Abrir menu principal

Desciclopédia β

Kinshasa

Cquote1.png Você quis dizer: Cachaça? Cquote2.png
Google sobre Kinshasa

Kinshasa (do antigo dialeto Lingala: Cachaça) é capital do Zaire (informalmente República Democrática do Congo), cidade grande pra caralho, a terceira maior da África, é líder em diversos rankings econômicos, sociais e de qualidade de vida, como cidade de maior desigualdade social do mundo, pior saneamento básico da África, maior risco-país do universo, maior proporção de infectados com AIDS do Congo e maior índice de expectativa de vida do mundo (esse último vendo a tabela de cabeça para baixo, claro).

HistóriaEditar

 
Uma rica senhora usufruindo de um moderno carro de fabricação francesa com acabamento que apenas as ruas de Kinshasa podem lhe dar.

Cidade fundada em 1881 pelo intrépido explorador Henry Stanley que decidiu armar ali um posto de trocas do outro lado do rio onde viviam os perigosos canibais, após enfeitiçá-los com espelhos (e dar tiros nos imunes ao feitiço) Henry regressou para a Europa com a notícia da descoberta de terras maravilhosas repletas de escravos, mulheres e recursos para serem saqueados, os belgas gostaram da notícia e mandaram um monte de gente para Brazzaville.

Durante muito tempo o nome da cidade foi Léopoldville, uma vez que era uma fazenda particular do Rei Leopoldo II da Bélgica, que viajava ao local de férias para caçar africanos por esporte.

Léopoldville floresceu como o primeiro porto fluvial do Rio Congo. Tudo que era saqueado no interior do continente africano acabava ali, tornando a cidade um polo de mentecaptos mercenários e escravos.

Em 1960 após uma revolta em Kinshasa quando toda a população branca foi estuprada e voltou chorando para a Europa, surgia uma nova nação independente e Kinshasa veio a se tornar a capital do Zaire, e assim sucessivos felizes golpes de estado passaram a ocorrer um atrás do outro até 1965 quando assume a linhagem Motumbo, que modificou o nome da cidade para o atual Kinshasa no intuito de africanizar os nomes das cidades e pessoas.

 
O porto de Kinshasa é desenvolvido para receber as mais modernas embarcações que navegam o Rio Congo.

Ali por volta de 1997 o Zaire (após um golpe de estado, para variar) muda de nome para República Democrática do Congo graças a uma moda lançada em Kinshasa a democracia onde diz que, caso você não esteja satisfeito com as excelentes condições que o vigente governo opressor lhe oferece, você é livre para empunhar armas e se rebelar ao se auto-intitular coronel e dessa forma atacar o palácio presidencial, promover um genocídio, aplicar um golpe de estado, e assumir o poder matando, saqueando e estuprando quem se opor a você. A tarefa difícil é manter a lealdade de seus soldados, pois eles também são livres para se rebelar e te matar.

Atualmente, Kinshasa é uma favela multiplicada por mil.

PolíticaEditar

Política baseada na ditadura da politicagem democrática, onde é comum e difundida a corrupção em massa, o nepotismo, a guerra civil e os golpes de estado.

GeografiaEditar

Principal cidade nas margens do Rio Congo, do outro lado do rio está a maior favela do mundo conhecida como Brazzaville.