Abrir menu principal

Desciclopédia β

Juan Martín del Potro

(Redirecionado de Juan Martin Del Potro)

Cquote1.png Hã? Cquote2.png
Rafael Nadal depois da semifinal do U.S. Open 2009
Cquote1.png Hã? Cquote2.png
Roger Federer depois da final do U.S. Open 2009

Juan Martín del Potro é um hermano nascido em Tandil (a capital argentina do tênis, cidade de Juan Mónaco e de Máximo Gonzalez, além do Camoranesi, que é jogador de futebol). Atualmente, tem 23 anos. Seu único feito foi ter vencido Roger Federer e Rafael Nadal no U.S. Open 2009 (ele destruiu o Nadal na verdade, por 3 sets a 0, triplo 6-2). Curiosamente, nunca passou de uma 2ª rodada em Wimbledon.

Grande lance de del Potro.

HistóriaEditar

Nasceu em Tandil em 23 de setembro de 1988. Começou a jogar tênis aos 7 anos. Craque como era, conseguiu vencer sua primeira partida apenas aos 15 anos. Cheirou uns gatinhos e conseguiu chegar à sua primeira final de um torneio um ano depois com algum suborno. Ugo Colombini, ex-jogador profissional de tênis, gostou da perfomance de del Potro após cheirar gatinhos e o ajudou a tornar-se profissional, financiando os gatinhos. Atualmente, Colombini é o agente de del Potro. Em 2004, del Potro já era o número 1441 do ranking. Mais tarde, jogou alguns torneios no Brasil (em Campinas, pra falar a verdade) e, como depois do Guga ninguém mais se destacou no tênis brasileiro, del Potro venceu um ou outro torneio (destruindo os noobs brasileiros, coisa que a Argentina nunca consegue no futebol) e subiu ao top 200 no fim de 2005 (haja gatinhos!!). Del Potro foi sendo convidado para alguns torneios, inclusive os de Grand Slam. Conseguia vencer um ou outro set contra jogadores do naipe de Juan Carlos Ferrero, mas não passava disso. Inacreditavelmente, no fim de 2008 já era top 10. Em 2009, foi eliminado em Roland Garros e Wimbledon pelo futuro campeão, Federer, mas depois Juan daria o troco na final do U.S. Open.

Estilo de jogoEditar

Um saque de pedreiro, quase à la Andy Roddick. Apesar disso, tem um forehand muito preciso, forte e certeiro, e seu backhand não é nada ruim. Pode não ter a técnica do Federer, não usar os esteroides do Nadal, não descer a porrada no saque como o Roddick, não imitar os outros tenistas como única forma de conquistar fãs como o Novak Djokovic faz e vai bem melhor nos torneios grandes do que o feioso do Andy Murray, mas mesmo assim, se consagra como uma das maiores promessas do tênis atualmente. Quem sabe quando o Federer, que já tem 32 anos se aposentar, não poderemos ver grandes finais de Roland Garros entre Nadal e del Potro, ou finais de U.S. Opens e Australian Opens como Novak Djokovic VS del Potro? Ah, sei lá, enquanto isso, o Federer vai continuar vencendo o resto. Menos de del Potro. Ou não.


v d e h
Tênis