Abrir menu principal

Desciclopédia β

Loreto

Loreto é uma porcaria de cidade localizada no ânus do Estado do Maranhão. Está no final de uma Rodovia Estadual que liga nada a lugar nenhum, ou seja liga o povoado Buritirana (que é uma porcaria que pertence ao município de Loreto) localizado na BR-230 até a cidade de Loreto e lá acaba a Rodovia e foda-se. Para ser mais preciso, a cidade está numa região conhecida como a porta do inferno, pois está próxima da divisa com o Piauí, um verdadeiro inferno de calor.

Em Loreto você pode se sentir na idade da pedra, pois lá falta água por dias seguidos, energia falta constantemente, telefone na maioria dos dias não funciona e celular você consegue fazer uma ligação após um milhão de tentativas.

Índice

HistóriaEditar

 
População inteira reunida nas margens do rio das Balsas para fazer farofada.

Não há a menor informação da existência dessa cidade. Ela parece sempre ter existido e parece que vai existir pra sempre. Sempre sem mudar.

PolíticaEditar

Os Vereadores se acham as maiores autoridades, pois se acham no direito de passar até por cima da autoridade policial. Papel de vereador é elaborar leis e fiscalizar o prefeito e não querer ter autoridade sobre a polícia, pois a polícia militar e civil são subordinadas ao Estado, através da Secretaria de Segurança.

LazerEditar

Lá não tem nada para fazer, então a diversão das pessoas é ficar sentadas e falando da vida dos outros, porra o que é que esse bando de filho da puta tem a ver com a vida dos outros, cada um que viva a sua vida, pois não interessa a ninguém o que fiz, vou fazer ou deixei de fazer. Mas lá é diferente, todos tem que saber o que fazemos.

EducaçãoEditar

As pessoas também não sabem falar, pois usam as expressões: cuié (colher), muié (mulher), arriba (levanta), e outras do gênero. Mas essas expressões são ensinadas na escola, pois até os professores da cidade falam errado.

TurismoEditar

Se você pretende ir para Loreto esqueça, procure outro lugar de preferência longe de lá. O único ponto turístico é visitar a precária ponte sobre o rio das Balsas e testemunhar o terror dos poucos motoristas que se atrevem a atravessá-la.