Abrir menu principal

Desciclopédia β

Juventus Football Club

(Redirecionado de Juventus FC)


Juventus Football Club
Escudo do Juventus FC.png
Brasão
Hino '
Nome Oficial Juventus Calcio Club
Origem Bandeira da Itália Itália - Turim
Apelidos Ladrões
Torcedores Criminosos, modinhas e vira-folhas
Torcidas Corrupção United e Vira-folha Fanclub
Fatos Inúteis
Mascote Árbitro
Torcedor Ilustre André Henning (não da juve exatamente, e sim do penaldo)
Estádio Juventus Stadium
Capacidade
Sede Turim
Presidente O padrinho
Coisas do Time
Treinador Massimiliano Alegre
Pior Jogador Nuvola apps core.png CR7
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png Os árbitros
Patrocinador Mafia italiana
Time
Material Esportivo Ladridas
Liga Campeonato Italiano
Divisão Serie A
Títulos 35 "36 no campo", provavelmente mais no tribunal
Ranking Nacional
Uniformes Juventus Uniforme home.png
Juventus Uniforme away.png



Cquote1.png Iiiuuuuuventuuuuussss!!!! Cquote2.png
Narrador do Winning Eleven sobre Juventus

Juventus Football Club de Turim é um clube que disputa o campeonato italiano. Famosa por ser a maior campeã italiana de todos os tempos. Também é famosa por ter sido rebaixada ao mesmo tempo em que foi campeã italiana, feito inédito. É um time-empresa honrosa e filantrópica voltada para fins lucrativos e criado para reabilitar jovens perdidos nas drogas e que querem vencer não jogando bola, mas sim no celular. Em mais de 100 anos de história a Juventus não conseguiu vencer um campeonato sequer sem depender da arbitragem.

Índice

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

Diz a lenda que o clube da Juventus foi fundado por Barrabás em 32 d.C. em Jerusalém, atual Israel, e que inicialmente se limitava a fazer proselitismo na Babilônia, Sodoma e Gomorra, ensinando e pregando a arte do roubo e da fraude esportiva. O clube foi posteriormente adquirido pela FIAT, sediada na cidade de Turim lá na Itália, de onde se sucedeu o time de futebol.

Era de glóriasEditar

Depois de muito brigar para deixar o futebol italiano depender apenas do AC Milan, o time de Turim conseguiu ganhar um campeonato italiano. Animados com o título, contratou jogadores de peso, como Alessandro Del Piero, Zidane e Chuck Norris. Com o último no time, ficou fácil ganhar mais 26 campeonatos e se transformar na maior campeã da Itália.

Anos 2000Editar

Cansado de tanto ganhar campeonatos italianos, todos antigos craques decidiram sair do time e se aposentar. Aí a Juventus se desesperou, pois o Zidane já ia se aposentar também, e Del Piero não ia dar conta de todo o time. Resolveu insistir em contratações bizarras como Camoranesi, Ibrahimovic e Nedved para fortalecer o time.

Calciopoli (2006)Editar

 
Del Piero alegre pra caralho, ao levantar a taça mais importante da Velha Senhora no século, a primeira que não foi comprada.

Por algum milagre, conseguiu ser bi-campeã italiano seguido, mas a Federação italiana descobriu que, como toda boa máfia da Itália, o time de Turim havia comprado todos os jogos do campeonato. Os dois títulos foram retirados e a Juventus foi rebaixada para a segunda divisão. Como todo bom traidor, Ibrahimovic saiu do time e foi para a Inter de Milão.

Ânus Anos de transição (2007-2011)Editar

Após o escândalo o time perdeu todas as suas estrelas e foi automaticamente rebaixado para a Serie B, mas conseguiu voltar um ano depois porque todo time grande que cai só dura um ano na segunda divisão menos o Vasco (eu disse grande). Nos anos seguintes o time não fez nada de interessante, se classificava pra Champions mas levava porrada dum Real Madrid e era eliminado, chegava nas finais da Copa da Itália como favorito e caia fora, entre outros fracassos. Pra tentar compensar essa escassez de títulos, os dirigentes do time fizeram um pacto com Satanás e conseguiram dinheiro suficiente pra comprar Cannavaro, Fabio Grosso, Diego e aquele que viria a ser o principal astro do time: Felipe Melo (haha).

O Octampeonato (2012-2019)Editar

Era Conte 1,2,3,4 (2011-2014)Editar

Como o time do Juventus era ruim que só a gota, a diretoria resolveu compensar contratando Antônio Conte: o treinador que tem a capacidade de tirar leite de pedra levando times horríveis até finais de campeonato. Conte foi o responsável por trazer o primeiro jogador bom e sem estar acabado do time em anos: Andrea Pirlo, além de ter se livrado de Felipe Melo, o que já fez o time melhorar em 200%. Com um esquema defensivo mais truncado que a vagina da minha mãe quando era virgem, a Juventus venceu o primeiro título justo(não se esqueça de que quando o assunto é título italiano pra Juventus há sempre controvérsia) com Pirlo carregando nas costas um time cheio de jogadores peladeiros e os sexagenários Buffon e Del Piero.

