Abrir menu principal

Desciclopédia β

Laurêncio

Lawrêncio
Lawrencium.jpg
Uma pedra qualquer que nada tem a ver com laurêncio, mas que na falta de um laurêncio está aí ilustrando este artigo
Símbolo, número Button-l1.pngButton-r1.png, 103
Série Radioativídio
Principal isótopo 261Lr
Propriedades atômicas
Massa atômica (262) cus
Dureza Desconhecida
Nível de radioatividade Altíssima
Nível de toxicidade Altíssima
Propriedades físicas
Comestível? Não recomendado
Inalável? Não recomendado
Posso passar na pele? Não recomendado
Onde encontrar laboratórios
ponto de fudição Dado irrelevante
ponto de rebuliço Dado irrelevante
Coisas de quadrinhos
Probabilidade de te transformar num super-herói Nula, só te mata mesmo



Laurêncio é um desses elementos químicos fictícios inventados por químicos apenas para preencher a linha dos actinídeos que como seus similares não serve pra nada. Este é o de número 103, o que é muito próton e elétron pra ficar junto, tipo um obeso comendo mais um Big Mac e suando gordura enquanto faz isso, mas ao invés de gordura, o laurêncio expele radiação. É tipo um Esporte Clube Vitória, está ali só pra cumprir tabela, sem muita utilidade e as pessoas nem percebem que ele existe.

CaracterísticasEditar

Pouco se sabe sobre o laurêncio porque nunca houve utilidade em produzi-lo em larga escala para saber o que esse elemento é ou faz. Basta saber o básico, que é altamente radioativo e tem a capacidade de fazer seu cu cair da bunda, literalmente, caso seu ânus seja exposto a este elemento por meros segundos de prazer anal.

Como não se sabe nada desse elemento, só é possível especular. Então acredita-se que ele possa ser metálico, gasoso ou gosmento, e que sua coloração possa ser prateada, cinza, preta, branca, marrom, verde, azul ou vermelha.

O que não há consenso ainda é se o laurêncio é mesmo um actinídeo ou se é um metal de transição. Como químicos são seres que não tem coisa melhor o que fazer da vida, afinal são todos virgens e sem amigos, acredite se quiser, o debate sobre o posicionamento do laurêncio é intenso, por mais que 99,99% da população mundial esteja cagando pro fato do laurêncio ser um actinídeo ou um metal de transição, especialmente porque esse elemento sequer existe, não é como se estivessem debatendo a natureza química de um oxigênio ou de um carbono para alguém se importar.

HistóriaEditar

Como todos os outros actinídeos, o laurêncio também foi fabricado na Universidade de Berkeley na Califórnia, só que ao contrário de todos os outros que foram sintetizados em 1958, o laurêncio demorou um pouco mais, devido à complexidade, e só seria criado em 1961, e como todos os demais actinídeos sintetizados, o laurêncio também foi sintetizado para nada sob motivos de porra nenhuma, criado só por criar mesmo. Para criar o laurêncio foi necessário assassinar 3 átomos de califórnio, bombardeado com íons de boro, para criar um laurêncio que durou 4,2 segundos e logo se travestiu de mendelévio. Visivelmente algo bem inútil de se fazer, mas pelo visto a Universidade da Califórnia estava sem ter onde por seus recursos financeiros.

O nome adotado foi uma homenagem ao ator e comediante Martin Lawrence, uma vez que já no elemento 103, não haviam mais tantas pessoas assim para ficar se homenageando, e a escolha do Martin foi a mais acertada.

AplicaçõesEditar

Nenhuma aplicação. Como todo actinídeo que se preze, o laurêncio é um elemento fictício, e como tal obviamente não possui aplicações e serve apenas para compor enredos de HQs, mas nem para isso foi utilizado até hoje, preferem usar vibranium e adamantium por exemplo.