Abrir menu principal

Desciclopédia β

Giudizio universale

(Redirecionado de Juízo Final)

Giudizio universale é uma grande suruba pintada na parede do altar da Capela Sistina, representando a visão do Juízo Final segundo Michelangelo e seus conhecimentos sobre o calendário maia e o fim do mundo em 2012. Obra considerado por alguns como o primeiro yaoi criado no ocidente.

Giudizio Universale - Michelangelo.jpg
Apocalipse Now
Michelangelo, 1537-1541
Chapisco sobre o reboco
Capela Sistina (Vaticano)

Índice

HistóriaEditar

A obra foi encomendado pelo Papa Clemente VII, um grande fã do Teto da Capela Sistina mas estava ficando com torcicolo de ter que ficar olhando para o alto, então ele queria uma pintura que ficasse na parede.

Clemente VII morreu antes da conclusão da obra, e foi o Papa Paulo III quem viu a sua conclusão e pagou Michelangelo com duas esferas do Dragão.

A obra foi feita atrás do altar e algumas pinturas antigas foram apagadas ou aproveitadas como uma pintura de Zangief que foi aproveitada para ser o João Batista, apenas mudando a cor do calção e o estilo do cabelo.

AnáliseEditar

Anjos com instrumento da PaixãoEditar

O alto da obra está o Paraíso (onde Elvis Presley não é retratado, o que dá argumentos às teorias da conspiração sobre a sua não morte). Os anjos carregam algumas tralhas que Jesus esqueceu lá no Céu. Aliás será que são anjos mesmo? Eles não tem asas de ganso como os anjos do Leonardo da Vinci... São considerados as figuras mais anatomicamente detalhadas da obra, o motivo disso é que Michelangelo começou por eles com capricho, mas com o passar dos anos já de saco cheio fez o resto da pintura de qualquer jeito.

  Ala esquerda - Um grupo de anjos carrega uma cruz, alguns não parecem ter bons costumes pois estão pelados. O detalhe nessa cena fica por conta de um dos anjos que carrega um pandeiro pois estava num churrascão maneiro na hora do chamado do Juízo Final.
  Ala direita - Um grupo de anjos carregam um pilar que foi malocado do Parthenon para provar a existência do Deus Único Criador e Destruidor dando uma marretada na cabeça dos ateus.

Jesus e MariaEditar

Centralizados na pintura é possível observar um portal dimensional atrás de Jesus e Maria de onde provavelmente eles vieram.

  Jesus - Diferente de muitos retratos de Jesus, nesta obra de Michelangelo Jesus aparece com uma barriguinha tanquinho sarada e de barba feita. Uma alusão clara aos resultados de tanta malhação que Jesus fez durante sua Paixão, e como o Paraíso conta com modernas máquinas de barbear Jesus pode estar sempre todo bonitão.
  Virgem Maria - Por ser uma virgem, Maria está muito espantada com o fato de estar cercadas de homens másculos nus, e aparentemente está comparando o tamanho dos pênis, um verdadeiro sacrilégio que Michelangelo fez em pleno coração do Vaticano.

Primeiro círculoEditar

Grupo das pessoas VIPs que cercam Jesus, em primeiro plano estão a maioria dos apóstolos, e em segundo plano figuras borradas que não passam de coadjuvantes.

  São Bartolomeu - O mais desconhecido dos 12 apóstolos é homenageado por Michelangelo como o apóstolo pintado em maior destaque e do mais fácil reconhecimento (por estar segurando sua própria pele esfolada). Acredita-se que Michelangelo tenha cometido a heresia de ter feito seu autorretrato nesta figura.
  São Lourenço - Segurando sua tradicional grelha, era o santo predileto de Michelangelo por ser o santo protetor dos George Foreman Grill abençoando a bandeja coletora de gordura.
  Direita de Jesus - Composto primeiro por Santo André que tinha o bumbum mais sexy dentre os apóstolos dando uns pegas na Maria Madalena, seguido por João Batista que foi tirado de algum personagem renegado da Marvel de tão musculoso.
  Esquerda de Jesus - Há primeiro o São Marcos goleiro do Palmeiras reconhecido pela sua careca exibe para Jesus as mãos que frangaram contra o Manchester United na final do mundial. Seguido por São João que novamente é retratado como uma menina, posteriormente São Paulo que está parecendo mais Nostradamus, e na borda está São Pedro carregando as chaves do Paraíso.

Segundo CírculoEditar

Compondo as duas laterais centrais da obra, não passa de um aglomerado caótico que Michelangelo esqueceu de dizer quem é quem e agora todo mundo fica tentando decifrar quem são.

  Ala esquerda - Alguns dizem que esta zona é a área da obra onde estão as virgens e mulheres bem aventuradas, mas é claro que isso não passa de um olhar otimista para não admitir que pintaram uma suruba em plena Capela Sistina onde está retratado diversas mulheres bombadas com os peitos de fora.
  Ala Direita - Composto por mártires em maioria homens, como Brás de Sebaste (na verdade inventaram que o Brás está por ali). É naquele bolo que está Abraão e o coitado do São Dimas, que não pode descansar de carregar a cruz nem durante o Juízo Final. Olhares atentos conseguem identificar apologias veladas ao homossexualismo introduzidas secretamente por Michelangelo.
  Santa Catarina de Alexandria - Bem destacada ela está ali com a sua eterna engrenagem quebrada exibindo certos músculos, o que é normal para quem passou milênios carregando aquele pedaço de madeira.

Anúncio do Fim dos TemposEditar

  Anúncio do Fim dos Tempos - 11 anjos anunciam o apocalipse através do uso de vuvuzelas douradas. Como os anjos do topo da pintura estes não tem asas de ganso como mandava o estilo renascentista de retratar anjos, o que dá margem a interpretações que esse grupo seja na verdade torcedores de futebol indo pro Inferno.

Ressurreição dos corposEditar

À esquerda o grupo daqueles que compraram depois de tanto pagarem dízimo a passagem para o Céu, e à direita aqueles que vão para o Brasil Inferno.

  A ascenção dos eleitos - Retratado de forma suave e bela, todos aqueles que beberam Red Bull estão flutuando deslizando voando para o Paraíso onde acima encontraram as 7 Virgens que Maomé prometeu.
  A queda dos danados - Todos os filhos da puta estão sendo socados para caírem no Inferno. Um destaque nessa composição fica pela figura próxima aos anjos da trombeta, uma figura desesperada representando a classe dos emos e sua queda ao Inferno.

InfernoEditar

  Barco do capeta - A velha jangada leva os danados com passagem só de ida para o Inferno. Originalmente Michelangelo usaria um ônibus brasileiro mas decidiu que a jangada seria mais alegórico.
  Minos - Retratado de uma forma um tanto cômica, usando um certo trocadilho metafórico com uma serpente mordendo seu bilau, Minos o juíz do Inferno no canto inferior direito foi a última figura a ser pintada
  Caronte - Para Michelangelo o barqueiro do Inferno é um gremlin com um bigode e um topete fora de moda. Segura seu remo como se fosse enfiar a porrada em alguém.
  Diabos - Sob a terra estão alguns homens de neandertal que foram para o Inferno porque não foram batizados. O fato de Michelangelo ter pintado um enorme volume dentro de suas cuecas é uma alegoria para o fato de eles colocarem uma beringele dentro das calças para ludibriar maliciosamente, atitude digna de ser punida no Inferno.