e limpo: reescrevendo a história. Quando os EUA entraram na Segunda Guerra Mundial, em 1941, McCarthy não sentiu nem um pouco de vontade de se realistar:

  Também, eu nem queria mesmo. A União Soviética é nossa aliada. Eu quero é distância de comunista.  
McCarthy sobre a Segunda Guerra Mundial

Entrada na políticaEditar

 
  Anônimo, você é um comunista. A polícia estará aí daqui a pouco. Tenha um bom dia.  

Depois de cinco anos trabalhando como professor, McCarthy resolveu que, se era para contar mentiras, que ganhasse algum dinheiro por elas. Assim, entrou na carreira política. Começou como assessor de um obscuro vereador em Killing Reds, sua cidade natal, no estado de Viscoso Wisconsin, e com seu jeito doce e gentil foi galgando posições até ser eleito senador pelo estado em 1946.

No Senado, todos o viam como apenas mais um caipira matuto vindo da roça. Depois de ler o livro Como fazer amigos e ser popular, McCarthy decidiu que precisava se impor para ser notado em seu novo clube. Assim, inventou uma conspiração absurdamente intrincada (que só perdia em complexidade para aquela que culminou na morte de Odete Roitman), segundo a qual havia comunistas em toda parte.

  Você não acredita que estamos infestados de comunistas? OLHA UM AÍ BEM ATRÁS DE VOCÊ! AAAAAAAAHHHHHHHHHH!!  
Metodologia de debate usada por McCarthy contra quem o contestava

Como na época o mundo havia se cansado de guerrear de verdade e disputava a Guerra Fria (uma versão mais sem-graça de Vaca Amarela[1], em que os presidentes dos EUA e da União Soviética ficavam fazendo cara de mau um pro outro), McCarthy viu aí o momento ideal para se projetar. Como os americanos tinham mais medo de comunista que do salário mínimo, se ele se apresentasse como defensor do povo contra esses malvados comedores de criancinhas certamente viraria herói.

  1. Dizem que Harry Truman e Joseph Stalin, quando começaram a brincar, cantaram: Vaca Amarela, cagou na Terra toda, se eu atacar primeiro quero que você me exploda.

As perseguiçõesEditar

 
  Olha outro ali!  

Assim, McCarthy começou a fazer longos e inflamados discursos em que espalhava acusações contra funcionários públicos de todos os setores. Segundo o senador, eles queriam implodir o sistema americano por meio da inatividade. No entanto, como todo mundo sabe que funcionário público não trabalha mesmo, não deram muita bola.

Vendo que não era ouvido, McCarthy mudou de alvo e passou a atacar atores e diretores de Hollywood. Ele dizia que os filmes mais contestadores estavam sendo feitos por pura vaidade, que seus diretores só queriam um afago no ego. Quase toda semana o senador levava a público uma lista de acusações de subversão sem qualquer evidência, dizendo que o fazia apenas para proteger a nação e que quem fosse contra era um comunista golpista safado que queria derrubá-lo.

As novas acusações fizeram efeito. Vendo seus ídolos achincalhados como anões em programas de TV, a população se convenceu de que os comunistas estavam por toda parte e que o fim estava próximo. Entre 1947 e 1957, período do auge do Macartismo (como se tornou conhecida a estratégia política de McCarthy), os conflitos de rua aumentaram absurdamente, a ponto de qualquer um que, por distração, saísse à rua com alguma peça de roupa vermelha, correr o risco de ser linchado como um maldito comunista -- isso explica a razão dos anos 50 nos EUA terem sido tão sem-graça, já que as mulheres não podiam usar langerri vermelha pra dar mais graça ao negócio.

O fim do MacartismoEditar

Depois de dez anos de acusações infundadas e amplos debates travados no senado, McCarthy começou a perder terreno para políticos mais progressistas. Por ser um cara que não sabia brincar, ele normalmente ficava muito irritado, chegando ao ponto de ser hospitalizado várias vezes por causa de alterações na pressão.

Em março de 1957, havia sobrado apenas 42 cidadãos americanos -- à exceção dele próprio -- que não haviam sido acusados de comunistas. McCarthy fazia suas denúncias de praxe quando uma grande revolta aconteceu. O plenário foi invadido pela meia dúzia de comunistas americanos verdadeiros, que já estavam de saco cheio daquela história de dizerem que todo mundo pertencia ao clube deles.

  Nós somos TRUE. Temos nosso próprio estilo. Você acha o quê, que todos temos que ser iguais? Com essa vidinha MEDÍOCRE? Sua inveja faz a minha fama.  
Líder do Partido Democrata Comunista para Joseph McCarthy, num pronunciamento que ficou histórico

O debate foi tão intenso, e McCarthy irritou-se tanto, que suas hemorróidas explodiram, o que lhe causou uma grave hemorragia cerebral e consequente morte (mais tarde, foi descoberto que o célebro e os intestinos do senador estavam conectados, o que explica -- em parte -- sua imensa capacidade de falar merda).

RepercussõesEditar

Das dezenas de milhares de acusados, cerca de 0,51% eram realmente comunistas. A maioria, vendo que o clima não estava bom nos EUA, resolveu fugir para o Brasil, onde fundou o Grêmio Recreativo e Associação Esportiva Unidos do Comando Vermelho, que se tornou bem atuante no Estado do Rio de Janeiro.

O Macartismo também foi fundamental para a formação filosófica de renomados intelectuais brasileiros como Olavo de Carvalho, Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo e outros, que fazem da perseguição e da paranoia suas principais táticas de argumentação.

Ver tambémEditar