Abrir menu principal

Desciclopédia β

Linha 5 do Metrô de São Paulo

Linha 5 do metrô em um dia de Natal.

Cquote1.png Você quis dizer: Linha G da CPTM Cquote2.png
Google sobre Linha 5 do Metrô de São Paulo
Cquote1.png Linha Gay Cquote2.png
Alguém sobre o metrô.

A linha 5 do metrô foi construída no mesmo ano que as torres gêmeas foram destruídas, fazendo uma homenagem ao transporte de bois que havia na região na época que tua mãe era virgem tempo pra cacete, por isso o transporte de seus usuários de drogas é semelhante ao que acontecia no passado.

NewBouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Linha 5 do Metrô de São Paulo.


Índice

Estações:Editar

Originalmente essa linha possuía, apenas 6 estações e por anos sem ter nenhuma ligação com outras estações do metrô foi conhecida como a linha que ia do nada à lugar nenhum, tendo sua finalização completa em 2019, após 4000 anos em obras.

Terminal Capão RedondoEditar

Nessa estação, ninguém entra nem ninguém sai porque, quando você chega na estação pelo motivo de ficar um monte de animais ferozes pessoas na porta, se você empurrar alguém, a sua mãe ganha um elogio totalmente grátis, e ainda você ganha uma fantástica integração gratuita para os sofisticados ônibus da EMTU, os quais você tem que esperar 9 horas para aparecer um e mesmo assim você irá confortavelmente pendurado na porta ou surfando em cima do ônibus.

  • Chamada de identificação da estação: Estação Vila das Belezas; ao desembarcar, cuidado com o espaço entre o trem e a plataforma. - operador do trem: retificando: estação terminal Capão Redondo; ao desembarcar, cuidado com o seu relógio, sua carteira e sua vida.

Campo LimpoEditar

Essa estação foi projetada pelo vendedor de pastel da viela 8, Tião Gordura; na mesma só existem 2 catracas para ter acesso a estação e pra sair da mesma e uma está sempre quebrada. Ao sair dela você tem acesso ao pior shopping da região Campo Limpo, reduto de drogados e vagabundas. Ambos equivalem a 50% do pessoal que frequenta o shopping.

  • Chamada de identificação da estação: estação Santo Amaro; ao desembarcar, cuidado com o espaço entre o trem e a plataforma. - operador do trem: retificando: estação Campo Limpo; ao desembarcar, cuidado com o seu cigarro.

Vila das Tristezas BelezasEditar

Essa estação foi feita só pra aumentar o número de estações, porque ninguém entra e ninguém sai. As catracas registram 0,0036% de entrada e 0,0063% de saída, que equivale de porcentagem das pessoas que trabalham lá (seguranças, traficantes e vendedores de balas).

  • Chamada da estação - Estação Santo Amaro. Operador - Retificando: estação Vila das Belezas; ao desembarcar, desçam do trem.

Giovanni GronchiEditar

Essa estação era pra fazer integração com o terminal João Dias e o metrô; é igual gato e rato e não deu muito certo, pois pra você pegar um ônibus você tem que pagar.

  • Chamada estação - Estação Campo Limpo. Operador - Estação Giovanni Gronchi; ao desembarcar, cuidado pra não ser jogado nos trilhos ou na escada.

Santo AmaroEditar

Embora não seja em Santo Amaro, colocaram o nome dela assim. Foi a estação aonde gastaram mais verbas para reformá-la (gastaram mais nela no que na linha 5 toda). Nela você tem integração gratuita aos luxuosos trens da CPTM, onde a estação fica sobre a maravilhosa visão dos rios Guarapiranga e Jurubatuba, onde pode ser vistos capivaras, mutantes da Record, extraterrestres, cadáveres, membros de corpos humanos e até mesmo tua mãe.

  • Chamada estação - Estação Largo Treze. Operador - Retificando: estação Santo Amaro; ao desembarcar, cuidado pra não pisar nos cadáveres.

Largo TrezeEditar

É a estação que dá acesso ao terminal de ônibus de Santo Amaro (supervazio) e não fica no Largo Treze. É frequentada por um pessoal muito bem educado.

Adolfo PinheiroEditar

Depois de 2000 anos em obras, finalmente a estação saiu. Fica no meio do nada. Seus lustres de iluminação dão a sensação de você estar sendo abduzido por ETs.

Alto da Boa VistaEditar

Depois de 4000 anos em obras, a estação saiu. Não se sabe onde essa estação fica, e ela veio com as Borba Gato e Brooklin. É a primeira estação com a maldita entrada de vidro, que parece um tatu-bola, que custou mais caro que a estação em si. Foi inspirado em Canary Wharf, bairro importante de Londres. O Metrô ficou tão empolgado com a "decoração" que resolveu replicar essa aberração em várias outras estações até AACD-Servidor. Um desperdício de arquitetura e de dinheiro público.

Borba GatoEditar

Quem é Borba Gato? Você depois de uma aula de história avançada... Depois de 4000 anos em obras, a estação saiu. Não se sabe onde essa estação fica, e ela veio com as Alto da Boa Vista e Brooklin. Outra estação com o tatu-bola de vidro na entrada.

BrooklinEditar

É a estação que dá acesso ao corredor de ônibus da EMTUlho que vai até Jabaquara e Morumbi. Depois de 4000 anos em obras, a estação saiu. Não se sabe onde essa estação fica, e ela veio com as Alto da Boa Vista e Borba Gato. Outra estação com o tatu-bola de vidro na entrada. Iria se chamar Brooklin-Campo Belo. Possui portas de plataforma instaladas nela que, por uns 2 anos ficaram desativadas, passando a funcionar somente em junho de 2019.

