Abrir menu principal

Desciclopédia β

Laranjeiras

Nota: Para outros significados de Laranjeiras, ver Laranjeiras (desambiguação).


Laranjeiras é até um bairro do Rio de Janeiro onde fica o Fluminense, mas esse artigo fala de algo muito pior, uma pequena cidade-dormitório de Aracaju, localizada nos confins de Sergipe. Laranjeiras sergipana é meramente um povoado de Nossa Senhora do Socorro, o principal bairro de Aracaju.

Índice

HistóriaEditar

 
Uma das tantas igrejas históricas de Laranjeiras, em bom estado de conservação, que são orgulho de seus habitantes.

Em 1590 documenta-se que explorador portugueses dizimaram os índios da região por estes não aceitarem seus espelhos e outras magias europeias, e decidiram se estabelecer na região para colonizar a região aonde o rio Catiguria desaguava no rio Sergipe. A ideia era criar um porto bem no interior do território, para que ninguém soubesse de sua existência e assim nunca fosse invadido, mas muito embora a ideia até tenha dado certo o problema é que depois nem os próprios portugueses sabiam que haviam uma cidade tão isolada. O nome veio do fato de que a região sempre foi repleta de laranjas, daí o nome.

Apesar do nome, quiseram construir ali foi engenhos de açúcar, pois laranja só dava certo em Brasília, mais especificamente no Congresso Nacional, então substituíram tudo por cana-de-açúcar que era mais ideal para a baixa instrução do povo local que só precisaria cortar cana. Devido à prosperidade do engenho, o vilarejo foi em 1637 ocupado pelos holandeses que adoravam chupar uma cana, mas foram expulsos na Copa do Mundo de 1994 graças a um golaço do Romário, antes dos holandeses conseguirem concluir seu trabalho de demolição da cidade que infelizmente nunca foi concluído, só uns poucos casarões foram queimados. Assim em 1832 Laranjeiras era criada oficialmente como cidade, momento em que surgiu rivalidade com Nossa Senhora do Socorro que foi transformada em bairro de Laranjeiras, revoltados os socorrenses começaram a importar boias-frias de todas partes do Brasil e construir barracos em todos lados, superando de longe a população de Laranjeiras e conseguindo reverter o jogo, e hoje Laranjeiras que é um bairro de periferia de Nossa Senhora do Socorro.

Laranjeiras seria ainda palco de duas grandes revoltas urbanas de escravos, levantes que foram registradas em 1835 e 1837 quando a população escrava se revoltou e alguns até mataram seus donos. Por sorte, em 1888 alguém aboliu a escravidão, ficando autorizada a semi-escravidão nos canaviais da cidade, e desde então nunca mais houve revoltas, pois as condições de boia-fria são consideradas dignas já que há salário.

Foi em 1888 que o estado de Sergipe é inventado também, sob a alegação de nenhum motivo especial, e sua capital foi estabelecida em Aracaju, que tem praia, mulheres de biquíni e bons bordéis. Laranjeiras realmente acreditou que podia ser capital de alguma coisa.

EconomiaEditar

Desde 1500 o único produto cultivado, colhido e produzido em Laranjeiras é a bendita cana-de-açúcar, produto bom que só traz desenvolvimento, pois os trabalhadores rurais não precisam de instrução, e com uma população que não precisa de instrução, a prefeitura pode poupar dinheiro não investindo em escolas, afinal qualquer um é livre para se tornar mendigo em Aracaju sempre que quiser. Mas devido a tanta cana, ainda não é muito claro o motivo da cidade chamar-se "Laranjeiras" e não "Canaviais".

TransportesEditar

Laranjeiras está no caminho da BR-101, sendo portanto uma cidade de relativo fácil acesso, embora não se recomende parar nela no meio do caminho. O Aeroporto de Aracaju também é uma boa opção, porque ele fica mais perto de Laranjeiras do que de Aracaju.

Laranjeiras é uma cidade de interior, pequena, repleta de ruas estreitas feitas com pedra-sabão, não sendo recomendável transitar na cidade com algo maior que uma mobilete sob perigo de ficar entalado em algum lugar.

TurismoEditar

Laranjeiras é aquele tipo de cidade sem nenhum atrativo, mas que sabe convidar bem turistas para uma boa cilada, alegando ter um belo centro histórico que na verdade só é repleto de casarões semi-abandonados muito sem graça, além de várias igrejas antigas e desertas que você vai, tira uma foto e depois fica o resto do dia sem ter absolutamente nada para se fazer, porque nem praia tem pra ver umas gostosas (ou gostosos dependendo de sua preferência).