No ano seguinte Conte pra mim o teu problema, te empresto meu ombro viu que somente Pirlo não era bastante pra fazer o time alavancar e por isso foi até uma periferia de Paris na França, um ótimo reduto de garotos imigrantes, bons de bola e cujos pais são capazes de tudo pra ter o que comer, inclusive mandar o filho numa viagem incerta pra fora do país (Ex: Zidane, Cantona, Vieira). Lá ele achou Paul Pogba, um crioulo magrela de 1,90 de altura que tinha o domínio de bola de um Messi da vida. A dupla Pogba-Pirlo foi um sucesso e trouxe outro caneco pra tomar chopp pra Turim. Em 2013 veio o tricampeonato com a chegada de Carlitos Tevez (la pregunta?), que assustava os zagueiros e goleiros adversários com sua feiura, fazendo eles fugirem de meio. No final dessa temporada Conte saiu do time pra treinar a seleção da Itália, pois o salário era 30x melhor e ele não tinha que se preocupar em ter um infarto toda vez que via o Tevez tomando banho no vestiário.

Era Allegri O contrário de triste (2014-presente)Editar

Pra não ter que gastar dinheiro com um técnico caro, a diretoria decidiu pegar um ex-jogador que não tinha nada melhor pra fazer na vida e o colocou no comando. O escolhido foi Massimiliano Allegri, que de allegri ele não parece ter nada. Apesar de ser um treinador meia-boca, a Juve tava com um time fodão que ficou ainda mais quando Evra e Morata chegaram, por isso o time foi tetra italiano, ganhou a copa da Itália e chegou na final da Champions, onde perderam pro time mais modinha da história da humanidade, o Barcelona.

Em 2015, Pirlo, Vidal e metade do time estavam velhos e pra não serem demitidos foram jogar em clubes menores, onde os dirigentes são tão burros que pagam um contrato milionário simplesmente por serem estrelas e mesmo estando velhos e jogando mais nada (|não te lembra um clube aqui do Brasil?). Pra suprir essas perdas foi trazido Dybala, que de bala tem tudo: desde a velocidade até o poder de fogo (caralho, esses trocadilhos tão cada vez piores) e outros jogadores de qualidade. Em uma batalha ferrenha contra o Napoli de Higuaín, a Juventus ganhou o quinto título e se tornou o melhor clube da Itália. E pra acabar de vez com a concorrência, barganharam o Higuaín, fazendo da Juventus uma espécie de Golden State Warriors do futebol italiano: um super-time que ninguém consegue superar e que deixa o campeonato previsível e sem graça. Assim o Juventus teve uma temporada fodástica sendo hexacampeão italiano e tri da Copa da Itália. Chegou a final da Champions League de novo e até saiu na frente do Real Madrid, mas aí a estrela cadente de Cristiano Ronaldo brilhou mais que o seu cabelo lavado com Clear Men Shampoo (olha o merchan) e fez a diferença para aos merengues.

Mudança de escudo para 2017Editar

Para iniciar a temporada 2017-18, envergonhado de tantos fiascos europeus e ter que se contentar apenas com o campeonatinho italiano, o Juventus anunciou um novo escudo para tentar disfarçar que a partir de então, era um time novo e almejava novas conquistas sem o auxílio do árbitro. O novo design foi um estrondoso sucesso que recebeu desaprovação de 99% da torcida porque o clássico escudo seria trocado por um rabisco com o nome "Juventus" em cima porque ninguém saberia determinar o que seria tal rabisco. A ideia era fazer com que até uma criança retardada de 2 anos pudesse rabiscar desenhar este novo escudo, uma estratégia para popularizar o clube.

A chegada de CR24Editar

 
Apresentação de CR7 na Juve.

Em 2018, a Juve vendeu seu maior ídolo e símbolo Gianluigi Buffon para o PSG e usou o dinheiro para contratar Cristiano Ronaldo, o jogador mais modinha da atualidade. Agora, com Higuaín fora do time, a Juventus não precisava se preocupar em perder gols em momentos importantes e não precisava mais combinar esquemas com os juízes para ganhar todos os títulos (Todos, menos a Liga dos Campeões, é claro). Em sua primeira temporada no clube italiano, o portugay já percebeu que tinha feito uma cagada federal saindo do Real Madrid, pois logo após ter feito a melhor partida de sua vida e ter derrotado sozinho o seu capacho Atlético de Madrid (e ainda por cima revelando que sua vagina era 3 vezes maior que a do técnico Simeone), o robozinho apenas assistiu a eliminação pelos moleques que fediam a mijo do Ajax.

CuriosidadesEditar

  • Sabe-se que a camisa da Juventus é inspirada nos uniformes dos presos.
  • A Juventus tem uma equipe de matemáticos a mesma do Palmares que conseguiu provar por meios totalmente lícitos que 32+1=35.