Estação Campo BeloEditar

É aquela que iria fazer ligação com o monotrilho da Linha 17-Ouro e levar do estádio do Morumbi ao Jabaquara e um pedacinho indo ao aeroporto de Mongólia Congonhas (que fica entre Brooklin e Eucaliptos). Depois de mais 2000 anos, em 2019 finalmente foi inaugurada, sendo essa a mais discreta de todas. Ao invés daquele tatu-bola de vidro ridículo, sua entrada é debaixo de um viaduto, por isso não se surpreenda se você topar com algum noiado por aí. Por dentro é nada mais nada menos que uma versão miniatura da estação Brooklin, só que sem as portas de segurança (sabe-se lá quando serão instaladas).

EucaliptosEditar

Seu primeiro nome foi Ibirapuera, só mudaram por causa da avenida que passa do lado da estação. Perto do arcaico Shopping Ibirapuera, a maior atração é observar os aviões de Congonhas dando rasante. E, claro, tem o tatu-bola de vidro na entrada. Atualmente as portas de plataforma dela se encontram em instalação de forma bem acelerada, por sinal.

MoemaEditar

Ricolândia mora aqui! Foram a população mais magoada pelo Metrô, já que planejaram aquele tal de Ramal Moema que ia parar por ali, mas como o pessoal do Metrô achou inútil expandir o metrô por ali, o projeto foi cancelado. Depois de uns 500 anos de obras, finalmente os ricos de Moema receberam a estação. Assim como muitas outras estações, a entrada é um tatu-bola de vidro, que custou mais do que a própria estação.

AACD-ServidorEditar

Dá pra ir pro Parque Ibirapuera com essa estação (se quiser andar 1km, te recomendo ir de carro ou ônibus), além de 30 hospitais do lado da estação. Última estação com o tatu-bola de vidro na entrada, graças às divindades. Iria se chamar Hospital Servidor Público. Atualmente as portas de segurança dela se encontram finalizadas e funcionais, um novo recorde se comparada com Brooklin e Sta Cruz.

Hospital São PauloEditar

Opa, já estamos perto da linha 1 e linha 2! Tem acesso a um hospital e mais nada. A entrada da estação é mais decente, mas não mais barata. Iria se chamar Vila Clementino. Até parece que alguém do Metrô andou lendo esse artigo. Atualmente as portas de segurança dela se encontram finalizadas, faltando apenas serem ligadas.

Santa CruzEditar

Aleluia! Você pode mudar para a linha 1, mas olhe, pra mudar você tem que descer MUITO. Estação na região burguesa safada da Vila Mariana, demora-se 30 minutos para subir as escadas e se integrar com a Linha 1-Azul e o prédio da estação é uma dos exemplos arquitetônicos de aberração e extremo mau gosto, parecendo com uma fábrica de filme de terror, submarino, um escapamento de ônibus, sei lá. Suas portas de plataforma só começaram a funcionar depois de 8 meses inativas, um recorde, se comparadas com as de Brooklin, que levaram 2 anos.

Chácara KlabinEditar

Última estação da linha, ainda na região burguesa safada de Vila Mariana. Se integra com a Linha 2-Verde. Era aquela estação fantasmagórica que ninguém subia e ninguém descia... agora está cheio do povão de Capão Redondo, Jardim Ângela, Itapecerica e outros confins por aí.


FrotasEditar

500 Fase 1 (Ex-Frota F)Editar

Modelo Aston Martin Alstom Metropolis, são os modelos originais dessa linha. São conhecidos por serem barulhentos pra cacete, sendo este o queridinho de muitos "ferrofãos" por aí (sério, quem que gosta de um trem barulhento que nem passagem livre tem direito?), porém, este é o menos feio das duas frotas dessa linha. Eles ainda não voltaram para operação (já que se encontram inoperantes para "Atualizações"), para a tristeza de uns e a alegria de outros.

500 Fase 2 (Ex-Frota P)Editar

Produzidos pela CAFona, conhecidos como privadão (já que sua frente se parece com uma privada), são os preferidos dos usuários "normais", por ser um trem novo, mas em compensação possui um ar condicionado gelado até demais, aumentando o numero de resfriados por aí, sem contar o sistema de som estourado com áudio pior que brinquedo xing ling da Rua 25 de Março.


CuriosidadesEditar

  • Isso foi corrigido com a operação dessa linha pela ViaMobilidade.
  • E que tirando isso a linha continua a mesma porcaria, só que com logomarca diferente?

Pontos PositivosEditar

 

Projetos futuros (que foram feitos ou não...).

Algum político drogado decidiu levar os índios e as capivaras do Capão Redondo até a civilização (zona sul - reduto de mauricinhos e casais gays da Vila Mariana), e desta forma, a linha 5 será prolongada até a estação Santa Cruz (linha 1 - ponto de tráfico de drogas no shopping arquidiocesano, ligado ao colégio que fica dentro do terminal de ônibus), e a estação chácara Klabin (onde 12 a cada 10 moradores são nerds, homossexuais, professores de arte e outros alienígenas).
Com o inicio das obras, estima-se que até 2350 as capivaras poderão fazer compras no shopping Santa Cruz (ops... arquidiocesano), e a tecnologia utilizada em Avatar permitirá que nenhum marginal ou drogado morra afogado durante o percurso. A extensão contará com 450 estações, passando pelo Acre, Júpiter, Saturno e Plutão, como forma de justificar o gasto do dinheiro publico.

Também tem a expansão pro Jardim Ângela (também conhecido como a cidade das cidades das cidades de favelas). Outro político drogado decidiu levar os favelados as pessoas ótimas do Jardim Ângela pros índios e as capivaras do Capão Redondo.

E mais outro projeto que vai até o Posto Ipiranga e depois pro Belém (mas só Deus saberá quando inaugurar).

Ver tambémEditar